Afro-Brazilian culture in Physical Education at school: expectation or reality in teaching practice?

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i13.21438

Keywords:

School; Law 10.639/03; Professional qualification; Bachelor's degree; Ethnic-racial relations.

Abstract

Its objective was to analyze how Physical Education teachers understand Law 10.639/03 and approach Afro-Brazilian culture in their classes. For this, a qualitative, descriptive and cross-sectional procedure was adopted. Ten Physical Education teachers from two public schools participated in the research. Data were collected through semi-structured interviews and treated using the content analysis technique. The results indicated that most teachers are unaware of Law 10.639/03 and that they had no contact with it during their professional training. Of the most developed content during their classes, games stood out, followed by sports and dance, being the least mentioned ethnic-racial issue. Regarding the approach to the contents related to the Afro-Brazilian culture, only one teacher affirmed to work on such contents throughout the academic year and in the subject program. Of the difficulties mentioned, the prejudice of the school community in relation to the theme stood out, even though teachers consider it important to deal with these contents, especially due to the diversity, miscegenation and racial prejudice present in Brazilian society. Therefore, it was concluded that there are still gaps both in relation to teacher training (initial and continuing) and in terms of knowledge, legitimacy and applicability of Law 10.639/03 and the contents of Afro-Brazilian culture in the school environment.

Author Biographies

Marieli Nepomuceno de Oliveira, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro

Licenciada em Educação Física pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro.

Elizangela Cely, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro

Doutoranda em Educação pelo PPGEDUC/UFRRJ. Professora de Educação Física na rede pública de ensino de Itaguaí. Coordenadora do Curso de Educação Física e Professora da UNIABEU.

Gabriela Simões, UFRRJ

Mestranda em Educação pelo PPGEDUC/UFRRJ. Bolsista CAPES-Demanda Social.

Célia Polati, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro

Doutoranda em Educação pelo PPGEDUC/UFRRJ. Professora de Educação Física na rede pública de ensino de Piraí e Rio de Janeiro.

References

Alves, S. S., Vieira, S. S., Stoll, V. G. & Lima, Q. C. E. (2021). Educação para as Relações Étnico-Raciais: concepções e práticas dos/as docentes da Educação Infantil. Research, Society and Development, 10(3), e12810313141. https://doi.org/10.33448/rsd-v10i3.13141

Anjos, R. S. A. (2005). A África, a educação brasileira e a geografia. In: Educação anti-racista: caminhos abertos pela Lei Federal nº 10.639/03. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade. http://etnicoracial.mec.gov.br/publicacoes/item/9-educacao-anti-racista-caminhos-abertos-pela-lei-federal-n-10-63903

Bardin, L. (2011). Análise de conteúdo. Edições 70.

Bento, C. C. (2009). Jogos de diferentes culturas na Educação Física escolar. In: Anais do IV Colóquio de Pesquisa Qualitativa em Motricidade Humana: as lutas no contexto da motricidade, III Simpósio sobre o Ensino de Graduação em Educação Física: 15 anos do Curso de Educação Física da UFScar, V ShotoWorkshop. 622-632. http://www.ufscar.br/~defmh/spqmh/pdf/2009/bento_jogos.pdf

Bento, C. C. (2012). Jogos de origem ou descendência indígena e africana na educação física escolar: educação para e nas relações étnico-raciais. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos/SP.

Bosi, A. (1992). Dialética da colonização. Companhia das Letras.

Brasil. (1996). Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Presidência da República, Casa Civil, Subchefia para Assuntos Jurídicos, Brasília. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm

Brasil. (1997). Parâmetros Curriculares Nacionais: pluralidade cultural, orientação sexual. Secretaria de Educação Fundamental. MEC/SEF. http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/livro101.pdf

Brasil. (2003a). Lei nº 10.639, de 9 de janeiro de 2003. Altera a Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Presidência da República, Casa Civil, Subchefia para Assuntos Jurídicos, Brasília. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2003/l10.639.htm

Brasil. (2003b). Decreto nº 4.886, de 20 de novembro de 2003. Institui a Política Nacional de Promoção da Igualdade Racial – PNPIR e dá outras providências. Presidência da República, Casa Civil, Subchefia para Assuntos Jurídicos, Brasília. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/2003/d4886.htm

Brasil. (2004a). Parecer Nº CNE/CP 003/2004. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana. Ministério da Educação, Conselho Nacional de Educação. http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/cnecp_003.pdf

Brasil. (2004b). Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana. Brasília, DF. https://www.gov.br/inep/pt-br/centrais-de-conteudo/acervo-linha-editorial/publicacoes-diversas/temas-interdisciplinares/diretrizes-curriculares-nacionais-para-a-educacao-das-relacoes-etnico-raciais-e-para-o-ensino-de-historia-e-cultura-afro-brasileira-e-africana

Brasil. (2006). Orientações e Ações para a Educação das Relações Étnico-Raciais. Ministério da Educação, Secretaria da Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade. Brasília: SECAD. http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/orientacoes_etnicoraciais.pdf

BRASIL. (2016a). Síntese de Indicadores Sociais. Uma análise das condições de vida da população brasileira. Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, IBGE. https://biblioteca.ibge.gov.br/index.php/biblioteca-catalogo?view=detalhes&id=298965

BRASIL. (2016b). Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua. Características gerais dos domicílios e dos moradores. Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, IBGE. https://biblioteca.ibge.gov.br/index.php/biblioteca-catalogo?view=detalhes&id=2101377

Brasil. (2017). Base Nacional Comum Curricular. Educação é a Base. Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, Conselho Nacional de Educação. http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf.

Carreira, D. & Souza, A. L. S. (2013). Indicadores da qualidade na educação: relações raciais na escola. Ação Educativa.

Cavalleiro, E. (2005). Introdução. In: Educação anti-racista: caminhos abertos pela Lei Federal nº 10.639/03. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade. http://etnicoracial.mec.gov.br/publicacoes/item/9-educacao-anti-racista-caminhos-abertos-pela-lei-federal-n-10-63903

Daólio, J. (2005). A Educação Física como prática cultural: tensões e riscos. Revista Pensar a Prática, Goiânia, 8(2), 215-226. https://doi.org/10.5216/rpp.v8i2.32374

Darido, S. C. (2001). Os conteúdos da Educação Física escolar: influências, tendências, dificuldades e possibilidades. Perspectivas em Educação Física Escolar, Niterói, 2(1), 5-25.

Darido, S. C., Rangel-Betti, I. C., Ramos, G. N. S., Galvão, Z, Ferreira, L. A., Mota e Silva, E. V., Rodrigues, L. H., Sanches, L., Pontes, G. & Cunha, F. (2001). A Educação Física, a formação do cidadão e os Parâmetros Curriculares Nacionais. Revista Paulista de Educação Física, São Paulo, 15(1), 17-32. http://citrus.uspnet.usp.br/eef/uploads/arquivo/v15%20n1%20artigo2.pdf

Filho, J. B. S. (2006). História do negro no Brasil. In: Siss, A. & Oliveira, I. População Negra e educação escolar. UFF: Cadernos do Programa de Educação sobre o Negro na Sociedade Brasileira.

Gil, A. C. (2008). Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. (6a ed.), Editora Atlas S.A.

Góis Junior, E. (2000). Os higienistas e a Educação Física: a história dos seus ideais. Dissertação (Mestrado em Educação Física) – Universidade Gama Filho, Rio de Janeiro.

Gomes, N. L. (2002). Educação e Identidade Negra. Aletria: Revista de Estudos de Literatura, 9, 38-47. https://doi.org/10.17851/2317-2096.9.38-47

Gomes, N. L. (2012). Relações Étnico-Raciais, educação e descolonização dos currículos. Currículo sem Fronteira, 12(1), 98-109. http://www.apeoesp.org.br/sistema/ck/files/5_Gomes_N%20L_Rel_etnico_raciais_educ%20e%20descolonizacao%20do%20curriculo.pdf

Henriques, R. (2002). Raça e gênero no sistema de ensino: os limites das políticas universalistas na educação. UNESCO.

Impolcetto, F. M., Terra, J. D., Rosário, L. F. R. & Darido, S. C. (2013). As práticas corporais alternativas como conteúdo da Educação Física escolar. Revista Pensar a Prática, Goiânia, 16(1), 267-281. https://doi.org/10.5216/rpp.v16i1.15213

Kruppa, S. M. P. (2016). Sociologia da educação. Cortez Editora.

Lima, V. S., Nunes, A. & Braga, E. S. O. (2020). Oralidade africana e cultura afro-brasileira no ambiente educacional: algumas reflexões. Research, Society and Development, 9(4), e99942888. http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v9i4.2888

Manzini, E. J. (2004). Entrevista semi-estruturada: análise de objetivos e de roteiros. In: Anais do Seminário Internacional sobre pesquisa e estudos qualitativos. Bauru: USC.

Maranhão, F. (2009). Jogos africanos e afro-brasileiros nas aulas de Educação Física: processos educativos das relações étnico-raciais. Dissertação (Mestrado em Ciências Humanas) – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos.

Minayo, M. C. S. (2002). Ciência, técnica e arte: o desafio da pesquisa social. In: Minayo, M. C. S. (Org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis/RJ: Editora Vozes.

Miranda, C. & Rosa, M. (2014). Igualdade étnico-racial na sala de aula: práticas interculturais em uma escola pública do município de Duque de Caxias-RJ. In: Gouvêa, F. C. F., Oliveira, L. F. & Sales, S. R. Educação e Relações Étnico-Raciais. Entre diálogos contemporâneos e políticas públicas. Petrópolis, RJ: De Petrus et Alii; Brasília, DF: CAPES. https://cursos.ufrrj.br/posgraduacao/ppgeduc/files/2015/03/Miolo_Educacao_e_Relacoes_Etnico-raciais.pdf

Moreira, A. J. & Silva, M. C. P. (2010). A Lei nº 10.639/03 e a Educação Física: memórias e reflexões sobre a educação eugênica nas políticas de formação de professores. Lecturas: Educación Física y Deportes, Buenos Aires, (146). https://www.efdeportes.com/efd146/a-lei-10639-03-e-a-educacao-fisica-eugenica.htm

Moreira, A. J. & Silva, M. C. P. (2018). Possibilidades didático-metodológicas para o trato com a Lei nº 10.639/2003 no ensino da Educação Física: a importância da Educação Étnico-Racial. Holos, 1, 193-200. https://doi.org/10.15628/holos.2018.2891

Munanga, K. (2015). Por que ensinar a história da África e do negro no Brasil de hoje? Revista do Instituto de Estudos Brasileiros, Brasil, 62, 20-31. https://www.revistas.usp.br/rieb/article/view/107184/105723

Oliveira, S. M. S. (2016). Formação de professores e ensino de história da África e cultura afro-brasileira e africana: saberes e práticas. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza/Ceará.

Oliveira, R. C. & Daolio, J. (2010). Educação Física, cultura e escola: da diferença como desigualdade à alteridade como possibilidade. Movimento - Revista de Educação Física da UFRGS, Porto Alegre, 16(1), 145-167. https://doi.org/10.22456/1982-8918.8279

Pereira, J. S. (2011). Diálogos sobre o Exercício da Docência – recepção das leis 10.639/03 e 11.645/08. Educação & Realidade, Porto Alegre, 36(1), 147-172. https://seer.ufrgs.br/educacaoerealidade/article/view/15073/11515

Pinto, F. M., Macamo, A. J. & Azevedo, N. (2014). Ensinando práticas corporais de origem afrobrasileira e africana na Educação Física escolar. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, Florianópolis, 36(2), S370-S384. http://revista.cbce.org.br/index.php/RBCE/article/view/2139

Pires, J. V. L. & Souza, M. S. (2015). Educação Física e a aplicação da Lei nº 10.639/03: análise da legalidade do ensino da cultura afro-brasileira e africana em uma escola Municipal do RS. Movimento, Porto Alegre, 21(1), 193-204. https://www.seer.ufrgs.br/Movimento/article/view/46624/33309

Santos, J. L. R. & Souza, M. E. V. (2014). De A(bdias) à Z(umbi): lembrando que nossa luta não começou agora, e nem termina aqui... In: Gouvêa, F. C. F., Oliveira, L. F. & Sales, S. R. Educação e Relações Étnico-Raciais. Entre diálogos contemporâneos e políticas públicas. Petrópolis, RJ: De Petrus et Alii; Brasília, DF: CAPES. https://cursos.ufrrj.br/posgraduacao/ppgeduc/files/2015/03/Miolo_Educacao_e_Relacoes_Etnico-raciais.pdf

Santos, K. B., De Bona, B. C. & Torriglia, P. L. (2020). A cultura afro-brasileira e a dança na Educação Física escolar. Motrivivência, 32(62) 01-20. https://doi.org/10.5007/2175-8042.2020e66197

Santos, S. A. (2005). A Lei nº 10.639/03 como fruto da luta anti-racista do Movimento Negro. In: Educação anti-racista: caminhos abertos pela Lei Federal nº 10.639/03. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade. http://etnicoracial.mec.gov.br/publicacoes/item/9-educacao-anti-racista-caminhos-abertos-pela-lei-federal-n-10-63903

Santos, J. F. & Alves, M. I. A. (2021). Produções científicas acerca das questões étnico-raciais presente nos Cadernos Escolares. Research, Society and Development, 10(11), e337101119649. http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v10i11.19649

Silva, A. P. & Filho, E. P. (2013). A Lei 10.639/03 na compreensão de professores de Educação Física: estudo de caso de Escola Municipal de São Leopoldo/RS. Identidade! São Leopoldo, 18(3), 279-290. http://periodicos.est.edu.br/index.php/identidade/article/view/1176/1139

Silva, G. S., Souza, C. V., Ribeiro, T. C. M. & Oliveira, E. C. S. (2019). Cultura afro-brasileira: a capoeira na escola e na Educação Física. Temas em Educação Física Escolar, Rio de Janeiro, 4(2), 94-113. http://dx.doi.org/10.33025/tefe.v4i2.2247

Silva, P. B. G. (2016). Reconhecimento da história, cultura e direitos dos negros brasileiros. In: Coelho, W. N. B. & Oliveira, J. M. Estudos sobre relações étnico-raciais e educação no Brasil. São Paulo: Livraria da Física.

Soares, D. C. (2017). As relações étnico-raciais e as TIC na educação física escolar: possibilidades para o ensino médio a partir do currículo do estado de São Paulo. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Humano e Tecnologias) – Universidade Estadual Paulista, Rio Claro/SP.

Thomas, J. R., Nelson, J. K. & Silverman, S. J. (2012). Métodos de Pesquisa em Atividade Física. (6a ed.), Artmed.

Triviños, A. N. S. (1987). Introdução à Pesquisa em Ciências Sociais: a pesquisa qualitativa em Educação. Atlas.

Published

17/10/2021

How to Cite

OLIVEIRA, M. N. de .; CELY, E.; SIMÕES, G.; POLATI, C. Afro-Brazilian culture in Physical Education at school: expectation or reality in teaching practice?. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 13, p. e396101321438, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i13.21438. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/21438. Acesso em: 8 dec. 2021.

Issue

Section

Human and Social Sciences