Sexual life and sexually transmitted infections after the age of 60: an integrative review

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v12i1.39756

Keywords:

Sexual life; Aged; Sexually transmitted infections.

Abstract

The human being goes through several changes that include the aspects of the phases of life, senescence is seen as the last phase to be experienced. In this scenario, about sexuality related to aging, it is evident the occurrence of myths and stereotypes that can compromise the safety of sexual practice in this age group. The aim was to know the perception of the elderly in relation to sexual life in old age and sexually transmitted infections. This is an integrative literature review, in the databases: SciELO, LILACS, BDENF and MEDLINE, using Boolean operators in conjunction with the descriptors of health (DeSC) in the following combinations: "Sexual life" AND "Elderly" AND "Sexually Transmitted Infections", in English and Portuguese languages, which sought articles published between 2016 and 2022. The sample was made up of 10 articles. Through the results, it was possible to highlight that the studied population showed a high percentage of active maintenance of sexual practice, low adherence to condom use in a context in which they have more than one partner, followed by the feeling of not considering themselves vulnerable to STIs. Thus, it was concluded that the elderly are exposed by the little perception that sexual life in old age, although it is no longer related to reproductive life, makes them more susceptible to STIs by not using barrier methods. In this scenario, it is necessary to clarify the doubts that contribute to the deconstruction of myths and prejudices that surround this public so that the practices of sexual activity do not generate greater risks for this population.

References

Alvez, V. C. M. (2019). Senescência ou senilidade uma questão de saúde. Portal Educação. https://bit.ly/2DiGMQT.

Aguiar, R. B., Leal, M. C. C., & Marques, A. P. D. O. (2020). Conhecimento e atitudes sobre sexualidade em pessoas idosas com HIV. Ciência & Saúde Coletiva, 25, 2051-2062.

Alencar, R. A., & Ciosak, S. I. (2016). Aids em idosos: motivos que levam ao diagnóstico tardio. Revista Brasileira de Enfermagem, 69, 1140-1146.

Andrade, J., Ayres, J. A., Alencar, R. A., Duarte, M. T. C., & Parada, C. M. G. D. L. (2017). Vulnerabilidade de idosos a infecções sexualmente transmissíveis. Acta Paulista de Enfermagem, 30, 8-15.

Bezerra, V. P., Serra, M. A. P., Cabral, I. P. P., Moreira, M. A. S. P., Almeida, S. A. D. & Patrício, A. C. F. D. A. (2015). Prácticas preventivas de los ancianos y la vulnerabilidad al VIH. Revista Gaúcha de Enfermagem, 36, 70-6.

Botelho, L. L. R., Cunha, C. C. D. A., & Macedo, M. (2011). O método da revisão integrativa nos estudos organizacionais. Gestão e sociedade, 5(11), 121-136.

Brasil. (2018). Boletim Epidemiológico AIDS-DST 2018 -2018. Ministério da Saúde (MS). Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de DST, AIDS e Hepatites Virais.

Bretanha, A. F., Facchini, L. A., Nunes, B. P., Munhoz, T. N., Tomasi, E., & Thumé, E. (2015). Sintomas depressivos em idosos residentes em áreas de abrangência das Unidades Básicas de Saúde da zona urbana de Bagé, RS. Revista Brasileira de Epidemiologia, 18, 1-12.

da Silva, E. M. M., da Silva Filho, C. E., Fajardo, R. S., Fernandes, A. Ú. R., & Marchiori, A. V. (2005). Mudanças fisiológicas e psicológicas na velhice relevantes no tratamento odontológico. Revista Ciência em extensão, 2(1), 62-74.

de Jesus, D. S., de Paula Fernandes, F., Coelho, A. C. L., Simões, N. L., Campos, P. R. C., Ribeiro, V. C., ... & Queiroz, B. C. S. (2016). Nível de conhecimento sobre DST’S e a influência da sexualidade na vida integral da mulher idosa. Revista Em Foco-Fundação Esperança/IESPES, 1(25), 33-45.

dos Santos Oliveira, N., & Juskevicius, L. F. (2020). O aumento da sífilis adquirida no idoso. UNILUS Ensino e Pesquisa, 16(45), 161-170

dos Santos, F. M. G., Monteiro, I. O. P. M., Carvalho, K. M., dos Santos, R. S. P., Martins, T. P. M., & Lobo, M. R. G. L. (2020). Idoso e hiv: um desafio para o enfermeiro nas estratégias de prevenção. BIUS-Boletim Informativo Unimotrisaúde em Sociogerontologia, 15(9), 1-10.

Makus, G. A., & Almeida, D. M. (2022). Conhecimento dos idosos sobre as infecções sexualmente transmissíveis na estratégia de saúde da família num município do Paraná-Brasil Knowledge of elderly people about sexually transmitted infections in the family health strategy in a municipality of Parana-Brazil. Brazilian Journal of Health Review, 5(2), 5280-5292.

Mallmann, D. G., Galindo Neto, N. M., Sousa, J. D. C., & Vasconcelos, E. M. R. D. (2015). Educação em saúde como principal alternativa para promover a saúde do idoso. Ciência & Saúde Coletiva, 20, 1763-1772.

Maschio, M. B. M., Balbino, A. P., Souza, P. F. R. D., & Kalinke, L. P. (2011). Sexualidade na terceira idade: medidas de prevenção para doenças sexualmente transmissíveis e AIDS. Revista Gaúcha de Enfermagem, 32, 583-589.

Mendonça, ETM, da Cunha Araújo, E., Botelho, EP, Polaro, SHI, & Gonçalves, LHT (2020). Vivência de sexualidade e HIV/AIDS na terceira idade. Pesquisa, Sociedade e Desenvolvimento , 9 (7), e483974256-e483974256.

Monteiro, T. J., Trajano, L. A. S. N., Carvalho, D. S., Pinto, L. A. P., & Trajano, E. T. L. (2016). Avaliação do conhecimento sobre HIV/AIDS em grupo de idosos através do QHIV3I. Geriatr Gerontol Aging, 10(1), 29-33.

Oliveira, L. B., Baía, R. V., Delgado, A. R. T., Vieira, K. F. L., & de Lucena, A. L. R. (2015). Sexualidade e envelhecimento: avaliação do perfil sexual de idosos não institucionalizados. Revista de Ciências da Saúde Nova Esperança, 13(2), 42-50.

Pratt, G., Gascoyne, K., Cunningham, K., & Tunbridge, A. (2010). Vírus da imunodeficiência humana (HIV) em idosos. Idade e envelhecimento, 39 (3), 289-294.

Santos, C. M. D. C., Pimenta, C. A. D. M., & Nobre, M. R. C. (2007). The PICO strategy for the research question construction and evidence search. Revista latino-americana de enfermagem, 15, 508-511.

Santos, G. S., & Cunha, I. C. K. O. (2014). Avaliação da qualidade de vida de mulheres idosas na comunidade. Revista de Enfermagem do Centro-Oeste Mineiro.

Santos, I. D. F. (2022). Atitudes e Conhecimentos de Idosos sobre Intercurso Sexual no Envelhecimento. Psicologia: Ciência e Profissão, 42.

Theis, L. C., & Gouvêa, D. L. (2019). A percepção dos idosos em associação com a vida sexual e as (ISTs) na terceira idade. Rev. bras. ciênc. saúde, 197-204.

Vieira, K. F. L., Coutinho, M. D. P. D. L., & Saraiva, E. R. D. A. (2016). A sexualidade na velhice: representações sociais de idosos frequentadores de um grupo de convivência. Psicologia: ciência e profissão, 36, 196-209.

von Humboldt, S., Ribeiro-Gonçalves, J., Costa, A., & Leal, I. (2020). Como os idosos se expressam sexualmente? Um estudo qualitativo. Psicologia, Saúde & Doenças, 21(1), 62-8.

Published

10/01/2023

How to Cite

VIEIRA, Y. K. dos S. .; SANTOS, D. A. .; DUARTE NETO, N. C. . Sexual life and sexually transmitted infections after the age of 60: an integrative review. Research, Society and Development, [S. l.], v. 12, n. 1, p. e25412139756, 2023. DOI: 10.33448/rsd-v12i1.39756. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/39756. Acesso em: 27 jan. 2023.

Issue

Section

Health Sciences