Ecophysiological responses of melon seedlings under protected growing and open sky

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v9i9.7888

Keywords:

Cucumis melo; Environment; Seedlings; Trays.

Abstract

Aiming to study the behavior of Melon Caipira grown in trays with commercial substrate in the open and 50% shading, an experiment was carried out in a randomized block design with 4 replications and the treatments configured in a 2x4x2 factorial, (tray type: 72 and 128 cells; growth stage: one to four true leaves; environment: open sky and protected cultivation). The results showed that root height and length vary, regardless of the type of tray and environment, where indoor seedlings and 72-cell trays are larger. Such behavior is repeated in the measurement of growth stage and environment, where the seedlings obtained in trays of 72 cells showed bigger fresh mass of the aerial part. However, trays with 72 cells and a protected environment increase the relation between aerial part/root. It is concluded, therefore, that trays with 72 cells and the protected environment show more the growth of the aerial part, increasing the relationship between these segments. This way it is possible to perform the transplant until the fourth leaf stage using 72 cell trays; on the fourth leaf in open sky trays of 128 cells, and on the third, in protected cultivation.

References

Almeida, S. M. Z., Soares, A. M., Castro, E. M., Vieira, C. V., & Gajego, E. B. (2005). Alterações morfológicas e alocação de biomassa em plantas jovens de espécies florestais sob diferentes condições de sombreamento. Ciência Rural, Santa Maria, 35(1), 62-68.

Amorim, Y. F. (2015). Produção de mudas de abobrinha híbrida em diferentes substratos e níveis de estresse salino. Ciência Agrícola, Rio Largo,13(1), 27-32.

Aragão, C. A., Pires, M. M. M. L., Batista, P. F., & Dantas, B. F. (2011). Qualidade de mudas de melão produzidas em diferentes substratos. Revista Caatinga, Mossoró, 24(3),209-214.

Araújo, D. L., Maia Júnior, S. O., Silva, S. F., Andrade, J. R., & Araújo, D. L. (2013). Produção de mudas de melão cantaloupe em diferentes tipos de substratos. Revista Verde, Mossoró, RN, 8(3), 15-20.

Araújo, L. F., Oliveira, N. P. S., Silva, R. M., Bezerra, M. A., & Angelotti, F. (2015). Influência do aumento do CO2 no crescimento inicial e nas trocas gasosas do meloeiro amarelo. Revista Brasileira de Geografia Física, 8, 439-453.

Aroucha, E. M. M., Morais, F. A., Nunes, G. H. S., Tomaz, H. V. Q., Sousa, A. E. D., & Bezerra Neto, F. (2007). Caracterização física e química de melão durante o seu desenvolvimento. Rev. Bras. Frutic., Jaboticabal - SP, 29(2), 296-301.

Atroch, E. M. A. C. et al. (2001). Crescimento, teor de clorofilas, distribuição de biomassa e características anatômicas de planas jovens de Bauhinia forficata submetidas a diferentes condições de sombreamento. Ciência Agrotecnologia, 25(4), 853-862.

Barroso, M. R., Magalhães, M. J., Carnide, V., & Martins, S. (2007). Curcubitáceas de Trás-os-Montes. Mirandela: Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Norte (DRAPN) Núcleo de Documentação e Relações Públicas (NDRP).

Belfort, C. C., Rodrigues, G. M., Nery, E. B., Setúbal, J. W., Thé, F. W., Almeida, R. B., Lima, T. R., & Carvalho, J. F. (2005). Desempenho de mudas de melancia obtidas em dois tipos de bandejas, em quatro estágios de crescimento, com e sem adubação. Horticultura Brasileira, Brasília, DF, 23(2).

Belfort, C. C., Setubal, J. W., & Nery, E. B. (2008). Emergência e crescimento inicial de plântulas de híbridos de berinjela Romanita F1 obtidos em dois tipos de bandejas e adubação química. Horticultura Brasileira, 26, 4887-4891.

Belfort, C. C., Teixeira, J. B. A., Oliveira, K. F. B., Campelo, P. E. B., Neto, F. A. de S., & Barbosa, R. B. da S. (2020). Reação de plântulas de melancia forrageira aos ambientes aberto e protegido. Research, Society and Development, 9(8), e92985248. https://doi.org/10.33448/rsd-v9i8.5248

Costa, E., Santos, L. C. R., Carvalho, C., Leal, P. A. M., & Gomes, V. A. (2011). Volumes de substratos comerciais, solo e composto orgânico afetando a formação de mudas de maracujazeiro-amarelo em diferentes ambientes de cultivo. Rev. Ceres, Viçosa, 58(2), 216-222.

Echer, M. M., Guimarães, V. F., Aranda, A. N., Bortolazzo, E. D., & Juliana Souza Braga, J. S. (2007). Avaliação de mudas de beterraba em função do substrato e do tipo de bandeja. Semina: Ciências Agrárias, Londrina, 28(1), 45-50.

Engel, V. L. (1989). Influência do sombreamento sobre o crescimento de mudas de essências nativas, concentração de clorofila nas folhas e aspectos de anatomia. Dissertação de mestrado, Universidade de São Paulo, Piracicaba, SP, Brasil.

Evans, L. T. (1973.) The effect of ligtht development and yield. in: Slater R.O. (Ed.) Plant responses to climatic factors. Paris: UNESCO.

Ferreira, D. F. (2011). Sisvar: a computer statistical analysis system. Ciência e Agrotecnologia, Lavras, 35(6), 1039-1042.

Franco, C. F., & Prado, R. M. (2008.). Nutrição de micronutrientes em mudas de goiabeira em resposta ao uso de soluções nutritivas. Acta Scientiarum. Agronomy, 30(3), 403-408.

Larcher, W. (2000.) Ecofisiologia vegetal. São Carlos, SP, Rima.

Leskovar, D. I. (1998). Root and shoot modification by irrigation. HortTechnology, Alexandria, 8, 510-514.

Marçal, T. S., Martins, M. Q., Coelho, R. I., Amaral, J. A. T., & Ferreira, A. (2014) Emergência e crescimento inicial de plântulas de tangerineira ‘cleópatra’ submetidas a diferentes níveis de sombreamento. Nucleus, 11(1).

Meletti, L. M. M. (1994.) Maracujá: a qualidade da muda é essencial. O Agronômico, Campinas, 46(1/3), 9-12.

Nesmith, D. S., & Duval, J. R. (1998). The effect of container size. Horticultural Technology, Alexandria, 8(4), 495-498.

Noveline, A. C., & Conforto, E. C. (2006). Comparação anatômica e fisiológica entre folhas de seringueira de sol e de sombra. Revista Hispeci & Lema, 9, 28-30.

Oliveira, A. M. D., Costa, E., Rego, N. H., Laís De Lima Luqui, L. L., Kusano, D. M., & Oliveira, E. P. (2015). Produção de mudas de melancia em diferentes ambientes e de frutos a campo. Rev. Ceres, 62(1), 087-092.

Olson, S. M., Hochmuth, G. J., & Hochmuth, R. C. (1994). Effect of transplanting on earliness and total yield of watermelon. HortTechnology, 4(2), 141-143.

Palazzo, F. M. A., & Monteiro, M. H. D. A. (2010). Morfologia de bapeba (Pouteria grandifl ora (A.DC) Baehni, Sapotaceae). Iniciação Científica CESUMAR, 12(2), 121-130.

Pelloso, M. F., Farias, B. G. A., & Paiva, A. S. (2020). Produção de mudas de meloeiro em substrato a base de ramas de mandioca submetido a diferentes períodos de compostagem. Colloquium Agrariae. 16(1), 87-100.

Pereira, P. R. G., & Martinez, H. E. P. (1999). Produção de mudas para o cultivo de hortaliças em solo e hidroponia. Informe Agropecuário, 20(200/201), 24-31.

Pereira, P. R. G., & Puiatti, M. (2005). Produção de mudas de hortaliças para o cultivo em solo e hidroponia. In. FONTES, P. C. R. (Ed.). Olericultura: teoria e prática (Chap. 8, pp. 93-112). Viçosa: Paulo Cezar Rezende Fontes.

Piovesan, M. F., & Cardoso, A. I. I. (2009). Produção e qualidade de abóbora em função da idade das mudas e tipo de bandeja. Bragantia, 68(3), 651-656.

Quinto, V. M., Beltrame, R. A., Pereira, E. O., Cabanêz, P. A., & Amaral, J. F. T. (2011). Germinação e desenvolvimento de plântulas de melancieira em diferentes ambientes e substratos. Revista Verde 6(3), 252 – 257.

Rufty, T. W., Mackown, C. T., & Volk, R. J. (1990). Alteration in nitrogen assimilation and partitioning in nitrogen stressed plants. Physiologia Plantarum, 79, 85-95.

Salata, A. C., Higuti, A. R. O., Godoy, A. R., Magro, F. O., & Cardoso, A. I. I. (2011). Produção de abobrinha em função da idade das mudas. Ciênc. agrotec., 35(3), 511-515.

Salvador, E. D., Paqual, M., & Spera, M. R. N. (2001). Efeito de diferentes substratos no crescimento de samambaia-matogrossensis (Polypodium aureum L.). Ciência Agrotécnica, 25(4).

Seabra Júnior, S., Gadum, J., & Cardoso, I. I. (2004). Produção de pepino em função da idade das mudas produzidas em recipientes com diferentes volumes de substrato. Horticultura Brasileira, 22(3), 610-613.

Silva, J. M., & Silva, M .C. F. (2010). Determinação dos teores de clorofilas, estômatos e parênquima em aceroleira. R. Hispeci. Lema, 1(1), 1-7.

Silva, M. C. C. (2002). Crescimento, produtividade e qualidade do meloeiro sob diferentes níveis de salinidade da água de irrigação e cobertura do solo. Dissertação de mestrado, Escola Superior de Agricultura de Mossoró, Mossoró, RN, Brasil.

Taiz, L., & Zeiger, E. (2013). Fisiologia vegetal. 5.ed. Porto Alegre: Artmed.

Wang L. J., Jiang W. B., & Huang B. J. (2004). Promotion of 5-aminolevulinic acid on photosynthesis of melon (Cucumis melo) seedlings under low light and chilling stress conditions. Physiologia Plantarum, 121: 258–264. DOI: 10.1111/j.1399-3054.2004.00319.x

Whatley, J. M., & Whatley, F. (1982). A luz e a vida das plantas. São Paulo: EPU-EDUSP.

Zanella, F., Soncela, R., & Lima, A. L. S. (2006.) Formação de mudas de maracujazeiro amarelo sob níveis de sombreamento em JI-Paraná/RO. Ciênc. agrotec., 30(5), 880-884.

Published

06/09/2020

How to Cite

Belfort, C. C., Nery , E. B. ., Campelo, P. E. B. ., Queiroz Neto, A. P. de ., Gomes , J. P. ., Mota, L. de S. ., Oliveira, K. F. B. ., & Lima , T. R. de . (2020). Ecophysiological responses of melon seedlings under protected growing and open sky. Research, Society and Development, 9(9), e776997888. https://doi.org/10.33448/rsd-v9i9.7888

Issue

Section

Agrarian and Biological Sciences