Educational technology: Guidance on self-care for elderly patients discharged from the medical clinic to their homes

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i11.33685

Keywords:

Educational technology; Self-Care; Aged; Hospital discharge.

Abstract

Objective: To develop an educational booklet for self-care guidance to elderly patients at discharge from the medical clinic to their homes. Method: This is an action research with a quanti-qualitative approach developed at the FSCMP in the medical clinic sector.  The study population was 84 elderly patients with self-care deficit, in the process of discharge to their homes.  For data collection, a semi-structured instrument was applied, including sociodemographic, economic and clinical data, hospitalization, self-care ability, perceptions about hospital discharge and difficulties in self-care. The interviews were processed according to Bardin's content analysis method. Quantitative variables were distributed in absolute and relative frequencies. Results: The sample predominated elderly male (66.67%), age range of 65 to 69 years (42.85%), family income of up to 01 minimum wage (53.57%), stable union (33.33%), education degree of elementary school (61.91%), brown (78.54%) and retired (41.67%). Most of them have a prolonged hospitalization time, 33.34% of them for more than 30 days, 77.38% are polypharmacists, and 46.43% have a significant dependence. The most evident diagnosis was digestive system disease (42.85%). As for the understanding of hospitalization and hospital discharge, the meanings that the subjects attributed were classified into three thematic categories: A-The importance of family/caregivers support; B-Family financial maintenance; C-General self-care referred. Conclusion: There is a need for further studies and construction of more types of products with educational technologies that seek to cover the largest possible amount of self-care guidance to post-hospital discharge elderly patients.

References

Araújo, B.N. et al. (2019). Automedicação e uso inadequado de medicamentos na terceira idade. Revista Saúde e Meio Ambiente – RESMA, 8(1), 21-35. https://periodicos.ufms.br/index.php/sameamb/article/view/6714

Bernardino, E. et al. (2021). Cuidados de transição: análise do conceito na gestão da alta hospitalar. Escola Anna Nery, 26(2). DOI: https://doi.org/10.1590/2177-9465-EAN-2020-0435

Bonelli, M.A. et al. (2015). Acidente vascular cerebral: importância do conhecimento para cuidadores após a alta hospitalar. Cuid Arte Enfermagem, 8(1), 16-23.

Bordin, D. et al. (2020). Auxílio à realização de atividades básicas de vida diária no pós-alta hospitalar de idosos. Ver SALUS- Revista Científica Internacional da Rede Académica das Ciências da Saúde da Lusofonia, 2(2), 38-44. https://revsalus.com/index.php/RevSALUS/article/view/59/46.

Brasil. (2014). Diretrizes para o cuidado das pessoas idosas no SUS: proposta de modelo de atenção integral. XXX Congresso Nacional de Secretarias Municipais de Saúde. https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/diretrizes_cuidado_pessoa_idosa_sus.pdf

Brasil. (2012). Ministério da Saúde. Caderno de Atenção Domiciliar, 1. https://aps.saude.gov.br/biblioteca/visualizar/MTIxOQ==

Brasil. (2018). Ministério da Saúde. Orientações técnicas para a implementação de Linha de Cuidado para Atenção Integral à Saúde da Pessoa Idosa no Sistema Único de Saúde – SUS.

Brasil. (2021). Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos. Fatos e números idosos e família no Brasil. https://www.gov.br/mdh/pt-br/navegue-por-temas/observatorio-nacional-da-familia/fatos-e-numeros/idosos-e-familia-no-brasil.pdf

Camacho, A.C.L.F. et al. (2013). Validação de cartilha informativa sobre idosos com demência: um estudo observacional-transversal. Revista de pesquisa cuidado é fundamental, 6(1), 8-16. https://www.redalyc.org/pdf/5057/505750621003.pdf.

Chayamiti, E. M. P. C. & Caliri, M.H.L. (2015). Úlcera por pressão em pacientes sob assistência domiciliária. Acta paulista de enfermagem, 23(1), 29-34. https://doi.org/10.1590/S0103-21002010000100005.

Costa, A.F. et al. (2020). Quality of life and burden of caregivers of elderly people. Texto & Contexto – Enfermagem, 29.

Costa, M.F. et al. (2020) Continuidade do cuidado da alta hospitalar para a atenção primária à saúde: a prática espanhola. Texto & Contexto-Enfermagem, 29.

Delatorre, P.G. et al. (2013). Planejamento para a alta hospitalar como estratégia de cuidado de enfermagem: revisão integrativa. Revista de enfermagem UFPE, 7(7), 151-9. https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaenfermagem/article/view/12387.

Ferreira, C.R., Isaac, L. & Ximenes, V.S. (2018). Cuidar de idosos: um assunto de mulher. Estudos Interdisciplinares em Psicologia, 9(1), 108-125. http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S223664072018000100007#:~:text=Pesquisadores%20apontam%20que%20a%20designa%C3%A7%C3%A3o,determinante%20na%20escolha%20do%20cuidador.

Ferreira, J.D.L. et al. (2016). Ações Preventivas para Úlcera por Pressão em Idosos com Declínio Funcional de Mobilidade Física no Âmbito Domiciliar. ESTIMA, 14(1), 36-42. https://www.revistaestima.com.br/index.php/estima/article/view/118.

Galvão, M.T.L.S. & Janeiro, J.M.S.V. (2013). O autocuidado em enfermagem: autogestão, automonitorização e gestão sintomática como conceitos relacionados. Revista Mineira de Enfermagem, 17(1), 225-230. http://www.reme.org.br/artigo/detalhes/593.

Gomes, N.C. et al. (2017). Necessidade de cuidados de enfermagem entre idosos hospitalizados. Revista enfermagem Atenção Saúde, 6(2), 65-76. https://doi.org/10.18554/reas.v6i2.2219.

Goulart, F.A.A. (2018). Ministério da Saúde. Doenças crônicas não transmissíveis: estratégias de controle e desafios e para os sistemas de saúde. Organização Pan-Americana da Saúde.

Heldler, H.C. et al. (2016). Representação social do cuidado e do cuidador familiar do idoso. Revista Katál, 19(1), 143-153. https://doi.org/10.1590/1414-49802016.00100015.

IBGE. (2019). Projeção da população do Brasil e das Unidades da Federação. https://www.ibge.gov.br/apps/populacao/projecao//index.html.

Libòrio, E.,L.,F., Fietz, V.R. & Watanabe, E.A.M.T. (2016). Vivências dos cuidadores em relação à terapia nutricional enteral domiciliar. Revista Labore Ensino de Ciência, 1,126-139. https://periodicos.ufms.br/index.php/labore/article/view/5493.

Lopes, V.J. et al. (2019). Participação do enfermeiro no planejamento de alta hospitalar. Revista de Enfermagem, 13(4), 114-250. https://doi.org/10.5205/1981-8963-v13i04a236850p1142-1150-2019

Moro, J.V. & Caliri, M.H.L. (2016). Úlcera por pressão após a alta hospitalar e o cuidado em domicílio. Escola Anna Nery, 20(3). https://doi.org/10.5935/1414-8145.20160058.

Nardi, E.F.R. et al. (2012). Dificuldades dos cuidadores familiares no cuidar de um idoso dependente no domicílio. Ciência, Cuidado e Saúde, 11(1), 98- 105. doi: 10.4025/cienccuidsaude.v11i1.18864.

Organização Mundial da Saúde. (2005). Envelhecimento ativo: uma política de saúde. Organização Pan-Americana da Saúde. https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/envelhecimento_ativo.pdf.

Oliveira, L.S. et al. (2017). Cuidados pós-alta em pacientes idosos com sequelas de acidente vascular cerebral: planejamento de alta hospitalar. Revista Saúde e Desenvolvimento, 11(9). https://www.revistasuninter.com/revistasaude/index.php/saudeDesenvolvimento/article/view/785.

Paiva, A. et al. (2015). A experiência vivenciada por pessoas que sobreviveram ao acidente vascular cerebral e seus cuidadores familiares. Investigação Qualitativa em Saúde, 1.

Parreira, A.A. (2018). Assistência de enfermagem para idosos em internação hospitalar. Trabalho de Conclusão de Curso em enfermagem – Uberlândia, Minas Gerais.

Pereira, J.S.P., Pinto, J.M.O. & Castro, D.A.G. (2020). Intervenções de enfermagem ao idoso hospitalizado com risco de queda. Revista Nursing, 23(265), 4205-4212. https://doi.org/10.36489/nursing.2020v23i265p4205-4220.

Pinheiro, S.J. et al. (2016). Concepções das práticas de educação em saúde no contexto da formação em Enfermagem. Rev RENE. 17(4), 545-52. DOI: 10.15253/2175-6783.2016000400015.

Reis, L.A. & Trad, L.A.B. (2015). Suporte familiar ao idoso com comprometimento da funcionalidade: a perspectiva da família. Revista Psicologia: Teoria e Prática, 17(3), 28-41. São Paulo.

Regis, G.C.C. (2012). Estresse de cuidadores de idosos: uma avaliação na atenção primária a saúde. Trabalho de Conclusão de Curso em Enfermagem- Mosoró, Rio Grande do Norte. http://www.sistemasfacenern.com.br/repositorio/admin/acervo/b0f6218572f2c458e3477b2c06a77d7f.pdf.

Rotilli, J. et al. (2017). O idoso dependente no contexto familiar após a alta do projeto cuidados continuado integrado. Atas - Investigação Qualitativa em Saúde, 2. https://proceedings.ciaiq.org/index.php/ciaiq2017/article/view/1470/1427.

Sanguino, G.Z. et al. (2018). O trabalho de enfermagem no cuidado ao idoso hospitalizado: limites e particularidades. Portal Regional da BVS, 10(1), 160-166. https://pesquisa.bvsalud.org/portal/resource/pt/biblio-908431.

Santos, G. & Sousa, L. (2013). Qualidade de vida em pessoas idosas hospitalizadas: comparação da admissão com a alta do internamento. Revista Kairós Gerontologia, 16(2), 7-25. https://doi.org/10.23925/2176-901X.2013v16i1p7-25.

Santos, J.D.R. et al. (2021). Educational technology to guide self-care for elderly patients at hospital discharge to the home: An integrative review. International Journal of Advanced Engineering Research and Science, 9(2). https://dx.doi.org/10.22161/ijaers.92.26.

Santos, T.L., Laprano, M.G.G. & Conceição, A.P. (2020). Orientações de alta hospitalar para o desempenho do autocuidado após a cirurgia cardíaca. Revista Baiana de Enfermagem, 34(4). ‎ https://doi.org/10.18471/rbe.v34.35284.

Silva, R.C.A., Monteiro, G.L. & Santos A.G. (2015). O enfermeiro na educação de cuidadores de pacientes com sequelas de acidente vascular cerebral. Revista de Atenção à Saúde, 13(45), 114-120. https://doi.org/10.13037/ras.vol13n45.3114.

Silva, R.A.E. (2019). Gestão do cuidado pelo cuidador familiar na atenção domiciliar ao idoso após a alta hospitalar. Dissertação de Mestrado em Enfermagem. Universidade Federal de Juiz de Fora – Minas Gerais. https://repositorio.ufjf.br/jspui/handle/ufjf/10664.

Soares, C.R. & Dias, J.S. (2017). A interdependência dos cuidados de enfermagem e familiar à pessoa idosa hospitalizada no hospital João Morais. Trabalho de conclusão de curso em enfermagem. Mindello.

Souza, I.C.P. et al.. (2014). Perfil de pacientes dependentes hospitalizados e cuidadores familiares: conhecimento e preparo para as práticas do cuidado domiciliar. Revista Mineira de Enfermagem, 18(1), 164-172. http://www.dx.doi.org/10.5935/1415-2762.20140013.

Storti. L.B. (2013). Fragilidade de idosos internados na clínica médica da unidade de emergência de um hospital geral terciário. Texto Contexto - Enferm, 22(2), 452-9. https://doi.org/10.1590/S0104-07072013000200022.

Torres, H.C. et al. (2009). O processo de elaboração de cartilhas para orientação do autocuidado no programa educativo em Diabetes. Revista Brasileira de Enfermagem, 62(2), 312-6. https://doi.org/10.1590/S0034-71672009000200023.

Thiollent, M. (2018). Metodologia da pesquisa-ação, 18. São Paulo: Cortez.

Utzumi, F.C. et al. (2018). Continuidade do cuidado e o interacionismo simbólico: um entendimento possível. Texto Contexto - Enferm, 27(2). https://doi.org/10.1590/0104-070720180004250016.

Vasconcelos, M., Grillo, M.J.C. & Soares, S.M. (2018). Práticas educativas e tecnologias em saúde. Núcleo de Educação em Saúde Coletiva.

Veras, R.P. (2019). Guia dos Instrumentos de Avaliação Geriátrica. Universidade Aberta da Terceira Idade. https://www.unatiuerj.com.br/Guia%20dos%20instrumentos%20Avaliacao%20Geriatrica.pdf.

Weber, L.A.F., Lima, M.A.D.S. & Acosta, A, M. (2019). Qualidade da transição do cuidado e sua associação com a readmissão hospitalar. Aquichan, 19(4), 01-11. https://doi.org/10.5294/aqui.2019.19.4.5.

Published

21/08/2022

How to Cite

SANTOS, J. D. R. dos .; SANTOS, V. R. C. dos .; MENDONÇA, X. M. F. D. .; FERREIRA, I. P. .; ALBUQUERQUE, J. V. de .; SIQUEIRA, B. C. N. .; COELHO, V. F. V. .; GONÇALVES, B. L. L. .; SOUZA, C. F. L. .; TRINDADE, C. B. dos S. . Educational technology: Guidance on self-care for elderly patients discharged from the medical clinic to their homes. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 11, p. e233111133685, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i11.33685. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/33685. Acesso em: 3 oct. 2022.

Issue

Section

Health Sciences