School and academic knowledge: thinking and discussing environmental education for the construction of a critical society

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v12i2.40129

Keywords:

Environment; Sustainable development; Clean energy.

Abstract

The present work aims to see the multiple understandings about the discussions about the environment and about the development logics that are being explored more and more every day. Seeking to understand the different perspectives and approaches, inside and outside the walls that guard the academic community of the State University of Paraíba. Methodologically, its structuring relied both on quantitative aspects, while data were collected through questionnaires on Google Forms, and on qualitative aspects, through the use of a second research profile, of an exploratory nature, through from diverse sources, such as e-books, doctoral theses and articles focused on the area. Therefore, throughout the research, we were able to observe the level of knowledge of academics and civil society as a whole about the proposed themes, as well as their level of complexity. collected data and their particularities, which express the limited point of view on knowledge of environmental education and the use of renewable energies, showing a lack of understanding or a very superficial understanding of the global importance of the theme, as well as the Homeric impact that both can cause in the lives of individuals, directly or indirectly, not to mention the awareness and preservation of the environment. It is concluded that environmental education should be more worked on in the early years so that people can reflect that it is everyone's duty to respect the limitations of natural resources.

References

Arantes, V. F., & Batista, G. A. (2019). Mapeamento das produções acadêmicas sobre o PNAIC: uma análise epistemológica da produção de conhecimento. Revista Profissão Docente, 19(42), 01-23.

Augusto, A. (2014, November). Metodologias quantitativas/metodologias qualitativas: mais do que uma questão de preferência. In Forum Sociológico. Série II (No. 24, pp. 73-77). CESNOVA.

Brasil, G. B. (2017). Educacao ambiental em perspectiva critica: analise das praticas desenvolvidas na Escola Estadual de Ensino Medio Tricentenario–Sao Borja/RS (2017).

Brasil. Lei n. 9.795, de 27 de abril de 1999. Dispõe sobre a Educação Ambiental, Institui a Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras Providências.

Britto, P. H. (2017). A tradução literária. Editora José Olympio.

Cascino, F. (2003). Educação Ambiental: princípios, história, formação de professores. 3.ed. São Paulo: Editora Senac São Paulo.

Costa, A. B., Zoltowski, A. P. C., Koller, S. H., & Teixeira, M. A. P. (2015). Construção de uma escala para avaliar a qualidade metodológica de revisões sistemáticas. Ciência & Saúde Coletiva, 20, 2441-2452.

Garrido, L. D. S., & Meirelles, R. M. S. D. (2014). Percepção sobre meio ambiente por alunos das séries iniciais do Ensino Fundamental: considerações à luz de Marx e de Paulo Freire. Ciência & Educação (Bauru), 20, 671-685.

Guimarães, M., & de Medeiros, H. Q. (2016). Outras epistemologias em Educação Ambiental: o que aprender com os saberes tradicionais dos povos indígenas. REMEA-Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, 50-67.

Macêdo Coelho, Y. C., & Pontes, A. N. (2018). Professores de Ciências em formação e a Educação Ambiental: vivências e perspectivas. Revista Brasileira de Educação Ambiental (RevBEA), 13(2), 212-136.

Oliveira, Leandro Dias. (2005). A Ideologia do Desenvolvimento Sustentável: notas para reflexão. Revista Tamoios, Rio de Janeiro, v. 2, n. 2, p. 41-46.

Passini, Elza Yasuko. Passini, Romão. Malysz, Sandra T. (2015). Prática de Ensino de Geografia e Estágio Supervisionado. 2ª ed. São Paulo: Contexto, São Paulo.

Pereira, J. A., da Silva Junior, J. F., & da Silva, E. V. (2019). Instagram como Ferramenta de Aprendizagem Colaborativa Aplicada ao Ensino de Química. Revista Debates em Ensino de Química, 5(1), 119-131.

Pontuschka, N. N; Paganelli, T. I; Cacete, N. H. (2009). Para ensinar e aprender Geografia. 3 ed. São Paulo: Cortez.

Santos, Martinho. (2004) Energia, gás natural & sustentabilidade. Tese (Livre Docência em Energia). Programa de Pós-Graduação em Energia. Instituto de Eletrotécnica e Energia (IEE). USP. São Paulo.

Sen, A. (2000). Desenvolvimento como liberdade. São Paulo: Companhia das letras.

Silva, N. J., & de Almeida, L. E. D. F. (2014). Pesquisa exploratória em gestão das organizações.

Teixeira, N. F. (2015). Metodologias de pesquisa em educação: possibilidades e adequações. Revista Caderno Pedagógico, 12(2).

Traldi, Mariana. (2019). Acumulação por despossessão: a privatização dos ventos para a produção de energia eólica no semiárido brasileiro. 2019. 330 f. Tese (Doutorado) - Curso de Geografia, Instituto de Geociências, Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

Published

02/02/2023

How to Cite

SILVA, E. C. B. da .; BORGES, I. M. S.; VIRGINIO, L. K. de A. .; FERNANDES, A. C. G. .; MARTINS, M. S. .; PESSOA, D. de S. .; SANTOS, M. J. R. .; MACIEL , J. K. V. S. .; SILVA, M. H. da .; FREIRE, J. G. T. B. . School and academic knowledge: thinking and discussing environmental education for the construction of a critical society. Research, Society and Development, [S. l.], v. 12, n. 2, p. e18012240129, 2023. DOI: 10.33448/rsd-v12i2.40129. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/40129. Acesso em: 7 jun. 2023.

Issue

Section

Teaching and Education Sciences