Nurse's role in the prevention of pressure injuries in patients with COVID-19 in the ICU

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i17.24111

Keywords:

Health care; Coronavirus Infections; Nursing; Pressure injury; Intensive care unit.

Abstract

One of the most common consequences resulting from hospitalization, especially in the ICU sector, is the appearance of skin lesions in patients. Objectives: to analyze the available scientific evidence about the role of nurses in the management of care and the prevention of pressure injuries in the ICU in patients with COVID-19. Methodology: Exploratory, descriptive, with a qualitative approach, through an Integrative Literature Review (RIL). The data search was performed based on the descriptors: “Health Care”, “Coronavirus Infections”, “Nursing”; “Pressure Injury”; "Intensive Care Units", delimiting studies published in the time frame between 2019 and 2021. Data collection was carried out from August to October 2021, in the databases: LILACS, BDENF, SciELO, CAPES PUBMED and BIREME. Results and discussion: They were presented in three thematic categories: 1) impacts on the role of nurses in the prevention of pressure injuries in patients with COVID-19 in the ICU; 2) the length of stay of patients with COVID-19 and lack of supplies and 3) the immunological aspects of the patient hospitalized in the ICU with COVID-19. It is observed that PPL acquired in the ICU is associated with increased morbidity and mortality, and it is considered to be largely avoidable. Conclusion: It is the responsibility of nursing professionals to carry out primarily the assessment of risk factors for triggering PPL in their patients, in order to prevent and recognize them early, developing essential parameters for care linked to the integrity of the patient skin.

Author Biography

Tatiana Fabíola da Silva Lima, Universidade do Estado do Pará

Graduada em enfermagem pelo Centro Universitário Metropolitano da Amazônia - UNIFAMAZ

Especializando em Meio Ambiente e Sustentabilidade - UniFaveni

Mestranda em Tecnologia, Recursos Naturais e Sustentabilidade na Amazônia - UEPA

References

Araújo, M. S. et al. (2021). Prone positioning as an emerging tool in the care provided to patients infected with COVID-19: a scoping review. Rev. Latino-Am. Enfermagem. 29, e3397. https://doi.org/10.1590/1518-8345.4732.3397

Alencar, G. S. A., Silva, N. M. & Assis, E. V. (2018). Lesão por pressão na Unidade de Terapia Intensiva. Revista Nursing, 21(239), 2124-2128.

Associação Brasileira De Normas Técnicas. Informação e documentação – citações em documentos – apresentação: Nbr 10520. Rio de Janeiro, 2002.

Bardin, L. (2012). Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70.

Brasil. (2020). Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Atenção especializada à saúde. Departamento de Atenção Hospitalar, domiciliar e de urgência. Protocolo de manejo clínico da COVID-19 na atenção especializada [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde.

Brito, K. K. G., Soares, M. J. G. O. & Silva, M. A. (2014). Cuidado de enfermagem nas ações preventivas nas úlceras de pressão. Revista Brasileira de Ciências da Saúde, 12(40), 56-61.

Coelho, M. M. F. et al. (2020). Lesão por pressão relacionada ao uso de equipamentos de proteção individual na pandemia da COVID-19. Rev Bras Enferm. 73, e20200670. https://doi.org/10.1590/0034-7167-2020-0670

Conselho Federal De Enfermagem. (2015) Resolução COFEN 0501/2015: regulamentação a competência da equipe de enfermagem as feridas.

Cofen. Covid-19: Orientações sobre a colocação e retirada dos equipamentos de proteção individual (EPIs). In: Enfermagem CFd, editor. 2020. 18.

Cofen. Conselho Federal de Enfermagem. Resolução nº 567 de 2018. Regulamenta a atuação da equipe de enfermagem no cuidado aos pacientes com feridas. Brasília (DF): COFEN.

Debon, R. et al. (2018). M. A visão de enfermeiros quanto a aplicação da escala de Braden no paciente idoso. Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental. 10(3), 817-23.

Duim, E. et al. (2015). Prevalência e característica das feridas em pessoas idosas residentes na comunidade. Rev Esc Enferm USP, 49(5), 51-57.

Favreto, F. J. L. et al. (2017). A. O papel do enfermeiro na prevenção, avaliação e tratamento das lesões por pressão. Revista gestão & Saúde. 17, 37-47.

Frazão, J. M., Reis, M. N. de S. dos. & Silva, S. L. da. (2019). Abordagem do enfermeiro na prevenção de feridas em pacientes hospitalizados. Revista Enfermagem Atual, 88(26), 1–9.

Frederico, G. A. et al. (2018). Integralidade no cuidado de enfermagem as pessoas com ulceras cutâneas. Revista de Enfermagem UFPE on line. 12(7), 1997-2011.

Fonseca, R. L. et al. (2018). A humanização no cuidado de enfermagem aos pacientes com feridas. Rev.digital, 171. Recuperado de: https://www.efdeportes.com/efd171/a-humanizacao-no-cuidado-de-enfermagem.htm

Geovanini, T. (2016). Tratado de feridas e curativos: enfoque multiprofissional. SP: Rideel.

Gomes, R. K. G. et al. (2018). Prevenção de lesão por pressão: segurança do paciente na assistência à saúde pela equipe de enfermagem. Revista Expressão Católica Saúde, 3(1). DOI: 10.25191/recs.v3i1.2164

Kim, R. S. & Mullins, K. (2016). Preventing facial pressure ulcers in Acute Respiratory Distress Syndrome (ARDS). Journal of Wound, Ostomy and Continence Nursing, 43(4), 427–429.

Lamão, L. C. L., Quintao, V. A. & Nunes, C. R. (2016). Cuidados de enfermagem na prevenção de lesão por pressão. Revista Científica Interdisciplinar. 1(1). Recuperado de http://www.multiplosacessos.com/multaccess/index.php/multaccess/article/view/10.

Mascarenhas, V. H. A. et al. (2020). COVID-19 and the production of knowledge regarding recommendations during pregnancy: a scoping review. Rev. Latino-Am. Enfermagem. 28, e3348. https://doi.org/10.1590/1518-8345.4523.3348

Machado, L. C. L. R. et al. (2019). Fatores de risco e prevenção de lesão por pressão: aplicabilidade da Escala de Braden. Revista Eletrônica Acervo Saúde, (21), e635. https://doi.org/10.25248/reas.e635.2019.

Moher, D., et al. (2009). Itens de relatórios preferenciais para revisões sistemáticas e meta-análises: A declaração PRISMA. PLos Medicina. 6 (7).

Moraes, J. T. et al. (2016). Conceito e classificação de lesão por pressão: atualização do national Pressure ulcer advisory panel. Rev. enferm. Cent.-Oeste Min. 6(2), 2292-2306.

National Pressure Ulcer Advisory Panel (NPUAP). (2016). Announces a change in terminology from pressure ulcer to pressure injury and updates the stages of pressure injury [Internet]. Washington: NPUAP.

Nascimento, D. C. et al. (2017). Registro de lesão por pressão: o que é abordado? Revista Hospital Universitário Pedro Ernesto, 15(4), 343–348.

Otto, C. et al. (2019). Fatores De Risco Para O Desenvolvimento De Lesão Por Pressão Em Pacientes Críticos. Enfermagem em Foco, 10(1), 7–11.

Oliveira, V. M. et al. (2017). Safe prone checklist: construction and implementation of a tool for performing the prone maneuver. Rev Bras Ter Intensiva. 29(2), 131-41.

Pachá, H. H. P. et al. (2018). Pressure Ulcer in Intensive Care Units: a case-control study. Rev Bras Enferm [Internet]. 71(6), 3027-34.

Payne, D. (2020). Skin integrity in older adults: pressure-prone, inaccessible areas of the body. British Journal of Community Nursing, 25(1), 22–26.

Ramalho, A. O. et al. (2020). Reflexões sobre as recomendações para prevenção de lesões por pressão durante a pandemia de COVID-19. ESTIMA, Braz. J. Enterostomal Ther., 18, e2520. https://doi.org/10.30886/estima.v18.940_PT

Ramalho, A. O. et al. (2021). Acute skin failure e lesão por pressão no paciente com Covid-19: um relato de caso. ESTIMA, Braz. J. Enterostomal Ther., 19, e0521. https://doi.org/10.30886/estima.v19.1007_PT

Silva, A, Pierot, E. V & Vasconcelos, C. D. A. (2020). Lesão por pressão no contexto da pandemia covid-19. In: Congresso Internacional de Produção Científica em Enfermagem. ENFservic.1(1), 60.

Sobest - Associação Brasileira de Estomaterapia. (2017). Associação Brasileira de Enfermagem em Dermatologia (SOBEND). Classificação das lesões por pressão concenso NPUAP 2017 - Adaptada culturamente para o Brasil.

Sousa, C. J., et al. (2020). Aplicação da escala de Braden como fator preventivo de lesão por pressão em unidade de terapia intensiva, Rev.,Curitiba, 4(4), 2336-2354.

Souza, M. F. C., et al. (2018). Risco de lesão por pressão em UTI: adaptação transcultural e confiabilidade da EVARUCI. Acta paul. Enferm., 31(2), 201-208.

Soares, C. B., et al. (2014). Revisão Integrativa versus Revisão Sistemática. Reme: Revista Mineira de Enfermagem, 12(4), 758–764.

Teixeira, E., et al. (2013). Integrative literature review step-by-step & convergences with other methods of review. Rev Enferm UFPI, Teresina, 2, 3–7.

Tolfo, G. R., et al. (2020). Atuação do enfermeiro no cuidado de feridas crônicas na Atenção Primária à Saúde: revisão integrativa. Journal of Chemical Information and Modeling, 53(9), 1689–1699.

Ursi, E. S. (2005). Prevenção de lesões de pele no perioperatório: revisão integrativa da literatura. Dissertação de mestrado, Programa de enfermagem fundamental – Universidade de São Paulo. 1-130.

Urquiza, M. D. A. & Marques, D. B. (2016). Análise de conteúdo em termos de Bardin aplicada à comunicação corporativa sob o signo de uma abordagem teórico-empírica. EntreTextos, 16(1), 115–144.

Vargas, R. G. & Santos, L. P. (2019). Prevenção de lesão por pressão em UTI - aplicabilidade da escala de Braden. Revista Pró- UniverSUS, 10(1), 162–165.

Vasconcelos, J. M. B. & Caliri, M. H. L. (2017). Ações de enfermagem antes e após um protocolo de prevenção de lesões por pressão em terapia intensiva. Esc Anna Nery, 21(1), e20170001.

Published

20/12/2021

How to Cite

BARROS, R. L. M.; ARAÚJO, J. de S. .; REIS, A. A. P. dos; OLIVEIRA, R. do S. R. Q. .; BARROS, B. T. D.; OLIVEIRA, V. M. L. P. .; CAMPOS, R. C. C. .; PEREIRA, M. G. L. .; MILHOMEM, E. M. A. .; RODRIGUES, D. de S. .; CHAGAS, A. de J. F. .; BARROS, S. D. de .; SILVA, M. M. da; COSTA, T. C. P. da .; LIMA, T. F. da S. Nurse’s role in the prevention of pressure injuries in patients with COVID-19 in the ICU. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 17, p. e10101724111, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i17.24111. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/24111. Acesso em: 24 jan. 2022.

Issue

Section

Health Sciences