The prevalence of depressive and anxious frameworks in the LGBTQIA+ population: a comparative study

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i15.37056

Keywords:

Predominio; Depresión; Ansiedad; Psicosocial; LGBTQIA .

Abstract

Depression and anxiety are two psychiatric conditions that can affect the life quality of patients in different ways, impairing from performance in daily activities to the quality of interpersonal relationships. It is known that there are three main factors involved in the development of these conditions, which are the psychosocial, neurobiological and genetic determinants. In this regard, the present project was carried out with the objective of analyzing whether, specifically regarding the psychosocial component, members of the LGBTQIA+ community are exposed to experiences that may increase the prevalence of depressive and/or anxious conditions compared to cis- heterosexuals. The research has an observational and transversal character, constituting an inquiry study. For a better understanding of this issue, questionnaires were applied to 88 individuals, 55 of whom were cis-heterosexuals and 33 LGBTQIA+, using the Beck Anxiety Inventory (BAI) and the Beck Depression Inventory (BDI) as a basis, in addition to questions prepared by the authors. The work showed that LGBTQIA+ are subject to particular forms of discrimination and consequent psychological suffering, in addition to having a higher prevalence of possible cases of both diseases. After this, it was noticed that, despite the advances made by this minority, the intolerant view of society towards these people still contributes to a harmful reality to their mental health.

References

Albuquerque, G. A., Parente, J. S., & Santos, F. T. (Outubro/Dezembro de 2017). Saúde, violência como violação dos direitos humanos de minorias sexuais: impactos na saúde. Revista saúde.com, 13(4), 1034-1043. doi:doi.org/10.22481/rsc.v13i4.475

Andrade, L., Walters, E. E., Gentil, V., & Laurenti, R. (Fevereiro de 2014). Prevalence of ICD-10 mental disorders in a catchment area in the city of São Paulo, Brazil. Social Psychiatry and Psychiatric Epidemiology, 37, 316-325. doi:doi.org/10.1007/s00127-002-0551-x

Andreasen, N. C., & Black, D. W. (2009). Introdução à Psiquiatria. Porto Alegre: Artmed.

Bortoletto, G. E. (2019). LGBTQIA+: identidade e alteridade na comunidade. Trabalho de Conclusão de Curso, Universidade de São Paulo, São Paulo. Fonte: https://paineira.usp.br/celacc/sites/default/files/media/tcc/guilherme_engelman_bortoletto.pdf

Campos, M. d., & Queiroz, M. C. (14 de Janeiro de 2021). Difamação e pânico como estratégia discursiva: análise do discurso conservador sobre os direitos da comunidade LGBTQIA+. Simpósio Gênero e Polí¬ticas Públicas, pp. 1848-1876. doi:doi.org/10.5433/SGPP.2020v6.p1848

Cunha, J. A. (2001). Escalas Beck - Manual. São Paulo: Personal Clinical.

Francisco, L. C., Barros, A. C., Pacheco, M. d., Nardi, A. E., & Alves, V. d. (Janeiro-Março de 2020). Ansiedade em minorias sexuais e de gênero: uma revisão integrativa. Jornal Brasileiro de Psiquiatria, 69(1), 48-56. doi:doi.org/10.1590/0047-2085000000255

Gusmão, R., Xavier, M., Heitor, M. J., Bento, A., & Almeida, J. C. (Março de 2005). O peso das perturbações depressivas: Aspectos epidemiológicos globais e necessidades de informação em Portugal. Acta Médica Portuguesa, 18, 129-146. Fonte: https://run.unl.pt/handle/10362/21811

Lafer, B., & Filho, H. P. (Maio de 1999). Genética e fisiopatologia dos transtornos depressivos. Brazilian Journal of Psychiatry, 21(Suppl 1), 13-17. doi:doi.org/10.1590/S1516-44461999000500004

Maluf, T. P. (2002). Avaliação de Sintomas de Depressão e Ansiedade em uma Amostra de Familiares de Usuários de Drogas que Frequentaram grupos de Orientação Familiar em um Serviço Assistencial para Dependentes Químicos. Tese de Mestrado, Universidade Federal de Sao Paulos, São Paulo. Fonte: https://cetadobserva.ufba.br/sites/cetadobserva.ufba.br/files/318.pdf

Mangolini, V. I., Andrade, L. H., & Wang, Y.-P. (Novembro-Dezembro de 2019). Epidemiologia dos transtornos de ansiedade em regiões do Brasil. Revista de Medicina, 98(6), 415-422. doi:doi.org/10.11606/issn.1679-9836.v98i6p415-422

Mongiovi, V. G., Araújo, E. C., & Ramos, V. P. (Junho de 2018). Implicações da homofobia sobre a saúde do adolescente. Revista de Enfermagem UFPE On Line, 12(6), 1772-1780. Fonte: https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaenfermagem/article/view/236408/29229

Muller, J. d., Trentini, C. M., Zanini, A. M., & Lopes, F. M. (Janeiro-Junho de 2015). Transtorno de Ansiedade Social: um estudo de caso. Contextos Clínicos, 8(1), 67-78. doi:doi.org/https://doi.org/10.4013/ctc.2015.81.07

Nunes, C. C. (2019). Correlatos de ansiedade, depressão e suicidalidade nas minorias sexuais. Dissertação de Mestrado, Universidade de Lisboa, Lisboa. Fonte: https://repositorio.ul.pt/handle/10451/39724

Oliveira, E. T., & Vedana, K. G. (Agosto de 2020). Suicídio e depressão na população LGBT: postagens publicadas em blogs pessoais. Revista Eletrônica Saúde Mental Álcool e Drogas, 16(4), 32-38. doi:doi.org/10.11606/issn.1806-6976.smad.2020.168145

Peron, A. P., Neves, G. Y., Brandão, M., & Vicentini, V. E. (Janeiro-Abril de 2004). Aspectos Biológicos e Sociais da Depressão. Arquivos de Ciências da Saúde da UNIPAR, 8(1), 45-48. Fonte: https://revistas.unipar.br/index.php/saude/article/viewFile/240/213

Ribeiro, D. (2017). O que é: lugar de fala? Belo Horizonte: Letramento.

Rosa, E. B. (Agosto de 2020). Cisheteronormatividade como instituição total. Cadernos Pet de Fisologia, 18(2), 59-103. Fonte: https://revistas.ufpr.br/petfilo/article/view/68171/41349

Rosa, L. C. (2017). A LGBTfobia como Fenômeno Cultural e seus Impactos Psíquicos. Trabalho de Conclusão de Curso, Centro Universitário de Brasília, Brasilia. Fonte: https://core.ac.uk/download/pdf/185257327.pdf

Schulman, S. (Novembro de 2012). Homofobia familiar: uma experiência em busca de reconhecimento. Bagoas - estudos gays: gênero e sexualidades, 4(5), 69-78. Fonte: https://periodicos.ufrn.br/bagoas/article/view/2312

Silva, B. L., Melo, D. S., & Mello, R. (Outubro de 2019). A sintomatologia depressiva entre lésbicas, gays, bissexuais e transexuais: um olhar para a saúde mental. Revista Enfermagem UERJ, 27, 1-8. Fonte: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/enfermagemuerj/rt/captureCite/41942/0

Stahl, S. M. (2019). Stahl's Essential Psychopharmacology: Neuroscientific Basis and Practical Applications. Cambridge: Cambridge University Press.

Tagliamento, G., Silva, S. S., Silva, D. B., Marques, G. d., Hasson, R., & Santos, G. E. (Janeiro de 2021). Minha dor vem de você: uma análise das consequências da LGBTfobia na saúde mental de pessoas LGBTs. Cadernos de Gênero e Diversidade, 6(3), 77-112. doi:doi.org/10.9771/cgd.v6i3.34558

Published

19/11/2022

How to Cite

FERREIRA, G. M. .; OLIVEIRA, H. R. .; MOREIRA, T. V. F. .; SANTOS, R. A. A. dos . The prevalence of depressive and anxious frameworks in the LGBTQIA+ population: a comparative study. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 15, p. e345111537056, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i15.37056. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/37056. Acesso em: 31 jan. 2023.

Issue

Section

Health Sciences