Sustainability of small scale carciniculture in areas of low hydrical demand

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v9i9.6578

Keywords:

Family-run shrimp farming; Indicators; Sustainable development; Water resources

Abstract

Reducing the availability of water resources has made many activities unfeasible. When we can develop an activity that can meet social needs and generate income, with little technology and using the minimum amount of water, we can say that this activity becomes viable and sustainable. Shrimp farming can be one of these activities if implemented responsibly. This activity has shown to be a strong alternative in the production of food, helping to supply the growing world demand. Given this importance, the objective of this study was to analyze and evaluate the level of sustainability of shrimp farming under social, technological, environmental and economic aspects in the community of Cajueiro - Aracati - CE. Using as methodology to obtain data and information characteristic of the community, the application of questionnaires, site visits and analysis of technical reports for family producers, from January to April 2017. Sustainability was evaluated in stages, using indicators to each case. Where we can conclude that: families presented critical social level, managed to produce with little technology, using few natural resources and correctly, and made the activity economically viable.

References

Agencia Brasil & Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2019). IBGE: produção de camarão cresce 11,4%; Ceará se destaca no Brasil. Reportagem em Diário do Nordeste. Recuperado de: https://diariodonordeste.verdesmares.com.br/negocios/ibge-producao-de-camarao-cresce-11-4-ceara-se-destaca-no-brasil-1.2151989.

Associação Brasileira de Criadores de Camarões (2015). Cultivo de camarão marinho: Realidade Mundial e brasileira, Mitos e Verdades sobre sua Sustentabilidade Ambiental e Contribuição para Socioeconomia das Regiões de sua Intervenção. Natal – RN, Edição especial.

Associação Brasileira de Criadores de Camarões (2017). Censo da carcinicultura do litoral sul do estado do Ceará e zonas interioranas adjacentes 2015/2016. Natal – RN: Convênio ABCC/MAP: No 756578/2011.

Angelim, A.L. & Costa, S.P. (2017). Os benefícios do uso de probrióticos na aquicultura.

Revista da ABCC. Natal – RN, 19 (1), 36-39.

Agenda 21 Global. (2017). Recuperado de: https://www.bb.com.br/docs/pub/sitesp/sustentabilidade/dwn/Agenda21.pdf

Assis, C.S.R., Feitosa-Lima, A.D., & Scardua, M.P. (2016). Boas Práticas de manejo na carcinicultura familiar em Aracati-CE. Trabalho apresentado em forma de pôster durante o Seminário de Iniciação Científica, Tecnológica e Extensionista (SEMIC). Instituto Federal de Educação, Ciências e Tecnologia do Ceará (IFCE). Aracati, CE.

Bellen, H. M. V. (2005). Indicadores de sustentabilidade: uma análise comparativa. Rio de

Janeiro: Fundação Getúlio Vargas.

Carvalho, L.O.R., Duarte, F. R., Menezes, A.H.N., & Souza, T.E.S. (2019). Metodologia científica: teoria e aplicação na educação a distância – Petrolina-PE: Fundação Universidade Federal do Vale do São Francisco.

Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento. (1991). Nosso futuro Comum. (2nd. ed.), Rio de Janeiro. Fundação Getúlio Vargas.

Commissin on Sustainable Development (1996). Indicadores de desarrollo sostenible: marco y metodologias. New York, NY: Um Comisión sobre el Desarrollo Sostenible de lãs Naciones Unidas.

Cruz, F. R. S., Sousa, F. Q., Oliveira, C. J., Alves, C. A. B., Souto, J. S., & Nunes, E. N. (2013). Vulnerabilidade socioeconômica em comunidades rurais do município de Areia, Estado da Paraíba. Scientia Plena, 9 (5).

Didar-Ul Islam, S.M., & Bhuiyan, M.A.H. (2016) Impact scenarios of shrimp farming in coastal region of Bangladesh: an approach of an ecological model for sustainable management. Aquacult Int, 24: 1163. Recuperado de: https:// doi.org/10.1007/s10499-016-9978-z.

Food And Agriculture Organization Of The United Nations. (2017) Representante da FAO Brasil apresenta cenário da demanda por alimentos. Recuperado de: http://www.fao.org/brasil/noticias/detail-events/en/c/901168.

Figueirêdo, M.C.B; Rosa M.F., & Gondim, R.S. (2003) Sustentabilidade Ambiental da Carcinicultura no Brasil: Desafios para a pesquisa. Revista Econômica do Nordeste, 34(20).

Figueirêdo, M.C.B., Araújo, L.F.P., Rosa M.F; Morais, L.F.S., Paulino, W.D., & Gomes, R.B. (2006). Impactos ambientais da carcinicultura de águas interiores. Eng. Sanit. Ambient, 11(3), 231-240.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (2002). Indicadores de Desenvolvimento

Sustentável Brasil. Recuperado de: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv94254.pdf.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (2019). Produção da Pecuária Municipal 2018; Rio de Janeiro: IBGE. Recuperado de: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/ce/aracati/pesquisa/18/16459?tipo=ranking&indicador=16464.

Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (2016). Perfil Básico Municipal

Aracati – CEARÁ. Recuperado de: https://www.ipece.ce.gov.br/wp-content/uploads/sites/45/2018/09/Aracati_2016.pdf

Kubitza, F. Tilápia: tecnologia e planejamento na produção comercial. (2000). Jundiaí-SP: Divisão de biblioteca e documentação da USP.

Lima, R.S., Ferreira Neto, J.A., & Farias, R.C.P. (2015). Alimentação, comida e cultura: o exercício da comensalidade. Demetra, 10(3), 507-522.

Maia, E. de P. (2016). Policultivo de camarão e tilápia: alternativa de diversificação e de convivência com as doenças. Revista da ABCC. Natal – RN. Ano XVIII. (2), 46-55.

Maia, E. de P. (2017). Produzindo camarão em sistema trifásico: uso de estufas como berçários primários e secundários para convivência com a WSSV. Revista da ABCC. Natal – RN. Ano XIX. (1), 30-34.

Martins, D. (2014). Reconquistando espaço. 1º Anuário Brasileiro de Pesca e Aquicultura. Brasil. 44-45. Recuperado de: http://formsus.datasus.gov.br/novoimgarq/16061/2489520_218117.pdf

Mendonça, L., & Borba, M. (2016). Levantamento de preços do camarão e dos principais insumos utilizados na carcinicultura no período: janeiro de 2013 a maio de 2016. Revista da ABCC. Natal – RN. Ano XVIII, (1), 33-34.

Nascimento, I. A., Pereira, S. A., & Dória, E. L. V. (2017). Identificação e prevenção de impactos em manguezais: relação com atividades de carcinicultura. Diálogos & Ciências

- Revista da Rede de Ensino FTC. Ano V (11).

Neiland, A.E., Soleya, N., Varleyb, J. B., & Whitmarsh, D.J. (2001). Shrimp aquaculture: economic perspectives for policy development. Marine Policy (25), 265–279.

Nguyen, T.T.H & Ford, A. (2010). Learning from the Neighbors: Economic and Environmental Impacts from Intensive Shrimp Farming in the Mekong Delta

of Vietnam. Sustainability. 2, 2144-2162.

Nunes, A.J.P., Gesteira, T.C.V., Oliveira, G.G., Lima, R.C., Miranda, P.T.C., Madrid, R.M. (2005). Princípios para boas práticas de manejo para engorda de camarão marinho no estado do Ceará. Programa de Zoneamento Econômico (ZEE) do estado do Ceará. Instituto de Ciências do Mar (LABOMAR), Fortaleza – CE. Recuperado de: https://www.docsity.com/pt/principios-para-boas-praticas-de-manejo-bpm-na-engorda-de-camarao-marinho-no-estado-do-ceara/4706766/

Organização das Nações Unidas. (1998.) Atlas do desenvolvimento humano no Brasil. Brasília, Brasil.

Páez-Osuma, F. (2001). The environmental impact of shrimp aquaculture: a global perspective. Environmental Pollution, 112, 229–231.

Pereira A.S., Shitsuka, D.M., Parreira, F.J., & Shitsuka R. (2018). Metodologia da pesquisa científica. [e-book]. Santa Maria. Ed. UAB/NTE/UFSM. Recuperado de: https://repositorio.ufsm.br/bitstream/handle/1/15824/Lic_Computacao_Metodologia-Pesquisa-Cientifica.pdf?sequence=1.

Pereira, R.C; Soares-Gomes, A. (2009). Biologia Marinha. Rio de Janeiro: Editora Interciência.

Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento. (2015). Relatório do Desenvolvimento Humano de 2015. Recuperado de: http://hdr.undp.org/sites/default/files/hdr15_overview_pt.pdf

Primavera, J.H. (1998). Tropical Shrimp Farming and its Sustainability. Tropical Mariculture. 257-289.

Reis, J. N.P. (2008). Sustentabilidade na Produção de Camarão: O Caso da Comunidade de

Requenguela, no Município de Icapuí – Ceará. Revista Econômica do Nordeste. 39 (2).

Ribeiro, L. F., Souza, M. M., Barros, F., Hatje, V. (2014). Desafios da carcinicultura: aspectos legais, impactos ambientais e alternativas mitigadoras. Revista de Gestão Costeira Integrada/ Journal of Integrated Coastal Zone Management, 14 (3), 365-383.

Sampaio, J. A. de A. (2015). A carcinicultura familiar na aldeia indígena potiguara de

Tramataia, Marcação/Paraíba: em busca da sustentabilidade. (Dissertação de mestrado) PRODEMA – UFPB. João Pessoa – PB, Brasil. Recuperado de: https://repositorio.ufpb.br/jspui/bitstream/tede/7937/2/arquivototal.pdf

Silva Filho, R.B., & Araújo, R.M.L. (2017). Evasão e abandono escolar na educação básica no Brasil: fatores, causas e possíveis consequências. Educação Por Escrito, Porto Alegre, 8(1), 35-48.

Tancredo, K.R., Nobrega, R.O., Dias, T., & Lapa, K.R. (2011). Impactos Ambientais da Carcinicultura Brasileira. In: 3rd Internacional Workshop Advances In Cleaner Production. São Paulo – SP. 3. http://www.advancesincleanerproduction.net/third/files/sessoes/6A/6/Tancredo_KR%20-%20Paper%20-%206A6.pdf

Tokamia, M. (2016). Estudos mostram que 1,3 milhão de jovens de 15 a 17 anos abandonam escola 2016. Reportagem da Agencia Brasil. Recuperado de: http://agenciabrasil.ebc.com.br/educacao/noticia/2016-02/13-milhao-de-jovens-entre-15-e-17-anos-abandonam-escola-diz-estudo.

Published

11/08/2020

How to Cite

Lima, A. D. F., Alcântara, S. M. P. ., Giro, M. E. A., Amaral, J. A. ., & Assis, C. S. R. de. (2020). Sustainability of small scale carciniculture in areas of low hydrical demand. Research, Society and Development, 9(9), e60996578. https://doi.org/10.33448/rsd-v9i9.6578

Issue

Section

Agrarian and Biological Sciences