Principles of biosafety and its implementation in dairy cattle

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i14.21625

Keywords:

Infectious agent; Sanitary management; Animal production.

Abstract

Each dairy property is unique and has particularities in its structure and management practices. Therefore, implementing biosafety measures is a necessary challenge for dairy cattle farming, since there are many diseases arising from pathogen contamination that can be avoided if these measures are properly put into practice. Thus, to provide the consumer with insurance and quality, in addition to ensuring the safety of animals, employees and everyone involved in the production chain, it is essential to know the principles of biosecurity and manage them in the production system. It is up to the responsible professional to assess the risks or dangers involved in maintaining the health of the animals, and from this analysis, compose a biosecurity plan aimed at mitigating health damage to the herd. For this, it is necessary not only commitment and training through health education and preventive measures, but also adequate supervision to ensure its execution. Thus, it is possible to establish sustainable production systems, generating a higher rate of productivity for the producer, as a mutual component, the lowest number of losses in production and guaranteeing the consumer a safe and quality product.

References

Afalon, L. F., Pozzi, C. R., De Campos, F. P., Arcaro, J. R. P., Sarmento, P. & Matarazzo, S. V. (2008). Boas práticas de ordenha. Embrapa Pecuária Sudeste.

Alves, R. G. O., Silva, L. O. C., Euclides Filho, K. & Figueiredo, G. R. (1999). Disseminação do Melhoramento Genético em Bovinos de Corte. Rev. Bras. Zootec., 28 (6), 1219-1225.

Amass, S. F., Stevenson, G. W., Anderson, C., Grote, L. A., Dowell, C., Vyverberg, B. D., Kanitz, C. & Ragland, D. (2000). Investigation of people as mechanical vectors for porcine reproductive and respiratory syndrome vírus. Journal Swine Health & Production, 8, 161-166.

Amass, S. F. (2005). Biosecurity: Reducing the spread. The Pig Journal, 56, 78-87.

Andrade, E. A., Anselmi, R. & Mendes, C. Q. (2010). Silagem de colostro: alternativa sustentável para a bovinocultura leiteira. Caderno Rural. 49.

Barcellos, S. N., Morais, T. J., Santi, M. & Gheller, N. B. (2008). Avanços em programas de biosseguridade para a suinocultura. Biosseguridade.

Biagiotti, P. R. (2016). Construindo barreiras na fazenda leiteira. Revista Leite Integral. https://www.revistaleiteintegral.com.br

Bittar, E. & Ferreira, L. (2009). Qual o melhor tipo de instalação para a minha bezerra durante o período de aleitamento? https://www.milkpoint.com.br/colunas/carla-bittar/qual-o-melhor-tipo-de-instalacao-para-a-minha-bez erra-durante-o-periodo-de-aleitamento-54019n.aspx

Brasil - Ministério da Saúde - Secretaria de Vigilância em Saúde. (2018). Surtos de Doenças transmitidas por Alimentos no Brasil. Informe.

Camargos, T. (2020). Colostro bovino e importância na colostragem de bezerros. https://prodap.com.br/pt/blog/colostro-bovino-colostragem-para-bezerros-leiteiros. Reciclagem de dejetos de bovinos em sistema intensivo de produção de leite. Ciência e Agrotecnologia, Lavras, 26 (2),.426-438.

Campos, A. T. (1997). Análise da variabilidade da reciclagem de dejetos de bovinos com tratamento biológico, em sistemas intensivos de produção de leite. Tese (Doutorado em Agronomia) – Faculdade de Ciências Agronômicas do Campus de Botucatu. Botucatu - SP.

Cardoso, T. A. O., Navarro, M. B. M. A., Soares, B. E. C. & Tapajós, A. M. (2008). Biosseguridade e biossegurança: aplicabilidades da segurança biológica. Interciência. 33 (8), 561-568.

Carvalho, M. P. (2018). Levantamento Top 100: os 100 maiores produtores de leite no Brasil. http://www.milkpoint.com.br/top100/top100-2018.pdf

Casari, P. & Tormen, P. (2007). Atividade leiteira,agricultura familiar e desenvolvimento regional: estudo de caso da Linha Tormem, Chapecó-SC. http://online.unisc.br/seer/index.php/cepe/article/viewFile/936/1687

Cerqueira, M. M. O. P., Picinin, L. C. A., Fonseca, L. M., Souza, M. R., Leite, M. O. & Penna, C. F. A. M. (2006). Qualidade da água e seu impacto na qualidade microbiológica do leite. In: Mesquita, A.J., Durr, J.W., Coelho, K.O. Perspectivas e avanços da qualidade do leite no Brasil. Goiânia: Talento, 1, 273-290.

Costa, D. E. M. (1987). Desinfetantes em saúde animal. Boletim de Defesa Sanitária Animal. Ministério da Agricultura, Brasília, DF.

Costa, R. V. C., Abreu, A. P. M., Thomé, S. M. G., Massard, C. L., Santos, H. A., Ubiali, D. G. & Brito, M. F. (2020). Parasitological and clinical-pathological findings in twelve outbreaks of acute trypanosomiasis in dairy cattle in Rio de Janeiro state, Brasil. Veterinary Parasitological: Regional Studies and Reports, 22, 100-466.

CODEX ALIMENTARIUS COMMISSION. (2004). Code of hygienic practice for milk and milk products. CAC/RCP 57.

Davison, H. C., Smith, R. P., Sayers, A. R. & Evans, S. J. (2003). Dairy farm characteristics, including biosecurity, obtained during a cohort study in England and Wales. Cattle Practice, 11, 299–310.

Damiaans, B., Sarrazin, S., Heremans, E. & Dewulf, J. (2018). Perception, motivators and obstacle of biosecurity in cattle production. Vlaams Diergeneeskundig Tijdschrift, 8 (3).

Da Rocha, S. S. (2011). Invisibilidade de situações de risco biológico no campo da saúde pública. Fundação Oswaldo Cruz.

Da Silva, D. M. (2018). Avaliação das práticas de manejo em granja de corte no município de Areia- PB. Práticas de manejo, 15-17.

Del Fava, C., Arcaro, J. R. P., Pozzi, C. R., Júnior, A. I., Fagundes, H., Pituco, E. M., De Stefano, E., Okuda, L. H. & Vasconcellos, S. A. (2003). Manejo sanitário para o controle de doenças de reprodução em um sistema leiteiro de produção semi-intensivo. Arq. Inst. Biol. São Paulo, 70 (1), 25-33.

Dias, R. O. S. (2004). Biosseguridade: por onde começar? Parte 1. http://www.milkpoint.br

Duarte, S. C., Jaenisch, F. R. F., Henn, J. D., Fortes, F. B. B. & Nones, J. (2018). Requisitos básicos de biosseguridade para granjas de postura comercial. Embrapa Suínos e Aves.

Duncan, A. L. (1990). Health security in cattle herds. In Practice 12, 29–32.

Dürr, J. W. (2005). Estratégias para a melhoria da qualidade do leite. In: Carvalho, L.; Zoccal, R.; Martins, P. Arcuri P. B.; Moreira, M. S. Juiz de Fora, MG: Editora Embrapa, p. 89- 97.

FAO - Food and Agriculture Organization of the United Nations. (2021). Dairy Market Review: Overview of global dairy market developments in 2020. Abril.

FAO e IDF. (2013). Guia de boas práticas na pecuária de leite. Produção e Saúde Animal Diretrizes, 8. Roma. http://www.fao.org/3/ba0027pt/ba0027pt.pdf

Guimarães, A. S., Vicentini, N. M., & De Souza, G. N. (2020). A biosseguridade chegou nas propriedades leiteiras. https://www.milkpoint.com.br/artigos/producao-de-leite/a-biosseguridade-chegou-nas-prioridades-leit eiras-222644/

Goiozo, P. F. I. (2019). II Simpósio de Saúde Única - Rev Expressão, 88-91.

Gonçalves, J. L., Tomazi, T. & Dos Santos, M. V. (2017). Rotina de ordenha eficiente para produção de leite de alta qualidade. Rev. Acad. Ciênc. Anim.

Heck, A. (2005). Biosseguridade na Suinocultura: Aspectos práticos. Biosseguridade, [s. l.]. AVESUI 2006 – 25 A 27/04 DE 2006 (pucgoias.edu.br)

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE. (2021). Pesquisa Trimestral do Leite. Rio Grande do Sul, RS. https://sidra.ibge.gov.br/home/leite/brasil

Instituto BioSistêmico - IBS. (2020). Medidas de Defesas Sanitárias da Propriedade: Quais adotar? Piracicaba - SP. 1° edição.

Jansen, J., Borne, B. H. P., Renes, R. J., Schaik, G., Lam, T. J. G. M. & Leeuwis, C. (2009). Explaining mastitis incidence in Dutch dairy farming: the influence of farmers' attitudes and behaviour. Prev Vet Med. 92 (3): 210-223.

Jordan, E., Dement, A. I. & Faries JR., F. C. (2016). Biosecurity practices for dairy operations. Texas A&M Agrilife Extension. https://texashelp.tamu.edu/wp-content/uploads/2016/02/Biosecurity-Practices-For-Dairy-Operations. pdf

Jung, C. F. & Matte, A. A. J. (2016). Produção leiteira no Brasil e características da bovinocultura leiteira no Rio Grande do Sul. Bovinocultura , [s. l.]. Produção leiteira no Brasil e características da bovinocultura leiteira no Rio Grande do Sul | Matte Júnior | Ágora (unisc.br).

Laredo, A. P., Lima, L. S., Benetti, K. K. V. & Marques, A. P. L. (2020). Medidas de biosseguridade em fazendas leiteiras.: https://www.milkpoint.com.br/artigos/producao-de-leite/medidas-de-biosseguridade-na-bovinocultura-leiteira-221221/

Laskoski, L. & Albuquerque, M. (2020). Banco de colostro: ferramenta para a saúde das bezerras. https://www.milkpoint.com.br/artigos/producao-de-leite/banco-de-colostro-uma-importante-ferrament a-para-a-saude-das-bezerras-68193n.aspx.

Lazzari, F. A. (1997). Umidade, fungos e micotoxinas na qualidade de sementes, grãos e rações. 2. ed. Curitiba: [s.n.], 148.

Leão, G. F. M., Pivatto, D. R. D., Carniel, H., Rodrigues, M. G. K., Braga, R. A., Silma, M. R. H. & Teixeira, P. P. M. (2013). Melhoramento genético em zebuínos leiteiros – uma revisão. Agropecuária Científica no Semiárido. 9 (4), 09-14.

MAPA - Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Carne Bovina. Tuberculose e Brucelose. (2019) Brasília, DF. https://www.gov.br/agricultura/pt-br/assuntos/camaras-setoriais-tematicas/documentos/camaras-setoriais/carne-bovina/2019/53a-ro/pncebt_reuniao-camara-setorial-da-carne_11_04-convertido.pdf/@@do wnload/file/pncebt_reuniao-camara-setorial-da-carne_11_04.pdf

Martins, E. M., Santos, R. & Junior, A. (2016). Cadernos técnicos de veterinária e zootecnia: Criação de bezerras leiteiras. Belo Horizonte: FEPMVZ.

Matos, A. T. (2007). Disposição de águas residuárias no solo. Viçosa: AEAGRI. 142 p. (Caderno Didático n. 38).

Matos, A. T. (2005). Curso sobre tratamento de resíduos agroindustriais. Departamento de Engenharia Agrícola e Ambiental / UFV. Fundação Estadual do Meio Ambiente.

Ministério da Saúde/SVS. (2021). Sistema de Informação de Agravos de Notificação - Sinan Net. Tuberculose - Casos confirmados e notificados no sistema de informação de agravos de notificação - Brasil. Rio Grande do Sul, RS.

Mauro, D. A. & Silva, M. P. (2019). Métodos de destino final de animais mortos de médio e grande porte no Brasil. Comunicado Técnico EMBRAPA, v. 1.

Mota, C. A. (2013). Morfometria do placentomo da vaca mestiça holandês-zebu segundo a ordem de parto. Belo Horizonte, p. 47.

Moore, D. A., Merryman, M. L., Hartman, M. L. & Klingborg, D, J. (2008). Comparison ofpublished recommendations regarding biosecurity practices for various production animal species and classes. JAVMA-J Am Vet Med Assoc. 233 (2), 249-256.

Nascente, E. P., Chagas, S. R., Pessoa, A, V, C., Matos, M, P, C., Andrade, M. A. & Pascoal, L. M. (2019). Potencial antimicrobiano do ozônio: aplicações e perspectivas em medicina veterinária. Potencial antimicrobiano do ozônio, [S. l.], p. 1-8. Potencial antimicrobiano do ozônio: aplicações e perspectivas em medicina veterinária (pubvet.com.br)

OMS - World Health Organization. One Health, (2017). https://www.who.int/news-room/q-a-detail/one-health

Otênio, M. H., Cunha, C. M. & Rocha, B. B. (2010). Compostagem de carcaças de grandes animais. Embrapa Gado de Leite.

Oxaran, V., Lee, S. H. I., Chaul, L. T., Corassin, C. H., Barancelli, G. V., Alves, V. F., De Oliveira, C. A. F., Gram, L. & De Martins, E. C. P. (2017). Listeria monocytogenes incidence changes and diversity in some Brazilian dairy industries and retail products. Food Microbiology, 68, 16-23.

Paul, R. & Biagiotti, P. (2016). Construindo barreiras na fazenda leiteira. Revista Leite Integral. https://www.revistaleitei.ntegral.com.br/noticia/construindo-barreiras-na-fazenda-leiteira

Pas Campo. (2005). Boas práticas agropecuárias na produção leiteira – Parte I – Brasília, DF : Embrapa Transferência de Tecnologia, 39 p. (Série Qualidade e segurança dos alimentos). Brasília, DF.

Pegoraro, L. M. C. (2019). A importância da biosseguridade na bovinocultura leiteira. 9º Simpósio Brasil Sul de Bovinocultura de Leite.

Pegoraro, L. M. C., Weissheimer, C. F., Viegas, D. P., Pappen, F. G., Fischer, G., De Souza, G. N., Pradieé, J., De Almeida, L. L., Zanela, M. B., Saalfeld, M. H., Ribeiro, M. E. R., Dereti, R. M. & Rodrigues, R. (2018). Biosseguridade na bovinocultura leiteira. ALICE.

Pereira, M. L. (2017). Projeto ajudará a definir legislação e tecnologias para destinação de animais mortos. https://www.embrapa.br/busca-de-noticias/-/noticia/21280162/projeto-ajudara-a-definir-legislacao-e-te cnologias-para-destinacao-de-animais-mortos?link=agencia

Pohlmann, M. (2000). Levantamento de técnicas de manejo de resíduos da bovinocultura leiteira no estado de São Paulo. 115p. Dissertação (Mestrado de Engenharia Agrícola) - Universidade Estadual de Campinas. Faculdade de Engenharia Agrícola, Campinas. http://libdigi.unicamp.br/document/?code=vtls000219682

Pritchard, G. C. (1996). Added Animals: The challenge to preventive medicine. Cattle Practice 4, 253–257.

Quintão, A. C. S. & Galan, V. (2021). Panorama de mercado: IBGE aponta leve aumento da produção no primeiro Tri, mas cenário sinaliza queda em 2021. https://www.milkpoint.com.br/noticias-e-mercado/panorama-mercado/ibge-producao-de-leite-sinaliza- queda-em-2021-225456/

Rangel, A. H. N., Freire, R. M. B., Borba, L. H. F., Júnior, D. M. L. & Novaes, L. P. (2015). Qualidade microbiológica da água utilizada em propriedades leiteiras. Revista do Instituto de Laticínios Cândido Torres, 70 (1).

Ribeiro, M. G., Geraldo, J. S., Langoni, H., Lara, G. H. B., Siqueira, A. K., Salerino, T. & Fernandes, M. C. (2009). Microrganismos patogênicos, celularidade e resíduos de antimicrobianos no leite bovino produzido no sistema orgânico. Pesquisa Veterinária Brasileira, 29 (1) 52-58.

Ricardo, A. N. T. (2016). Plano de manejo de resíduos de bovinocultura leiteira de uma propriedade rural no município de Santa Bárbara do Monte Verde, MG. Trabalho de Conclusão de Curso - Curso de Engenharia Ambiental e Sanitária, Universidade Federal de Juiz de Fora.

Rocha, M. A., Gouveia, A. M. G. & Leite, R. C. (1999). Herpesvírus bovino tipo 1 no sêmen. Cienc. Rural. 29 (2), 373-380.

Rupollo, G. (2003). Efeitos da umidade e do sistema de armazenamento na qualidade industrial de grãos de aveia. Dissertação (Departamento de Ciência e Tecnologia Agroindustrial) - Universidade Federal de Pelotas, [S. l.].

Saalfeld, M. H. (2013). Silagem de colostro bovino: Propriedades e potencialidades de usos. Tese (Doutorado) - Programa de Pós Graduação em Biotecnologia. Universidade Federal de Pelotas, Pelotas- RS. f. 97.

Sachet, A. P., Baron, C. P., Franciscato, C. & Firmino, A. S. (2013). Biossegurança em rebanhos leiteiros na agricultura familiar- Sudoeste paranaense. Archives of Veterinary Science. 18 (3).

Salman, A. K. D., Matarazzo, S. V., Arcaro Jr, I. & Mello, D. S. (2020). Ambiência nas instalações para produção de leite. Embrapa: Pecuária Leiteira na Amazônia, cap. 9, p. 203-220. In: Salman, A. K. D.; Pfeifer, L. F. M.

Santos, R. (1999). Os Cruzamentos na Pecuária Tropical. Editora Agropecuária Tropical. 672 p.

Santos, R. (2007). O Gir e o Leite na pecuária fundamental. Editora Agropecuária Tropical. 456p.

Sayers, R. G., Sayers, G. P., MEE, J. F., Good, M., Bermingham, M. L., Grant, J. & Dillon, P. G. (2013). Implementing biosecurity measures on dairy farms in Ireland. The Veterinary Journal. 197.

Schukken, Y. H., Grommer, F. J. & Van der Geer, D. (1991). Risk factors for clinical mastitis in herds with low bulk milk somatic cell count. 2-Risk factors for Escherichia coli and Staphylococcus aureus. J. Dairy Sci., 74, 826-832.

Schultz, R. D., Hall, C. E. & Sheffy, B. E. (1976). Current status of IBR/IPV virus infection in bulls. Proceedings of the United States Animal Health Association. 80, 159-168.

Sesti, L. (2004). Biosseguridade em granjas de frangos de corte: conceitos e princípios gerais. V Simpósio Brasil Sul de Avicultura.

Silva, L. F., Donald, A. C. A. P., Siebra, P. P., Machado, M. C. M., Gonçalves, C. S., Silva, A. C. A., Vasconcelos, A. B. & Barros, I. O. (2020). The relevance of zoonoses epidemiological data and their unique health applicability. Braz. J. Hea. Rev., 3 (4), 10630-10634.

Sindicato das Indústrias de Laticínios no Estado de Goiás - SINDILEITE. (2016). Boas práticas agropecuárias. Goiânia - GO. 2º edição.

Sperling, M.V. (2005). Introdução à Qualidade das Águas e ao Tratamento de Esgotos, v. 1, n. 3, Belo Horizonte: Departamento de Engenharia Sanitária e Ambiental; Universidade Federal de Minas Gerais.

Thomas, D. (1999). Venereal Diseases in the Bull. Bullish on Quality Beef, 71-76.

USDA - United States Department of Agriculture: National Agricultural Statistics Service. (2021). Milk Cows. https://www.nass.usda.gov/Charts_and_Maps/Milk_Production_and_Milk_Cows/milkcows.php

Vasconcellos, S. A. & Ito, F. H. (2011). Principais Zoonoses transmitidas pelo leite - Atualização. Revista de Educação Continuada em Medicina Veterinária e Zootecnia do CRMV. 9 (1), 32-37.

Vieira, A. S., Mendes, G. H. O., Andrade, J. C. A. & Santos, R A. (2014). Piquete Maternidade, volume (2), n. 7; Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri; Minas Gerais.

Weddle, D. B. (2017). Qual o risco? https://www.revistaleiteintegral.com.br/noticia/qual-o-risco

Zafalon, L. F.; Pozzi, C. R., De Campos, F. P., Arcaro, J. R. P., Sarmento, P. & Matarazzo, S. V. (2008). Boas práticas de ordenha [recurso eletrônico]; ed 1. Embrapa Pecuária Sudeste, São Carlos. http://www.cppse.embrapa.br/servicos/publicacaogratuita/documentos/Documentos78.pdf/view

Published

25/10/2021

How to Cite

FRANCO, A. C. .; ANDRETT, R. da S. .; ÁVILA, D. P. .; EISENHARDT , L.; MOREIRA, A. Z. .; ANTUNES, P. de A. .; TIMM, A. P. P. .; EBERSOL, C. N. .; MANCINI, I. de A. .; PIEMOLINI , E. M. .; MARTINEZ , I. A. .; TIMM , K. da S. .; BAHR , N. .; FISCHER, G. . Principles of biosafety and its implementation in dairy cattle. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 14, p. e65101421625, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i14.21625. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/21625. Acesso em: 19 jun. 2024.

Issue

Section

Agrarian and Biological Sciences