Consumption and knowledge profile of native and exotic fruits

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i13.21377

Keywords:

Fruit crops; Fruit market; Public perception.

Abstract

The third-largest country in the production of fresh fruit in the world, Brazil stands out for having an ample capacity of adaptation of exotic fruit trees, due to its edaphoclimatic conditions, which added to already established cultural practices, allows the achievement of high yields. In addition, the country has one of the largest agrobiodiversities in the world, having native fruit species with high potential for consumption exploitation, however, many times these fruits do not receive any value and are neglected by popular ignorance, presenting low participation in the fruit market. Therefore, the present study aimed to identify the pattern of fruit consumption, analyze popular knowledge about exotic and native fruit trees and verify the potential for insertion of native species from Brazil in the fruit market. It was observed that the consumption of fruit is lower than that recommended by the World Health Organization (WHO), is composed mostly of exotic fruit acquired in supermarkets. Despite the lack of understanding of the terms of fruit classification based on the center of origin, the research participants, consisted mostly of people with higher education, understand which species belong to the Brazilian flora and which ones have been introduced in the national territory, and demonstrate awareness of the importance of native species and the barriers that prevent insertion in the market in larger quantities and affirm that they would like to consume more native fruits, which demonstrates the potential of Brazilian fruits.

Author Biographies

Marcelo Almeida de Oliveira Junior, Universidade de São Paulo

Engenheiro Agrônomo formado pela Faculdade de Ciências Agronômicas, FCA/UNESP - Campus de Botucatu e Mestre em ciências pelo programa de Fitotecnia da ESALQ/USP. Especialista em Agronegócios pela ESALQ/USP. Atualmente é aluno de Doutorado em Fitotecnia pela ESALQ/USP, realizando trabalhos na cultura do mirtileiro. Foi aluno bolsista de Intercâmbio (graduação sanduíche) na Iowa State University, nos Estados Unidos por um período de 1 ano e 6 meses financiado pela CAPES (Programa Ciências sem Fronteiras). Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em horticultura. Atuou como aluno voluntário no grupo PET por um período de 1 ano e 9 meses. Desenvolveu em sua graduação estudos na área de produção de plantas medicinais e fruticultura, onde pode desenvolver sua iniciação científica com bolsa PIBIC/Cnpq. Realizou estágio obrigatório na empresa Adubos Araguaia Indústria e comércio LTDA.

Matheus Luís Docema, Universidade de São Paulo

Possui graduação em Engenharia Agronômica pela Universidade de São Paulo (2013), Mestrado (2016) e Doutorado (2021) em Ciências pelo programa de Fitotecnia da Universidade de São Paulo e é especialista em Agronegócios (2019) pela USP/ESALQ. Foi Engenheiro Agrônomo da Casa do Produtor Rural ESALQ/USP atuando na prestação de orientação técnica e extensão rural a produtores rurais de diferentes áreas da atividade agropecuária. Atua como orientador de monografias dos cursos de MBA em Agronegócios e Gestão de Negócios do Programa de Educação Continuada em Economia e Gestão de Empresas (PECEGE). Atuou como Facilitador Virtual do Programa Formação Didático-Pedagógico para cursos na modalidade a distância da Universidade Virtual do Estado de São Paulo (UNIVESP). Atualmente é Pesquisador em Ciências Agronômicas II na empresa Campo Verde Pesquisas Agronômicas. Desenvolve trabalhos na área de experimentação agrícola, condução de ensaios para avaliação da eficácia agronômica de defensivos agrícolas, atuando principalmente nos seguintes temas: olericultura, grandes culturas, fruticultura, inseticidas, fungicidas, herbicidas, seedcare e métodos de diagnósticos de doenças de plantas.

Marcela Sant'Anna Cordeiro da Silva, Universidade de São Paulo

Engenheira Agrônoma formada pela Faculdade de Engenharia - UNESP, Câmpus de Ilha Solteira (2015). Mestre em Agronomia/Horticultura pela Faculdade de Ciências Agronômicas - UNESP, Câmpus de Botucatu (2018). Atualmente é Doutoranda do Programa de Pós-graduação em Ciências/Fitotecnia, na Escola Superior de Agricultura 'Luiz de Queiroz' (ESALQ) - Universidade de São Paulo (USP). Atua na área de fruticultura, em pesquisas com ênfase em biotecnologia, cultura de tecidos, melhoramento genético de plantas, propagação de plantas, uso de reguladores vegetais e tratos culturais de espécies frutíferas nativas e exóticas.

Michael Willian Rocha de Souza, Universidade de São Paulo

Engenheiro Agrônomo e Mestre em Produção Vegetal pela Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri - UFVJM (2017 e 2019), onde atuou no desenvolvimento de pesquisas na área da biotecnologia florestal e no monitoramento de plantas geneticamente modificadas pós-liberação comercial. Com experiência internacional na The University of Sydney na Austrália pelo programa Ciência sem Fronteiras. Atuou também na área de Gestão de Vendas e Gestão de Pessoas na empresa Júnior Agrovales Consultoria e Projetos. Atualmente é doutorando no programa de Pós-Graduação em Fitotecnia da Universidade de São Paulo - ESALQ/USP, na linha de pesquisa: Genética Molecular e Melhoramento Vegetal de Citros

References

Anuário Brasileiro de Horti&Fruti. (2020). http://www.editoragazeta.com.br/sitewp/wp-content/uploads/2020/05/HORTIFRUTI_2020.pdf.

Alves, A. M., Dias, T., Hassimotto, N. M. A. & Naves, M. M. V. (2017). Ascorbic acid and phenolic contents, antioxidant capacity and flavonoids composition of Brazilian Savannah native fruits. Food Science and Technology, 37 (4), 564-569. doi: 10.1590/1678-457x.26716

Coradin, L., Siminski, A. & Reis, A. (2011). Espécies nativas da flora brasileira de valor econômico atual ou potencial: plantas para o futuro – Região Sul. Brasília, DF: MMA.

Dutra, E. G. & Silva, G. P. (2017). Consumo e abastecimento de frutas e hortaliças em espaços de alimentação comercial e coletiva. Desenvolvimento Regional em Debate, 7 (2), 20-38. doi: 10.24302/drd.v7i2.1459

Fachinello, J. C., Pasa, M. S., Schmtiz, J. D. & Betemps, D. L. (2011). Situação e perspectivas da fruticultura de clima temperado no Brasil. Revista Brasileira de Fruticultura, 33(spe1), 109-120. doi: 10.1590/S0100-29452011000500014

Food and Agriculture Organization of the United Nations [FAO]. (2020). FAOSTAT. http://www.fao.org/faostat/en/#data/QC/visualize.

Flora do Brasil 2020. (2020). http://floradobrasil.jbrj.gov.br.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística [IBGE]. (2018). Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Trabalho e Rendimento, Pesquisa de Orçamentos Familiares 2017-2018. https://www.ibge.gov.br/estatisticas/sociais/populacao/24786-pesquisa-de-orcamentos-familiares-2.html?=&t=o-que-e.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística [IBGE]. (2017). Produção Agrícola Municipal 2017. https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/periodicos/66/pam_2017_v44_br_informativo.pdf.

Kinupp, V. F. & Lorenzi, H. J. (2014) Plantas Alimentícias Não Convencionais (PANC) no Brasil: guia de identificação, aspectos nutricionais e receitas ilustradas. São Paulo, SP: Editora Plantarum.

Lorenzi, H. (2014). Árvores Brasileiras: manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas nativas do Brasil. São Paulo, SP: Editora Plantarum.

Lorenzi, H., Lacerda, M. T. C. & Bacher, L. B. (2015). Frutas no Brasil nativas e exóticas (de consumo in natura). São Paulo, SP: Editora Plantarum.

Maziero, C. C. S., Jaime, P. C. & Duran, A. C. (2017). A influência dos locais de refeição e de aquisição de alimentos no consumo de frutas e hortaliças por adultos no município de São Paulo. Revista Brasileira de Epidemiologia, 20 (4), 611-623. doi: 10.1590/1980-5497201700040005.

Meytre Junior, A. G., Oliveira, L. S., Kawamoto Júnior, L. T. & Machado, S. T. (2020). Desconhecimento e indisponibilidade das frutas nativas da mata atlântica contribuem com hábitos alimentares restritos e sem diversidade. South American Development Society Journal, 6 (17), 269-285. doi:10.24325/issn.2446-5763.v6i17p269-285.

Rodrigues, D. N. B., Viana, T. V. A., Marinho, A. B., Ferreira, T. T. S., Azevedo, B. M. & Gomes Filho, R. S. (2012). Fertirrigação potássica na cultura da figueira no semiárido cearense. Revista Brasileira de Agricultura Irrigada, 6 (3), 176-183. doi: 10.7127/rbai.v6n300082.

Rufino, M. S. M., Alves, R. E., Brito, E. S., Pérez-Jimezes, J., Saura-Calixto, F. & Mancini-Filho, J. (2010). Bioactive compounds and antioxidant capacities of 18 non-traditional tropical fruits from Brazil. Food Chemistry, 121 (4), 996-1002. doi: 10.1016/j.foodchem.2010.01.037.

Santos, K. F. T. D., Santos, M. L. G. T. D., Cella, D., & Spada, R. K. (2018). FRUTICULTURA: estudo do comércio internacional do mamão. Revista Interface Tecnológica, 15 (2), 323–335. doi: 10.31510/infa.v15i2.499

Sato, L. Processos cotidianos de organização do trabalho na feira livre. (2007). Psicologia & Sociedade,1, 95-102. doi:10.1590/S0102-71822007000400013.

Silva, L.E.S.; Claro, R.M. Tendências temporais do consumo de frutas e hortaliças entre adultos nas capitais brasileiras e Distrito Federal, 2008-2016. Cad. Saúde Pública 35(5):1-13, 2019. 10.1590/0102-311x00023618.

Souza, B. B., Cembranel, F., Hallal, A. L. C. & D’orsi, E. (2019). Consumo de frutas, legumes e verduras e associação com hábitos de vida e estado nutricional: um estudo prospectivo em um coorte de idosos. Ciência Saúde coletiva, 24 (4), 1463-1472. doi:10.1590/1413-81232018244.03782017.

Vieira, R. F., Camillo, J. & Coradin, L. (2016). Espécies nativas da flora brasileira de valor econômico atual ou potencial: plantas para o futuro – Região Centro-Oeste. Brasília, DF: MMA.

Vieira, R. F., Costa, T. S. A., Silva, D. B., Ferreira, F. R. & Sano, S. M. (2006). Frutas Nativas da Região Centro-Oeste do Brasil. Brasília, DF: Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia.

Watanabe, H. S., Oliveira, S. L. (2014). Comercialização de frutas exóticas. Revista Brasileira de Fruticultura, 36 (1), 23-38. doi: 10.1590/0100-2945-443/13.

Published

22/10/2021

How to Cite

OLIVEIRA JUNIOR, M. A. de .; DOCEMA, M. L. .; SILVA, M. S. C. da .; SOUZA, M. W. R. de . Consumption and knowledge profile of native and exotic fruits. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 13, p. e579101321377, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i13.21377. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/21377. Acesso em: 7 dec. 2021.

Issue

Section

Agrarian and Biological Sciences