Inappropriate land use and its impacts on the degradation of áreas

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i12.19948

Keywords:

Environmental Degradation; Recovery; Degraded areas; Ground.

Abstract

The exploration and degradation of Brazilian soils began in 1531, having as its starting point the completion of the process of Portuguese colonization, when Martin Afonso de Sousa, the first grantee of the hereditary captaincy of São Vicente, disembarked here. Given the importance of combating desertification, restoring degraded land and soil, including land affected by droughts and floods, and striving to achieve a neutral world in terms of soil degradation so important for food production, we sought through This work contributes to the knowledge of the causes and consequences of inadequate land use practices, which leads to the emergence of degraded areas and to point out solutions. For this, a survey of the literature review type was carried out in various sources, electronic media, and printed magazines, websites and specialized periodicals such as academic google, Scielo and Capes, in order to investigate the importance of techniques to combat degradation of soils as an effective way to fight hunger and guarantee food security and promote sustainability. It was verified that the levels of environmental degradation should be identified and classified, knowing the main causes of degradation caused by inadequate land use and, in possession of this information, apply the most appropriate techniques for recovering degraded areas according to the presented severity.

Author Biography

Dennis Bezerra Correia, Universidade Regional do Cariri

Graduated in Biological Sciences (2018) and specialization in Environmental Education (2019), both from the Regional University of Cariri, URCA - CE. He is a specialist in Environmental Management and Auditing (2020) by the Faculty of Venda Nova do Imigrante - FAVENI). He has experience in Environmental Education, working on the following topics: Social and Environmental Education and Social and Biodiversity.

References

Almeida, D. D. (2016). Plano de recuperação de áreas degradadas (PRAD). Recuperação ambiental da Mata Atlântica [online]. (3rd ed.), Editus, 140-158.

Almeida, D. S. D. (2016). Recuperação ambiental da mata atlântica. Editus.

Bardin, L. (2011). Análise de Conteúdo São Paulo: Edições 70.

Brasil. Constituição da República Federativa do Brasil, Decreto nº 97.632 -10 abril de1989. Regulamentação do Artigo 2º, inciso VII, da Lei nº 6.938, de 31 de agosto de 1981, Brasília, DF, 10 Abr 1989. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/1980-1989/d97632.htm.

Brasil. Decreto N.º 1.713 -14 de junho de 1937. Criação do Parque Nacional de Itatiaia -PNF, Brasília, DF, 14 junho 1937. https://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1930-1939/decreto-1713-14-junho-1937-459921-norma-pe.html.

Brasil. Decreto Nº 4.421 –28 de dezembro de 1921. Cria Serviço Florestal Brasileiro, DF, 28 Dez. 1921. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decr eto/2002/D4421.htm.

Brasil. Decreto Nº 8.843 –26 de julho de 1911. Cria a reserva florestal no Território do Acre, Brasília, DF, 26 Jul. 1911. https://www2.camara.leg. br/legin/fed/decret/1 910-1919/decreto-8843-26-julho-1911-579259-republicacao-102184-pe.html.

Brasil. Lei 12.651 -25 de maio de 2012. Dispõe sobre a proteção da vegetação nativa. Recuperado de: https://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei/2012/lei-12651-25-maio-2012-613076-normaatualizada-pl.pdf.

Brasil. Lei N.º 6.902 -27 de abril de 1981. Criação de Estações Ecológicas e Áreas de Proteção Ambiental, Brasília, DF, 27 Abr 1981a. https://www.controlemunicipal.com.br/inga/sistema/arquivos/68/160320134311_lei_69021981__apa_pdf.pdf.

Brasil. Lei N.º 6.938 -31 de Agosto de 1981. Política Nacional do Meio Ambiente, Brasília, DF, 31 Ago 1981b. http://www.planalto.gov.br/cci vil_03/leis/l6938.htm.

Brasil. Lei N.º 9.605 -12 de Fevereiro de 1998. Sanções penais e administrativas derivadas de condutas e atividades lesivas ao meio ambiente, Brasília , 12 Fev 1998. Recuperado de: http://revistas.ifg.edu.br/tecnia/article/view/283.

Brasil. Lei N.º 9.985 -18 de julho de 2000. Regulamenta o art. 225, § 1º, incisos I, II, III e VII da Constituição Federal, institui o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza, Brasília, DF, 18Jul 2000b. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9985.htm.

Brasil. Ministério do Meio Ambiente. Quinto Relatório Nacional para a Convenção da Biodiversidade. Brasília: MMA, 2016. https://antigo.mma.gov.br/biodiversidade/conven%C3%A7%C3%A3o-da-diversidade-biol%C3%B3gica/relatorios-brasileiros/item/7926.html.

Brasil. Resolução CONAMA N.º 001 -23 de janeiro de 1986. Estabelece as definições, as responsabilidades, os critérios básicos e as diretrizes gerais para uso da Avaliação de Impacto Ambiental, Brasília, DF, 23 jan 1986.: http://www.ima.al.gov.br/wizard/docs/RESOLU%C3% 87%C3%83O%20C ONAMA %20N%C2%BA001.1986.pdf.

Brasil. Resolução SMA –64 –10 de setembro de 2009. Dispõe sobre o detalhamento das fisionomias da vegetação de Cerrado e de seus estágios de regeneração, conforme a Lei Estadual nº 13.550, de 2 de junho de 2009b. Brasília, DF. 2009b. http://www. cetesb.sp.gov.br/licenciamento/documentos/2009 _Res_SMA_64.pdf.

Candido Filho, A. et al. (2015). Recuperação de áreas degradadas. I Congresso Técnico Científico da Engenharia e da Agronomia CONTECC, Fortaleza/CE, setembro de 2015.

CONAMA. Resolução N.º 429, de 28 de feveiro de 2011. Metodologia de recuperação das Áreas de Preservação Permanente -APPs,. http://www.mma.gov.br/port/conama/legiabre.cfm?codlegi=644.

Côrtes, M. D. S. (2016). Fiscalização ambiental e análise multitemporal da ocupação e uso do solo no assentamento rural Nova Colina, no estado do Amapá.

da Silva, L. F., da Fonseca Maltez, M. A. P., Oliveira, C. E. A., Gusmão, Y. J. P., de Souza, M. A., do Nascimento, J. A. C., & de Bueno, O. C. (2021). Sustentabilidade, agricultura familiar e políticas públicas no Brasil: Uma revisão de literatura. Research, Society and Development, 10(4), e42310414220-e42310414220.

de Jesus Boaventura, K., da Cunha, É. L., & Dutra, S. (2019). Recuperação de áreas degradadas no Brasil: conceito, história e perspectivas. Tecnia, 4(1), 124-145.

de Oliveira, A. B., de Moura Cunha, G. H., & Constantino, M. (2017). Cerrado Brasileiro: Um estudo exploratório nas políticas para o seu desenvolvimento. Contribuciones a las Ciencias Sociales, (2017-03).

Feldens, L. (2018). Homem a Agricultura a História. Univantes.

Ferreira, E., de Paula Andraus, M., Cardoso, A. A., dos Santos Costa, L. F., Lôbo, L. M., & Leandro, W. M. (2016). Recuperação de áreas degradadas, adubação verde e qualidade da água. Revista Monografias Ambientais, 15(1), 228-246.

Finlayson, C. (2018). World Wide Fund for Nature (WWF). In The wetland book I: Structure and function, management and methods (pp. 727-731). Springer.

Grisa, J. G. D., Grisa, K. T., von Borstel Roesler, M. R., Feiden, A., Hahn, K. G., & de Grandi, A. M. (2019). Licenciamento ambiental para o desenvolvimento rural sustentável. Revista Verde de Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável, 14(5), 612-616.

Haack, P. G. (2019). Consumo, endividamento, questões ambientais e adaptabilidade humana (Doctoral dissertation, Universidade de São Paulo).

Ibama, A. A. S. (2017). Community Health Practitioners And Community Health Practice In The Domain Of Public Health. Internal Journal of Innovative Research and Advanced Studies (IJIRAS), 4(6).

IBGE, I. (2017). de Geografia e E. As fundações privadas e associações sem fins lucrativos no Brasil (FASFIL), 28.

Pimenta, K. K. P., Bin, A., & Salles Filho, S. L. M. (2020). Indústria e biodiversidade no Brasil: o novo marco regulatório sobre o uso sustentável da biodiversidade. Administração de empresas em revista.

Rocha, J. S. (2018). Diversidade, Usos e Circulação de Plantas Medicinais no Bairro Nossa Senhora da Vitória em Ilhéus-Bahia (Doctoral dissertation, Dissertação de Mestrado Profissional. Escola Superior de Conservação Ambiental e Sustentabilidade, Ilhéus, BA, Brasil).

Rodrigues, E. (2019). Diagnóstico da fragmentação de habitats e expansão canavieira na Microrregião de Ceres, Estado de Goiás.

Serrão, M., Almeida, A., & Carestiato, A. (2020). Sustentabilidade: uma questão de todos nós. Editora Senac São Paulo.

Silva, G. D. P. D. (2020). Contribuições de técnicas de reabilitação ambiental de ambientes degradados do domínio morfoclimático dos Mares de Morros em Santa Catarina. TCC (graduação) - Universidade Federal de Santa Catarina. Centro de Filosofia e Ciências Humanas. Geografia

Published

12/09/2021

How to Cite

OLIVEIRA, J. P. C. de .; CORREIA, D. B. .; VERÇOSA, C. J. .; FIGUEROA, M. E. V. .; CABRAL, C. da P. .; VITOR, L. N. A. .; SANTOS, A. F. dos .; MARTINS, A. S.; TEIXEIRA, L. M. .; PEREIRA, G. G. .; ANUNCIAÇÃO, J. A. O. da .; PEREIRA, F. D. .; VASCONCELOS, J. M. P. B. L. de .; SILVA, A. S. O. da .; FERNANDES, N. de S. .; OLIVEIRA, P. S. de .; SAMPAIO, N. K. S. .; SANTOS, R. H. L. dos .; BARROS, J. E. L. de; SANTOS, M. A. F. dos . Inappropriate land use and its impacts on the degradation of áreas. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 12, p. e35101219948, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i12.19948. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/19948. Acesso em: 20 feb. 2024.

Issue

Section

Review Article