Epidemiological profile of mansoni schistosomiasis cases in the state of Piauí

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i9.32040

Keywords:

Mollusk; Picos; Public health; Schistosoma mansoni.

Abstract

The aim of the present study is to characterize the epidemiological profile of confirmed cases of infection by Schistosoma mansoni in cities in Piauí, Brazil, based on data from compulsory notifications of the parasitosis in the Notifiable Diseases Information System (SINAN), from 1995 to 2017. For this, descriptive retrospective research was performed through the use of secondary epidemiological data. It was possible to survey a total of 44 cases of schistosomiasis mansoni in the state of Piauí. Most people with S. mansoni are of mixed race, 36% (n=9); aged between 20 and 39 years old (48,48%; n=16), 75.76% (n=25) were male; 72.73% lived mainly in urban areas (n=24 cases) and; 24.24% (n=8) had incomplete elementary school only, when considering schooling. Regarding the origin of the cases, 62.5% (n=15 cases) were autochthonous, and most of all cases were cured (87.5%, n=21). The study allowed to know the profile of individuals from Piauí affected by schistosomiasis mansoni. Even though the state is a non-endemic area, it is necessary to pay attention to the disease, since it is a public health problem that is still recurrent and demands of disease control measures.

Author Biographies

Orianna dos Santos, Universidade Federal do Piauí

Programa de Pós-Graduação em Biodiversidade e Conservação, Universidade Federal do Piauí, Campus Amílcar Ferreira Sobral, BR-343, Meladão, 64808-605 Floriano, PI, Brasil

Maria Regiane Araujo Soares, Universidade Federal do Piauí

Programa de Pós-Graduação em Biodiversidade e Conservação, Universidade Federal do Piauí, Campus Amílcar Ferreira Sobral, BR-343, Meladão, 64808-605 Floriano, PI, Brasil

References

Barbosa, C. S.; Araújo, K. C.; Sevilla, M. A. A.; Melo, F.; Gomes, E. C. S. & Souza-Santos, R. (2010). Current epidemiological status of schistosomiasis in the state of Pernambuco, Brazil. Revista Memórias do Instituto Oswaldo Cruz, 105(4), 549 – 554.

Barreto, B. L. & Lobo, C. G. (2021). Aspectos epidemiológicos e distribuição de casos de esquistossomose no Nordeste brasileiro no período de 2010 a 2017. Revista Enfermagem Contemporânea, 10(1), 111 – 118. DOI: http://dx.doi.org/10.17267/2317-3378rec.v10i1.3642.

Borges, L. S.; Souza, T. S.; Motta, R. L.; Azevedo, B. D. S.; Dias, J. A. A & Nery, I. G. (2014). Perfil epidemiológico da esquistossomose em comunidade periférica do município de Jequié-BA. Revista da Universidade Vale do Rio Verde, 12(2), 812 – 820.

Brasil. (2014). Vigilância da Esquistossomose Mansoni: diretrizes técnicas. Ministério da Saúde/Secretaria de Vigilância em Saúde/Departamento de Vigilância Epidemiológica.

Carvalho, O. S. (2020). Moluscos hospedeiros intermediários de Schistosoma mansoni do Brasil. Instituto Rene Rachou/Fundação Oswaldo Cruz.

Carvalho, R. R. S. & Siqueira, J. H. (2019). Caracterização epidemiológica da esquistossomose no estado do Espírito Santo de 2010 a 2015. Revista Brasileira de Pesquisa e Saúde, 21(1), 95 – 103.

Chiles, G. R.; Costa, S. L. S. & Fortuna, J. L. (2020). Perfil epidemiológico da esquistossomose nos municípios da costa das baleias no período de 2001 a 2017. Revista Brazilian Journal of Animal and Environmental Research, 3(2), 405 – 415.

aDepartamento de Informática do Sistema Único de Saúde (DATASUS). (2021). Programa de Controle da Esquistossomose – PCE. http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/deftohtm.exe?sinan/pce/cnv/pcepi.def.

bDepartamento de Informática do Sistema Único de Saúde (DATASUS). (2021). Sistema de Informação de Agravos e Notificação – SINAN. http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/deftohtm.exe?sinan/pce/cnv/pcepi.def.

Gomes R.; Nascimento E. F. & Araújo F. C. (2007). Por que os homens buscam menos os serviços de saúde do que as mulheres? As explicações de homens com baixa escolaridade e homens com ensino superior. Caderno Saúde Pública, 23(3), 565–574.

Jordão, M. C. C.; Macêdo, V. K. B.; Lima, A. F. & Xavier Junior, A. F. S. (2014). Caracterização do perfil epidemiológico da esquistossomose no estado de Alagoas. Revista Ciências Biológicas e da Saúde, 2(2), 175 – 188.

Katz, N. (2018) Inquérito Nacional de Prevalência da Esquistossomose mansoni e Geo-helmintoses. Centro de Pesquisa René Rachou.

Macedo Junior, A. M. & Costa, A. B. S. (2020). Abordagem sobre a Schistosoma mansoni e seu perfil epidemiológico nos munícipios do Rio Grande do Norte/RN. Revista Medicus, 2(1), 7 – 13. DOI: http://doi.org/10.6008/CBPC2674-6484.2020.001.0002

Nascimento, I. M. E. & Meirelles, L. M. A. (2020). Análise do perfil epidemiológico da esquistossomose no Nordeste do Brasil. Revista Research, Society and Development, 9(11), 1 – 19. DOI: 10.33448/rsd-v9i11.10022.

Neres, R. C. B.; Araújo, E. M.; Rocha, W. J. F. S. & Lacerda, R. S. (2011). Caracterização epidemiológica dos casos de esquistossomose no município de Feira de Santana, Bahia – 2003-2006. Revista Baiana de Saúde Pública, 35(1), 28 – 37.

Oliveira, E. C. A.; Pimentel, T. J. F.; Araujo, J. P. M.; Oliveira, L. C. S.; Nascimento, V. C.; Loyo, F. R. M.; Gomes, E. C. S.; Moreira, R. S. & Barbosa, C. S. (2018). Investigação sobre os casos e óbitos por esquistossomose na cidade do Recife, Pernambuco, Brasil, 2005-2013. Epidemiologia e Serviços de Saúde, 27(4), 1 – 11.

Pereira, G. S.; Oliveira, H. M. B. F. & Oliveira Filho, A. A. (2018). Educação Ambiental em Saúde: análise dos casos de esquistossomose notificados na Paraíba no período de 2015 a 2017. Revista Educação Ambiental em Ação, 1(64), 1 – 9.

Pereira, L. F. S. (2019). Perfil epidemiológico da esquistossomose mansônica de 2014 a 2017 no estado do Pará. Brazilian Journal of health, 2(2), 1401 – 1407.

Ramos, R. E. S. Identificação da infecção por Schistosoma mansoni e enteroparasitos em uma área não endêmica para a esquistossomose em Alagoas: associação com fatores de risco e análise espacial. 2021. 108 f. Dissertação (Mestrado em Biologia Parasitária) – Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, 2021.

Santos, C. M. A.; Santos, L. S. O.; Santos, J. A.; Silva, E. S.; Santos, M. H. Silva, D. K.; Santos, J. F. S.; Subrinho, D. O; Santos, C. K. A. & Santos C. B. (2019). Comparativo e perfil dos infectados em esquistossomose no estado de Alagoas entre 2016 e 2017. PUBVET, 13(8), 1–8. DOI: https://doi.org/10.31533/pubvet.v13n8a386.1-8.

Santos, J. A.; Costa, L. S.; Lima, D. P.; Santos, R. B.; Vasconcelos, A. A. S.; Santos, A. M. G.; Freitas, M. M.; Lopes, L. E. S.; Souza Neto, C. M. & Marques,

C. S. F. (2020). Caracterização epidemiológica dos casos de infecção por Schistosoma mansoni no estado de Sergipe, Brasil, 2008-2017. Research, Society and Development, 9(10), 1 – 15. DOI: http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v9i10.8303

Silva, M. B. A.; Barreto, A. V. M. S; Oliveira, Y. V.; Bezerra, S. D. C. & Bispo, B. A. J. (2015). Perfil epidemiológico de pacientes suspeitos de esquistossomose e patologias associadas em um hospital Pernambucano. Enfermagem Digital Cuidado e Promoção da Saúde, 1(1), 43 – 46. DOI: 10.5935/2446-5682.20150007

Silva, G. C. & SOUZA A. P. (2017). Perfil epidemiológico de parasitoses intestinais em um município do sertão baiano. Saúde em Redes, 3(3), 214 – 221. DOI: http://dx.doi. org/10.18310/2446- 4813.v3n3p214-221

Silva, J. P. (2019). Perfil epidemiológico da esquistossomose mansônica em Minas Gerais. Inova Saúde, 9(2), 225 – 235.

Silva, F. F.; Bezerra, R. P.; Souza, C. D. F. & Santos, C. B. (2020). Dinâmica espaço-temporal da esquistossomose mansônica em Alagoas (2007-2017). Diversitas Journal, 5(3),1738 – 1749. DOI: 10.17648/diversitas-journal-v5i3-1056

Sobrinho, F. S. L.; Silva, M. C. S.; Lima, L. L. C.; Sobrinho, G. K. L.; Lopes, E. A. P. & Feitosa, A. P. S. (2020). Incidência de esquistossomose mansônica no nordeste brasileiro, no período de 2013 a 2017. Diversitas Journal, 5(4), 2881 – 2889. DOI: 10.17648/diversitas-journal-v5i4-984

Veronesi, R. & Focaccia, R. (2015). Tratado de infectologia. Atheneu.

Who. (2018). Schistosomiasis (Bilharzia). https://www.who.int/health-topics/schistosomiasis#tab=tab_1.

Published

16/07/2022

How to Cite

SANTOS, O. dos .; SOARES, M. R. A. . Epidemiological profile of mansoni schistosomiasis cases in the state of Piauí. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 9, p. e48811932040, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i9.32040. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/32040. Acesso em: 13 aug. 2022.

Issue

Section

Agrarian and Biological Sciences