People management in micro and small companies

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i15.37792

Keywords:

People management; Economy; Globalization.

Abstract

Micro and small companies are increasingly present in the world economy and thus are assuming a significant role in the market, especially in the national context. Thus, for the growth of these companies to stand out against competitors, ensuring productivity and quality of services offered to end customers, it is essential that people management be the great guide in the development of the organization, thus ensuring its stability. Given the above, the main objective of this study is to describe the importance of People Management promoted by it, in organizational success. From this context, the Personal Department sector becomes more valued, since the importance of human capital to face the globalized market is observed. Considering this perception, this study aims to research what are the difficulties in micro and small companies in relation to people management, and what obstacles are experienced. For a better understanding of this theme, a qualitative bibliographic review was carried out, based on books, scientific articles and websites focused on the air. It is verified that with people development programs in organizations, the small company better understands the training needs of its employees and seeks training, becoming increasingly competitive.

Author Biographies

Rudysonn Alves dos Santos, Instituto Educacional Santa Catarina/ Faculdade Guaraí

Discente do curso de Administração no Instituto Educacional Santa Catarina/ Faculdade Guaraí (IESC/FAG)

Geovany Fernandes de Oliveira, Instituto Educacional Santa Catarina/ Faculdade Guaraí

Discente do curso de Administração no Instituto Educacional Santa Catarina/ Faculdade Guaraí (IESC/FAG)

Heliel Eustáquio da Silveira, Instituto Educacional Santa Catarina/ Faculdade Guaraí

Especialista em Contabilidade Gerencial, Tributária e Auditoria, docente no Instituto Educacional Santa Catarina/ Faculdade Guaraí (IESC/FAG)

References

Batista, T. da S. A. (2018). O papel da cultura e do clima organizacional na gestão do conhecimento: o caso de uma organização intensiva do conhecimento. Tese de Doutorado. ISCAP - DM - Assessoria de Administração.

Brito, D. K. G.; & Santos, N. C. dos. (2021). Fatores motivacionais: elementos que estimulam a produtividade do colaborador.

Brandão, H. P.; Guimarães, T. A. (2001). Gestão de competências e gestão de desempenho: tecnologias distintas ou instrumentos de um mesmo constructo? Revista de Administração de Empresas, 41(1), 8-15.

Bruno-Faria, M. F.; Brandão, H. P. (2003). Gestão de competências: identificação de competências relevantes a profissionais da área de T&D de uma organização pública do DF. Revista de Administração Contemporânea, 7(3),. 35-56.

Carbone, P. P.; Brandão, H. P. & Leite, J. B. D. (2005). Gestão por competências e gestão do conhecimento. Rio de Janeiro: FGV.

Cabral, R., et al. (2019). Comunicação orientada para cultura de paz nas organizações: uma proposta de análise da comunicação organizacional digital de três empresas do Pacto Global no Brasil. Revista Internacional de Relaciones Públicas, 10(19), 179-200.

Chiavenato, I. (2020). Gestão de pessoas – O Novo Papel da Gestão do Talento Humano – (5ª Ed.)

Chiavenato, I. (2010). Gestão de pessoas: o novo papel dos recursos humanos nas organizações.( 3. ed.) Elsevier.

Chiavenato, I. (2005). Gerenciando com as pessoas: transformando o executivo em um excelente gestor de pessoas. Elsevier.

Dalmau, M. B. L. & Tosta, K. C. B. T. (2009). Estratégia de gestão de pessoas. Curitiba: IESDE Brasil.

De Farias Dantas, I. ( 2019). A Motivação e a Inversão da Pirâmide de Maslow. Revista Gestão & Sustentabilidade, 1(1),. 173-186.

De Magalhães, M. N., et al. (2021). Análise de conformidade de softwares de gestão. Latin American Journal of Business Management, v12(1).

De Oliveira, H. C. & Zuza, M. S. P. (2021). O endomarketing como ferramenta de comunicação e integração nas organizações. Revista GeTeC, 10(31), 2021.

Do Nascimento, R. G. & Molina, M. A. R. I. (2020). Ferramentas de endomarketing para a melhoria do clima organizacional. Facit Business and Technology Journal, v. 1, n. 12.

Dos Santos, P. F. (2018). A importância da liderança na mudança da cultura organizacional. 2018. Tese de Doutorado. Universidade Candido Mendes.

Delgado, M. G. (2004). Curso de direito do trabalho. (3. ed.) LTr

Demo, G. (2005). Política de gestão de pessoas nas organizações: papel dos valores pessoais e da justiça organizacional. Atlas, 2005.

Dutra, J. de S. (2012). Gestão de Pessoas: modelo, processos, tendências e perspectivas. (1. ed. 10. reimpr.). Atlas, 2012.

Dutra, J. de S. (Org.) (2001). Gestão por competências: um modelo avançado para o gerenciamento de pessoas. São Paulo: Editora Gente, 2001.

Fajoses, M. P. R. (2003). A Motivação Como Diferencial do Comportamento do Indivíduo no Serviço Público. Coleção Estudos da Cidade. Rio de Janeiro, set/2003.

Fernandes, B. H. R. & Fleury, M. T. (2007). Modelos de gestão por competência: evolução e teste de um sistema. Análise - Revista de Administração da PUCRS, Porto Alegre, 18(2), 103-122.

Fleury, A. C. C.; & Fleury, M. T. (2004). Estratégias empresariais e formação de competências. (3ed.). Atlas, 2004.

Gimenez, A. B. (2020). Estratégias de aprendizagem no trabalho: Uma prática exigida pela atualidade. Gestão e Sociedade, 14(37), 3306-3337.

Gramigna, M. R. M. (2002). Modelo de competência e gestão dos talentos. São Paulo: Pearson Education, 2002.

Girardi, D.; Tosta, K. C. B. T. & Pacheco, A. S. V. (2009). A gestão de pessoas e a gestão por competências. In: Girardi, D.; Tosta, K. C. B. T. & Pacheco, A. S. V. (org.). Gestão de Recursos Humanos: Teoria e Casos Práticos. Florianópolis: Pandion, 2009. v.2, pág. 25-43.

Jacobsen, A. L. (2006). Áreas de atuação da Administração. In: Jacobsen, A. L.; Cruz Júnior, J. B.; Moretto Neto, L. (Orgs.). Administração: introdução e teorias. Florianópolis: SEaD/UFSC, 2006.

Lana, M. S. & Ferreira, V. C. P. (2007). Gestão por competências: impactos na gestão de pessoas. Estação Científica Online, Juiz de Fora, n. 04, 2007. Disponível em: <http://portal.estacio.br/media/3327523/2-gestao-competencias-impactosgestao-pessoas.pdf>. Acesso em: 17/10/2022.

Leme, R. (2005). Aplicação prática de gestão de pessoas: mapeamento, treinamento, seleção, avaliação e mensuração de resultados de treinamento. Rio de Janeiro: Qualitymark.

Leme, R. (2008). Aplicação prática de gestão de pessoas: mapeamento, treinamento, seleção, avaliação e mensuração de resultados de treinamento. Rio de Janeiro: Qualitymark.

Lima, M. A. M.; Rocha, B. P. L. (2012). Avaliação de programas de gestão por competências: um estudo em organizações da Região Metropolitana de Fortaleza – CE. Organizações em Contexto, 8(16), 167- 194.

Marras, Jean Pierre. (2011). Administração de recursos humanos: do operacional ao estratégico. (14. ed.). Saraiva, 2011.

Milkovich, G.; Boudreau, J. W. (2000). Administração de recursos humanos. São Paulo: Atlas, 2000.

Machado, M. M., et al. (2020). Análise da influência das capacidades dinâmicas de inovação no desempenho organizacional em organizações de manufatura de médio e grande porte em uma região sul do brasil. Estudos Estratégicos, p. 106.

Mussi, R. F. de F. et al. (2019). Pesquisa Quantitativa e/ou Qualitativa: distanciamentos, aproximações e possibilidades. Revista Sustinere, 7(2), 414-430. <https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/sustinere/article/view/41193/32038>

Nassar, P. & Parente, C. (2020). Lobby e Comunicação: A integração da narrativa como via de transformação. Aberje Editorial, 2020.

Neves, P. M. C. & Cerdeira, J. P. (2018). Memória organizacional, gestão do conhecimento e comportamentos de cidadania organizacional. Perspectivas em gestão & conhecimento, 8(1), 3-19, 2018.

Pereira, M. C. B. (2020). RH Essencial- (2ª Ed). Saraiva Educação SA, 2020.

Polito, R. E. & Polito, R. (2021). Os Segredos da Boa Comunicação no Mundo Corporativo- 2021. Saraiva Educação SA, 2021.

Paschoal, L. (2001). Administração de cargos e salários: manual prático e novas metodologias. (2. ed.). Qualitymark.

Pontes, B. R. (1995). A competitividade e a remuneração flexível. São Paulo: LTR, 1995.

Pontes, B. R. (2000). Administração de salários. 8º edição verificada e ampliada. São Paulo, LTr, 2000.

Pontes, B. R. (2011). Administração de cargos e salários: carreiras e remuneração.(15. ed.). Ltr, 2011.

Rocha, A. L. (2021). Clima organizacional e sua a influência na motivação. 2021.

Santos, A. J. dos. (2020). O Sistema colaborativo como dispositivo gerador de empregabilidade. 2020.

Souza, A. P. C. de, et al. (2019). Departamento de recursos humanos: uma análise bibliográfica de sua evolução histórica nas pequenas empresas. 2019.

SEBRAE (2017). Instrumento de Apoio Gerencial, nº 116. Como organizar a empresa dividindo responsabilidades. Organização da empresa/ divisão de papéis/ alocação de responsabilidades, 2017. <https://bibliotecas.sebrae.com.br/chronus/ARQUIVOS_CHRONUS/bds/bds.nsf/DA29C37BCFD07B7C8325758B00685DE2/$File/NT0003FFCA.pdf>.

Silva, A. C.; Munhoz, F. M.; Oliveira, L. M. B.; Silva, W. R. C.; Woehl, S.; Catapan, A.; Martins, P.F. (2014). A gestão por competência na busca de uma organização eficaz: estudo de caso em uma universidade brasileira. Revista Globalización, Competitividad y Gobernabilidad, 8(2), 102- 120.

Sussekindi, A. (2014). Curso de Direito Constitucional do Trabalho. São Paulo: Renovar, 2010.

Vieira, D. M. de F. (2021). A comunicação interna como promotora de uma cultura organizacional e participativa. 2021. Tese de Doutorado. BUM - Dissertações de Mestrado

Published

22/11/2022

How to Cite

SANTOS, R. A. dos; OLIVEIRA, G. F. de; SILVEIRA, H. E. da . People management in micro and small companies . Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 15, p. e556111537792, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i15.37792. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/37792. Acesso em: 31 jan. 2023.

Issue

Section

Exact and Earth Sciences