Characterization of traffic accidents attended by SAMU in the city of Dourados, State of Mato Grosso do Sul (MS), Brazil

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i13.21308

Keywords:

Emergencies; Traffic Accidents; Emergency Medical Services; Wounds and Injuries.

Abstract

Knowing the epidemiology of land transport accidents is essential to propose actions for the prevention of this incident aimed at the most vulnerable public. Thus, the objective of this article was to describe and identify the victims of this condition served by the Emergency Mobile Care Service in Dourados, Mato Grosso do Sul. The study was based on the analysis of the attendance records carried out by SAMU from June 1, 2018 to May 30, 2019. Traffic accidents represented 52.77% of the total attendances SAMU, most of which were attended by the basic support unit. The sex most affected was male and the most prevalent age group was 20 to 39 years old with 53.39% of the total victims. The most prevalent accident was the collision between motor vehicles, with Sunday being the day of the week with the highest risk and the time with the highest record of incidents was from 18:00 to 23:59. Of the total accidents studied, 12 resulted in deaths, with the highest percentage of deceased males (91.66%). In this way, SAMU service forms are a valuable source of information for health surveillance and demonstrate their ability to contribute to the monitoring of these diseases and to point out the risk factors associated with care in the municipality.

References

Alves, E.F. (2010). Características dos Acidentes de Trânsito com Vítimas de Atropelamento no Município de Maringá-Pr, 2005-2008. Saúde e pesquisa, v. 3, n. 1, 2010. https://periodicos.unicesumar.edu.br/index.php/saudpesq/article/view/1224

Andrade, S.M. & Mello-Jorge, M.H.P. (2000). Características das vítimas por acidentes de transporte terrestre em município da Região Sul do Brasil. Rev. Saúde Pública. Abr; 34(2): 149-156 https://doi.org/10.1590/S0034-89102000000200008

Anjos, K.C., Evangelista, M.R.B., Silva, J.S. & Zumiotti, A.V. (2007) Paciente vítima de violência no trânsito: análise do perfil socioeconômico, características do acidente e intervenção do serviço social na emergência. Acta Ortopédica Brasileira. 2007; 15(5):262-266. https://doi.org/10.1590/S1413-78522007000500006

Araújo, D. C., Almeida, C.P., Santana, L.R.P., Santos, A.D., Lima, S.V.M.A. et al. (2021). Predicting factors and quality of life of trauma victims for traffic accidents. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 5, p. e0410514576, 2021. https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/14576

Bailey, T.C. (2001). Métodos estatísticos espaciais em saúde. Cad Saúde Pública 2001; 17(5): 1083-98. https://doi.org/10.1590/S0102-311X2001000500011

Barros, A.J.D., Amaral, R.L, Oliveira, M.S.B, Lima, S.C. & Gonçalves, E.V. (2003). Acidentes de trânsito com vítimas: sub-registro, caracterização e letalidade. Cad. Saúde Pública. 2003 Ago; 19(4): 979-986. https://doi.org/10.1590/S0102-311X2003000400021

Bastos, Y.G.L., Andrade, S.M. & Soares, D.A. (2005). Características dos acidentes de trânsito e das vítimas atendidas em serviço pré-hospitalar em cidade do Sul do Brasil, 1997/2000. Cad. Saúde Pública. 2005 Jun; 21(3): 815-822. https://doi.org/10.1590/S0102-311X2005000300015

Biffe, C.R.F, Harada, A., Bacco, A.B, Coelho, C.S, Baccarelli, J.L.F. et al. (2017). Perfil epidemiológico dos acidentes de trânsito em Marília, São Paulo, 2012. Epidemiol. Serv. Saúde. 2017 Jun; 26( 2 ): 389-398. https://doi.org/10.5123/S1679-49742017000200016

Brasil. Ministério da Saúde. (2006). Secretária de Atenção à Saúde. Coordenação-Geral de Urgência e Emergência. Política nacional de atenção às urgências. Série E. Legislação de Saúde. https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/politica_nacional_atencao_urgencias_3ed.pdf

Brasil. Ministério da Saúde. (2006). Secretária de Atenção à Saúde. Coordenação-Geral de Urgência e Emergência. Política nacional de atenção às urgências. Série E. Legislação de Saúde. https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/politica_nacional_atencao_urgencias_3ed.pdf

Brasil. Ministério da Saúde. (2018). DATASUS. Sistema de informações de mortalidade – SIM. http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/tabcgi.exe?sim/cnv/obt10uf.def

Brasil. Ministério dos Transportes. (2020). Departamento Nacional de Trânsito. Estatísticas das frotas de veículos por munícipio brasileiro. https://www.gov.br/infraestrutura/pt-br/assuntos/transito/conteudo-denatran/estatisticas-frota-de-veiculos-denatran

Cabral, A.P.S., Souza, W.V.D. & Lima, M.L.C.D. (2011). Serviço de atendimento móvel de urgência: um observatório dos acidentes de transportes terrestre em nível local. Revista Brasileira de Epidemiologia, 14(1), 03-14. https://doi.org/10.1590/S1415-790X2011000100001

Cerqueira, G.L.C. (2015). Consumo de álcool e outras drogas por jovens condutores. Revista Psicologia.pt. 2015 out; 1646-6977. https://www.psicologia.pt/artigos/textos/A0919.pdf

Derenzo, N., Miranda, D.J.C., Silva, S.L.P., Neves, I.F., Mendonça, R.R. et al. (2021). Perfil do atendimento de urgência e emergência em uma base do noroeste do Paraná. Pesquisa, Sociedade e Desenvolvimento, [S. l.] , v. 10, n. 5, pág. e14010514859, 2021. https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/14859

Dourados. Portal da Prefeitura de Dourados. (2020). Conheça a cidade de Dourados. http;//dourados.ms.gov.br/index.php/cidade-de-dourados/

Duarte, S.J.H, Nardes, R.P.M.A., Pena, S.B., Mendez, R.B.R. & Candido, M.C.F.S. (2013). Vítimas de acidente motociclístico atendidas pelo serviço de atendimento móvel de urgência em Campo Grande, MS. Enfermagem em Foco, [S.l.], v. 4, n. 2, maio 2013. ISSN 2357-707X. https://doi.org/10.21675/2357-707X.2013.v4.n2.530

Felix, N.R., Oliveira, S.R., Cunha, N.A. & Schirmer, C. (2013). Caracterização das vítimas de acidente motociclistico atendidas pelo serviço de atendimento pré-hospitalar. Revista Eletrônica Gestão & Saúde 2013; 04(04): 1399-411. https://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=5557496

Gawryszewski, V.P. (1995). A mortalidade por causas externas no Município de São Paulo, 1991. Dissertação de Mestrado. Faculdade de Saúde Pública da USP. https://pesquisa.bvsalud.org/ripsa/resource/pt/lil-162245

IPEA. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, (2020). Impactos Sociais e Econômicos dos Acidentes de Trânsito nas Rodovias Brasileiras. https://www.ipea.gov.br/atlasviolencia/arquivos/artigos/7018-td2565.pdf

Ludke, M. & Andre, M. E . D. A. (2013). Pesquisas em educação: uma abordagem qualitativa. São Paulo: E.P.U.

Marín-Leon, L., Belon, A.P., Barros, M.B.A., Almeida, S.D.M. & Restitutti, M.C. (2012). Tendência dos acidentes de trânsito em Campinas, São Paulo, Brasil: importância crescente dos motociclistas. Caderno de Saúde Púbica. 2012; 28(1):39-51. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2012000100005

Marques, T.O., Melo, L.D., Taroco, F.E., Duarte, R.M.L, Lima, H.D. (2021). Serviços de Atendimento Móvel de Urgência (Mecs): uma revisão integrativa. Pesquisa, Sociedade e Desenvolvimento , [S. l.] , v. 10, n. 2, pág. e38310212522, 2021. https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/12522

Mattox, K.L., Feliciano, D.V., & Moore, E.E. (2000). Trauma. New York: McGraw-Hill.

Mendonça, M.F.S., Silva, A.P.S.C. & Castro, C.C.L. (2017). Análise espacial dos acidentes de trânsito urbano atendidos pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência: um recorte no espaço e no tempo. Rev. bras. epidemiol. 2017 Dez; 20(4): 727-741. https://doi.org/10.1590/1980-5497201700040014

Minayo, M.C.S. (1994). Violência social sob a perspectiva da saúde pública. Cad Saúde Pública 1994; 10 Suppl 1:7-18. https://doi.org/10.1590/S0102-311X1994000500002

Miranda, A.L. & Sarti, E.C.F.B. (2011). Consumo de bebidas alcoólicas e os acidentes de trânsito: o impacto da homologação da lei seca em Campo Grande-MS. Ensaios Cienc, Cienc Biol Agrar Saúde 2011; 15(6): 155-71. https://doi.org/10.17921/1415-6938.2011v15n6p%25p

Moreno, N.T.S., Dalmas, J.C. & Martins, E.A.P. (2016). Atropelamentos: análise epidemiológica dos últimos quatro anos. Ciênc. cuid. saúde, p. 693-700, 2016. https://doi.org/10.4025/cienccuidsaude.v15i3.34558

Moysés, S.J. (2012). Determinação sociocultural dos Acidentes de Transporte Terrestre (ATT). Ciênc. Saúde coletiva. 2012 Set; 17(9): 2241-2243. https://doi.org/10.1590/S1413-81232012000900005

MS. Mato Grosso do Sul. (2019). Secretaria Estadual de Saúde - SES. Diário Oficial Eletrônico n° 9.937 de 8 de julho de 2019. Dispõe sobre o plano de ação regional da rede de atenção às urgências e emergências do estado de mato grosso do sul. http://www.as.saude.ms.gov.br/wp-content/uploads/2019/11/Resolu%C3%A7%C3%A3o-n%C2%BA-74.CIB_.SES-de-27.06.2019-Integrantes-Comiss%C3%A3o-Estadual-de-Farmacoterapia.pdf

Nolasco, T.R, Andrade, S.M. & Silva, B.A.K. (2016). Capacidade funcional de vítimas de acidentes de trânsito em Campo Grande, Mato Grosso do Sul. Ensaios Cienc, Cienc Biol Agrar Saúde 2016; 20(2): 104-10. http://dx.doi.org/10.17921/1415-6938.2016v20n2p104-110

Sallum, A.M.C. & Koizumi, M.S. (1999). Natureza e gravidade das lesões em vítimas de acidente de trânsito de veículo a motor. Rev. esc. enferm. USP. 1999 jun.; 33(2): 157-164. https://doi.org/10.1590/S0080-62341999000200007

Santos, A.M.R., Moura, M.E.B., Nunes, B.M.V.T., Leal, C.F.S. & Teles, J.B.M. (2008). Perfil das vítimas de trauma por acidente de moto atendidas em um serviço público de emergência. Cad. Saúde Pública. 2008 Ago; 24 (8): 1927-1938. https://doi.org/10.1590/S0102-311X2008000800021

Santos, S.M.J., Souza, M.A., Rocha, F.L., Souza, V.P., Muniz, M.A.S. et al. (2016). Caracterização dos fatores de risco para acidentes de trânsito em vítima atendidas pelo serviço móvel de urgência. Revista de Enfermagem UFPE Online. Recife, 10(10):3819-24, out., 2016 https://doi.org/10.5205/1981-8963-v10i10a11448p3819-3824-2016

SBAIT. Sociedade Brasileira de Atendimento Integral ao Traumatizado. (2005). Projeto Trauma 2005-2025. http://files.lateme.webnode.com.br/200000038-db7e4dc78b/Projeto%20Trauma%202005-2025.pdf

Silva, N.C. & Nogueira, L.T. (2012). Avaliação de indicadores operacionais de um serviço de atendimento móvel de urgência. Cogitare Enfermagem, 17(3). http://dx.doi.org/10.5380/ce.v17i3.29287

Soares, R.A.S., Pereira, A.P.J.T., Moraes, R.M. & Vianna, R.P.T. (2012). Caracterização das vítimas de acidentes de trânsito atendidas pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) no Município de João Pessoa, Estado da Paraíba, Brasil, em 2010. Epidemiol. Serv. Saúde. 2012 Dez]; 21(4): 589-600. http://dx.doi.org/10.5123/S1679-49742012000400008

Sousa, P.G., Nogueira, T. A., Meza, R. O.; Oliveira, V. A., & Abreu, M.H.T. (2021). Spatial analysis of fatal victims of motorcycle traffic accidents in Teresina – Piauí. Research, Society and Development, [S. l.], v. 9, n. 10, p. e9549109506, 2020. https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/9506

Tobase, L., Tomazini, E.A.S., Teodoro, S.V., Piza, N.R.G., & Peres, H.H.C. (2012). Ensino à distância na educação permanente em Urgência e Emergência. Journal of Health Informatics. http://www.jhi-sbis.saude.ws/ojs-jhi/index.php/jhi-sbis/article/view/242/131

Vidmar, G. R., Lohmann, P. M., Silva, G.L., Costa, A.E.K.; & Marchese, C. (2021). Scene time in trauma care at the Emergency Mobile Care Service (EMCS) in a city in the interior of the State of Rio Grande do Sul from 2012 to 2019. Research, Society and Development, [S. l.], v. 9, n. 8, p. e25985162, 2020. https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/5162

Waters, C., Gibbons, L., Semenciw, R. & Mao, Y. (1993). Motor vehicle traffic accidents in Canada, 1978-87 by time of occurrence. Rev Can Santé Publique 1993;84:58-9. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/8500060/

WHO. World Health Organization. (2016). Road traffic injuries. Fact sheet. https://www.who.int/news-room/fact-sheets/detail/road-traffic-injuries

WHO. World Health Organization. (2018). Global status report on road safety 2018. https://www.who.int/publications/i/item/9789241565684

Published

14/10/2021

How to Cite

LIMA, N. F. de; ROTTAVA , I. A. .; GUERREIRO , V. J. Characterization of traffic accidents attended by SAMU in the city of Dourados, State of Mato Grosso do Sul (MS), Brazil . Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 13, p. e317101321308, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i13.21308. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/21308. Acesso em: 4 dec. 2021.

Issue

Section

Health Sciences