Tuberculosis in the homeless population: social representations of Primary Health Care professionals

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i14.21551

Keywords:

Communicable disease control; Vulnerable populations; Health services accessibility.

Abstract

Objective: To understand the social representations of health professionals about Tuberculosis (TB) care in the Homeless Population (HP). Method: Exploratory and descriptive study, with a qualitative approach, conducted in Campina Grande - PB. The population consisted of higher education professionals from the Primary Health Care (PHC); 45 professionals agreed to take part in the research. For data collection, held between April and July 2017, semi-structured interviews were performed and questionnaires were completed. The interviews were analyzed with the aid of the Iramuteq software, through the Descending Hierarchical Classification. The analysis used the theoretical-analytical device of social representations. Results: The following classes were identified: Life on the streets: context of vulnerability; Challenges for the diagnosis and treatment of TB in HP; Obstacles to HP access to PHC; and The issue of the Street Clinic Team (SCT). Conclusion: Despite the recognition of the context of vulnerability, a series of barriers to HP access to PHC was noted. Concerning the actions and organization of services, representations that do not consider the specificities of HP prevailed. The performance of SCT was seriously undermined.

References

Barbosa, A. D. (2019). Tuberculose na População em Situação de Rua: desafios para o cuidado em saúde. Especialização em Saúde Pública, Escola de Saúde Pública do Estado de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG, Brasil.

Barbosa, K. K. S. (2018). Significados e experiências de pessoas em situação de rua acometidas por tuberculose. 121f. Tese de Doutorado em Enfermagem, Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, PB, Brasil.

Brasil. Decreto nº 7.053, de 23 de setembro de 2009. (2009). Institui a Política Nacional para a População em Situação de Rua e seu Comitê Intersetorial de Acompanhamento e Monitoramento e dá outras providências. Recuperado em 02 de dezembro, 2020, de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2009/decreto/d7053.htm.

Brasil. Ministério da Saúde. (2011a). Portaria N° 940, de 28 de abril de 2011: Regulamenta o Sistema Carteira Nacional de Saúde. Recuperado em 10 de outubro, 2020, de https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2011/prt0940_28_04_2011.html.

Brasil. Ministério da saúde. (2011b). Portaria Nº 122, de 25 de janeiro de 2011: Define as diretrizes de organização e funcionamento das Equipes de Consultório na Rua. https://www.in.gov.br/web/dou/-/portaria-n-122-de-23-de-marco-de-2021-310318921.

Brasil. Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde. (2012a). Resolução Nº 466, de 12 de dezembro de 2012: define diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/cns/2013/res0466_12_12_2012.html.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. (2012b). Manual sobre o cuidado à saúde junto a população em situação de rua. Ministério da Saúde.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis. (2017a). Brasil Livre da Tuberculose: Plano Nacional pelo Fim da Tuberculose como Problema de Saúde Pública. Ministério da saúde.

Brasil. Portaria Nº 2.436, de 21 de setembro de 2017. (2017b). Aprova a Política Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes para a organização da Atenção Básica, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2017/prt2436_22_09_2017.html.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. (2019a). Guia de Vigilância em Saúde. Ministério da saúde.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância Epidemiológica em Saúde, Departamento de Vigilância Epidemiológica. (2019b). Manual de recomendações para o controle da tuberculose no Brasil. ministério da Saúde.

Brasil. IBGE. População estimada: Campina Grande em 2020. (2020). Recuperado em 10 de outubro, 2020, de https://cidades.ibge.gov.br/brasil/pb/campina-grande/panorama.

Camargo, B. V. & Justo, A. M. (2018). Tutorial para o uso do software Iramuteq: Interface de R pour les Analyses Multidimensionnelles de Textes et de Questionnaires. Florianópoles: Laboratório de Psicologia Social da Comunicação e Cognição. http://www.iramuteq.org/documentation/fichiers/tutoriel-en-portugais.

Cunha, N. V., Cavalcanti, M. L. & Costa, A. J. (2012). Diagnóstico situacional da descentralização do controle da tuberculose para a Estratégia Saúde da Família em jardim Catarina. Caderno de Saúde Coletiva, 20(2) 177-87. http://www.iesc.ufrj.br/cadernos/images/csc/2012_2/artigos/csc_v20n2_177-187.pdf.

Gil, A. C. (2017). Como elaborar projetos de pesquisa. Atlas.

Hino, P., Monroe, A. A., Takahashi, R. F., Souza, K. M. J., Figueiredo, T. M. R. M. & Bertolozzi, M. R. (2018). Tuberculosis control from the perspective of health professionals working in street clinics. Revista Latino-Americana de Enfermagem, 26(3095) 1-9. http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S010411692018000100397&lng=en&nrm=iso.

Riquelme D. J., Morales, V. J., Aguilera, V. R., Espinoza, O. M., Vidal, A. A. & Riquelme, O. R. (2018). Impacto de la tuberculosis en el hospital de Puerto Montt. Revista Chilena de Enfermedades Respiratorias, 34 (3), 165-170. http://dx.doi.org/10.4067/s0717-73482018000300165.

Moreira, A. S. P. & Jesuíno, J. C. (2003). Representações sociais: teoria e prática. Editora Universitária/UFPB.

Onwubiko, U., Wall, K., Sales, R. & Holland, D. P. (2019). Using Directly Observed Therapy (DOT) for latent tuberculosis treatment – A hit or a miss? A propensity score analysis of treatment completion among 274 homeless adults in Fulton County, GA. Revista Plos One. 14(6). https://journals.plos.org/plosone/article?id=10.1371/journal.pone.0218373.

Queiroga, R. P. F., Sá, L. D. & Grazzinelli, A. (2018). A tuberculose na população em situação de rua: desempenho de profissionais da atenção primária. Revista Rene (online), 19. https://pesquisa.bvsalud.org/portal/resource/pt/biblio-970824?lang=pt.7.

Santos, A. C. E., Brufentinker, C., Pena, L. S., Saraiva, S. S. & Boing, A. F. (2021). Análise e comparação dos desfechos do tratamento de tuber-culose na população em situação de rua e na população em geral do Brasil. Jornal Brasileiro de Pneumologia, 47(2) 1-4. http://www.jornaldepneumologia.com.br/details/3469/en-US/analysis-and-comparison-of-tuberculosis-treatment-outcomes-in-the-homeless-population-and-in-the-general-population-of-brazil.

Santos, M. L. S. G., Vendramini, S. H. F., Gazetta, C. E., Oliveira, S. A. C. & Villa, T. C. S. (2007). Pobreza: caracterização socioeconômica da tuberculose. Rev. Latino Americana de. Enfermagem, 15 (spe) 762-767. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-11692007000700008.

Silva, T. O., Viana, P. J. S., Almeida, M. V. G., Santos, S. D. & Nery, J. S. (2021). População em situação de rua no Brasil: estudo descritivo sobre o perfil sociodemográfico e da morbidade por tuberculose, 2014-2019. Revista Epidemiologia Serviço de Saúde, 30(1) 1-12. https://www.scielo.br/j/ress/a/PSxSGxP74bq473khC96GZmb/?lang=pt#.

WHO. (2020). Global Tuberculosis Report 2020. Geneva: WHO. https://www.who.int/publications/i/item/9789240013131/.

Wysocki, A. D., Ponce, M. A. Z., Brunello, M. E F., Beraldo, A. A., Vendramini, S. H. F., Scatena, L. M., Netto, A. F. & Villa, T. C. S. (2017). Primary Health Care and tuberculosis: services evaluation. Revista Brasileira de Epidemiologia 20(1) 161-75, 2017. http://dx.doi.org/10.1590/1980-5497201700010014.

Zuim, R. C. B. & Trajman, A. (2018). Itinerário terapêutico de doentes com tuberculose vivendo em situação de rua no Rio de Janeiro. Revista Physis, 20(2). http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-73312018000200601&lng=pt&nrm=iso.

Published

24/10/2021

How to Cite

SOUSA, F. T. B. de; QUEIROGA, R. P. F. de; ANDRADE, D. M. de; SANTOS, S. M. P. dos; FREITAS, S. de A. . Tuberculosis in the homeless population: social representations of Primary Health Care professionals. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 14, p. e24101421551, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i14.21551. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/21551. Acesso em: 15 jun. 2024.

Issue

Section

Health Sciences