Soy production as a vector for sustainability: an econometric approach for Mato Grosso

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i13.21406

Keywords:

Sustainability index; Soybean production; Factor analysis; Mato Grosso.

Abstract

One of the obstacles to achieving sustainable development is to formulate measurement mechanisms, such as sustainability indicators, which are key tools for monitoring and assessing progress towards sustainable development. The aim of this article is to analyze how soybean production influences the sustainability of municipalities in the State of Mato Grosso, through the construction of an ISPS Soybean Production Sustainability Index in 2010. The results showed that the social dimension was the one that most explained the total variability of the data. In relation to the individual impacts of the indicators, it was found that the harvested area is the one that most influences the variability of ISPS, followed by the Recovery Plan for Degraded areas and vulnerable to poverty. In this study, it is concluded through the proposed Soybean Production Sustainability Index, that soybean production contributes to the sustainability of the municipalities of the State of Mato Grosso, once the municipalities with higher soybean production such as Sorriso, Lucas do Rio Verde, Campo Novo do Parecis have a high level of sustainability.

Author Biographies

Ingrid Lorrane Miranda de Sousa, Universidade Federal do Oeste do Pará

Economista da Universidade Federal do Oeste do Pará - UFOPA. Graduação em Ciências Econômicas pela Universidade Federal do Oeste do Pará - UFOPA. Mestrando em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Oeste do Pará - UFOPA.

Brena do Nascimento Carvalho, Universidade do Estado do Amazonas

Professora voluntária da Universidade do Estado do Amazonas - UEA. Possui Graduação em Ciências Econômicas pela Universidade Federal do Oeste do Pará - UFOPA, Mestrado em Economia Aplicada pela Universidade Federal de São Carlos - UFSCar.

Tarcísio da Costa Lobato, Universidade Federal do Oeste do Pará

Docente da Universidade Federal do Oeste do Pará - UFOPA. Possui Graduação em Matemática pela Universidade do Estado do Pará - UEPA, Graduação e Mestrado em Estatítica pela Universidade Federal do Pará - UFPA e Doutorado em Economia Aplicada pela Universidade de São Paulo - ESALQ/USP

References

ABIOVE - Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais. Moratória da Soja - Safra 2015/2016. (2016). http://www.abiove.org.br/site/_FILES/Portugues/09112016-141009- relatorio_da_moratoria_da_soja_2015-16_gts.pdf.

Assad, E. D., Martins, S. C., & Pinto, H. S. (2012). Sustentabilidade no Agronegócio Brasileiro. Coleção de Estudos sobre Diretrizes para uma Economia Verde no Brasil. Fundação Brasileira para o Desenvolvimento Sustentável – FBDS. http://fbds.org.br/fbds/IMG/pdf/doc553.pdf.

Barros, G. S. C. (2016). Agronegócio: como preservar e potencializar seu papel estratégico. CEPEA. http://www.cepea.esalq.usp.br/br/opiniao-cepea/agronegocio-como-preservar-e-potencializar-seu-papel-estrategico.aspx.

CNA - Companhia Nacional de Abastecimento. (2017). Séries Históricas - Soja. http://www.conab.gov.br/conteudos.php?a=1252.

Costa, C. G. A., Cândido, G. A., & Macedo, L. O. B. (2015). Análise descritiva e comparativa do Programa Soja Plus no Estado de Mato Grosso: uma abordagem a partir da responsabilidade social empresarial. Revista de Administração e Negócios da Amazônia, 7(2). https://doi.org/10.18361/2176-8366/rara.v8n3p292-314

Costa, A. A. V. M. R. (2010). Agricultura sustentável II: avaliação. Revista de Ciências Agrárias. Lisboa, 33(2), 75-89. http://www.scielo.mec.pt/pdf/rca/v33n2/v33n2a07.pdf.

Fávero, L. P., Belfiore, P., Silva, P., & Chan, B. (2009). Análise de Dados: Modelagem Multivariada para Tomada de Decisões. Campos Elsevier, 1 ed.

Ferreira, D. F. (2011). Estatística Multivariada. UFLA, 2 ed.

Hair JR, J. F., Anderson, R. E., Tatham, R. L., & Black, W. C. (2005). Análise Multivariada de Dados. Porto Alegre: Bookman, (5a ed.).

Hirakuri, M. H., Castro, C., Franchini, J. C., Debiasi, H., Procópio, S. O., & Junior, A. A. B. (2014). Indicadores de sustentabilidade da cadeia produtiva da soja no Brasil. Embrapa Soja: Londrina. ttps://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/bitstream/doc/990556/1/Indi cadoresdesustentabilidadedacadeiaprodutivadasojanoBrasil.pdf.

Hirakuri, M. H., Castro, C., Franchini, J. C., Debiasi, H., Procópio, S. O., & Junior, A. A. B. (2015). Metodologia para avaliação de sustentabilidade da cadeia produtiva da soja no Brasil. Embrapa Soja: Londrina. https://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/135948/1/doc365.pdf.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Indicadores de Desenvolvimento Sustentável. (2015). Estudos & Pesquisas: informação geográfica. http://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv94254.pdf.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2017). Censo 2010. https://censo2010.ibge.gov.br.

Jacobi, P. (1999). Meio ambiente e Sustentabilidade. In: O município no século XXI: cenários e perspectivas. CEPAM.175-183. http://www.franciscoqueiroz.com.br/portal/phocadownload/desenvolvimento%20sustentavel.pdf.

Johnson, R. A., & Wichern, D. W. (2007). Applied Multivariate Statistical Analysis. Upper Saddle River: Pearson Education, (6a ed.).

Kastens, J. H.; Brown, J. C., Coutinho, A. C., Bishop, C. R., & Esquerdo, J. C. D. M. (2017). Soy moratorium impacts on soybean and deforestation dynamics in Mato Grosso, Brazil. Plos One, 12(4): E0176168. https://doi.org/10.1371/journal.pone.0176168.

Maccari, N. (2014). Environmental Sustainability and Human Development: A Greening of Human Development Index. https://papers.ssrn.com/sol3/papers.cfm?abstract_id=2426073.

Macedo, L. O. B, Costa, C. G. A., Silva, J. V. F, & Cândido, G. A. (2016). Influências da produção de soja sobre a sustentabilidade dos Municípios do Estado de Mato Grosso – MT. Revista Espacios. Vol. 37 (Nº 07). http://www.revistaespacios.com/a16v37n07/16370709.html.

Macedo, L. O. B, Cândido, G. A, Costa, C. G. A., & Silva, J. V. F. (2016). Avaliação da Sustentabilidade dos municípios do Estado de Mato Grosso mediante o emprego do IDSM – índice de desenvolvimento sustentável para municípios. Revista Brasileira de Gestão e Desenvolvimento Regional. v. 12, n. 3, p. 323-345, set-dez, Taubaté, SP. http://www.rbgdr.net/revista/index.php/rbgdr/article/view/2530/548.

Martins, M. F.; & Cândido, G. A. (2008). Índice de Desenvolvimento Sustentável – IDS dos Estados brasileiros e dos municípios da Paraíba. João Pessoa: Edições SEBRAE.

MAPA - Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. (2020). AGROSTAT - Estatísticas de Comércio Exterior do Agronegócio Brasileiro. http://indicadores.agricultura.gov.br/index.htm.

MAPA - Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. (2020). Projeções do agronegócio: Brasil 2018/2019 a 2028/2029, projeções de longo prazo. Brasília, DF. http://www.agricultura.gov.br/assuntos/politica-agricola/todas-publicacoes-de-politica-agricola/projecoes-do-agronegocio/projecoes-do-agronegocio-2018-2019-2028-2029.

Mueller, C. (1995). As contas Nacionais e os Custos Ambientais da Atividade Econômica. Revista Análise Econômica, 13(23), 66-99. http://seer.ufrgs.br/index.php/AnaliseEconomica/article/view/10523/6164.

Orsi, R. A. (2009). Reflexões sobre o desenvolvimento e a sustentabilidade: O que o IDH e o IDHM podem nos mostrar? Tese de Doutorado, Universidade Estadual Paulista, Rio Claro, São Paulo, Brasil. http://hdl.handle.net/11449/104400.

Quinhoneiro, F. H. F. (2015). Desenvolvimento de metodologia de análise de indicadores de sustentabilidade como ferramenta para tomada de decisão utilizando lógica fuzzy. Dissertação de Mestrado, Universidade de São Paulo, São Paulo, Brasil. https://doi.org/10.11606/D.85.2016.tde-17032016-090809.

Sachs, I. (1993). Estratégias de transição para o século XXI. In: Bursztyn, M. (Org.). Para Pensar o Desenvolvimento Sustentável. Brasiliense, p.29-56.

Santos, G. T. (2016). Índice de desenvolvimento sustentável dos municípios de Mato Grosso. Trabalho de Conclusão de Curso, Instituto Federal do Mato Grosso, Cuiabá, Brasil. http://tga.blv.ifmt.edu.br/media/filer_public/0d/45/0d45ea24-4aeb-4ef6-8aa9-50c3777199ca/tcc_vf_gisele_santos.pdf.

SEMA MT - secretaria de estado de meio ambiente do Mato Grosso. (2014). Metodologia para construção de indicadores. http://www.sema.mt.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=2406&Itemid=853.

Sequinel, M. C. M. (2002). O modelo de sustentabilidade urbana de Curitiba: um estudo de caso. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, Brasil. http://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/83553

Weinhold, D., Killick, E.. & Reis, E. J. (2013). Soybeans, Poverty and Inequality in the Brazilian Amazon. World Development, 52, 132-143. http://dx.doi.org/10.1016/j.worlddev.2012.11.016.

Published

12/10/2021

How to Cite

SOUSA, I. L. M. de; CARVALHO, B. do N. .; LOBATO, T. da C. . Soy production as a vector for sustainability: an econometric approach for Mato Grosso. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 13, p. e280101321406, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i13.21406. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/21406. Acesso em: 4 dec. 2021.

Issue

Section

Human and Social Sciences