Analysis of video lessons on protein synthesis through the Cognitive Theory of Multimedia Learning (CTML)

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i9.31879

Keywords:

Biology teaching; Proteins; Multimedia resources.

Abstract

Protein synthesis is an essential topic for the understanding of other subjects in the field of Biology, but teachers and students still struggle with it, since it involves submicroscopic, and molecular concepts and processes. Nowadays, due to technological advancement and easy internet access, multimedia presents itself as a meaningful resource that can be a tool for learning. This study's objective was to analyze video lessons about protein synthesis, available on YouTube, through the perspectives of the Cognitive Theory of Multimedia Learning (CTML). The method of analysis was qualitative through the submission of the nine most viewed video lessons on protein synthesis available on YouTube to eleven principles of the CTML. We noted deviations in the principles of coherence, pre-training, and image as the most recurrent in the video lessons. It is important to plan the development of multimedia resources considering some theoretical and methodological input, thus avoiding obstacles in the teaching-learning process.

References

Alberts, B., Bray, D., Hopkin, K., Johnson, A., Lewis, J., Raff, M., ... & Walter, P. (2011). Fundamentos da Biologia Celular (3 ed). Porto Alegre: Artmed, 2011.

Alberts, B., Johnson, A., Lewis, J., Morgan, D., Raff, M., Roberts, K., … & Hunt, T. (2017). Biologia Molecular da célula (6 ed). Porto Alegre: Artmed, 2017.

Alcântara, L. F. M. (2018) Análise de videoaulas de embriologia do “YouTube” como recurso pedagógico: Uma avaliação baseada na teoria cognitiva da aprendizagem multimídia. (Trabalho de Conclusão de Curso). Graduação em Licenciatura em Ciências Biológicas, Universidade Federal de Pernambuco, Vitória de Santo Antão, PE. Recuperado de https://repositorio.ufpe.br/bitstream/123456789/28895/1/Alc%c3%a2ntara%2c%20Lucas%20Felipe%20de%20Melo.pdf

Almeida, R. R., Chaves, A. C. L., Coutinho, F. Â., & Araújo Júnior, C. F. de (2014). Avaliação de objetos de aprendizagem sobre o sistema digestório com base nos princípios da Teoria Cognitiva de Aprendizagem Multimídia. Ciência & Educação, 20(4), 1003-1017. https://doi.org/10.1590/1516-73132014000400015

Amaral, J. M. A. do, Carvalho, M. E. A. de, Silva, A. T. M. da, Santos, K. F. dos, & Neves, R. F. das (2019). Análise multimídia de um vídeo sobre os processos de transcrição e tradução. In Anais do IV Congresso Nacional de Pesquisa e Ensino em Ciências (p.1-10). Campina Grande, Paraíba, Brasil. Recuperado de https://editorarealize.com.br/editora/anais/conapesc/2019/TRABALHO_EV126_MD1_SA7_ID807_01072019150917.pdf

Amendola, D., & Carneiro, C. D. R. (2019). Análise crítica de conceitos de Geologia apresentados na Plataforma YouTube® com foco em vídeo-aulas. Terrae didatica, 15, 1-9. https://doi.org/10.20396/td.v15i0.8657523

Aranha, C. P., Sousa, R. C. de, Bottentuit Junior, J. B., Rocha, J. R., & Silva, A. F. G. (2019). O YouTube como Ferramenta Educativa para o ensino de ciências. Olhares & Trilhas, 1(1), 20-25. 10.14393/OT2019v21.n.1.46164

Augusto, C. A., Souza, J. P. de, Dellagnelo, E. H. L., & Cario, S. A. F. (2013). Pesquisa Qualitativa: rigor metodológico no tratamento da teoria dos custos de transação em artigos apresentados nos congressos da Sober (2007-2011). Revista de Economia e Sociologia Rural, 51(4), 745-764. https://doi.org/10.1590/S0103-20032013000400007

Barros, E, M. D. de, & Lazari, P. D. S. S. de (2020). Ensino remoto emergencial: uma experiência com a didatização do gênero ‘documentário’. Revista de Estudos e Pesquisas sobre Ensino Tecnológico (EDUCITEC), 6, p. 1-22. https://doi.org/10.31417/educitec.v6.1540

Brasil. (2017). Base Nacional Comum Curricular: Educação é a Base. Brasília: Ministério da Educação.

Brasil. (2006). Orientações Educacionais Complementares aos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN+): Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias. Brasília: Ministério da Educação.

Brasil. (1997). Parâmetros Curriculares Nacionais Ensino Médio: Ciências da Natureza, Matemática e suas tecnologias. Brasília: Ministério da Educação.

Borges, T. S., & Alencar, G. (2014). Metodologias ativas na promoção da formação crítica do estudante: o uso das metodologias ativas como recurso didático na formação crítica do estudante do ensino superior. Cairu em revista, 3(4), 119-143. Recuperado de https://www.cairu.br/revista/arquivos/artigos/2014_2/08%20METODOLOGIAS%20ATIVAS%20NA%20PROMOCAO%20DA%20FORMACAO%20CRITICA%20DO%20ESTUDANTE.pdf

Braga, A. N. (2018). A Teoria cognitiva da aprendizagem multimídia e o desenvolvimento de atividades de alfabetização matemática. (Dissertação de Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Docência em Educação em Ciências e Matemáticas, Universidade Federal do Pará, Belém, PA. Recuperado de http://repositorio.ufpa.br/handle/2011/12186

Carvalho, J. C. Q. de, Beltramini, L. M., Santos Abel, L. D. de, & Bossolan, N. R. S. (2014). “Sintetizando Proteínas”, o jogo: proposta e avaliação de uma ferramenta educacional. Revista de Ensino de Bioquímica, 12(1), 48-61. 10.16923/reb.v12i1.328

Costa, F. D. J. (2010). O uso de imagens e palavras com base na teoria da carga cognitiva: elaboração de material de apoio para o professor. (Dissertação de Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Matemática, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG. Recuperado de http://www.biblioteca.pucminas.br/teses/EnCiMat_CostaFJ_1.pdf

Ferreira, B. E. B. (2019). O uso do YouTube no contexto escolar: Em que medida essa plataforma pode ser um recurso pedagógico?. (Trabalho de Conclusão de Curso). Graduação em Pedagogia, Universidade Federal de Ouro Preto, Mariana, MG. Recuperado de https://200.239.128.125/handle/35400000/2428

Fontes, G. O., Chapani, D. T., & Souza, A. L. B. de (2013). Simulação do processo de síntese de proteínas: limites e possibilidades de uma atividade didática aplicada a alunos de ensino médio. Experiências em Ensino de Ciências, 8(1), 47-60. Recuperado de https://if.ufmt.br/eenci/artigos/Artigo_ID197/v8_n1_a2013.pdf

Francelino, D. M., Ferreira, J. H. G., & Medeiros, S. B. (2020). A dinâmica do ensino de Biologia na internet: Novas perspectivas de ensino-aprendizagem a partir do Youtube. Enciclopédia Biosfera, 17(32), 521-533. Recuperado de https://conhecer.org.br/ojs/index.php/biosfera/article/view/2

Gregório, E. A., Oliveira, L. G. de, & Matos, S. A. de (2016). Uso de simuladores como ferramenta no ensino de conceitos abstratos de biologia: uma proposição investigativa para o ensino de síntese proteica. Experiências em Ensino de Ciências, 11(1), 101-125. Recuperado de https://fisica.ufmt.br/eenciojs/index.php/eenci/article/view/550

Guerch, C. A. (2017). Teoria da Carga Cognitiva e Teoria Cognitiva da Aprendizagem Multimídia: Como utilizar ferramentas web na produção de materiais didáticos? In Anais do XIII Congresso Nacional de Educação (p. 21401-21410). Curitiba, Paraná, Brasil. Recuperado de https://educere.bruc.com.br/arquivo/pdf2017/25739_13137.pdf

Kartal, G. (2010). Does Language Matter in Multimedia Learning? Personalization Principle Revisited. Journal of Educational Psychology, 102(3), 615-624. https://doi.org/10.1037/a0019345

Martins, G., Conceição Galego, L. G. da, & Araújo, C. H. M. de (2017). Análise da produção de vídeos didáticos de Biologia Celular em stop motion com base na Teoria Cognitiva de Aprendizagem Multimídia. Revista brasileira de Ensino de Ciência e Tecnologia, 10(3), 185-205. 10.3895/rbect.v10n3.5060

Mayer, R. E. (2005). The Cambridge Handbook of Multimedia Learning. New York: Cambridge University Press.

Mayer, R. E., & DaPra, C. S. (2012). An embodiment effect in computer-based learning with animated pedagogical agents. Journal of Experimental Psychology: Applied, 18(3), 239-252. https://doi.org/10.1037/a0028616

Mayer, R. E., & Moreno, R. (2002). Aids to computer-based multimedia learning. Learning and Instruction, 12(1), 107–119. https://doi.org/10.1016/S0959-4752(01)00018-4

Mayer, R. E., & Moreno, R. (2003). Nine ways to reduce cognitive load in multimedia learning. Educational Psychologist, 38(1), 43-52. https://doi.org/10.1207/S15326985EP3801_6

Mendes, M. A. D. A. (2010). Produção e utilização de animações e vídeos no ensino de biologia celular para a 1ª série do ensino médio. (Dissertação de Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências, Universidade de Brasilia, Brasilia, DF. Recuperado de https://repositorio.unb.br/handle/10482/9029?mode=simple

Meseguer-Martinez, A., Ros-Galvez, A., & Rosa-Garcia, A. (2016). Satisfaction with online teaching videos: A quantitative approach. Innovations in Education and Teaching International, 62-67. https://doi.org/10.1080/14703297.2016.1143859

Messer, A. T. (2019). “Aprendi no YouTube”: Investigação sobre estudar matemática com videoaulas. (Tese de Doutorado). Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ. Recuperado de http://www.unirio.br/institucional-1/ppgedu/TesePPGEduAndraTheesMesser.pdf

Minayo, M. C. S. (2009). Pesquisa Social: Teoria, método e criatividade. Petrópolis, RJ: Vozes

Moran, J. (2017). Metodologias ativas e modelos híbridos na educação. In: Novas Tecnologias Digitais: Reflexões sobre mediação, aprendizagem e desenvolvimento. Curitiba: CRV.

Nagumo, E., Teles, L. F., & Almeida Silva, L. de (2020). A utilização de vídeos do Youtube como suporte ao processo de aprendizagem (Using Youtube vídeos to support the learning process). Revista Eletrônica de Educação, 14, 1-12. https://doi.org/10.14244/198271993757

Neves, R. F. das (2015). Abordagem do conceito de célula: uma investigação a partir das contribuições do Modelo de Reconstrução Educacional (MRE). (Tese de Doutorado). Programa de Pós-Graduação em Ensino das Ciências, Universidade Federal Rural de Pernambuco, Recife, PE. Recuperado http://www.tede2.ufrpe.br:8080/tede2/handle/tede2/5352#preview-link0

Neves, R. F. das, Anjos Carneiro-Leão, A. M. dos, & Ferreira, H. S. (2016). A imagem da célula em livros de Biologia: uma abordagem a partir da teoria cognitivista da aprendizagem multimídia. Investigações em Ensino de Ciências, 21(1), 94-105. http://dx.doi.org/10.22600/1518-8795.ienci2016v21n1p94

Nicola, J. A., & Paniz, C. M. (2016). A importância da utilização de diferentes recursos didáticos no ensino de ciências e biologia. Rev. NEaD-Unesp, 2(1), 355-381. Recuperado de https://ojs.ead.unesp.br/index.php/nead/article/view/infor2120167

Oliveira, N. M. de, & Dias Júnior, W. (2012). O uso do vídeo como ferramenta de ensino aplicada em biologia celular. Enciclopédia biosfera, 8(14), 1788-1809. Recuperado de http://www.conhecer.org.br/enciclop/2012a/humanas/o%20uso.pdf

Oliveira, P. P. M. (2016). O YouTube como ferramenta pedagógica. In Anais do Simpósio Internacional de Educação à Distância (p. 1-14). São Carlos, São Paulo, Brasil. Recuperado de http://www.sied-enped2016.ead.ufscar.br/ojs/index.php/2016/article/view/1063/486

Paiva, C., & Duarte, D. (2017). Netnografia e suas Capacidades Metodológicas. In Anais do 40° Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação (p. 1-11). Curitiba, Paraná, Brasil. Recuperado de https://portalintercom.org.br/anais/nacional2017/resumos/R12-2429-1.pdf

Pereira, M. G., Silva, A. A. S., Silva, C. M. da, Dores da Silva, M. das, & Neves, R. F. das (2018). Análise de um vídeo acerca da replicação do DNA sob a perspectiva da TCAM. In Anais do V Congresso Internacional das Licenciaturas (p. 1-11). João Pessoa, Paraíba, Brasil. Recuperado de https://cointer.institutoidv.org/inscricao/pdvl/uploadsAnais/AN%C3%81LISE-DE-UM-V%C3%8DDEO-ACERCA-DA-REPLICA%C3%87%C3%83O-DO-DNA-SOB-A-PERSPECTIVA-DA-TCAM.pdf

Pereira, M. G., Silva, A. A. S., Silva, C. M, Sousa, R. K. S., & Neves, R. F. (2017). Análise multimídia de um vídeo sobre a divisão celular. In Anais do IV Congresso Nacional de Educação (p.1-11). João Pessoa, Paraíba, Brasil. Recuperado de https://editorarealize.com.br/artigo/visualizar/35836

Ramos, L. D. L., Pereira, A. C., & Silva, M. A. D. da (2019). Vídeo como ferramenta de ensino em cursos de saúde. Journal of Health Informatics, 11(2), 35-39. Recuperado de http://www.jhi-sbis.saude.ws/ojs-jhi/index.php/jhi-sbis/article/view/601

Rojas, C. F. U., & Spinillo, C. G. (2019). Animações multimídia sobre alimentação e nutrição: Um estudo sobre a compreensão por agentes comunitários de Curitiba. In Anais do 9° Congresso Internacional de design da informação (p. 963-974). Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil. Recuperado de http://pdf.blucher.com.br.s3-sa-east-1.amazonaws.com/designproceedings/9cidi/2.0216.pdf

Rodrigues, L. S, Bossler, A. P., & Caldeira, P. Z. (2019). Comunicação Educativa–Parte I: análise de videoaulas nas perspectivas da Teoria Cognitiva da Aprendizagem Multimídia e do Modelo de Elementos da Análise do Discurso. Brazilian Journal of Development, 5(11), 27735-27750. https://doi.org/10.34117/bjdv5n11-369

Saldanha, L. C. D. (2013). A teleaula em questão. #Tear: Revista de Educação, Ciência e Tecnologia, 2(2), 1-13. https://doi.org/10.35819/tear.v2.n2.a1812

Santos, J. A. D. S., Lima, W. S. de, & Silva, M. G. A. da (2020). O uso de vídeos ilustrativos no processo de assimilação e fixação dos conteúdos, nas aulas de Ciências nas séries iniciais. Diversitas Journal, 5(2), 1223-1233. https://doi.org/10.17648/diversitas-journal-v5i2-811

Silva, A. C. da (2017). Resenha do livro: Aprendizagem Multimídia. Ens. Pesqui. Educ. Ciênc.,19, 1-4. https://doi.org/10.1590/1983-21172017190135

Silva, A. X. da (2015). Análise imagética do conceito de células em vídeos do “You Tube” e suas implicações para a aprendizagem. (Trabalho de Conclusão de Curso). Graduação em Licenciatura em Ciências Biológicas, Universidade Federal de Pernambuco, Vitória de Santo Antão, PE. Recuperado de https://repositorio.ufpe.br/bitstream/123456789/29484/1/SILVA%2C%20Angelina%20Xavier%20da.pdf

Silva, A. X. da, Silva, A. T. M. da, Silva, R. A. da, & Neves, R. F. das (2022). Aplicação da teoria de Mayer na análise de multímidias em vídeos no “YouTube” sobre célula. Revista Ciências & Ideias, 13(1), 15-35. http://dx.doi.org/10.22407/2176-1477/2022.v13i1.1602

Silva, K. I. C. (2017). Critérios informacionais para elaboração de conteúdo instrucional para a web com base nos princípios de aprendizagem multimídia. (Dissertação de Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ. Recuperado de https://ridi.ibict.br/bitstream/123456789/938/1/Dissertacao-KarlaCorvino-2017.pdf

Silva, M. J. da, Pereira, M. V., & Arroio, A. (2017). O papel do YouTube no ensino de ciências para estudantes do ensino médio. Revista de Educação, Ciências e Matemática, 7(2), 35-55. Recuperado de http://publicacoes.unigranrio.edu.br/index.php/recm/article/view/4560

Silva, M. P. O. da (2016). Youtube, juventude e escola em conexão: A produção da aprendizagem ciborborgue. (Dissertação de Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG. Recuperado de https://repositorio.ufmg.br/bitstream/1843/BUBD-ADUKYJ/1/disserta__o_marco_polo_youtube_juventude_e_escola.pdf

Silva, R. R. da (2013). A transposição com expansão do conteúdo do livro didático de matemática para o tablet na perspectiva da teoria cognitiva de aprendizagem multimídia. (Dissertação de Mestrado). Programa de Pós-Graduação Multiunidades em Ensino de Ciências e Matemática, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP. Recuperado de https://core.ac.uk/download/296873501.pdf

Siqueira, F. S., Borges, J. S., Carvalho, P. G., Ladeira, F. D., & Moraes, K. S. M. (2010). Brincando com as Trincas. Genética na Escola, 5(2), 34-37. Recuperado de https://www.geneticanaescola.com/_files/ugd/b703be_e2776cec2f864890bc0270e232784ec3.pdf

Sousa, A. S. de (2019). Análise de jogos e modelos didáticos no ensino de biologia, associados à aula expositiva dialogada na área de citologia. (Dissertação de Mestrado). Mestrado Profissional em Ensino de Biologia em Rede Nacional - PROFBIO. Universidade Estadual do Piauí, Teresina, PI. Recuperado de https://www.profbio.ufmg.br/wp-content/uploads/2020/12/TCM_ANTONIO-SERGIO.pdf

Venegas, I. L. (2007). Acercamiento al aprendizaje multimedia. Ciencias Sociales y Humanidades, 6(6), 7-14. Recuperado de https://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=2695335

Viégas, S. G. P. (2018). Produção de Videoaulas para o Youtube. (Trabalho de Conclusão de Curso). Especialização em Mídias na Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS. Recuperado de https://lume.ufrgs.br/handle/10183/203892

Vieira, M. E. D. M. (2018). Investigando o uso de vídeos de Biologia no YouTube por estudantes do Ensino Médio. (Trabalho de Conclusão de Curso), Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC. Recuperado de https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/192268/TCC%20Maria%20Eduarda%20CCB.pdf?sequence=1&isAllowed=y

Vigario, A. F., & Cicillini, G. A. (2019). Os saberes e a trama do ensino de Biologia Celular no nível médio. Ciência & Educação, 25(1), 57-74. https://doi.org/10.1590/1516-731320190010005

Published

11/07/2022

How to Cite

SANTANA, J. I. de .; SOUZA, T. G. dos S. .; NEVES, R. F. das . Analysis of video lessons on protein synthesis through the Cognitive Theory of Multimedia Learning (CTML). Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 9, p. e34111931879, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i9.31879. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/31879. Acesso em: 19 aug. 2022.

Issue

Section

Education Sciences