Development of competence for the prescription of drugs in Primary Care in nursing education

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i12.20039

Keywords:

Primary Health Care; Nursing education; Prescription of medicines by nurses.

Abstract

The objective of this research was to investigate the existence of a forecast for the development of competences for the prescription of medicines by nurses in the Pedagogical Course Projects (PPC) of the Nursing course of Higher Education Institutions in the public and private network of Campina Grande-PB. A qualitative study with a descriptive and documentary approach is proposed. The study was carried out in the city of Campina Grande-PB, together with higher education institutions that have the Nursing Undergraduate course in their teaching matrix. The collection took place through two operational stages: analysis of all PPC, the second was a semi-structured interview, using a previously established and flexible script with the course coordinators. The PPCs of the investigated institutions do not address curricular content/components to develop in the student competences for the prescription of medicines and that institutions face challenges in readjusting the pedagogical projects after the redemocratization of teaching. It is necessary that course coordinators and professors develop means to readjust the PPC in accordance with what the SUS advocates to promote in students a critical and reflective view focused on their field of action.

References

Alves, G. A., Martins, A. C., Pinho, S. E., Almeida, M. A. N. & Tobias, C. G. (2017). Prática docente do enfermeiro na rede cegonha à luz da teoria histórico-cultural. Revenferm UFPE (on-line),11(9), 3330-7.

Bardin, L. (2011). Análise de Conteúdo. Ed. Revisada e ampliada. Edições, 70 p.

Bakes, D. S., Bakes, M. S., Erdman, A. L., & Buscher, Andreas. O papel profissional do enfermeiro no Sistema Único de Saúde? Da saúde comunitária à estratégia de saúde da família. Ciência & Saúde Coletiva, 17(1):223-230, 2012

Brasil. (1986). Lei n. 7.498, de 25 de junho de 1986. Dispõe sobre a regulamentação do exercício da enfermagem e dá outras providências. Diário Oficial [da] união. 1986 jun. 26, Seção 1. P. 1

Buchan, J. & Calman, L. (2004). Skill Mix and Policy Change in the Health Workforce: Nurses in Andvanced Roles. OECD Working Papers, 17.

Camboim, A. C. J., Souza, A. N. M., Lima, B. C., Silva, L. C. M., Silva, M. N. A. & Camboim, F. E. F. (2017). Prescrição de medicamentos por enfermeiros: legalidade, prática e benefícios. Revista Recien, 7 (19), 15-27.

Campos, G. W. S. (2000). Um método para a análise e co-gestão de coletivos: a constituição do sujeito, a produção de valor de uso e a democracia em instituições: O Método da roda. Hucitec.

Courtenay, M. (2002). Educationand nurse prescribing. Nursing Times, 98(9).

Conselho Nacional de Educação/ Câmara de Ensino Superior (CNE/CES). (2001). Parecer 1133, 7 ago 2001. Homologado. Despacho do Ministro em 01/10/2001, Diário Oficial da União (DOU), Brasília, 3 de outubro de 2001, Seção IE, p. 131.

Costa, S. K. R. & Miranda, N. A. F. (2009) Sistema único de saúde e da família na formação acadêmica do enfermeiro. Revista Brasileira de Enfermagem.

Flick, U. (2009) Introdução à pesquisa qualitativa. Tradução de Joice Elias Costa. Artmed.

Garfinkel, H. (1984). Studies in ethnomethodology. Polity Press.

Galavote, H. S., Zandonade, E., Garcia, A. C. P., Freitas, P. S. S., Seidl, H., Contarato, P. C., Andrade, M. A. C. & Lima, R. C. D. (2016). O trabalho do enfermeiro na atenção primária à saúde. Escola Anna Nery, 20(1), 90-98

Hermida, V. M. P., Barbosa, S. S. & Heidmann, B. S. T. I. (2015). Metodologia ativa de ensino na formação do enfermeiro: inovação na atenção básica. Revista de Enfermagem, 5 (4), 683-691

Higashi, C. D. G., Erdman, L. A., Andrade, R. S. & Bettinelli, A. L. (2017). O contexto e as implicações das decisões colegiadas para a formação do enfermeiro. REME – Revista Min de Enfermagem.

Marçal, M., Marconisin, M., Xavier, J., Silveira, L., Alves, H. V. & Lemos, A. (2014). Análise dos projetos pedagógicos de cursos de graduação em enfermagem. Revista Baiana de Enfermagem, 28(2), 117-125

Marcolino, C. E. (2012). Formação do enfermeiro para prescrição de medicamentos na atenção básica: estudo de caso. 2012. 36f. Trabalho de conclusão de Curso. Universidade Estadual da Paraíba, Campina Grande-PB.

Martiniano, S. C., Coêlho, A. A., Souza, B. M., Brandão, A. C. I., Silva, F. K. A. & Uchôa, C. A. S. (2016). Caracterização da prescrição de medicamentos por enfermeiros nos protocolos de Atenção Primária à Saúde. Revista de enfermagem da UERJ, 24(3), e13923.

Medeiros, C. V. & Peres, M. A. (2011) Atividades do enfermeiro no âmbito da atenção básica à saúde. Texto Contexto de Enfermagem, 20(Esp), 27-35.

Missio, L., Lopes, R. M. M. & Renovato, D. R. (2011) Os reflexos da educação superior pós-LDB de 1996: um foco nos cursos de graduação em enfermagem. Educação e Fronteiras On-Line, 1(1), 80-91

Oguisso, T. & Freitas, G. F. (2007). Enfermeiros prescrevendo medicamentos: possibilidades e perspectivas. Revista Brasileira de Enfermagem, 60(2), 141–144.

Oliveira, M. C. M., Lima, L. T. & Baluta, H. V. (2014). A formação do profissional enfermeiro, no contexto das reformas de ensino no Brasil. Revista Grifos, 36/37.

Organização Mundial da Saúde – OMS (2018). Organização Pan-americana da Saúde. Ampliação do papel dos enfermeiros na atenção primária à saúde. Washinton, D.C. 2018. OMS. Organização mundial da saúde. http://www.who.int/about/es/.

Perrenoud, P. (200). 10 novas competências para ensinar convite a viagem. (1999). Artmed.

Reibnitz, S. K., Kloh, D., Corrêa, B. A., & Lima, M. M. (2016). Reorientação da Formação do Enfermeiro: Análise a partir dos seus protagonistas. Revista Gaúcha de Enfermagem, 37(esp), e68457

Regis, G. C. & Batista, A. N. (2015). O enfermeiro na área da saúde coletiva: concepções e competências. Revista Brasileira de Enfermagem, 68(5), 830-6

Rodrigues, J., Zagonel, S. P. I. & Mantovani, F. M. (2007). Alternativas para a prática docente no ensino superior de enfermagem. Escola Anna Revista de Enfermagem, 11(2), 313-7

Silva, L. K., Sena, R. R., Silveira, R. M., Tavares, S. T. & Silva, M. P. (2012). Desafios da formação do enfermeiro o contexto da expansão do ensino superior. Escola Anna Nery, 16(2), 380- 387

Silva, G. M., Fernandes, D. J., Teixeira, S. A. G. & Silva, O. M. R. (2010) Processo de formação do enfermeiro na contemporaneidade: desafios e perspectivas. Texto Contexto Enfermagem, 19(1), 176-84.

Trevisan, D. D., Minzon, T. D. & Testi, V. C. (2013). Formação de enfermeiros: distanciamento entre a graduação e a prática profissional. Ciência Cuidado e Saúde,12(2), 331-337.

Vieira S. E. J. L., Silva F. C. A., Moreira R. A. G., Cavalcanti F. L., Silva M. R. Protocolos na atenção à saúde de mulheres em situação de violência sexual sob a ótica de profissionais de saúde. Ciência & Saúde Coletiva, 21(12):3957-3965, 2016

Ximenes Neto, F. R. G., Costa, F. A. M., Chagas, M. I. O & Cunha, I. C. K. O. (2007). Olhares dos enfermeiros acerca de seu processo de trabalho na prescrição medicamentosa na Estratégia Saúde da Família. Revista Brasileira de Enfermagem, 60(2), 133-140.

Yin, R. K. (2001). Estudos de caso: planejamento e métodos. Bookman.

Published

15/09/2021

How to Cite

SILVA, M. V. B. C. da; LIMA, C. G. de; ROSA, R. B.; FRANÇA, L. L. C. .; NASCIMENTO, W. G. do .; COELHO, A. A.; MARTINIANO, C. S. Development of competence for the prescription of drugs in Primary Care in nursing education. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 12, p. e116101220039, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i12.20039. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/20039. Acesso em: 3 mar. 2024.

Issue

Section

Health Sciences