Safety in the use of medicinal and phytotherapy plants during pregnancy

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i7.29431

Keywords:

Medicinal plants; Phytotherapy; Herbal medicines; Gestation.

Abstract

Introduction: Medicinal plants offer in their composition bioactive substances with prophylactic or therapeutic properties and phytotherapics are medicines obtained from this plant raw material. The period of physiological events that imply symptoms of changes in a physical, emotional and female aspect, accompanied by various symptoms, such as nausea, vomiting and heartburn. Therefore, as pregnant women, they seek alternatives to relieve plants from plants, including medicines and phytotherapics. Objective: To analyze the safety of the use of scientific plants and herbal medicines given pregnancy. Methodology: A literature review was carried out, in the SCIELO, LILACS and MEDLINE databases, on the topic. Result and discussion: Although medicinal herbs and herbal medicines are considered risks by the population, this is a dangerous practice when done without guidance, and can offer a high during an education. In this context, it is essential to pay extra attention to the guidelines and care with the use of these products, since most of them do not have scientific proof of safety or the need for their use in pregnancy. Conclusion: Data the need for more scientific studies to prove the safety of these products, maternal and fetal health.

References

Borges, R. A. M., & Oliveira, V. B. (2015). Riscos associados ao uso de plantas medicinais durante o período da gestação: uma revisão. Revista Uniandrade, 16(2), 101-108.

Camargo, F. R. (2015). Promoção da saúde Materno-Infantil: grupo reflexivo sobre o uso de plantas medicinais e medicamentos fitoterápicos na gravidez e lactação.

Cardoso, B. S., & Amaral, V. C. S. (2019). O uso da fitoterapia durante a gestação: um panorama global. Ciência & Saúde Coletiva, 24, 1439-1450.

Carvalho, C. S. C. D. (2016). Fitoterapia na gravidez: segurança e eficácia de produtos à base de plantas no alívio de sintomas e desconfortos associados à gravidez.

Carvalho, N. S., Bezerra, A. N., Viana, A. C. C., Morais, S. R., & Azevedo, D. V. (2020). Percepção de gestantes quanto ao uso de plantas medicinais e fitoterápicos: Uma revisão integrativa da literatura. Brazilian Journal of Health Review, 3(4), 9282-9298.

Cavalcanti, A. L. L., Nascimento, D. M. B., Vasconcelos, T. C. L. (2021). O uso de fitoterápicos na gestação: Gengibre (Ziberofficinale) e seus benefícios. Pesquisa, Sociedade e Desenvolvimento, 10 (14), e598101422538-e598101422538.

Clarke, J. H. R., Rates, S. M. K., & Bridi, R. (2013). Um alerta sobre o uso de produtos de origem vegetal na gravidez. Infarma-Ciências Farmacêuticas, 19(1/2), 41-48.

Duarte, A. F. S. et al. (2018). O uso de plantas medicinais durante a gravidez e amamentação. Visão Acadêmica, 18(4).

Gomes, M. B. A., Galindo, E. A., & Lins, S. R. O. (2018). Uso de plantas medicinais durante o período gestacional: uma breve revisão. Brazilian Journal of Health Review, 1(2), 323-327.

Melo, A., Anhesi, N., Rosa, L. G., & Pereira, A. C. (2016). USO DE PLANTAS MEDICINAIS NA GESTAÇÃO. RETEC-Revista de Tecnologias, 9(2).

Nascimento, A. K. M., & Pessoa, C. V. (2019). CONHECIMENTO DE GESTANTES SOBRE OS RISCOS DO USO DE PLANTAS MEDICINAIS, MEDICAMENTOS FITOTERÁPICOS E ALOPÁTICOS. Mostra Científica da Farmácia, 6(1).

Pedroso, R. D. S., Andrade, G., & Pires, R. H. (2021). Plantas medicinais: uma abordagem sobre o uso seguro e racional. Physis: Revista de Saúde Coletiva, 31.

Pires, A. M., & Araújo, P. S. (2011). Percepção de risco e conceitos sobre plantas medicinais, fitoterápicos e medicamentos alopáticos entre gestantes. Revista baiana de saúde pública, 35(2), 320-320.

Pires, C. A., Andrade, G. B., & Oliveira, O. L. S. (2021). O uso de medicamentos fitoterápicos e plantas medicinais por gestantes. Revista Fitos, 15(4), 538-549.

Rocha, F. S. et al. (2021). Uso de fitoterápicos como alternativa para a sintomatologia recorrente na gravidez. Pesquisa, Sociedade e Desenvolvimento, 10 (3), e11610313065-e11610313065.

Rodrigues, H. G., Meireles, C. G., Lima, J. T. S., Toledo, G. P., Cardoso, J. L., & Gomes, S. L. (2011). Efeito embriotóxico, teratogênico e abortivo de plantas medicinais. Revista brasileira de plantas medicinais, 13(3), 359-366.

Silva, A. C. A., & Santana, L. L. B. (2018). Os riscos do uso de plantas medicinais durante o período gestacional: uma revisão bibliográfica. Acta toxicológica argentina, 26(3), 118-123.

Silva, M. G. D. (2015). Plantas medicinais na gravidez e aleitamento.

Silveira, P. F. D., Bandeira, M. A. M., & Arrais, P. S. D. (2008). Farmacovigilância e reações adversas às plantas medicinais e fitoterápicos: uma realidade. Revista Brasileira de Farmacognosia, 18 (4), 618-626.

Tavares, B. L. D., Lucena, H. C. G., & Moreira, M. R. S. (2021). Tratamento de afecções orais durante a gestação: segurança do uso de fitoterápicos. Jornada Odontológica dos Acadêmicos da Católica, 6.

Published

22/05/2022

How to Cite

SILVA, M. S. C.; GUEDES , J. P. de M. Safety in the use of medicinal and phytotherapy plants during pregnancy . Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 7, p. e4611729431, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i7.29431. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/29431. Acesso em: 7 jul. 2022.

Issue

Section

Review Article