The nurse in primary care in front of STI in the LGBT population

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i10.32276

Keywords:

STI; Primary attention; Sexual and Gender Minorities; Health Vulnerability

Abstract

Objective: To discuss the prejudice and the limitation that still exists by health professionals in primary care in the face of STI with LGBT people and place the nurse as the main instrument from diagnosis to treatment. Methodology: The search was based on the relationship between the contents of these themes and the guiding question of the study, taking a cut within the last six years. After an even more careful analysis, to identify and seek evidence that dialogues with the object of this study, a final sample of 12 articles was obtained from a total of 54 findings, resulting in an integrative review. Results and Discussion: To enable a better study and understanding of the articles, a synoptic table was elaborated, which presented the synthesis of all articles that were inserted in the research and that represent the basis for the elaboration of the discussion on the attribution of nurses in primary care in relation to STI in the LGBT population. Conclusion: Health professionals recognize the vulnerability of the LGBT population and that there is a need for knowledge on the subject. There is a need for a greater search for knowledge, training and resources to offer better assistance.

References

ABGLT. (2020). Manual de comunicação LGBT. https://unaids.org.br/wp-content/uploads/2015/09/Manual-de-Comunica%C3%A7%C3%A3o-LGBT.pdf

Albuquerque, G. A. et al. (2018). Homossexualidade e o direito à saúde: um desafio para as políticas públicas de saúde no Brasil. Saúde em Debate. 37(98), 516-24.

Almeida F.T. & Arantes L.N. (2019). A falta de efetividade das políticas públicas de acesso à saúde para a comunidade LGBT: Desafios do passado para o presente e futuro.

Belém J.M., & Alves M. J. H., et al.(2018) Atenção à saúde de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais na Estratégia Saúde da Família. Revista Baiana Enfermagem (32) - 26475.

Bertelli B.R.M.C & Krug S.B.F., et al. (2020). Percepções de enfermeiros acerca da população LGBT+ e os seus entrelaces com a Atenção Primária à Saúde. RIPS, Santa Cruz do Sul (RS), 3(3) 10-15

Bezerra M.V.R. & Moreno C.A. et al.(2019). Política de saúde LGBT e sua invisibilidade nas publicações em saúde coletiva.

Fontinele D. C. S. S. & Pereira F. C. C. et al. (2018). Ações de Enfermagem para inserção dos homossexuais soropositivos nos serviços de saúde. Natal -RN

Guimarães R.C.P. & Lorenzo C.F.G., et al. (2021). Patologização e invisibilidade: reconhecimento das demandas e acolhimento da população LGBT na atenção básica. Brasília, DF.

Santana, A. D. S., Lima, M. S. et al. (2019). Dificuldades no acesso aos serviços de saúde por lésbicas, gays,bissexuais e transgêneros. Revista de enfermagem.35(90) 50-60

Silva A. & Alves G. (2020) Política Nacional de Saúde Integral de LGBT: Percepção de enfermeiros da atenção primária à saúde.

Silva, A. L., Finkler, M. & Moretti-Pires.(2019). Representações sociais de trabalhadores da atenção básica à saúde sobre pessoas lgbt.

Oliveira G. S., Nogueira J. A., Costa G. P. O. et al 2018. Serviços de saúde para lésbicas, gays, bissexuais e travestis/transexuais. Revista de enfermagem. (10)5 20-25.

Pinto, D. R. & Oliveira, M. J. (2020). Saúde da população lgbt na atenção primária e seus principais desafios.unila.Repositório Institucional da UNILA. https://dspace.unila.edu.br/handle/123456789/6262

Equipe boa saúde (2020). Histórico da AIDS. https://www.boasaude.com.br/artigos-de-saude/3838/-1/historico-da-aids-uma-historia-de-lutas-decepcoes-guerra-de-vaidades-e-coragem.html.

Ministério da saúde (2013). Politica Nacional de Saúde Integral de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transsexuais.https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/politica_nacional_saude_lesbicas_gays.pdf

Ministério dos Direitos Humanos (2018). Manual Orientador Sobre Diversidade. https://www.gov.br/mdh/pt-br/assuntos/noticias/2018/dezembro/ministerio-lanca-manual-orientador-de-diversidade/copy_of_ManualLGBTDIGITAL.pdf/view

Ministério da Saúde (2014). Secretaria de Vigilância em Saúde Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais. Caderno de boas práticas em HIV/AIDS na atenção primária. http://www.aids.gov.br/pt-br/pub/2014/caderno-de-boas-praticas-em-hivaids-na-atencao-basica

Ministério da Saúde (2015). Atenção Integral às Pessoas com Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST)..htps://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/protocolo_clinico_diretrizes_terapeutica_atencao_integral_pessoas_infeccoes_sexualmente_transmissiveis.pdf

Published

22/07/2022

How to Cite

FABRICIO, J. M. .; PEDREIRA, J. B. L. .; SANTOS, M. T. S. dos; RAMOS, T. S.; RODRIGUEZ, G. M. C. . The nurse in primary care in front of STI in the LGBT population. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 10, p. e55111032276, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i10.32276. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/32276. Acesso em: 3 oct. 2022.

Issue

Section

Review Article