Development and evaluation of a teacher training course with a focus on school inclusion

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v9i9.7818

Keywords:

School inclusion; Teacher training; Problem-Based Learning; Concept Maps.

Abstract

This article aimed to describe the main contributions of a continuing education course, structured to establish a space for dialogue and construction of knowledge on the theme of Inclusive Education. For this, the Problem Based Learning methodology was used, with conceptual maps as a proposal for learning evaluation, and a Likert attitudinal scale to evaluate the course. 24 coordinators of basic education of a city in the interior of Goiás participated in the proposal. The data, obtained from the paired evaluation of the maps before and after the course, were compared by the Wilcoxon marked posts test for paired samples. The results revealed statistically significant growth in the number of new concepts related to school inclusion in the post-course maps than in the pre-course (p<0.01). By the analysis of the attitudinal questionnaire, it was possible to verify that 100% of the participants considered the course motivating, useful and would recommend it to others. Thus, trough the observation of the mediator, and also the analysis of the conceptual maps and the data obtained through the attitudinal questionnaire, it is possible to infer that there was an addition of key concepts related to the inclusive education, that the course was useful to promote reflection in the intended context, and that the course proved to be an important tool in stimulating the study and updating of themes related to the inclusion of students with special educational needs.

Author Biographies

Jaqueline Ribeiro Barbosa Bordão, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Goiano

Médica e Mestranda no Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ensino para a Educação Básica (PPGEnEB) do Instituto Federal Goiano – Campus Urutaí.

Mayara Lustosa de Oliveira Barbosa, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Brasília

Doutora em Biologia Celular e Estrutural, atualmente é Professora no Instituto Federal de Brasília, e do Programa de Mestrado em Ensino para a Educação Básica (PPGEnEB) do Instituto Federal Goiano.

Marcos Fernandes-Sobrinho, Instituto Federal Goiano (IF Goiano) e Universidade Federal de Catalão (UFCat)

Doutor em Educação em Ciências e Matemática pela Universidade de Brasília (UnB), Físico (UFU), Bacharel em Administração (FAAB), Bacharelando em Direito (UEG), Brasil. Docente credenciado no PPGEnEB/IFGoiano e no PPGGO/UFG-RC/UFCat.

References

Abreu, F. B. P. de; et al. (2017). Metodologias ativas: tecnologias assistivas com um novo olhar para a inclusão. Ciência Atual, 9(1), 2-17.

Araújo, U. F.; Sastre, G. (2009). Aprendizagem Baseada em Problemas no Ensino Superior. São Paulo: Summus.

Araújo, L. F. S.; et al. (2013). Diário de pesquisa e suas potencialidades na pesquisa qualitativa em saúde. Revista Brasileira Pesquisa Saúde, 15(3), 53-61.

Bardin, L. (2016). Análise de Conteúdo. São Paulo: Edições 70.

Berbel, N. A. N. (1998). Problematization and problem-based learning: different words or different ways? Interface, 2(2), 139-154.

Borges, M. de C.; et al. (2014). Aprendizado baseado em problemas. Medicina, 47(3), 301-307.

Borochoviius, E.; Tortella, J. C. B. (2014). Aprendizagem Baseada em Problemas: um método de ensino-aprendizagem e suas práticas educativas. Ensaio: aval. Pol. Públ. Educ., 22(83), 263-294.

Booth, T.; Ainscow, M. (2013). Index for inclusion. Developing learning and participation in schools (3ª ed.). Bristol: CSIE.

Brasil, Conselho Nacional de Educação. Resolução CNE/CEB n. 2, de 11 de set. de 2001. Brasília: CNE, 2001. Disponível em:<https://tinyurl.com/bmuj64j>. Acesso em: 03 abr. 2020.

Brasil. Lei nº 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação – PNE. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 26 jun. 2014.

Brock, M.; et al. (2014). Statewide assessment of professional development needs related to educating students with autism spectrum disorder. Focus on Autism and Other Developmental Disabilities, 29, 67-79.

Burns, M. K.; Ysseldyke, J. E. (2009). Reported prevalence of evidence-based instructional practices in special education. The Journal of Special Education, 43, 3–11.

Campelo; L. F.; Piconez, S. C. B. (2017). O uso dos mapas conceituais na EJA: favorecendo a aprendizagem de surdos em geografia. Revista Acadêmica: Ensino de Ciências e Tecnologias, 1(1), 1-14. Disponível em: http://www.qualif.com.br/volume01/ARTIGO01_11_ABNT.pdf.

Center for Applied Special Technology (CAST). Universal Design for Learning Guidelines, version 2.0. Wakefield, MA. Disponível em:< https://tinyurl.com/watljzt>. Acesso em 26 mar. 2020.

Chaveiro, N.; Barbosa, M. A. (2005). Assistência ao surdo na área de saúde como fator de inclusão social. Rev. esc. Enferm, 39(4), 417- 422.

Coll, C.; Monereo, C. (Org.). (2010). Psicologia da educação virtual: aprender e ensinar com as tecnologias da informação e da comunicação. Porto Alegre: Artmed.

Comunidade Aprender Criança. Cartilha da Inclusão Escolar: inclusão baseada em evidências científicas (Ed. Instituto Glia, 2014). Disponível em:< http://www.andislexia.org.br/cartilha.pdf>. Acesso em: 03 abr. 2020.

Cook, B.; Schirmer, B. (2003). What is special about special education? Overview and analysis. The Journal of Special Education, 37, 200–205.

Dalmoro, M.; Vieira, K. M. (2013). Dilemas na construção de escalas Tipo Likert: o número de itens e a disposição influenciam nos resultados? Revista Gestão Organizacional, 6(3), 161-174.

De-Boer, A.; Pijl, S. J., Minnaert, A. (2011). Regular primary school teachers’ attitudes towards inclusive education: A review of the literature. International Journal of Inclusive Education, 15(3), 331–353.

Fonseca, R. L.; Salvi, R. F. (2018). O Uso do Mapa Conceitual na Formação Inicial do Professor de Geografia frente à Educação Inclusiva. Boletim de Geografia, 36(2), 151-162.

Gerhardt, T. E.; Silveira, D. T. (2009). Métodos de pesquisa. 1ª ed. Porto Alegre. Editora da UFRGS.

Goméz, A. I. P. (2015). Educação na era digital: a escola educativa. Porto Alegre: Penso, 2015.

Kassar, M. C. M. (2014). A formação de professores para a educação inclusiva e os possíveis impactos na escolarização de alunos com deficiências. Cad. Cedes, 34(93), 207-224.

Lima, S. M.; Laplane, A. L. F. de. (2016). Escolarização de Alunos com Autismo. Rev. bras. educ. espec., 22(2), 269-284.

Mantoan, M. T. E. (2002). A educação especial no Brasil - da exclusão à inclusão escolar. Disponível em:<http://www.lite.fe.unicamp.br/cursos/nt/ta1.3.htm>. Acesso em: 19 mar. de 2020.

Mattar, J.; Aguiar, A. P. S. (2018). Metodologias ativas: aprendizagem baseada em problemas, problematização e método do caso. Br. J. Ed., Tech. Soc., 11(3), 404-415.

Moran, J. M. (2015). Mudando a educação com metodologias ativas. In: SOUZA, Carlos Alberto de; MORALES, Ofelia Elisa Torres (Orgs.). Convergências midiáticas, educação e cidadania: aproximações jovens. Ponta Grossa: UEPG/PROEX, 2015.

Moreira, M. A. (2011). Teoria de aprendizagens. 2.ed. São Paulo: E.P.U. Ltda.

Novak, J. D.; Canãs, A. J. (2010). A teoria subjacente aos mapas conceituais e como elaborá-los e usá-los. Práxis educativa, 5(1), 9-29.

Nunes, S. da S.; Saia, A. L.; Tavares, R. E. (2015). Educação Inclusiva: Entre a História, os Preconceitos, a Escola e a Família. Psicol. cienc. Prof., 35(4), 1106-1119.

O’brien, J.; O’brien, C. L. (1999). A inclusão como uma força para a renovação da escola. Cap. 3, 48-66. In: Stainback, S.; Stainback, W. (1999). Inclusão: um guia para educadores. 1º ed. Artmed, Porto Alegre.

Oliveira, M. L. B.; et al. (2011). Educação inclusiva e a formação de professores de ciências: o papel das universidades federais na capacitação dos futuros educadores. Ens. Pesqui. Educ. Ciênc, 13(3), 99-117.

Pasian, M. S.; Mendes, E. G.; Cia, F. (2017). Atendimento educacional especializado: aspectos da formação do professor. Cad. Pesqui., 47(165), 964-981.

Peebles, J.; Mendaglio, S. (2014). Preparing teachers for inclusive classrooms: Introducing the individual direct experience approach. Learning Landscapes Journal, 7(2), 245-257, 2014.

Pimentel, A. G. L.; Fernandes, F. D. M. (2014). A perspectiva de professores quanto ao trabalho com crianças com autismo. Audiol., Commun, Res., 19(2), 171-178.

Prais, J. L. de S.; Rosa, V. F. da. (2017). A Formação de professores para inclusão tratada na Revista Brasileira de Educação Especial: uma análise. Revista Educação Especial, 30(57), 129-144.

Rocha, J. S.; et al. (2016). O uso da aprendizagem baseada em problemas na Odontologia: uma revisão crítica da literatura. Revista da ABENO, 16(1), 25-38.

Rosseto, M.; et al. (2020). A utilização das metodologias ativas como ferramenta de inclusão dos alunos com deficiência auditiva em sala de aula: desafios e oportunidades. Educationis, 8(1), 53-60.

Ruiz-Moreno, L.; et al. (2007). Mapa Conceitual: ensaiando critérios de análise. Ciência & Educação, 13(3), 455-463.

Sharma, U.; Loreman, T.; Forlin, C. (2011). Measuring Teacher Efficacy to Implement Inclusive Practices. Journal of Research in Special Educational Needs, 12(1), 773-785.

Snell, Martha E. (2003). Applying research to practice: The more pervasive problem? Research and practice for persons with severe disabilities, 28, 143–147.

Souza, K. R.; Kerbauy, M. T. M. (2018). O direito à Educação Básica nas Declarações sobre Educação Para Todos de Jomtien, Dakar e Icheon. Revista online de Política e Gestão Educacional, 22(2), 668-681.

Sousa, S. O. (2010). Aprendizagem baseada em Problemas: estratégia para o ensino e aprendizagem de algoritmos e conteúdos computacionais. Presidente Prudente: Dissertação (Mestrado em Educação) - Unesp, Faculdade de Tecnologia.

Stainback, S.; Stainback, W. (1999). Inclusão: um guia para educadores. Trad. Magda França Lopes. Porto Alegre, Artes Médicas Sul.

Veiga, I. P. A. (Org.). (2004). Projeto Político Pedagógico da Escola: Uma construção possível. São Paulo: Editora Papirus.

Vilaronga, C. A. R.; Mendes, E. G. (2014). Ensino colaborativo para o apoio à inclusão escolar: práticas colaborativas entre os professores. Rev. Bras. Estud. Pedagog., 95(239), 139-151.

Zerbato, A. P.; Mendes, E. G. (2018). Desenho Universal da Aprendizagem como estratégia de inclusão escolar. Educação Unisinos, 22(2), 147-155.

Windish, D. M.; Diener-West M. (2006). A clinician-educator's roadmap to choosing and interpreting statistical tests. J Gen Intern Med., 21, 656-60.

Published

29/08/2020

How to Cite

Bordão, J. R. B., Barbosa, M. L. de O., & Fernandes-Sobrinho, M. (2020). Development and evaluation of a teacher training course with a focus on school inclusion. Research, Society and Development, 9(9), e545997818. https://doi.org/10.33448/rsd-v9i9.7818

Issue

Section

Education Sciences