Perception of risks and victimization of inmates in the state of Rio de Janeiro

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i17.24751

Keywords:

Risk; Victimization; Prison; Logistic Model; Complex Sample.

Abstract

This article aims to investigate the health and life conditions related to the perception of risk and victimization of sentenced inmates in custody of the prison system in the State of Rio de Janeiro. The methodology was based on information from the Study of the Health Conditions and Quality of Life of Prisoners and the Environmental Conditions of Prison Units in the State of Rio de Janeiro, developed by the Department of Violence and Health Studies Jorge Careli, of the Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, from the Oswaldo Cruz Foundation, held in 2012. Perception of risk and victimization were defined as dichotomous variables. To study the factors associated with risk and victimization, logistic models were used and the sampling design used in the study was incorporated. The final model for the outcome on the feeling of being at risk was composed of the variables: color/race, frequency of visits, being treated inferiorly by prison employees because of their social status, having children, marital status and age range . The final model for the outcome of having suffered some type of aggression inside the prison had the following variables: gender, education, age, being treated in a lesser way by prison employees because of their condition of inmate, being treated in a way lower by other prison inmates on account of the type of crime committed and color/race. Therefore, it is concluded that there is a difference between the variables that compose and are decisive for the two models.

References

Almeida, A. C. F. (2005): Prisão: uma discussão oportuna. https://www.direitonet.com.br/artigos/exibir/1992/Prisao-uma-discussao-oportuna

Almeida, G. R. de (2012): O Sistema Prisional no Rio de Janeiro. Um breve relato sobre o sistema prisional no Rio de Janeiro. In Museu do Cárcere.

American Psychological Association (2010): Dicionário de Psicologia Apa.

Assis, R. D. de (2007): A realidade atual do sistema penitenciário brasileiro. In Revista CEJ.

Barbosa, J. F., Chaves, A. B. P., & Almeida, S. dos S. de. (2020). Vitimização de policiais militares no Estado do Pará (Brasil) em 2019. Research, Society and Development.

Barros, F. de M. (2008): A Participação da Vítima no Processo Penal, Rio de Janeiro: Lumen Juris.

Bengochea, J. L. P.; Guimarães, L. B.; Gomes, M. L.; & Abreu, S. R. (2004): A transição de uma polícia de controle para uma polícia cidadã.

Boarccaech, A. (2009): Os eleitos do Cárcere.

Brandão, A. A.; Silva, A. P.; Pinto, A. S.; Borges, D.; Luz, E.; & Soares, G. et al. (2007): Série Análise Criminal. In Pesquisa de Condições de Vida e Vitimização.

Carbonari, P. C. (2002): Ética da Responsabilidade Solidária. In IFIBE.

Clarke, R. V. G. (1997): Situational crime prevention. Successful case studies. Second edition. Guilderland, N.Y.: Harrow and Heston.

Constantino, P (2001): Entre as escolhas e os riscos possíveis. A inserção das jovens no tráfico de drogas. In Fundação Oswaldo Cruz - Escola Nacional de Saúde Pública.

Cuano, R. P. (2001): História do Direito Penal Brasileiro.

Demétrio, C. G. B. (2002): Modelos Lineares Generalizados em Experimentação.

Dobson, A. J.; & Barnett, A. G. (2008): An introduction to generalized linear models. 3rd ed. Boca Raton: CRC Press (Chapman & Hall/CRC texts in statistical science series).

Duarte, M. S.; & Silva, A. P. da (2007): Pesquisa de condições de vida e vitimização. 1a edição (Coleção Instituto de Segurança Pública. Série Análise criminal, volume 2).

Dullius, Aladio A.; Hartmann, J. A. M. (2011): Análise do sistema prisional brasileiro. In Âmbito Jurídico.

Filho, C. M. (2001): Violência fundadora e violência reativa na cultura brasileira. São Paulo em Perspectiva.

Foucault, M. (1990): Vigiar e Punir. História da violência nas prisões.

Giddens, A. (2000): Mundo na era da globalização. 2. ed. Lisboa: Presença.

Gois, S. M.; Silveira, F. A. M.; & Gaudêncio, M. P M. (2012): Para além das grades e punições. Uma revisão sistemática sobre a saúde penitenciária.

Hayes, M. V. (1992): On the epistemology of risk: language, logic and social scien-ce. In Social science & medicine.

Hindelang, M. J.; Gottfredson, M. R.; & Garofalo, J. (1978): Victims of personal crime: an empirical foundation for a theory of personal victimization. An empirical foundation for a theory of personal victimization. Cambridge, Mass.: Ballinger.

ISP (Ed.) (2007): Pesquisa de Condições de Vida e Vitimização. Instituto de Segurança Pú-blica (Série Análise Criminal, 2).

Krug, E. G.; Dahlberg, L. L.; Zwi, A. B.; & Lozano, R. (2002): World report on violence and health. Geneva: World Health Organization.

Lagrange, R.; & Ferraro, K. (1987): The elderly´s fear of crime. A critical examination of the research. In Research on Aging.

Luiz, R. R. (2002): Inferência causal em epidemiologia. O modelo de respostas potenciais. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz.

McCullagh, P.; & Nelder, J. A. (1989): Generalized linear models. 2nd ed. London, New York: Chapman and Hall (Monographs on statistics and applied probability, 37).

Melo, H. L. C. F. (2010): A Violência na cidade. Um breve ensaio sobre o estigma territorial.

Michaud, Y. (1989): A violência. In São Paulo: Ática.

Mira y López, E.; & Lima, C. de A. (1988): Quatro gigantes da alma. O medo, a ira, o amor, o dever. 13. ed. Rio de Janeiro: José Olympio.

Misse, M. (2006): Crime e violência no Brasil contemporâneo. Estudos de sociologia do crime e da violência urbana. Rio de Janeiro: Editora Lumen Juris (Coleção Conflitos, direitos e culturas).

Morais, D. (2009): Padrões de Criminalidade e Espaço Público. o centro do Rio de Janeiro. In Núcleo de Estudos sobre Segurança e Política Criminal (NESPC).

Moura, K. H. de L.; & Silveira Neto, R. da M. (2012): Vitimização nos Centros Urbanos Brasileiros. Uma Abordagem Multinível.

Nery, B. B. (2005): O cárcere e seus problemas. https://www.direitonet.com.br/artigos/exibir/2107/O-carcere-e-seus-problemas

Reis, C. B.; & Bernardes, E. B. (2011): O que acontece atrás das grades. estratégias de preven-ção desenvolvidas nas delegacias civis contra HIV/AIDS e outras doenças sexualmente trans-missíveis.

Rodrigues, C. D.; & Fernandes, R. A. (2007): Medo do Crime – Percepção ou realidade? Uma Análise Comparada do Risco Percebido e Risco Objetivo de Vitimização Local e Não Local.

Rodrigues, C. D.; & Fernandes, R. A. (2005): Medo do Crime – Percepção ou realidade? Uma Análise Comparada do Risco Percebido e Risco Objetivo de Vitimização Local e Não Local.

Rountree, P. W.; & Land, K. (1996): Perceived risk versus fear of crime. Empirical evidence of conceptually distinct reactions in survey data. In Social Forces, 1996 (74), pp. 1353–1376.

Salla, F. (1999): Para uma análise histórica do sistema prisional brasileiro, com destaque para São Paulo. As Prisões em São Paulo 1822-1940.

Schneier, B. (2009): The Psychology of Security, 2009.

Silva, P. L. do N.; Pessoa, D. G. C.; & Lila, M. F. (2002): Análise estatística de dados da PNAD: incorporando a estrutura do plano amostral. In Ciênc. saúde coletiva.

Silva, G. K. N.; Vedovello, V. P.; & Fegadolli, C. (2008): Políticas e práticas da assistência farmacêutica penitenciária. In UNIMEP[periódico na Internet].

Skinner, B. F. (1974): About Behaviorism. In Appleton-Century-Crofts.

Sousa, M. da C. P. de; Alencar Neto, F. J. de; & Silva, C. L. da C. (2013): Atenção à saúde no sistema penitenciário. Revisão de literatura. In Revista Interdisciplinar.

Sousa, F. B. de, Soares, J. de F., Bezerra Neto, F. das C., Caiana, C. R. A., Medeiros, A. C. de, Silva, E. P., França Júnior, R. P., Félix, M. da C. S., Wanderley, H. G. F., & Maracajá, P. B. (2020). Sistema prisional brasileiro: infraestrutura, rebeliões e administração de crises. Research, Society and Development.

Szwarcwald, C. L.; & Damacena, G. N. (2008): Amostras complexas em inquéritos populacionais: planejamento e implicações na análise estatística dos dados. In Rev. bras. epidemiol.

Teixeira, P. R (2001): A AIDS nos presídios. In Boletim Direitos Humanos HIV/AIDS - Brasília: Ministério da Saúde, 2001 (1).

UNODC (2010): Congressos das Nações Unidas sobre prevenção ao Crime e Justiça Criminal 1955-2010.

Varela, C (2005): ¿Qué significa estar seguro? De delitos, miedos e inseguridades entre los adultos mayores.

Zanini, A. (2007): Regressão logística e redes neurais artificiais: um problema de estrutura de preferência do consumidor e classificação de perfis de consumo, Juiz de Fora. FEA/UFJF.

Published

27/12/2021

How to Cite

MELO, P. H. M. de . Perception of risks and victimization of inmates in the state of Rio de Janeiro. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 17, p. e225101724751, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i17.24751. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/24751. Acesso em: 27 jan. 2022.

Issue

Section

Exact and Earth Sciences