School inclusion from the teaching perspective: reflections from legislative texts

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i9.32038

Keywords:

Inclusion; Teaching; Special education; Legislation; Teacher training.

Abstract

The social inclusion of people with disabilities, and especially school inclusion, is a theme that has been gaining ground in national and international discussions, both in pedagogical political projects and in legislation. In this sense, this work seeks to understand how public policies support the educational practices of inclusion of teachers who work with students with disabilities. It is noticeable that Brazilian legislation ensures universal access to quality education, but it is still lacking when we think about the topic of inclusion. Analyzing in practice, we see that there is a lack of initial and continuing training for teachers, diverse human and material resources, adequate infrastructure in schools, as well as an inclusive mentality. The Federal Constitution, the Education Guidelines and Bases, the ECA and the Curriculum Guidelines for Special Education in Basic Education are examples of national legislation that address the right to education, access and permanence with quality in schools, however, in regard to children with disabilities, these laws diverge from the reality of regular schools, in view of the multiple attitudinal and concrete barriers that schools and students experience.

References

Brasil. (1988). Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituição/constituicaocompilado.htm.

Brasil. (1990). Estatuto da Criança e do Adolescente no Brasil. Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990.

Brasil. (1994). Declaração de Salamanca e Linha de Ação Sobre Necessidades Educativas Especiais. Brasília

Brasil. (1996). Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional - LDB 9394 (nº 248 de 20/12/1996). Brasília: Diário Oficial da União.

Brasil. (2002). Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial. A Formação do Professor para Educação Especial. Brasília.

Brasil. (2020). Ministério da Educação. Secretaria de Modalidades Especializadas de Educação. PNEE: Política Nacional de Educação Especial: Equitativa, Inclusiva e com Aprendizado ao Longo da Vida/ Secretaria de Modalidades Especializadas de Educação – Brasília, MEC. SEMESP.

Brasil. (2015). Lei nº 13.146, de 6 de julho de 2015. Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa Com Deficiência).

Bardin, L. (2004). Análise do Conteúdo. Edições 70, tradução: Luiz Antero Reto e Augusto Pinheiro. São Paulo, Brasil.

Beyer, H. O. (2005). Inclusão e avaliação na escola: de alunos com necessidades educacionais especiais. Ed. Mediação.

Carneiro, M. A. (1998). LDB fácil: leitura crítico- compreensiva artigo a artigo. (5a ed.), Editora vozes, Rio de Janeiro, Brasil.

Carvalho, R. E. (1999). Adaptações Curriculares: uma necessidade. Secretária de Educação a Distância Salto Para o Futuro: Educação especial: tendências atuais. Ministério da Educação, Brasília.

Carvalho, R. E. (2000). Removendo barreiras para a aprendizagem: educação inclusiva. Mediação.

Goffredo, V. L. F. S. de (1999). Educação: direito de todos os brasileiros. Secretária de Educação a Distância Salto Para o Futuro, Educação especial: tendências atuais. Ministério da Educação, Brasília.

Ghiraldelli, P. (1996). O que é Pedagogia. Brasiliense, São Paulo.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2000). Censo Brasileiro de 2000. Rio de Janeiro: IBGE.

Mantoan, M. T. E. (2003). O desafio das diferenças nas escolas. Ed. Vozes, (2a ed.).

Mantoan, M. T. E. (2006). Inclusão escolar: O quê? Por quê? Como fazer? (2a ed.). Moderna.

Martins, L. de A. R, (2008). Educação e Inclusão social de pessoas com necessidades especiais: Desafios e perspectivas. João Pessoa, Brasil.

Minayo, M. C. de S. Deslandes. S. F. Gomes, R. (2008). Pesquisa social: Teoria, método e criatividade. (27a ed.). Vozes, Rio de Janeiro.

Oliveira-Menegotto, L. M. D., Martini, F. D. O., & Lipp, L. K. (2010). Inclusão de alunos com síndrome de Down: discursos dos professores. Fractal: Revista de Psicologia, 22, 155-168.

Peixoto, A. J. (2004). Filosofia, Educação e Cidadania (2a ed.). Alínea. v. 1. 235p.

Pizzani, L., Silva, R. C., Bello, S. F., & Hayashi, M. C. P. I. A arte da pesquisa bibliográfica na busca do conhecimento. Revista Digital de Biblioteconomia & Ciência da Informação, 10(2), 53-66 (2012) 10.20396/rdbci.v10i1.1896.

Santiago, S. A. da S. (2007). O professor na escola inclusiva: reflexões sobre a prática pedagógica. In: Martins, L. de A. R. et al. Educação e inclusão social de pessoas com necessidades especiais: desafios e possibilidades. Editora Universitária. p. 267-272.

UNESCO. (1990). Conferência Mundial de Educação para Todos. Declaração Mundial sobre Educação para Todos: Satisfação das Necessidades Básicas de Aprendizagem. Jomtien, Tailândia. Biblioteca Virtual de Direitos Humanos da USP. http://www.direitoshumanos.usp.br/index.php/Direito-a- Educa%C3%A7%C3%A3o/declaracao-mundial-sobre-educacao-para-todos.html.

Published

15/07/2022

How to Cite

ARAÚJO, R. K. N. .; LIMA, R. M. .; MARTINS, V. L. . School inclusion from the teaching perspective: reflections from legislative texts. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 9, p. e44111932038, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i9.32038. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/32038. Acesso em: 24 sep. 2022.

Issue

Section

Education Sciences