Formative movement of teachers from the early years about fraction: the whole

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v9i10.9179

Keywords:

Part-whole; Continuing education; Historical-cultural.

Abstract

This article is the result of a master's research that analyzed the training movement of teachers in the early years, about different meanings of fractions and their relationship with teaching in teacher training. A space for teacher training in the early years of elementary school in public schools was promoted from an extension course, to investigate, discuss and explore knowledge about the concept of fractions and their different pedagogical meanings and practices, and where they were produced the data, through filming, images, audiovisual recordings, written and recorded reports, discussion forum, narratives and initial and final questionnaires giving this research a qualitative characteristic. The objective of this article is to investigate the formative process when treating the idea of ​​fraction as part-whole in the collective starting from the part and, identifying scenes that indicated appropriations of this concept of these student teachers. The study is based on the assumptions of Historical-Cultural Theory and approaches Dialectical Historical Materialism as a research method and the historical logical movement of the concept as the basis for the teacher's learning and teaching work. We investigated the formation movement of that collective about the composition of the whole from the part, we identified scenes that proved that there was appropriation or expansion of knowledge about the different possibilities of composition of this whole known by the part. We conclude that the part-whole fraction, even though it is one of the ideas mentioned in studies as the most practiced and known by teachers, needs to be approached in different ways and needs to be discussed in continuing education.

References

Bezerra, F. J. B. (2001). Introdução do conceito de número fracionário e de suas representações: uma abordagem criativa para a sala de aula. Dissertação de Mestrado em Educação Matemática. São Paulo: PUC/SP. Anais do VIII ENEM - Comunicação Científica GT 2 - Educação Matemática nas séries finais do Ensino Fundamental- http://www.sbembrasil.org.br/files/viii/pdf/02/1CC04772553886.pdf.

Bertoni, N. E. (2009). Educação e linguagem matemática IV: frações e números fracionários. Brasília: Universidade de Brasília.

Brasil (1997). Parâmetros Curriculares Nacionais: Matemática. Brasília: MEC/SEF.

Brasil (1998). Ministério da Educação e do Desporto, Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: Matemática. (3a ed.), Brasília: MEC/SEF.

Brasil. (2019). Base Nacional Comum Curricular (Bncc). Educação é a base. Brasília, Mec/ Consed/ Undime, 288-294 Recuperado de < http://basenacionalcomum.mec.gov.br/a-base.

Campos, T. M. M., Magina, S. A, & Nunes, T. (2006). O professor polivalente e a fração: conceitos e estratégias de ensino. Educação Matemática em Pesquisa. São Paulo, 8(1), 125-136.

Campos, T. M. M., & Magina, S. A (2008). Fração nas Perspectivas do professor e do aluno dos dois Primeiros Ciclos do Ensino Fundamental. Revista Bolema., ano 21, (31), 23-40.

Campos, T. M. M. (2011). Sobre o ensino e a aprendizagem de frações. Anais da XIII Conferência Interamericana de Educação Matemática (CIAEM). Recife, PE.

Castro, R. A. de. (2009) Número fracionário: estudo histórico, epistemológico e da transposição didática. Revista de educação, 12(13), 59-69.

Cedro, W. L., & Nascimento, C. P. (2017). Dos Métodos e das Metodologias em Pesquisas Educacionais na Teoria Histórico-Cultural. In: Moura, M. O. (Org). Educação Escolar e Pesquisa na Teoria Histórico-Cultural. São Paulo: Edições Loyola, 2017.

Cunha, M. R. K. (2008). Estudo das elaborações sobre o conceito de medidas em atividades de ensino. Tese (Doutorado) – Faculdade da Universidade de Campinas.

Leontiev, A. N. (1978). O desenvolvimento do psiquismo. São Paulo: Editora Moraes Ltda.

Lins, R. C. A (2008). Diferença como oportunidade para aprender. In: XIV Encontro Nacional de Didática e Prática de Ensino - :http://endipe.pro.br/site/even tos%20anteriores/XIV_Endipe_anais.rar>%20Último%20acessoem:%2003%20mar%2016.

Llinares, S. C., & Sánchez, M. V. G. (1988). Frações: A relação parte-todo. Madrid: Sintesis.

Lopes, A. F. (2017). Movimento Formativo de professores dos anos iniciais sobre frações e seus diferentes significados e suas relações com o ensino. Dissertação (Mestrado em Educação em Ciências e Matemática) Programa de Pós-graduação em Educação em Ciências e Matemática, Cefor, Instituto Federal do Espírito Santo.pp.136-142.

Lopes, A. J. (2008). O que nossos alunos podem estar deixando de aprender sobre frações, quando tentamos lhes ensinar frações. Bolema. Ano 21(31), 1-22.

Magina, S., & Malaspina. M. C. O. (2013). A fração nos anos iniciais: uma perspectiva para o seu ensino. In: Smole, K. C. S. S, & Muniz, C. (Orgs.). A matemática em sala de aula: reflexões e propostas para os anos iniciais do ensino fundamental. Porto Alegre: Penso.

Moretti, V. D., Martins, E., & Souza, F. D. D. (2017). Método Histórico-Dialético, Teoria Histórico-Cultural e Educação: Algumas apropriações em pesquisas sobre formação de professores que ensinam matemática. In: Moretti, V. D. & Cedro, W. L. Educação matemática e a Teoria Histórico Cultural: um Olhar sobre as Pesquisas. Campinas, SP: Mercado de Letras.

Moura, M. O. (2000). O educador matemático na coletividade de formação: uma experiência com a escola pública. São Paulo, SP. Tese de Livre-Docência. Universidade de São Paulo, p. 131

Moura, M. O. (2002). A atividade de ensino como ação formadora. In: A.D. Castro; A.M.P. de Carvalho (org.), Ensinar a ensinar: didática para a escola fundamental e média. São Paulo, (196 p), Pioneira Thomson Learning.

Moura, M. O. de. (2004). Pesquisa colaborativa: um foco na ação formadora. In: Barbosa, R. L. L. (org.). Trajetórias e perspectivas da formação de educadores. São Paulo: Editora UNESP.

Moura, M. O. de & Araújo, E. S. (2008). Contribuições da teoria histórico-cultural à pesquisa qualitativa sobre formação docente. In: Pimenta, S. G., & Franco, M. A. S. (orgs). Pesquisa em educação: possibilidades investigativas/formativas da pesquisa-ação. São Paulo: Edições Loyola. (pp.75-101).

Rosa, J, E. da, Moraes, S. P. G. de, & Cedro, W. L. de. (2010). As particularidades do pensamento empírico e do pensamento teórico na organização do ensino. In: Moura, M. O. (Org.), A atividade pedagógica na teoria histórico-cultural. (pp.77-125). Autores Associados.

Nunes, T. & Bryant, P. (1997) Crianças fazendo matemática. Trad. Sandra Costa. Porto Alegre: Artes Médicas.

Nunes, T., Bryant, P. , Pretzlik ,U, & Hurry, J. (2003). The effect of situation on children’s understanding of fractions. Trabalho apresentado à British Society for Research on the Learning of Mathematics, Oxford, June.

Onuchic, L. de La R., & Botta, L. S. (1997). Uma nova visão sobre o ensino e a aprendizagem dos números racionais. Revista de Educação Matemática, São Paulo: Sociedade Brasileira de Educação Matemática, 3(5), 5-11.

Proença. M. C. (2015). O ensino de frações via resolução de problemas na formação de futuras professoras de pedagogia. Revista Bolema. 29(52), ago. Rio Claro, 729-755.

Ribeiro, M. S. & Rego, R. G. (2017). A fração na perspectiva do professor dos anos iniciais do ensino fundamental. In.: Anais do IV Congresso Nacional de Educação CONEDU. Paraíba.

Santos, V. M. P. (1993). Avaliação de aprendizagem e raciocínio em matemática: métodos alternativos. Rio de Janeiro: Projeto Fundão/UFRJ.

Santos, V. M. P. (1997). Avaliação de aprendizagem e raciocínio em matemática: métodos alternativos. Rio de Janeiro: Projeto Fundão/UFRJ.

Silva, M. J. (1997). Sobre a introdução do conceito de número fracionário. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática) Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo.

Silva, V. et al. (2000). Uma experiência de ensino de fração articulada ao decimal e à porcentagem. Educação Matemática em Revista, São Paulo: Revista da Sociedade Brasileira de Educação Matemática, 7(8). 16-23.

Silva, J. A. D. (2007) Modelos explicativos elaborados por adolescentes de adultos para o cálculo com frações: da percepção ao pensamento operatório. Educação Matemática Pesquisa. PUC- SP. 9(2), 169-349.

Souza, V. F. de. (2013). Uma Abordagem aos Números Racionais na Forma Decimal: suas

Operações, Representações e Aplicações. 88 f. Dissertação (Mestrado) — Universidade estadual do norte fluminense Darcy Ribeiro - UENF, Campos dos Goytacazes-RJ.

Torezani, F. C. D. (2020). Grandezas e medidas na educação infantil: uma experiência em formação continuada. Dissertação (Mestrado em Educação em Ciências e Matemática) Programa de Pós-graduação em Educação em Ciências e Matemática, Cefor, Instituto Federal do Espírito Santo.

Vigotski L. S. (2009). A construção do pensamento e da linguagem. Tradução de Paulo Bezerra. (2a ed.) São Paulo: WMF Martins Fontes.

Published

12/10/2020

How to Cite

LOPES, A. F.; SILVA, S. A. F. da. Formative movement of teachers from the early years about fraction: the whole. Research, Society and Development, [S. l.], v. 9, n. 10, p. e6549109179, 2020. DOI: 10.33448/rsd-v9i10.9179. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/9179. Acesso em: 13 apr. 2024.

Issue

Section

Education Sciences