Mayan, Inca and Aztec numbering systems: a little mathematics of pre-colombian civilizations

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i10.32265

Keywords:

History of mathematics; Teaching; Numbering system; Pre-columbian civilizations.

Abstract

This article aims to address the numbering systems of pre-Columbian civilizations (Mayan, Inca and Aztec), based on an educational practice carried out in an elementary school class II of a school institution in the municipality of Vitória/ES. This practice was carried out in a sequence of activities, composed of four classes, in which we sought to (re)know some numbering systems of pre-Columbian civilizations, establishing their characteristics and their combination rules. For this, we used, as a didactic resource, elements of the History of Mathematics, which allowed discussions about the theme worked. We present the main characteristics to build a numbering system, according to authors such as Adair M. Nacarato. We chose as sources of investigation, texts that approach the history of the civilizations under study, considering their cultural context, to support the pedagogical procedures. At the end of the readings, discussions were held with the participants about the numbering systems, as well as the importance of knowing them. We found that some students understood the difficulty in building a numbering system as well as its logic, and that the chosen symbols would make writing difficult when using it in everyday situations or even in mathematical operations. In addition, we understand some of the contributions of the use of elements from the History of Mathematics in the teaching and learning process.

References

Carvalho, W. S. de. (2014). Matemática na Antiguidade: Incas. Parque da Ciência blogspot. http://parquedaciencia.blogspot.com.br/2014/11/matematica-na-antiguidade-os-Incas.html.

Cardoso, C. F. S. (2004). América Pré-Colombiana. Brasiliense.

Cauty, A. (2005). Aritmética Maia. Scientific American Brasil: Edição Especial 11, Etnomatemática, 10-15.

Eves, H. (2004). Introdução à história da matemática. Tradução: Hygino H. Domingues. Campinas, SP: Editora da Unicamp.

Favre, H. (2004) A civilização Inca. Tradução: Julia Goldwasser. Rio de Janeiro: Zahar.

Ferreira, E. S., Machado, R. M., Paiva, A., Paques, O. T. W., Santinho, M. S., & Soares, M. Z. M. C. (2014). Uso de numeração e ábacos hiberoamericanos na Educaçao Básica. (minicurso). Anais da VII Bienal da Sociedade Brasileira de Matemática. Alagoas

Gendrop, P. (1987). A civilização Maia. Tradução: Julia Goldwasser. Zahar.

Ifrah, G. (1997) História universal dos algarismos: a inteligência dos homens contada pelos números e pelo cálculo. Rio de Janeiro: Nova Fronteira.

Imenes, L. M. P. (1999). Os números na história da civilização. Scipione. (Coleção Vivendo a matemática).

Lehmann, H. (1965). As civilizações Pré-Colombianas. Saber Atual.

Milli, E. P., & Thiengo, E. R. (2019). Desenvolvendo O Pensamento Aritmético: A Construção De Quipos Com Um Estudante Com Deficiência Intelectual No Proeja. Educação Matemática Em Revista - RS, 2(20). Recuperado de http://sbemrevista.kinghost.net/revista/index.php/EMR-RS/article/view/2132

Morey. B., & Gomes, S. C. (2020). Matemática mesopotâmica: história para o professor de matemática. REMATEC, 13(27), 06-23, 2018. http://www.rematec.net.br/index.php/rematec/article/view/120.

Marcondes, C, Filho. (1992) Televisão: a vida pelo vídeo. (7a Ed.): Moderna.

Moraes, J. G. V, de. (1998) Caminho das civilizações: história integrada geral e do Brasil. Atual.

Nacarato, A. M., Passos, C. L. B., & Orali, F. (2016). Matemática: caderno 1: manual do professor: Ensino Fundamental 6º ano. (1ª . ed.): SOMOS Sistema Anglo.

Oliveira, V. O. de, & Luccas, S. (2010). Diferentes sistemas de numeração. In: O professor PDE e os desafios da escola pública paranaense. V. 1. Secretária da Educação.

Prata, G. A., Filho. (2018). Teorema de Pitágoras a partir da história da matemática: análises epistemológicas de atividades em turmas do 9º ano da rede pública. [Dissertação de Mestrado]. Instituto Federal do Espírito Santo.

Prata. G. A., Filho, & Sad, L. A. (2018). Teorema de Pitágoras e o geogebra: uma relação possível. Vitória-ES: Instituto Federal do Espírito Santo.

Rosa, M. (2004). Um estudo etnomatemático das esteiras sagradas dos Maias. Horizontes, Bragança Paulista, 22(1), 29-41, jan./jun.

Sousa, R. G. (2015). Maias - Economia e Sociedade. Brasil Escola. https://brasilescola.uol.com.br/historia-da-america/Maias-economia-sociedade.htm.

Soustelle, J. (2002). A civilização Asteca. Tradução: Julia Goldwasser. Zahar.

Thiengo, E. R. (2020). Arthur Thiré: uma história sobre o professor e educador matemático. (1a Ed.) Appris.

Vergara, S. C. (2000). Projetos e relatórios de pesquisa em administração. (3ª . Ed.): Atlas.

Wussing, H. (1998). Lecciones de Historia de lãs Matemáticas. Madrid: Siglo XXI de España.

Published

26/07/2022

How to Cite

PRATA FILHO, G. A. .; SAD , L. A. .; THIENGO, E. R. . Mayan, Inca and Aztec numbering systems: a little mathematics of pre-colombian civilizations . Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 10, p. e145111032265, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i10.32265. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/32265. Acesso em: 4 oct. 2022.

Issue

Section

Teaching and Education Sciences