Risk classification according to the user's perception of health services in an early care unit in Imperatriz – MA, Brazil

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i14.22783

Keywords:

Risk classification; Users; UPA.

Abstract

The importance of this research is justified because it deals with a topic of great relevance for furthering the study related to the topic. The general objectives of this work are to emphasize the importance of risk classification, identifying users' knowledge about it, in order to prevent damage to the health of patients resulting from the dissatisfaction often caused by the classification of users received during screening, in an Emergency Unit UPA service located in the municipality of Imperatriz-MA; and the specific ones: Characterize what is a health risk classification and what are the assessed risks; Knowing the users' perception regarding the purpose of the health risk classification; Highlight the importance of screening in health care and thus improve risk classification outcomes. The methodology of this work consists of a quantitative approach. As a methodological procedure, the research will be of the descriptive type and regarding the technical procedures, it will be of the survey type research. It is exploratory as it will also be based on bibliographic research, using scientific material, doctrine, journals and websites. The results of this work were privileged the literatures that meet the risk classification, which is a work methodology linked to the area of ​​risk classification and that the key part of care is the nurse, a higher-level professional who orders , classifies, diagnoses cases that enter a particular emergency room or even an Emergency Care Unit (UPA). Where the conclusion of the survey results was reached and thus, of the 100 participants who answered the questionnaire about whether they knew the importance of screening for care, 68% answered yes, and 32% did not know the importance of screening for care . With regard to risk classification, 52% answered yes, while 48% said they did not know what the risk classification was for. Thus, from the speeches elaborated by the subjects, it was possible to perceive their perception regarding the service at the UPA São José, as shown in the graphs.

Author Biographies

Wallace Ferreira da Silva, Universidade Ceuma

Acadêmico do Curso de Graduação em Enfermagem da Universidade Ceuma - Campus Imperatriz/MA

Sâmia Marques Lopes , Universidade do Amazônia

Enfermeira - Pós-graduada em Urgência e Emergência e UTI (UNINTER). 

Marileide Maciel Correa, Universidade do Sul do Maranhão

Enfermeira 

Francisco Alves Lima Junior, Universidade Ceuma

Enfermeiro - Docente Universidade Ceuma, Campus Imperatria/MA -  Mestre em Cirurgia e Pesquisa Experimental pela Universidade Estadual do Pará - Especialista em Enfermagem do Trabalho - FACIBRA, Enfermagem em UTI - INESPO e Ativação do Processo de Mudança na Formação Superior de Profissionais de Saúde - ENSP-FIOCRUZ.

Cristina Limeira Leite, Universidade Ceuma

Enfermeira -Docente Universidade Ceuma -  Doutoranda em enfermagem e Biociências (UNIRIO/UFRJ), Mestre em Ciências Ambientais e Saúde (PUC/GO). 

References

AAraújo, J. H. D. V., Chaves, G. M. M., Barbosa, J. V., & Nunes, C. M. P. (2017). Compreensão dos usuários do SUS sobre a classificação de risco na rede de urgência e emergência por meio de um programa de educação tutorial.

Barbosa L. A. S., Sauthler, M., Paes, G. O., & Teixeira, E. R. (2019). Acolhimento com classificação de risco: relação de justiça com o usuário. Revista Brasileira de Enfermagem, 72(6).

Brasil. (1988). Presidência da República. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília, DF, Senado. https://www2.senado.leg.br/bdsf/bitstream/handle/id/518231/CF88_Livro_EC91_2016.pdf

Brasil. (2002). Ministério da Saúde. Gabinete do Ministro. Portaria nº 2.048, de 05 de novembro de 2002. https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2002/prt2048_05_11_2002.html

Brasil. (2010). Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Núcleo Técnico da Política Nacional de Humanização. Acolhimento nas práticas de produção de saúde / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Núcleo Técnico da Política Nacional de Humanização. – 2. ed. 5. reimp. – Brasília: Editora do Ministério da Saúde, 2010. 44 p. : il. color. – (Série B. Textos Básicos de Saúde

Chabudé, T. G., César, G. C., & Santana, C. J. (2019). Acolhimento e Classificação de Risco em Unidade de Urgência: Relato de Experiência da Implantação do Sistema de Triagem de Manchester. Ensaios e Ciência C Biológicas Agrárias e da Saúde, 23(2), 121-125.

Coelho, B. (2019). Tipos de pesquisa: abordagem, natureza, objetivos e procedimentos. https://blog.mettzer.com/tipos-de-pesquisa/.

COREN (2009). Conselho Regional de Enfermagem. São Paulo, Brasil. https: manual-anotacoes-de-enfermagem-coren-sp.pdf (portaldaenfermagem.com.br)

Coutinho, A. A. P., Cecílio, L. C. D. O., & Mota, J. A. C. (2012). Classificação de risco em serviços de emergência: uma discussão da literatura sobre o Sistema de Triagem de Manchester. Rev Med Minas Gerais, 22(2), 188-98.

de Oliveira, B. R., & de Lacerda Peixoto, M. D. C. (2019). Educação, Pobreza e Programas de Transferência de Renda: A Implementação do Programa Oportunidades no México. Education Policy Analysis Archives, 27.

da Luz, S. (2019). Acolhimento humanizado ao paciente atendido no Pronto Atendimento de um Hospital Geral da rede privada de Belo Horizonte, Minas Gerais.

dos Santos, S., Gomes, D. C., dos Santos, M. A. A. C., Bezerra, D. G., & dos Reis, R. P. (2020). A atuação do enfermeiro na classificação de risco de pacientes em unidade de emergência: um enfoque no protocolo de Manchester. Revista Eletrônica da Estácio Recife.

Gil, A. C. (2011). Metodologia do ensino superior. 4. ed. São Paulo: Atlas.

Koche, J. C. (2011). Fundamentos de metodologia científica. Petrópolis: Vozes. Disponível em: http://www.brunovivas.com/wp-content/uploads/sites/10/2018/07/K%C3%B6che-Jos%C3%A9-Carlos0D0AFundamentos-de-metodologia-cient%C3%ADfica-_-teoria-da0D0Aci%C3%AAncia-e-inicia%C3%A7%C3%A3o-%C3%A0-pesquisa.pdfhttps://repositorio.ufsm.br/bitstream/handle/1/15824/Lic_Computacao_Metodologia-Pesquisa-Cientifica.pdf?sequence=1

Melo, M. do C. B. de. (2011). Urgência e Emergência na Atenção Primária à Saúde / Maria do Carmo Barros de Melo e Nara Lúcia Carvalho da Silva. -- Belo Horizonte: Nescon/UFMG. 132p. : il., 22x27cm.

Oliveira, J. L. C. D., Gatti, A. P., Barreto, M. D. S., Belucci, J, J. A., Góes, H. L. D. F., & Matsuda, L. M. (2017). Acolhimento com classificação de risco: percepções de usuários de uma unidade de pronto atendimento. Texto & Contexto-Enfermagem, 26(1).

Paz, D. S. (2019). Percepção do usuário quanto a atuação do enfermeiro na sala de classificação de risco em um serviço de urgência e emergência.

Rocha. Sônia. (2013). Pobreza no Brasil: afinal, de que se trata? Rio de Janeiro: Editora FGV.

Roncalli, A A de O D N., Silva, I. C. M., Brito, R. F., & DA Fonseca V. S. M. (2017). Protocolo de Manchester e população usuária na classificação de risco: visão do enfermeiro. Revista Baiana de Enfermagem‏, 31(2).

Sacoman, T. M., Beltrammi, D. G. M., Andrezza, R., Cecílio, L. C. D. O., & Reis, A. A. C. D. (2019). Implantação do Sistema de Classificação de Risco Manchester em uma rede municipal de urgência. Saúde em Debate, 43, 354-367.

Spanuolo, R. S., Silva, M. N. L., Meneguin, S., Basseto, J. G. B., & Fernandes, V. C. (2017). Percepção dos usuários sobre a triagem com classificação de risco em um serviço de urgência de cabo verde. Revista Brasileira em Promoção da Saúde, 30(2), 249-254.

Souza, C. C. D., Toledo, A. D., Tadeu, L. F. R., & Chianca, T. C. M. (2011). Classificação de risco em pronto-socorro: concordância entre um protocolo institucional brasileiro e Manchester. Revista Latino-Americana de Enfermagem, 19, 26-33.

Mackway-Jones K, Marsden J, Windle J. Emergency Triage. Manchester Triage Group. 2ª ed. Oxford: Blackwell; 2006. 178p.

Published

12/11/2021

How to Cite

SILVA, W. F. da .; LOPES , S. M. .; CORREA, M. M. .; LIMA JUNIOR, F. A. .; LEITE, C. L. Risk classification according to the user’s perception of health services in an early care unit in Imperatriz – MA, Brazil. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 14, p. e505101422783, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i14.22783. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/22783. Acesso em: 14 jun. 2024.

Issue

Section

Health Sciences