Diagnostic and interventional actions in the teaching and learning process in the food trade

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i10.33026

Keywords:

Education; In-service education; Non-school space; Teaching.

Abstract

Objective: Describe the impact of guidance and analysis as in-service education and instruction tools. Methods: This is an exploratory qualitative and quantitative in a work environment (restaurant) in the city of Petrolina/PE. Two technical visits were carried out, in the first a checklist was applied to evaluate good food handling practices, the collection of samples of food, water and surfaces for microbiological analysis. After interpreting the results, an action plan was built and delivered, pointing out non-conformities and suggesting corrective actions, as well as online training. On the second visit, the establishment was reassessed and new microbiological analyzes performed. Results: It was found on the first visit that the establishment was 86.14% adequate, for hygienic-sanitary conditions, and contamination by S. aureus (4.8 x 10² CFU/cm²) was evidenced in the sample of sliced ​​meat, but not on a skewer. In the second visit, the adequacy increased (91.48%) items related to control actions, but there was contamination of both meat samples on the second visit (7.0 x 10³ CFU/g, and 3 x 10² CFU/g) . Conclusion: In-service education is an effective method for food handlers, but it does not exclude the need for continuous and specialized supervision.

Author Biographies

Eduarda Victória Ribeiro Lima, Universidade de Pernambuco

Discente do curso de Nutrição

Lawanne Damasceno Argolo, Universidade de Pernambuco

Discente do curso de Nutrição

Edinalva Maria da Silva, Universidade de Pernambuco

Nutrition course student

Paloma Oliveira dos Santos, Universidade de Pernambuco

Student of the nutrition course

Renata Freire Alves Gondim , Universidade de Pernambuco

Nutrition course student

Jaqueline Damos da Silva, Universidade de Pernambuco

Nutrition course student

Claudileide de Sá Silva, Universidade de Pernambuco

Teacher

References

Brasil. AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA. Instrução Normativa nº60, de 23 de dezembro de 2019. Estabelece as listas de padrões microbiológicos para alimentos. Diário Oficial da União. 26 Dez 2019.

Associação Nacional de Restaurantes - ANR. Protocolo de Procedimentos de Boas Práticas nas Operações para Restaurantes, Bares e Lanchonetes Pós-Covid-19. Brasília: Associação Nacional de Restaurantes; 2020. Disponível em: https://anrbrasil.org.br/covid-19/. Acesso em: 28 Jul 2021.

AOAC (Association of Official Analytical Chemists), 2005. Official Methods of Analysis. (7th Edn.), Washington DC, USA. http://ww.aoac.org.

Arantes, R S. Sistemas de Gestão da Segurança de Alimentos: efeitos nas condições higiênico-sanitárias de uma unidade de alimentação e nutrição. (2020). Journal of Chemical Information and Modeling. 2(1), 5–7.

Brasil. (2021).Ministério do Meio Ambiente. Perda de alimentos deixa países em alerta. disponível em https://www.gov.br/mma/pt-br/noticias/perda-e-desperdicio-de-alimentos-deixa-paises-em-alerta.

Buzinaro, D. V. C, & Gasparotto, A. M. S. (2019). Como a implementação das boas práticas de fabricação (BPF) auxiliam a competitividade e a qualidade em uma indústria. Revista Interface Tecnológica. 16(2), 371-382.

Christofoletti, G, Fernandes, J. M., Martins, A. S., Oliveira, S. A. J. R, Carregaro, R .L., & Toledo, A. M. (2014). Grau de satisfação discente frente à utilização de métodos ativos de aprendizagem em uma disciplina de Ética em saúde. Revista Eletrônica de Educação. 8(2), p. 188-197.

Felipe, L M. (2008). Associação de bactérias da família Enterobacteriaceae e Clostridium estertheticum com a deterioração blown pack em cortes cárneos embalados a vácuo. [Dissertação de Mestrado, Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias, Universidade Estadual Paulista].

Gomes, N. A. D. A. A, Campos, M. R. H., & Monego, E. T. (2012). Aspectos higiênico-sanitários no processo produtivo dos alimentos em escolas públicas do Estado de Goiás, Brasil. Revista de Nutrição. 25(4), 473-485.

Guimarães, B. S., Ferreira, R .S., & Soares, L.S. (2018). Perfil microbiológico de utensílios em unidade de alimentação e nutrição comercial e institucional de Salvador, BA. Revista Higiene. Alimentar. 36-40.

Marques, A. S., Nespolo C. R. R., Pinheiro, F.C., Pinheiro, F.C., & Magalhães, S.G. (2017). Descontaminação microbiológica de esponjas de cozinha utilizadas em serviços de alimentação. Revista Contexto & Saúde. 17(32), 102-114.

Medeiros, M. G. G. A., Carvalho,L. R., & Franco, R.M. (2017). Percepção sobre a higiene dos manipuladores de alimentos e perfil microbiológico em restaurante universitário. Ciênc. saúde coletiva. 22(2), 383-392.

Moura, P. N., Honaiser, A., & Bolognini, M. C .M. (2009). Avaliação do Índice de Resto-Ingesta e Sobras em Unidade de Alimentação e Nutrição (UAN) do Colégio Agrícola de Guarapuava/PR. Revista Salus. 3(1), 71-77.

Oliveira, A. M. et al. (2016). A importância do controle das condições microbiológicas e higiênico sanitárias na prevenção de doenças transmitidas por alimentos-uma revisão de literatura. Revista Expressão Científica. 1,1.

Pallos, T. D .B, Souza, R. A., Oberlender, G., Colpa, P. C, & Silva, D.B.D.A. (2020). Capacitação de Manipuladores de Alimentos: Metodologia Pedagógica Tradicional versus Metodologia Pedagógica Ativa / Food Handler Training: Traditional Pedagogical Methodology versus Active Pedagogical Methodology. Brazilian Journal of Health Review. 3(4), 10736–10754.

Ponath, F. S., Valiatti, T. B., Sobral, F. D. O. S, Romão, N. F., & Alves, G .M .C., Passoni, G. P. (2016). Avaliação da higienização das mãos de manipuladores de alimentos do Município de Ji-Paraná, Estado de Rondônia, Brasil. Revista Pan-Amazônica de Saúde. 7(1), 63-69.

Rocha, R. E., Bezerra, J. B., Luz, L .E. et al. (2020). Identificação de Staphylococcus aureus na carne bovina moída comercializada em municípios do Vale do Guaribas, no Estado do Piauí. Research, Society and Development 9(11), p. e90591110543-e90591110543.

Rosina, A., & Monego, F. (2013).Avaliação microbiológica da carne bovina moída nas redes de supermercados de Canoinhas/SC. Saúde e meio ambiente: revista interdisciplinar. 2(2), 55–64.

Souza, J. F., Souza, A. C. F, & Costa, F .N. (2021). Estudo retrospectivo de surtos de doenças veiculadas por alimentos, na região nordeste e Estado do Maranhão, no período de 2007 a 2019. Research, Society and Development.10(1), p. e36010111728-e36010111728.

Veiga, S. M. O. M., Antonacio, N .R., & Belmonte, M. G. (2020). Qualidade microbiológica de alimentos oriundos do comércio ambulante e intervenção educativa. Brazilian Journal of Development. 6(3), 14979-14997.

Vitória, M. D. F. C.,& Meireles, E. 2021. O microempreendedor em tempos de pandemia: uma análise do impacto econômico em cenário de crise. Brazilian Applied Science Review. 5(1), 313-327.

Published

08/08/2022

How to Cite

LIMA, E. V. R.; ARGOLO, L. D.; SILVA, E. M. da .; MAGALHÃES, C. V. .; SANTOS, P. O. dos; GONDIM , R. F. A. .; SILVA, J. D. da .; SILVA, C. de S. Diagnostic and interventional actions in the teaching and learning process in the food trade . Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 10, p. e510111033026, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i10.33026. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/33026. Acesso em: 4 oct. 2022.

Issue

Section

Teaching and Education Sciences