Prevalence of Depression and associated factors in university students oh the Physical Education course practitioners and non-practitioners of the physical exercise in a capital of the Northeast

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i15.37395

Keywords:

Depression; Physical Education; Students; Exercise.

Abstract

University students experience experiences of academic life which involves demands of society, among them adapting to the pressures and changes of daily life, in addition to tests and work, load of studies and technological changes in the way of studying, all this can favor the development of depression. The study aimed to compare the prevalence of depression and associated factors in university students of the physical education course practicing and not practicing physical exercise. This is a study with descriptive quantitative analysis. The sample consisted of 200 students, 100 female and 100 male, all university students from HEI. The instrument used in the research was the Beck Depression Inventory (BDI). For data analysis, the Microsoft Office Excel Software was used. The results showed that depression levels were classified as at least (53.0%), followed respectively by mild and moderate (22.0%) and (25.0%). Men are minimally more depressed (61.0%) compared to women (44.0%), while women are more modernly more depressive (29.0%), but the prevalence of severe depression was higher in males (6.0%). Regarding the levels of depression of practicing and non-practicing university students, no association with depression was identified (p = 0.163). It is concluded that physical exercises may be correlated with the release of hormones, play an important role in mood and mental health, showing to be very effective mainly in mild and moderate cases of depression.

References

Aníbal, C., & Romano, L. H. (2017). Relações entre atividade física e depressão. Revista Saúde em Foco, (9)1, 190-199.

Arcos, J. G., Consentino, J. V. M., & Reia, T. A. (2014). Aplicação da musculação em pessoas com ansiedade, depressão e síndrome do pânico. 43f. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Educação Física) - Centro Universitário Católico Salesiano. Lins – SP.

Baia, M. R., Matos Fernandes, F., Branco, C., & Alves Silva, R. (2020). Sintomas depressivos em estudantes de uma universidade no extremo norte da Amazônia Brasileira. 44(1), 250-260. https://doi.org/ 10.15343/0104-7809.202044250260.

Barros, M. B. A., et al. (2020). Relato de tristeza/depressão, nervosismo/ansiedade e problemas de sono na população adulta brasileira durante a pandemia de COVID-19. Epidemiologia Serviço e Saúde, 29(4), 3-24.https://doi.org/10.1590.

Bastos, A. V. B., et al. (2008). Conceito e perspectivas de estudo das organizações. Psicologia, Organizações e Trabalho no Brasil. Porto Alegre: Artmed.

Cunha, J. A. (2001). Manual da versão em português das Escalas Beck. SãoPaulo: Casa do Psicólogo; 171 p

Claudino, J., & Cordeiro, R. (2016). Níveis de ansiedade e depressão nos alunos do curso de licenciatura em enfermagem. O caso particular dos alunos da escola superior de saúde de Porto Alegre. Millenium - JournalofEducation, Technologies, and Health, (32), 197–210.

Cardoso, Y. S., et al. (2021). Levantamento de sintomas depressivos e ansiosos entre estudantes de medicina de uma universidade brasileira. Revista de Medicina, 100(3), 204-11. https://doi.org/ 10.11606

Ebert, D. D., et al. (2019). Prediction of major depressive disorder onset in college studentsdepression and anxiety. DepressAnxiety, 6(4), 294-34. https://doi.org/10.1002/da.22867

Fernandes, M. A., et al. (2018). Prevalência de sintomas ansiosos e depressivos em universitários de uma instituição pública. Revista Brasileira de Enfermagem, 71(5), 2169-75a. http://doi.org/10.1590/0034-7167-2017-0752

Fonseca, J. J. S. (2002). Metodologia da pesquisa científica. Fortaleza: UEC. https://blogdageografia.com/wp-content/uploads/2021/01/apostila_-_metodologia_da_pesquisa1.pdf.

Krefer, L., &Vayego, S. A. (2019). Prevalência de sintomas depressivos em estudantes universitários. Cadernos Brasileiros de Saúde Mental, 11(28), 170-181. https://doi.org/ 10.5007/cbsm.v11i28.68838

Lelis, K. C., et al. (2020). Sintomas de depressão, ansiedade e uso de medicamentos emuniversitários. Revista Portuguesa de Enfermagem de Saúde Mental, 23(1), 09-14. https://doi.org/10.19131/rpesm.0267

Leão, A. M., Gomes, I. P., Ferreira, M. J. M., & Cavalcanti, L. P. D. G. (2018). Prevalência e fatores associados à depressão e ansiedade entre estudantes universitários da área da saúde de um grande centro urbano do Nordeste do Brasil. Revista brasileira de educação médica, 42(4), 55-65. http://dx.doi.org/10.1590/1981-52712015v42n4RB20180092.

Moterle, N., et al. (2018). Fatores associados à depressão em acadêmicos de Medicina. Anais de Medicina, 1, 103–06.

Oliveira, V. I. M. (2018). Depressão e atividade física. http://www.listasconfef.org.br/comunicacao/banco_de_ideias/VivianeOliveira.pdf.

Quintino, P. L., Silva, D. A. S., & Petrosk, E. L.(2014). Estágios de mudança de comportamento para atividade física em universitários e fatores sociodemográficos associados. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, 28(2), 305-314. https://doi.org/10.1590/1807-55092014000200305

Maximiano, V. S. (2020). Nível de atividade física, depressão e ansiedade de estudantes de graduação em educação física. Motricidade,16(1)104-112. https://doi.org/10.6063/motricidade.22313

Mourão, A. B., Gama, D. T., & Levandosk, G. (2019). Análise dos fatores motivacionais dos estudantes universitários que aderem um programa de exercício físico. Revista Conexão UEPG, 15(3), 346-351. https://doi.org/10.5212/Rev.Conexao.v.15.i3.0016

Peleias, M. D. D. A. (2018). A atividade física e a qualidade vida do estudante de medicina no Brasil (Tese de doutorado). Universidade de São Paulo, São Paulo.

Pereira, T. D. P. (2021). Nível de ansiedade e depressão em estudantes universitários fisicamente ativos e sedentários. Revista Científica UNIFAGOC, 6(2), 34-42. ISSN: 2525-488X

Sakae, T. M., Padão, D. L., & Jornada, L. K. (2010). Sintomas depressivos em estudantes da área da saúde em uma Universidade no sul de Santa Catarina – UNISUL. Revista da AMRIGS. 54(1), 38-43.

Santiago, J. O. (2017). Os benefícios do exercício físico no controle e prevenção da depressão e ansiedade. 29p. Trabalho de conclusão de curso (Licenciatura em Educação Física da Faculdade de Educação e Meio Ambiente) - Faculdade de Educação e

Meio Ambiente – FAEMA, Ariquemes, RO.

Serinolli, M. I., & El-Mafarjeh, E. (2015). Impacto da prática de atividade física na qualidade de vida dos acadêmicos de Medicina da Universidade Nove de Julho (Uninove). ConScientiae Saúde, 14(4), 627-633. https://doi.org/10.5585/conssaude.v14n4.5958

Silva, J. G. A. R., & Romarco, E. K. S. Análise dos níveis de ansiedade, estresse e depressão em universitários da Universidade Federal de Viçosa (UFV). 2021. Instrumento: Rev. Est. e Pesq. em Educação, 23(1), 134-150. https://doi.org 10.34019/1984-5499.2021.v23.30912

Silveira, G. E. L. (2022). Sintomas de ansiedade e depressão no ambiente acadêmico: um estudo transversal. Acta Paul Enferm, 35, 00976. https://doi.org/10.37689/acta-ape/2022AO009766

Santos, R. B., Feitosa, G. V. S., & Sousa-Carvalho, L. R. M. (2021). Perfil dos transtornos de ansiedade e fatores associados em universitários de um centro universitário de Teresina, Piauí. Pesquisa, Sociedade e Desenvolvimento, 10(6), 1-9. e14910615420. https://doi.org/10.33448/rsd-v10i6.15420

Trivinõs, A. N. S. (1987). Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. Atlas.

Who. Depression and other common mental disordes: Global Health Estimates. (2017). World Health Organization ed. Geneva.

Published

21/11/2022

How to Cite

OLIVEIRA, M. da S. .; SILVA, M. E. do N. .; CARVALHO, L. R. de M. S. . Prevalence of Depression and associated factors in university students oh the Physical Education course practitioners and non-practitioners of the physical exercise in a capital of the Northeast . Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 15, p. e412111537395, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i15.37395. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/37395. Acesso em: 31 jan. 2023.

Issue

Section

Health Sciences