Challenges and changes in teaching practice in remote emergency teaching in Higher Education in Health and Humanities

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i13.20655

Keywords:

Remote learning; Pedagogical practices; Information and communication technologies.

Abstract

This article aimed to analyze teaching practice in emergency remote teaching, verifying how teachers adapted their in-person practices to the remote context, identifying the tools and technological resources used in emergency remote classes and comparing the challenges and potential in conducting the practices pedagogical. This is an exploratory-descriptive study with a qualitative approach, formed by 112 professors in the area of ​​Health and Humanities, from seven Brazilian states, contacted via social networks, and who declared to be developing teaching activities in emergency remote classes. Data were collected via an online questionnaire (Google Forms), consisting of 19 questions. The results showed that for most professors it was not comfortable to transpose the classroom to the remote format, due to the difficulties of initial adaptations in the use of platforms. It was observed that most of the teachers of Public Institutions did not have courses or training meetings, leaving them without institutional support and support. However, teachers from Private Institutions were able to count on support and training from their institutions. There was an overload of teaching work in Home-Office. And it was observed that the Inverted Classroom was the most used strategy in remote learning. And that the guarantee of its potential will remain as a legacy of Hybrid Education for the post-pandemic. It was found with the study that the lack of interaction and inequality of access and inclusion to the internet and modern technological equipment on the part of students were the major difficulties of remote learning.

Author Biography

Patrícia Fonseca Ferreira Fleury, Faculdades Pequeno Príncipe

Mestre em Ensino de Ciências da Saúde pela Faculdade Pequeno Príncipe (FPP-PR). Especialista em Dentística Restauradora e Estética pela Universidade Positivo. Especialista em Saúde da Família pela Universidade Estácio de Sá e Formação Pedagógica em Biologia pela Faculdade Cruzeiro do Sul. Cirurgiã-Dentista graduada pela Universidade Estadual de Ponta Grossa. Membro do Grupo de Pesquisa em Ensino na Saúde (PENSA-FPP) e Membro do Grupo de Pesquisa em Direitos Humanos na Educação e Saúde (PUCPR). Têm experiência na área de Odontopediatria e Cirurgia em pessoas com deficência (APAE).

References

Adunicamp. (2020). Relatório sobre Condições de Trabalho Remoto Docente na Unicamp Pandemia de COVID-19. Unicamp.

Almeida, A. L. M. (2017). Rodas e Saberes e Formação e as Metodologias Ativas no Ambiente Virtual de Aprendizagem da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia. Dissertação (Mestre em Estudos Interdisciplinares, Universidade Federal da Bahia, Salvador. 195f. https://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/25027.

Bacich, L., Neto, A. T., & Trevisani, F. M. (2015). Ensino Híbrido: Personalização e Tecnologia na Educação. Penso.

Barbato, S., Caixeta, J.E. (2014). Novas Tecnologias e Mediação do Conhecimento em Atividades Colaborativas no Ensino Superior. 20(42): 363-382. https://periodicos.unb.br/index.php/linhascriticas/article/view/4314.

Behens, M.A. (2010). Formação Pedagógica on-line: Caminhos para qualificação da docência universitária. Rev. Em Aberto, 82(23): 47-66.

Bernardo, K. A. S., Maia, F. L., & Bridi, M. A. (2020). As Configurações do Trabalho Remoto da Categoria Docente no Contexto da Pandemia COVID-19. Rev.Novos Rumos Sociológicos. 14(8): 8-39.

Bergamo, N. E. (2018). O Desafio da Docência: Formação continuada no contexto da Educação Híbrida. Dissertação (Mestrado em Educação) Universidade La Salle. http://repositorio.unilasalle.edu.br/bitstream/11690/1137/1/nebergamo.pdf.

Brasil. (2020a). Portaria nº 343, de 17 de Março de 2020. Dispõe sobre a substituição das aulas presenciais por aulas em meios digitais enquanto durar a situação de pandemia do novo coronavírus - COVID-19. Diário Oficial da União, Brasília.

Brasil. (2020b). Portaria nº 544, de 16 de Junho de 2020. Dispõe sobre a substituição das aulas presenciais por aulas em meios digitais, enquanto durar a situação de pandemia do novo coronavírus - covid-19, e revoga as portarias mec nº 343, de 17 de março de 2020. Diário Oficial da União, Brasília.

Candido Jr. E.Ensino Híbrido na Educação Superior: Desenvolvimento a partir da Base Tpack em uma perspectiva de metodologias ativas de aprendizagem. Dissertação (Mestrado em Educação). Universidade Estadual Paulista, Presidente Prudente, 2019. https://repositorio.unesp.br/handle/11449/191010.

Cani, J. B., Sandrini, E. G. C., Soares, M. G., & Scalzer, K. (2021). Educação e COVID-19: A arte de Reinventar a Escola Mediando a Aprendizagem “prioritariamente” pelas TDCI. Rev. Ifes Ciência, 1(6): 23-39

Castilho, L. B. (2014). O Uso da Tecnologia de Informação e Comunicação (TIC) no Processo de Ensino Aprendizagem no Ensino Superior Brasileiro. Dissertação (Mestrado em Sistema Informacional e Gestão do Conhecimento). Universidade FUMEC, http://fumec.br/revistas/sigc/article/view/2523/1507.

Cnte. (2020). Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação. Relatório Pesquisa Grupo de Estudos sobre Política Educacional e Trabalho Docente. Belo Horizonte: CNTE.

Cunha, L. F. F., Silva, A. S., & Silva, A. P. (2020). O ensino remoto no Brasil em tempos de pandemia: diálogos acerca da qualidade e do direito e acesso à educação. Revista Com Censo: Estudos Educacionais do Distrito Federal, 3(7): 27-37.

Di Lêu, M. F. A. (2018). A Influência do Ensino Híbrido no Processo de Aprendizagem dos Estudos no Curso de Fisioterapia em uma Instituição de Ensino Superior da Cidade de Recife-PE. Dissertação (Mestre em Ciências da Educação). Faculdade Humanística, Assunçion, 166f. http://revistacientifica.uaa.edu.py/index.php/repositorio/article/view/674/558.

Dias, M. L. (2018). A Competência Adquirida no Uso das Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação (TDCI) na Formação de Professores das Licenciaturas em Ciências Biológicas, Física e Química da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS): Um Estudo de caso. Tese (Doutorado em Educação) Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 138f. https://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/197009/001097526.pdf.

Duarte, K. A., & Medeiros, L. S. (2020). Desafio dos docentes: As Dificuldades da Mediação Pedagógica no Ensino Remoto Emergencial. Anais do VII Congresso Nacional de Educação FCED. Realize.

Ferreira, H. S. (2016). Ttool: Modelo de Planejamento Pedagógico e Instrumentalização de Professores no Processo de Ensino e Aprendizagem e Avaliação em Educação Online. Tese (Doutorado em Engenharia Elétrica e Computacional) - Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo, 169f. http://tede.mackenzie.br/jspui/bitstream/tede/3186/5/HILCEA%20SANTOS%20FERREIRA.pdf.

Hermann, I. C. (2018). Descrição e Análise da Utilização do Ensino Híbrido na UFGD. Dissertação (Mestre em Administração Pública), PROFIA/UFGD, Dourados, 109f. http://repositorio.ufgd.edu.br/jspui/bitstream/prefix/989/1/IvanClaudbHerrmann.pdf.

Hodges, C. B, Moore, S., Loockee, B. B, Trust. T. & Bond, A. (2020, 27 março). The Difference Between Emergency Remote Teaching and Online Learning. Educause Review. https://er.educause.edu/articles/2020/3/the-difference-between-emergency-remote-teaching-and-online-learning

Inforchannel. (2021). Tecnologia assume papel ainda mais importante na educação durante a pandemia. Inforchannel.

Joye, C. R, Moreira, M. M & Rocha, S. S. D. (2020). Educação a Distância ou atividade educacional remota emergencial. Research Society and Development, 9(7):1-29. https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/4299/3757

Macedo, R. (2020, 13 outubro). Estresse da pandemia atinge fortemente os professores, obrigados a se reinventar. Vida & Ação. https://www.vidaeacao.com.br/saude-mental-dos-professores/

Maia, F. L., & Bernardo, K. A. S. (2020). Home Office no Contexto da Pandemia COVID-19: Um olhar para o setor educacional docente. In: Bridi, Maria Aparecida da Cruz (coord.). Relatório técnico da pesquisa: trabalho remoto/home-office no contexto da pandemia COVID-19. GETS/UFPR, REMIR.

Mazon, M. (2017). As Tecnologias da Informação e Comunicação Aplicadas ao Modelo da Sala de Aula Invertida: Experiência no Ensino Superior. Dissertação (Mestrado em Tecnologia de Informação e Comunicação), Universidade Federal de Santa Catarina, Araranguá, 130f. https://d1wqtxts1xzle7.cloudfront.net/59134285/dissert_mazon_3220190505-22458-6afzpk.pdf

Minayo, M. C. S. (2001). Pesquisa Social.Teoria, método e criatividade (18a ed). Vozes.

Moran, J. M. (2015). A Educação que desejamos: novos desafios e como chegar lá. (5a ed) Papirus.

Ota, M. A. (2018). Adaptatividade em Ambientes Virtuais: Proposta para Personalizar a Aprendizagem em um Curso Híbrido no Ensino Superior.268f. Tese (Doutorado em Ensino de Ciências e Matemática), Universidade Cruzeiro do Sul, São Paulo. https://repositorioaberto.uab.pt/ handle/10400.2/7370.

Reis, M. C. M. V, Silva, T. N. T & Silva, B. C. (2021). Ensino Remoto: Importância e Benefícios da Capacitação Docente. Anais do VII Congresso Nacional de Educação. Maceió.

Rothstein, J. M. E. & Santos, M. G. G. Ensino Híbrido: Enlace das experiências pedagógicas em metodologias ativas. Olhares, Unijorge, 7(1): 73-92. http://revistas.unijorge.edu.br/ Portal/index.php/Olhares/article/view/42.

Roza, J. C. (2019). Aprendizagem na Docência Digital na Perspectiva do B-learning e do Tpack na Produção Compartilhada de Novas Pedagogias. Tese (Doutorado em Educação), UFSM, Santa Maria, 279f. https://repositorio.ufsm.br/handle/1/19485.

Sampieri. R. H. (2013). Metodologia de Pesquisa (5a ed). Penso.

Santos, G. L. (2014). A Promoção da Inclusão Digital de Professores em Exercício: pesquisa de síntese sobre aproximações entre professores, novas mídias e manifestações culturais emergentes na escola. Rev. Inter-Ação, Goiânia, 3(9): 529-543.

Santos, V. A., Dantas, V. R., Gonçalves, A. B. V., Holanda, B. M. W. & Barbosa, A. A. G. (2020). O Uso das Ferramentas Digitais no Ensino Remoto Acadêmico: Desafios e Oportunidades na Perspectiva Docente. Anais do VII Congresso Nacional de Educação. Maceió.

Saraiva, K., Traversini, C., & Lockmann, K. (2020). A Educação em tempos de COVID-19: Ensino Remoto e Exaustão Docente. Rev. Práxis Educativa, 15(1): 1-24. https://www.researchgate.net/publication/343893628_A_educacao_em_tempos_de_COVID-19_ensino_remoto _e_exaustao_docente

Schneider, M. S. (2017). Tecnologias Digitais e Pedagogias do Século XXI: Discurso dos Professores na Revista Nova Escola e no Portal do Professor e a Produção de Sentido Perante ao’’ Novo”. Dissertação (Mestrado em Letras), Universidade Católica de Pelotas, Pelotas, 117f. https://wp.ufpel.edu.br/ppgl/files/2018/10/Disserta%C3%A7%C3%A3o_-_Marlei_Scheunemann_Schneider-1.pdf.

Silva, L. Q, Fossatti, P, Jung, H. S. (2018). Metodologias Ativas: Google for Education como Ferramenta Disruptiva para o Ensino e Aprendizagem. Unimes, 19(18) https://periodicosunimes.unimesvirtual.com.br/index.php/paideia/article/view/880/835.

Silva, W. R. (2019). Construção de Indicadores para planos de Ensino Híbrido-Mobile Learning. Dissertação (Mestrado em Educação e Novas Tecnologias). Uninter, Curitiba, 242f. https://repositorio.uninter.com/handle/1/19.

Soares, L. N, Cesáreo, P. M. Educação Híbrida na Educação Superior: Estudo Sobre as Estratégias mais desenvolvidas. Rev. Ed. do Vale do Jequitinhonha, 1(2): 72-96. http://educvale.ppgedufvjm.com.br/index.php/educvale/article/view/22.

Published

09/10/2021

How to Cite

POSSOLLI, G. E. .; FLEURY, P. F. F. . Challenges and changes in teaching practice in remote emergency teaching in Higher Education in Health and Humanities. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 13, p. e146101320655, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i13.20655. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/20655. Acesso em: 3 dec. 2021.

Issue

Section

Education Sciences