Postpartum nursing consultation in primary care: scientific evidence

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i6.29071

Keywords:

Teaching; Obstetric nursing; Postpartum period; Nursing care; Validation studies.

Abstract

Objective: to identify the national and international scientific evidences concerning available tools for postpartum consultation in primary care. Method: consists of a study performed through an integrative review of the literature in the following data bases: BDENF; LILACS; MEDLINE e SCIELO. In the study 13 articles were included, the analysis was conducted through an evaluative matrix which considers the characterization of the study, an answer to a research question and level of evidence. Results: after a pré-analysis, material exploration and interpretation, 2 categories that allowed to synthesize the findings were originated: tools used to mediate the postpartum nursing consultation and technological nursing strategies for postpartum health education. Conclusion: the findings of this study point to several tools and technological strategies used to perform the nursing consultation in the period of the pregnancy-puerperal cycle. It is believed that by promoting the use, creation and improvement of these activities, it is possible to optimize, qualify and individualize the care.

Author Biographies

Gabriella Dalla Corte Córdova, Universidade Franciscana

Estudante de graduação do curso de Enfermagem da Universidade Franciscana- UFN, Santa Maria-RS.

Lorena Fiorenza, Universidade Franciscana

Estudante de graduação do curso de Enfermagem da Universidade Franciscana- UFN, Santa Maria-RS.

Juliana Silveira Colomé, Universidade Franciscana

Possui Graduação em Enfermagem pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM); Mestrado em Enfermagem pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e Doutorado em Enfermagem pela Universidade Federal do Rio Grande (FURG). Docente da Universidade Franciscana, Santa Maria/RS, com atuação na Graduação em Enfermagem, Colegiado do Curso de Enfermagem e Comitê de Pesquisa e Extensão Institucional. Ainda nessa instituição, atua como Professora Permanente do Curso de Mestrado em Ciências de Saúde e da Vida. Desenvolve atividades como Diretora de Ensino em Saúde Coletiva juntamente aos cursos da Área da Saúde. Representa a instituição de ensino na Comissão de Integração Ensino-Serviço da 4ª Coordenadoria Regional de Saúde do Estado e no Núcleo de Educação Permanente em Saúde de Santa Maria - RS. Membro do GEPESES - Grupo de Estudos e Pesquisa em Empreendedorismo Social da Enfermagem e Saúde. Coordenadora de Grupo e Tutora Acadêmica do Programa de Educação pelo Trabalho para a Saúde (PET-Saúde) Interprofissionalidade Tem experiência na área da formação em enfermagem, atuando principalmente nos seguintes temas: saúde, enfermagem, educação em enfermagem, prática profissional, recursos humanos em saúde, saúde coletiva e Sistema Único de Saúde.

Janine Vasconcelos, Universidade Franciscana

Enfermeira graduada pelo Centro Universitário Franciscano - UNIFRA, Santa Maria R/S (2012). Especialista em Enfermagem do Trabalho (2014), Especialista em Formação Pedagógica para Docentes da Educação Profissional Técnica (2013) e Mestre em Saúde Materno Infantil (2016) e integrante do Grupo de Estudos e Pesquisa em Empreendedorismo Social da Enfermagem e Saúde - GEPESES em 2012. Exerci a docência na Universidade Franciscana-UFN nas disciplinas de saúde da criança e adolescente, fisiologia humana e biossegurança. Atualmente, supervisiono aulas práticas na área da saúde de saúde da mulher no Curso de Enfermagem, e ministro aula de Biossegurança e Primeiros Socorros no Curso de Radiologia da UFN, bem como realizo orientações de TFGs. Possuo experiência na alta complexidade do Sistema Único da Assistência Social (SUAS) em uma unidade de Acolhimento Institucional para crianças e adolescentes em Santa Maria RS e no Programa de Residência em Enfermagem Obstétrica (UFN) como tutora na rede pública de Santa Maria.

Naiana Oliveira dos Santos, Universidade Franciscana

Doutora em Enfermagem pelo Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (PPGENF/UFRGS). Realizou Doutorado Sanduíche na University of Alberta (UofA), Canadá (2015), pelo Programa de Doutorado Sanduíche no Exterior - PDSE/CAPES. Mestra em Enfermagem pelo Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da UFSM. Especialista em Saúde Coletiva. Especialista em Gestão de Organização Pública em Saúde pela UFSM. Licenciada em Educação pelo Curso de Formação de Professores para a Educação Profissional da UFSM. Graduada em Enfermagem pela Universidade Federal do Pampa. Professora Adjunta no Curso de Enfermagem do da Universidade Franciscana (UFN), vice-líder do Grupo de Estudos e Pesquisa em Empreendedorismo Social da Enfermagem e Saúde (GEPESES) da UFN. Tutora Acadêmica do Programa de Educação pelo Trabalho para a Saúde (PET-Saúde) Interprofissionalidade. Coordenadora da Curricularização da Extensão da Área Saúde da Universidade Franciscana. Integrante do Grupo de Pesquisa em Envelhecimento e Enfermagem da UFRGS. Tem experiência na área de Enfermagem, atuando principalmente nos seguintes temas: saúde coletiva, educação em saúde, idoso, cuidador familiar, atenção domiciliar.

References

Andrade, E. S. & Lapolli, E. M. (2018). Gestão integral: diálogos com educação permanente e continuada nas organizações. Revista Terceiro Incluído, 8 (1), 07–16. https://doi.org/10.5216/teri.v8i1.46544.

Andriola, I. C., Sonenberg, A. & Lira, A. L. B. C. (2020). A compreensão da prática avançada de enfermagem como um passo à sua implementação no Brasil. Rev. Panam Salud Publica, 44, e115. https://doi.org/10.26633/RPSP.2020.115.

Barbosa, E. M. G., Dantas, S. L. C., Rodrigues, D. P., Moreira, T. M. M., Queiroz, M. V. O. & Oriá, M. O. B. (2020). Desenvolvimento e validação de cartilha educativa para saúde e bem-estar no pós-parto. Ver. Rene, 21, e43824. https://doi.org/10.15253/2175-6783.20202143824.

Brasil. Ministério da Saúde (2005). Pré-natal e Puerpério: atenção qualificada e humanizada – manual técnico. Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Ações Programáticas Estratégicas – Brasília, 163 p. https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/pre-natal_puerperio_atencao_humanizada.pdf.

Brasil. Ministério da Saúde (2006). Manual técnico pré-natal e puerpério: atenção qualificada e humanizada. Série Direitos Sexuais e Direitos Reprodutivos – Caderno nº5, Brasília- DF. https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/manualprenatalpuerperio3ed.pdf.

Brasil. Ministério da Saúde (2012). Atenção ao pré-natal de baixo risco. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. – Brasília: Editora do Ministério da Saúde, 318 p.: il. – (Série A. Normas e Manuais Técnicos) (Cadernos de Atenção Básica, n° 32). https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/cadernosatencaobasica32prenatal.pdf.

Brasil. Ministério da Saúde (2015). Saúde da criança: aleitamento materno e alimentação complementar / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. – 2. ed. – Brasília : Ministério da Saúde, 184 p.: il. – (Cadernos de Atenção Básica; n. 23). https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/saude_crianca_aleitamento_materno_cab23.pdf.

Brasil. Ministério da Saúde (2016). Resolução Nº 510, de 7 de abril de 2016. Conselho Nacional de Saúde. Ministério da Saúde: Brasília. http://conselho.saude.gov.br/resolucoes/2016/Reso510.pdf.

Brasil. Ministério da Saúde (2021). O que é Atenção Primária? Secretaria de Atenção Primária à Saúde- SAPS. https://aps.saude.gov.br/smp/smpoquee.

Brito, J. F. & Oliveira, K.R. (2019). Grupo de gestante: uma estratégia de intervenção do NASF. Núcleo de Apoio à Saúde da Família, em Cocal, Piauí, Brasil. Universidade Federal do Piauí (UFPI). https://ares.unasus.gov.br/acervo/html/ARES/13719/1/TCC%20PARNB%2011.pdf.

Busanello, J., Lunardi Filho, W. D., Kerber, N. P. C., Lunardi, V. L & Santos, S. S. (2011). Participação da mulher no processo decisório no ciclo gravídico-puerperal: revisão integrativa do cuidado de enfermagem. Rev Gaúcha Enferm., Porto Alegre (RS), 32(4), 807-14. https://doi.org/10.1590/S1983-14472011000400023.

Calvo, C. Y. & Sánchez, L. (2016). Propuesta para la creación de una consulta postparto dada por Enfermería Ginecológica Obstétrica y Perinatal en el Área de Salud de Coronado. Rev. Enfermería Actual en Costa Rica (Online), 31, 162-181. http://dx.doi.org/10.15517/revenf.v0i31.25535.

Castiglioni, C. M.., Cremonese, L., Prates, L. A., Schimith, M. D., Sehnem, G. D. & Wilhelm, L. A. (2020). Práticas de cuidado no puerpério desenvolvidas por enfermeiras em Estratégias de Saúde da Família. Rev. Enferm. UFSM – REUFSM, Santa Maria- RS, 50 (10), 1-19. https://doi.org/10.5902/2179769237087.

Ferreira, A. P., Dantas, J. C., Souza, F. M., Rodrigues, I. D. C. V., Davim, R. M. B. & Silva, R. A. R. (2018). O enfermeiro educador no puerpério imediato em alojamento conjunto na perspectiva de Peplau. Rev. Eletr. Enferm. [Internet], 20. https://doi.org/10.5216/ree.v20.45470.

Ferreira, A. R., Albuquerque, R. A. S., Moreira, D. G., Ponte, H. M. & Rodrigues, M. E. N. G. (2019). Atuação do enfermeiro na visita domiciliar puerperal: Perspectivas sobre o papel profissional. Revista Baiana de Saúde Pública, 43 (3), 567-580. https://doi.org/10.1590/0102-311X00136215.

Fonseca, P. R. (2020). Revisão e atualização de subconjuntos terminológicos CIPE® para saúde da mulher, pré-natal e pós-parto e proposta de construção de aplicativo para dispositivos móveis. Dissertação submetida ao Programa de Mestrado Profissional em Enfermagem da Faculdade de Medicina, Universidade Estadual Paulista, Campus de Botucatu. http://hdl.handle.net/11449/193229.

Garcia, N. P., Viana, A. L., Santos F., Matumoto, S., Kawata, L.S. & Freitas, K.D. (2021). O processo de enfermagem nas consultas de puerpério em unidades de Atenção Primária em Saúde. Rev Esc Enferm USP, 55, e03717. https://doi.org/10.1590/S1980-220X2020005103717.

Heneghan, A. & Tapia C. (2008). Pregnancy-puerperal cycle and the nursing: protocol proposal. Revista de Enfermagem UFPE online [Internet], 2 (4), 445-453. https://doi.org/10.5205/reuol.332-11493-1-LE.0204200816.

Hofstetter, C. F. & Lohmann, P.M. (2020). A importância da atuação do enfermeiro obstetra na atenção básica. Research, Society and Development, [S. l.], 9 (8), e280985340. http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v9i8.5340.

Honnef, F., Arboit, J. & Paula, C. C. (2019). Escolhas das mulheres no processo de parto: revisão integrativa. Rev. Ciência, Cuidado e Saúde, 18 (4). https://doi.org/10.4025/ciencuidsaude.v18i4.44687.

Lima, C. S. & Araújo, T. C. V. (2021). A visita domiciliar do enfermeiro da estratégia saúde da família na atenção ao puerpério. Revista Ciência Plural, 7 (3), 314-331. https://doi.org/10.21680/2446-7286.2021v7n3ID25143.

Mazzo, M. H. S. N. & Brito, R.S. (2016). Instrumento para consulta de enfermagem à puérpera na atenção básica. Revista Brasileira de Enfermagem [online], 69 (2), 316-325. https://doi.org/10.1590/0034-7167.2016690215I.

Melnyk, B. M. & Fineout-overholt, E. (2005). Making the case for evidence-based practice. Philadelphia: Lippincot Williams & Wilkins, p. 3-24.

Melo, K. M. (2018). O processo de adaptação da mulher às modificações da gestação à luz da teoria de Callista Roy. Dissertação apresentada ao programa de Pós-graduação em Enfermagem da Universidade Federal do Maranhão- UFMA. https://tedebc.ufma.br/jspui/handle/tede/tede/2348.

Mendes, K. D. S., Silveira, R. C. C. P. & Galvão, C. M. (2008). Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Rev. Text. Cont. Enf., Florianópolis, 17 (4), 758-764. https://doi.org/10.1590/S0104-07072008000400018.

Minayo, M. C. (2004). O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 8. ed. São Paulo: Hucitec.

Mouta, R. J. O., Carvalho, T. A, Medina, E. T., Souza, S. C., Zveiter, M. & Almeida L. P. (2012). Utilização de tecnologias em saúde na consulta puerperal no contexto da pandemia de covid-19. Recima21- Revista Científica Multidisciplinar, 2 (8), e28610. https://doi.org/10.47820/recima21.v2i8.610.

Nery, N. G., Ribeiro, P. M., Vilela, S. C., Nogueira, D. A, Leite, E. P. R. C. & Terra F. S. (2020). Avaliação da autoestima em mulheres no período puerperal. Brazilian Journal of Health Review, Curitiba, 4 (1), 729-743. https://doi.org/10.34119/bjhrv4n1-063.

Olegário, W. K. B., Fernandes, L. T. B. & Medeiros, C.M.R. (2016). Validação de resultados de enfermagem da CIPE® para a assistência à pacientes no período pós-parto. Rev. Enferm. UFPE Online, 10 (4), 3507-16. https://doi.org/10.5205/1981-8963-v10i4a11124p3507-3516-2016.

Paula, C. C., Padoin, S. M. & Galvão, M.C. (2016). Revisão integrativa como ferramenta para tomada de decisão na prática em saúde. IN: Lacerda, M. R., Costenaro, O. R. G. Metodologias da pesquisa para a enfermagem e saúde: da teoria à prática. Porto Alegre: Moriá, p. 496.

Pinho, M. A., Dodou, H. D. & Oriá, M.O. (2017). Assistência à mulher no puerpério remoto e tardio na atenção básica. JOIN, Encontro Internacional de Jovens Investigadores, Brasil. https://editorarealize.com.br/artigo/visualizar/49574.

Ribeiro, G.C. & Padoveze, M.C. (2018). Sistematização da Assistência de Enfermagem em unidade básica de saúde: percepção da equipe de enfermagem. Rev. Esc. Enferm. USP, 52, e03375. https://doi.org/10.1590/S1980-220X2017028803375.

Ribeiro, J. P., Lima, F. B. C., Soares, T. M. S., Oliveira, B. B., Klemtz, F. V. & Lopes, K. B. (2019). Necessidades sentidas pelas mulheres no período puerperal. Rev. Enferm. UFPE online., Recife, 13 (1), 61-9. https://doi.org/10.5205/1981-8963-v13i1a235022p61-69-2019.

Salvador, E. L. C. J & Gomes, K. M. (2020). Fatores psicossociais associados ao período gravídico-puerperal da mulher: uma revisão não sistemática. Revista de Iniciação Científica, UNESC, Criciúma, 18 (1). http://periodicos.unesc.net/iniciacaocientifica/article/view/5205/5581#.

Schardosim, J. M. & Heldt, E.E. (2011). Escalas de rastreamento para depressão pós-parto: uma revisão sistemática. Revista Gaúcha de Enfermagem [online], 32 (1), 159-166. https://doi.org/10.1590/S1983-14472011000100021.

Silva, A. F., Nóbrega, M. M. L. & Souto, C. M. R. M. (2015). Instrumento para documentação de processo de enfermagem no período pós-parto. Rev. Ciência, Cuidado e Saúde. 2015; 14 (3): 1385-1393. https://doi.org/10.4025/ciencuidsaude.v14i3.20227.

Silva, J. F., Nascimento, M. F. C., Silva, A. F., Oliveira, P. S., Santos, E. A. & Ribeiro, F. M. S. (2020). Intervenções do enfermeiro na atenção e prevenção da depressão puerperal. Rev. Enferm. UFPE online, 14, [1-8]. https://doi.org/10.5205/1981-8963.2020.245024.

Sousa, L. M. M., Marques, C. M. A., Severino, S. S. P. & Antunes, A. V. (2017). Metodologia de Revisão Integrativa da Literatura em Enfermagem. Revista Investigação Enfermagem [Internet], Ser. II (21), 17-26. http://hdl.handle.net/20.500.12253/1311.

Souza, E. F. C, Pina, A. A. & Shimo, A. K. K. (2020). Effect of a breastfeeding educational intervention: a randomized controlled trial. Rev. Latino-Am. Enfermagem, 28: e3335. https://doi.org/10.1590/1518-8345.3081.3335.

Souza, K. V., Carvalho, P. R. Q., Denipote, A. G & Alves V. (2012). Puerperium consulting: needs of women from the nursing perspective – exploratory study. Rev. online Brazilian Journal of Nursing, 11(1), 124-136. https://doi.org/10.5935/1676-4285.20120012.

Viana, M. D. Z. S, Fettermann, F. A. & Cesar, M.B. (2020). Nursing strategies for the prevention of post-birth depression. Rev. Pesq. Cuid. Fundam. Online, 12, 953-957. https://doi.org/10.9789/2175-5361.rpcfo.v12.6981.

Published

27/04/2022

How to Cite

CÓRDOVA, G. D. C.; FIORENZA, L.; COLOMÉ, J. S.; VASCONCELOS, J.; SANTOS, N. O. dos. Postpartum nursing consultation in primary care: scientific evidence. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 6, p. e27511629071, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i6.29071. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/29071. Acesso em: 28 may. 2022.

Issue

Section

Review Article