Incidence of sexually transmitted infections in adolescents between 13 to 19 years old residents in the municipality of Cascavel between the years 2010 to 2020

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i9.31908

Keywords:

Adolescence; Sexually transmitted infections; Health; Sexuality.

Abstract

STIs (Sexually Transmitted Infections) have emerged as rising agents in the spread of sexually transmitted diseases among adolescents. Thus, this study aims to sample the number of adolescents aged between 13 and 19 years old residing in the city of Cascavel between 2010 and 2020 who presented, during the period under analysis, some sexually transmitted infection and sought treatment and medical advice at any health unit. For this, a descriptive quantitative methodology was used, analyzing the obtained data and presenting them in graphics in an explanatory and descriptive way. The survey pointed out as main results that 67.71% of patients who had some STI are male; 50% were white; of the young population between 10 and 19 years old who had a positive diagnosis for some STI, 96.34% was between 15 and 19 years old; 6% of the total population who had a positive diagnosis for some STI, was between 10 and 19 years old. By obtaining real data present in the population of adolescents in the city of Cascavel, government entities and their respective educational and health sectors will be able to work together, guided and substantiating subsidies that will structure and direct efficient actions for the control and extermination of STIs in the County.

References

Amorim, M. D. (2019). Infecções sexualmente transmissíveis na adolescência (ISTs). Acesso em 10 de Outubro de 2021, disponível em Viver de Medicina: https://ipemed.com.br/blog/ists-na-adolescencia/

Araújo, C. L., Shimizu, H. E., Sousa, A. I., & Hamann, E. M. (Junho de 2012). Incidência da sífilis congênita no Brasil e sua relação com a Estratégia Saúde da Família. Revista de Saúde Pública, 46(3), 479-486. doi:https://doi.org/10.1590/S0034-89102012000300010

Bernardo, A. (2016). Doenças sexualmente transmissíveis não param de crescer. Acesso em 17 de Outubro de 2020, disponível em Veja Saúde: https://saude.abril.com.br/bem-estar/numero-de-infeccoes-sexualmente-transmissiveis-nao-para-de-crescer/#:~:text=Na%20falta%20de%20n%C3%BAmeros%20do,panorama%20n%C3%A3o%20%C3%A9%20menos%20preocupante.

Brasil. (2010). IBGE. Acesso em 17 de Outubro de 2020, disponível em IBGE: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/panorama

Brasil. (2015). Painel de Indicadores Epidemiológicos. Acesso em 12 de Outubro de 2021, disponível em Ministério da Saúde: http://www.aids.gov.br/pt-br/gestores/painel-de-indicadores-epidemiologicos

Camargo, B. V., Giacomozzi, A. I., Wachelke, J. F., & Aguiar, A. d. (Setembro de 2010). Vulnerabilidade de adolescentes afrodescencentes e brancos em relação ao HIV/Aids. Estudos de Psicologia (Campinas), 27(3), 343-354. doi:https://doi.org/10.1590/S0103-166X2010000300006

Chaves, A. C., Bezerra, E. O., Pereira, M. L., & Wolfgang, W. (Janeiro-Fevereiro de 2014). Conhecimentos e atitudes de adolescentes de uma escola pública sobre a transmissão sexual do HIV. Revista Brasileira de Enfermagem, 67(1), 42-53. doi:https://doi.org/10.5935/0034-7167.20140006

Cunha, M. (2011). DST na adolescência: a maior arma é a informação. Acesso em 12 de Outubro de 2020, disponível em iSaúde: https://www.isaude.com.br/noticias/detalhe/noticia/dst-na-adolescencia-a-maior-arma-e-a-informacao/#:~:text=Os%20casos%20de%20doen%C3%A7as%20sexualmente,avisadas%20de%20que%20est%C3%A3o%20acontecendo.

FEBRASGO. (2018). Número de Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST) aumenta. Acesso em 18 de Outubro de 2020, disponível em FEBRASGO: https://www.febrasgo.org.br/pt/noticias/item/565-numero-de-infeccoessexualmente-transmissiveis-ist-aumenta

Fonseca, F. F., Sena, R. K., Santos, R. L., Dias, O. V., & Costa, S. d. (Junho de 2013). As vulnerabilidades na infância e adolescência e as políticas públicas brasileiras de intervenção. Revista Paulista de Pediatria, 31(2), 258-264. doi:https://doi.org/10.1590/S0103-05822013000200019

Genz, N., Meincke, S. M., Carret, M. L., Corrêa, A. C., & Alves, C. N. (2017). Doenças Sexualmente Transmissíveis: Conhecimento e Comportamento Sexual de Adolescentes. Texto Contexto - Enfermagem, 26(2). doi:https://doi.org/10.1590/0104-07072017005100015

Gil, A. C. (2006). Métodos e Técnicas de Pesquisa Social (6º ed.). São Paulo: Atlas.

IBGE. (2019). População do Brasil. Fonte: IBGE: População do Brasil: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/panorama

Koerich, M. S., Baggio, M. A., Backes, M. T., Backes, D. S., Carvalho, J. N., Meirelles, B. H., & Erdmann, A. L. (Abril/Junho de 2010). Sexualidade, doenças sexualmente transmissíveis e contracepção: atuação da enfermagem com jovens de periferia. Revista de Enfermagem, 18(2), 265-271. Fonte: https://pesquisa.bvsalud.org/portal/resource/pt/lil-561991

Ministério da Saúde. (1996). Resolução Nº 196, de 10 de Outubro de 1996. Acesso em 20 de Outubro de 2020, disponível em Ministério da Saúde: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/cns/1996/res0196_10_10_1996.html

Ministério da Saúde. (2012). Resolução Nº 466, de 12 de Dezembro de 2012. Acesso em 22 de Outubro de 2021, disponível em Ministério da Saúde: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/cns/2013/res0466_12_12_2012.html

Ministério da Saúde. (2020). Comportamento de risco aumentou infecções sexualmente transmissíveis. Acesso em 12 de Outubro de 2021, disponível em Agencia Brasil: https://agenciabrasil.ebc.com.br/saude/noticia/2020-02/comportamento-de-risco-aumentou-infeccoes-sexualmente-transmissiveis

Nelas, P., Coutinho, E., Chaves, C., Amaral, M. O., & Cruz, C. (2018). Conhecimentos sobre planeamento familiar em estudantes do ensino superior. International Journal of Developmental and Educational Psychology Revista INFAD de psicología, 187-196. doi:doi.org/10.17060/ijodaep.2018.n1.v2.1209

Romero, K. C., Medeiros, É. H., Vitalle, M. S., & Wehba, J. (Fevereiro de 2007). O conhecimento das adolescentes sobre questões relacionadas ao sexo. Revista da Associação Médica Brasileira, 53(1), 14-19. doi:https://doi.org/10.1590/S0104-42302007000100012

Taquette, S. R., Vilhena, M. M., & Paula, M. C. (2004). Doenças sexualmente transmissíveis na adolescência: estudo de fatores de risco. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, 210-214. doi:doi.org/10.1590/S0037-86822004000300003

Published

13/07/2022

How to Cite

PALTANIN, S. V. .; LIMA , U. T. da S. . Incidence of sexually transmitted infections in adolescents between 13 to 19 years old residents in the municipality of Cascavel between the years 2010 to 2020. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 9, p. e39811931908, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i9.31908. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/31908. Acesso em: 13 aug. 2022.

Issue

Section

Health Sciences