Teaching the History of Nursing in Nursing undergraduate courses in Alagoas

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i11.33407

Keywords:

Nursing education; History of Nursing; Professional identity.

Abstract

This research aims to analyze the teaching of Nursing History in undergraduate nursing courses in Alagoas. It is a documentary, descriptive, historical study, anchored in the perspective of the History of the Present Time, having the State of Alagoas as a scenario. The sample consisted of 15 undergraduate nursing courses, data collection took place from October to December 2019. The data were presented with the help of statistical resources and techniques, and the discussion took place in the light of the relevant literature. The term “Nursing History” is no longer used in the analyzed curricula; the teaching of the Nursing History discipline is based on the historical process of the profession since its creation and uses active and problematizing methodologies; most professors have a master's or doctorate degree; the teaching modality is mostly face-to-face, with a workload that varies from 18 to 52 hours, being offered predominantly in the initial stages of the course. The History of Nursing is a fundamental element in the teaching-learning process, especially in the construction of the professional identity of the nursing student, thus making the teaching of this area of knowledge indispensable in terms of preserving the historical memory of the profession and development. and improvement of skills in their technical-scientific practice.

References

Alagoas. Decreto nº 69.527, de 17 de março de 2020. Institui medidas temporárias de enfrentamento da emergência de saúde pública de importância internacional decorrente do Covid-19 (coronavírus), no âmbito da rede pública e privada de ensino no âmbito do estado de Alagoas, e dá outras providências. Diário Oficial do Estado de Alagoas, Maceió, AL, 17 mar. 2020.

Aquino E M et al. (2020). Medidas de distanciamento social no controle da pandemia de COVID-19: potenciais impactos e desafios no Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, 25 (Supl.1), 2423-2446.

Bastos, M C et al. (2020). Ensino remoto emergencial na graduação em enfermagem: relato de experiência na covid-19. Revista Mineira de Enfermagem, 24 (e-1335), 1-11.

Brasil (1931). Regula o exercício da enfermagem no Brasil e fixa, as condições para equiparação das escolas de enfermagem. Decreto nº 20.109, de 15 de junho de 1931. Rio de Janeiro: Poder Executivo Federal.

Brasil (2001). Ministério da Educação. Secretaria de Educação Superior. Diretrizes Curriculares para os Cursos de Graduação. Resolução CNE/CES Nº 3, de 7 de novembro de 2001. Brasília: Ministério da Educação.

Brasil (2016). Ministério da Saúde. Resolução Nº 510/2016 de 7 de abril de 2016. Dispõe sobre as normas aplicáveis a pesquisas em Ciências Humanas e Sociais cujos procedimentos metodológicos envolvam a utilização de dados diretamente obtidos com os participantes ou de informações identificáveis ou que possam acarretar riscos maiores do que os existentes na vida cotidiana. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília.

Brasil (2020). Cadastro Nacional de Cursos e Instituições de Educação Superior [internet]. Brasília: Ministério da Educação, Sistema e-MEC.

Barreira, I A & Baptista, S S (2003). O movimento de reconsideração do ensino e da pesquisa em História da Enfermagem. Revista Brasileira de Enfermagem, 56 (6), 702-706.

Castro, B M C & Monteiro, I O P (2019). A dramatização no contexto da história da enfermagem: um relato de experiência. Revista Eletrônica Acervo Saúde, 11 (2), 1-6.

Carvalho, M S V P (2020). A educação ambiental nos cursos de licenciatura: o estudo em uma instituição de ensino superior na Amazônia Ocidental (Dissertação de mestrado). Universidade Federal do Acre, Rio Branco.

Cellard, A (2008). A análise documental. In: Poupart, J. et al. A pesquisa qualitativa: enfoques epistemológicos e metodológicos. Petrópolis-RJ: Editora Vozes.

Costa, L M C et al. (2014). Contribuição do Projeto HOPE para a configuração da identidade profissional das primeiras enfermeiras alagoanas, 1973 a 1977. Revista Brasileira de Enfermagem, 67 (4), 535-542.

Costa, R. et al. (2020). Ensino de enfermagem em tempos de covid-19: como se reinventar nesse contexto? Texto & Contexto Enfermagem, 29 (e20200202), 1-3.

Dalfovo, M S; Lana, R A & Silveira, A (2008). Métodos quantitativos e qualitativos: um resgate teórico. Revista Interdisciplinar Científica Aplicada, 2 (4), 01-13.

Duarte, A P R S; Vasconcelos, M & Silva, SV (2016). A trajetória Curricular da Graduação em Enfermagem no Brasil. Revista Eletrônica de Investigação e Desenvolvimento, 1 (7), 49-63.

Humerez, D C et al. (2019). Normativas regulatórias dos cursos de enfermagem a distância: ações e reações do conselho federal de enfermagem. Enfermagem em Foco, 10 (2), 142-148.

Marinelli, N P et al. (2017). O significado da história de enfermagem para formação profissional. Revista de Enfermagem da UFPI, 6 (1), 61-64.

Oguisso, T & Campos, P F S (2013). Por que e para que estudar história da enfermagem? Enfermagem em Foco, 4 (1), 49-53.

Padilha, M I C S (2006). O ensino de história da enfermagem nos cursos de graduação de Santa Catarina. Trabalho, educação e saúde, 4 (2), 325-336.

Padilha, M I C S & Borenstein, MS (2006). História da Enfermagem: ensino, pesquisa e interdisciplinaridade. Escola Anna Nery Revista de Enfermagem, 10 (3), 532-538.

Queirós, P J P et al. (2017). Debates Parlamentares em Portugal de 1821 a 1910: identificação de fontes para a História da Enfermagem. Escola Anna Nery Revista de Enfermagem, 21 (1), 1-6.

Reis, T S et al. (org.). (2020). Reflexões sobre a história do tempo presente: uma história do vivido. In: Reis, TS et al. (org.). Coleção história do tempo presente. Boa Vista-RR: Editora da UFRR. 2020. p. 250. Vol. II.

Rojos, P T et al. (2011). Panorama da educação à distância em enfermagem no Brasil. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 45 (6), 1476-80.

Sanes, M S et al. (2020). Educação a distância, não! Produção de sentidos dos discursos de entidades representativas da enfermagem. Revista Brasileira de Enfermagem, 73 (5), 1-11.

Santos, E C et al. (2018). Identidad social y profesional de la enfermera en las publicaciones internacionales: disidencias y confluencias con la Enfermería brasileña. Temperamentvm - Revista Internacional de Historia y Pensamiento Enfermero, 14 (e12001), 1-6.

Sá-Silva, J R; Almeida, C D & Guindani, J F (2009). Pesquisa documental: pistas teóricas e metodológicas. Revista Brasileira de História & Ciências Sociais, 1 (1), 1-15.

Silva, L T C et al. (2016). Percepções de estudantes de enfermagem sobre educação à distância. Ciencia y Enfermería, 22 (2), 129-39, 2016.

Tavares, A P C et al. (2018). Análise das publicações nacionais sobre educação a distância em enfermagem: revisão integrativa. Revista Brasileira de Enfermagem, 71 (1), 214-222.

Teodosio, S S C S et al. (2016). A história oral e pesquisa documental como itinerário de pesquisa na enfermagem: um estudo bibliométrico (2000-2014). Escola Anna Nery, 20 (4), e20160087.

Velho M B; Oliveira M E & Santos E K (2010). Reflexões sobre a assistência de Enfermagem prestada à parturiente. Revista Brasileira de Enfermagem, 63 (4), 652-659.

Ximenes Neto, F R (2019). Educação em Enfermagem no Brasil: avanços e riscos. Enfermagem em Foco, 10 (6), 4-5.

Published

21/08/2022

How to Cite

SILVA, J. dos S. .; LIRA, M. J. S.; COSTA, L. de M. C.; GUIMARÃES , M. das N.; TORRES, B. V. dos S. .; ALMEIDA, L. A. de .; TELES , Ítalo C. F. .; SILVA, R. C. de M. . Teaching the History of Nursing in Nursing undergraduate courses in Alagoas . Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 11, p. e243111133407, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i11.33407. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/33407. Acesso em: 6 oct. 2022.

Issue

Section

Health Sciences