Music therapy and its effects in the hospital environment

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i6.26747

Keywords:

Music Therapy; Nursing; Music; Nursing assistance.

Abstract

Objective: To understand the importance of music as a practice present in the hospital environment and in nursing care Method: This is a literature review study on the effects of music therapy in the hospital environment. The search will be done through data contained in the Virtual Health Library (VHL). Where, through the advanced form of this base, the terms "Music Therapy", "nursing care" were used in the words field and "BRAZIL" in the Country field, year of publication 2008 - 2019. After a selection of these articles found, they were selected those that best contributed to the objective of the research, among them approaching the theme of the effects of music in the hospital routine and the connection of music in nursing care. Results: Based on the studies found, we can see that for some time now music has been used as a therapeutic, non-pharmacological form to relieve certain physical and mental symptoms in patients and employees within a health unit, thereby raising awareness of the care, generating a more humanized work. Therefore, with this analysis, we seek to list the impacts of music in different sectors of care, identify the effects of music therapy on patients, health professionals in the hospital environment, and thus emphasize the importance of this practice in nursing care. Final considerations: Bringing references from hundreds of years showing the use of music in different cultures as a therapeutic and humanization form, it shows the importance that should be given to research in the genre, understanding that the objective of humanized practices is to find effective treatments, less evasive and non-medicated.

Author Biography

Ludmilla Laura Miranda, Universidade Estadual de Londrina

Enfermeira graduada pela Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto - FAMERP. Enfermeira Especialista em Pediatria pela Residência de Enfermagem em Saúde da Criança da Universidade Estadual de Londrina (UEL). Mestre em Enfermagem pela Universidade Estadual de Londrina (UEL). Doutoranda em Enfermagem pela Universidade Estadual Londrina (UEL). Docente do Curso de Graduação em Enfermagem da Faculdade Pitágoras - Campus Londrina PR. Docente do Curso de Pós Graduação em Terapia Intensiva, Urgência e Emergência e Trauma da Faculdade Pitágoras de Londrina. Membro do Núcleo de Estudos em Neonatologia, Obstetrícia e Família (NENOFA).Tem experiência na área de enfermagem pediátrica, neonatologia e adolescência, atuando principalmente nos seguintes temas: saúde da criança, saúde do adolescente, saúde materno-infantil, aleitamento materno, educação em saúde e tecnologia educacional.

References

Brasil. Ministério Da Saúde. Secretaria De Atenção À Saúde. Política Nacional De Normalização. Departamento De Ações Programáticas e Estratégicas. 1ª Ed. Brasília, Df, 2013. https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/caderno_humanizasus_atencao_hospitalar.pdf

Brasil. Musicoterapia Usa Ritmo E Melodia Como Alternativa Para Tratar Doenças. [S. L.], 5 Maio 2017. Disponível em: https://gruposaudebrasil.com/musicoterapia-usa-ritmo-e-melodia-como-alternativa-para-tratar-doencas/ Acesso em: 20 Set. 2019.

Bergold, L. B.; Alvim, N.A. T. (2009). A música terapêutica como uma tecnologia aplicada ao cuidado e ao ensino de enfermagem. Esc Anna Nery Rev Enferm, 13(3), 537-542. doi: https://doi.org/10.1590/S1414-81452009000300012

Bergold, L. B; Chagas, M.; Alvim, N.A. T.; Backes, D. 2009. A utilização da música na humanização do ambiente hospitalar: interfaces da musicoterapia e enfermagem. Brazilian Journal of Music Therapy, (9). Recuperado de https://musicoterapia.revistademusicoterapia.mus.br/index.php/rbmt/article/view/295

Bruscia, K. E. Definindo musicoterapia. Rio De Janeiro: Enelivros, 2000

Côrte B, Neto L. (2009) A musicoterapia na doença de parkinson. Cien Saude Coletiva.14(6), 2295-304. Doi: https://doi.org/10.1590/S1413-81232009000600038

Gómez S. et al. (2012). Musicoterapia para el control de ansiedad odontológica en niños con síndrome de down;. Hacia Promoc Salud. 17(2):13-24. Acessado em: 20 out 2019. Disponível: http://www.scielo.org.co/pdf/hpsal/v17n2/v17n2a02.pdf

Júnior, J. D. S. (2012). Música e saúde: uma humanização hospitalar como o objetivo da educação musical. ABEM. 20(29), 171-183.

Acessado em: 20 out 2019. Disponível: http://www.abemeducacaomusical.com.br/revistas/revistaabem/index.php/revistaabem/article/viewFile/99/82.

Júnior, H. D. A. (2018). Eficácia terapêutica da música: um olhar transdisciplinar de saúde para equipes, pacientes e acompanhantes. Revista Enfermagem, 26(2) 1-7 doi: https://doi.org/10.12957/reuerj.2018.29155

Oliveira, M. F. D. et al. (2014). Musicoterapia como ferramenta terapêutica no setor da saúde: uma revisão sistemática. Revista da Universidade Do Vale Verde, Três Corações. 12(2) 871-878. Acessado em: 20 out 2019. Disponível: http://periodicos.unincor.br/index.php/revistaunincor/article/view/1739

Leinig, C. E. Tratado de musicoterapia. São Paulo: Sobral, 1977

Miranda, M. C.; Hazard S. O. (2019). Miranda P.V. La música como una herramienta terapéutica en medicin. Rev Chil Neuro-Psiquiat, 55(4)266-277.doi: https://dx.doi.org/10.4067/s0717-92272017000400266

Rohr, R. V.; Alvim, N A. T. (2016). Intervenções de enfermagem com música: revisão integrativa da literatura. Revista de Pesquisa Cuidado é Fundamental Online. 8(1) 3832-3844. doi: https://dx.doi.org/10.9789/2175-5361.2016.v8i1.3832-3844

Reconhecimento ao curso de formação de musicoterapeutas. Decreto Nº Nº 81.765, De 6 De Junho De 1978. Seção 1. [S. L.], 7 Jun. 1978.

São Paulo. Parecer Coren-Sp Cat N° 025/2010. Assunto: Musicoterapia.

Schaeffner, A. Origene dês instrumentes de musique. Paris: Mouton,1958.

Scherer, C. A. (2010). A contribuição da música folclórica no desenvolvimento da criança. Educativa Goiânia. 13 (2) 247-260. Acessado em: 20 out 2019. Disponível: http://seer.pucgoias.edu.br/index.php/educativa/article/view/1416/932

Taets, C. G. G. et al. (2019). Impacto de um programa de musicoterapia sobre o nível de estresse de profissionais de saúde. Revista Brasileira De Enfermagem. 66(3) 385-390. Doi: https://doi.org/10.1590/S0034-71672013000300013

Teixeira, M. M. R. et al. (2018). Efeitos da música no pós-operatório de pacientes hospitalizados. Revista Médica De Minas Gerais. 28(8) 19-29. doi: http://www.dx.doi.org/10.5935/2238-3182.20180071

Ubam. História e surgimento da musicoterapia no Brasil: União Brasileia Das Associações De Musicoterapia. [S. L.], 2005. Disponível em: https://ubammusicoterapia.com.br/institucional/musicoterapia-no-brasil. acesso em: 20 Set. 2019.

Zanini C. R. O., Jardim P. C. B. V, Salgado C. M., Nunes M.C, Urzêda F.L, Carvalho M.V.C, et al. (2009). Music therapy effects on the quality of life and the blood pressure of hypertensive patients. Arquivos Brasileiros De Cardiologia. 93(5) 534-40. doi: 10.1590/s0066-782x2009001100015

Published

22/04/2022

How to Cite

BATALHA, J. C. R. .; ALMEIDA, G. L. de .; RUIZ, E. C. R. .; MIRANDA, L. L. . Music therapy and its effects in the hospital environment. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 6, p. e12411626747, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i6.26747. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/26747. Acesso em: 28 may. 2022.

Issue

Section

Health Sciences