Scientific evidence about prevalence falls and associated factors in elderly

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v9i11.9741

Keywords:

Elderly; Associated factors; Falls; Prevalence.

Abstract

Objective: to elucidate, through a systematic review, the scientific evidence about the prevalence of falls and the influence of variables associated with them in the elderly. Methods: this is a study of systematic literature review, carried out in the SciELO and BVS databases through controlled descriptors, elderly, associated factors and prevalence, as well as their translations into Spanish and English, according to the DeCS and Mesh, published between 2010 and 2020. Results: We identified a total of 55 factors associated with falls in the elderly, in the studies selected in this review. The prevalence of falls in institutionalized elderly ranged from 15.1% to 100%, with the main associated factors presented: the need for some type of assistance to move around, weakness, balance, gait disorders, mobility disorders and postural control (83%), female gender (50%) and skin color, difficulties in seeing, inadequate environments and associated comorbidities (33%). The prevalence of falls in non-institutionalized elderly people ranged from 10.7% to 59.3%, with the main associated factors: female gender and advanced age (57%), problems related to walking and associated comorbidities (38%) and inadequate environments (33%). Final considerations: Given the above, we can conclude that the main risk factors associated with the risk of falls for the elderly, institutionalized and non-institutionalized, mentioned in the selected studies, form the need for some type of assistance to move around, weakness, balance, disorders of gait, mobility disorders and postural control, female gender, advanced age, skin color, difficulties in seeing, inadequate environments and associated comorbidities.

References

Álvares, L. M., Lima, R. C., & Silva, R. A. (2010). Ocorrência de quedas em idosos residentes em instituições de longa permanência em Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil. Cadernos de Saúde Pública, 26(1), 31-40.

Alves, A. H. C., Patrício, A. C. F.A., Albuquerque, K. F., Duarte, M. C. S., Santos, J. S., & Oliveira, M. S. (2016). Ocorrência de quedas entre idosos institucionalizados: prevalência, causas e consequências. Journal of Research Fundamental Care Online, 8(2), 4376-4386.

Amorim, J. S. C. D., Torres, K. C. L., Teixeira-Carvalho, A., Martins-Filho, O. A., Lima-Costa, M. F., & Peixoto, S. V. (2019). Inflammatory markers and occurrence off alls: Bambuí Cohort Study of Aging. Revista de saude publica, 53, 35.

Antes, D. L., D'Orsi, E., & Benedetti, T. R. B. (2013). Circunstâncias e consequências das quedas em idosos de Florianópolis. Epi Floripa Idoso 2009. Revista Brasileira de Epidemiologia, 16, 469-481.

Beyea, S., &Nichll, L. H. (1998). Writing an integrative review. AORN journal, 67(4), 877- 881.

Buksman, S., Vilela, A. L. S., Pereira, S. R. M., Lino, V. S., & Santos, V. H. (2008). Quedas em idosos: Prevenção. Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia. Projeto Diretrizes.

Brasil. Ministério da Saúde. (2014). Diretrizes para o cuidado das pessoas idosas no SUS. Proposta de modelo de atenção integral. In XXX Congresso Nacional de Secretarias Municipais e Saúde. Brasília: Ministério da Saúde.

Caberlon, I. C., & Bós, Â. J. G. (2015). Diferenças sazonais de quedas e fraturas em idosos gaúchos. Ciência & Saúde Coletiva, 20(12), 3743-3752.

Canuto, C. P. A. S., Oliveira, L. P. B. A. de, Medeiros, M. R. S., & Barros, W. C. T. S. (2020). Segurança do paciente idoso hospitalizado: uma análise do risco de quedas. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 54, 03613.

Carvalho, M. P., Luckow, E. L. T., & Siqueira, F. V. (2011). Quedas e fatores associados em idosos institucionalizados no município de Pelotas (RS, Brasil). Ciência & Saúde Coletiva. 16(6), 2945-2952.

Cortez, A. C. L., Silva, C. R. L., Silva, R. C. L., & Dantas, E. H. M. (2019). Aspectos gerais sobre a transição demográfica e epidemiológica da população brasileira. Enfermagem Brasil, 18(5), 700-709.

Chianca, T. C. M., Andrade, C. R., Albuquerque, J., Wenceslau, L. C. C., Tadeu, L. F. R., Macieira, T. G. R., & Ercole, F. F. Prevalência de quedas em idosos cadastrados em um Centro de Saúde de Belo Horizonte – MG. Revista Brasileira de Enfermagem. 66(2), 234-240.

Cruz, D. T. da, Ribeiro, L. C., Vieira, M. T., Teixeira, M. T. B., Bastos, R. R., & Leite, I. C. G. (2012). Prevalência de quedas e fatores associados em idosos. Revista de Saúde Pública, 46(1), 138-146.

Cruz, D. T. da, & Leite, I. C. G. (2018). Quedas e fatores associados em idosos residentes na comunidade. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, 21(5), 532-541.

Dantas, e. L., Brito, G. E. G., & lobato, I. A. F. (2012). Prevalência de quedas em idosos adscritos à estratégia de saúde da família do município de João Pessoa, Paraíba. Revista de aps. 15(1), 67-75.

Del Duca, G. F., Antes, D. L., &Hallal, P. C. (2013). Quedas e fraturas entre residentes de instituições de longa permanência para idosos. Revista Brasileira de Epidemiologia, 16, 68-76.

Falsarella, G. R., Gasparotto, L. P. R., & Coimbra, A. M. V. (2014). Quedas: conceitos, frequências e aplicações à assistência ao idoso. Revisão da literatura. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, 17(4), 897-910.

Ferreira, L. M. B. M., Jerez-Roig, J., Andrade, F. L. J. P. de, Oliveira, N. P. D. de, Araújo, J. R. T. de, & Lima, K. de. (2016). Prevalência de quedas e avaliação da mobilidade em idosos institucionalizados. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, 19(6), 995-1003.

Fhon, J. R. S., Fabrício-Wehbe, S. C. C., Vendruscolo, T. R. P., Stackfleth, R., Marques, S., & Rodrigues, R. A. P. (2012). Quedas em idosos e sua relação com a capacidade funcional. Revista Latino-Americana de Enfermagem, 20(5), 927-934.

Fhon, J. R. S., Rosset, I., Freitas, C. P., Silva, A. O., Santos, J. L. F., & Rodrigues, R. A. P. (2013). Prevalência de quedas de idosos em situação de fragilidade. Revista de Saúde Pública, 47, 266-273.

Gai, J., Gomes, L., Nóbrega, O. D. T., & Rodrigues, M. P. (2010). Fatores associados a quedas em mulheres idosas residentes na comunidade. Revista da Associação Médica Brasileira, 56(3), 327-332.

Gonçalves, F. G., Lavado, E. L., &Trelha, C. S. (2016). Quedas e fatores associados em idosos trabalhadores de uma instituição de ensino superior. Acta Fisiátrica. 23(2), 78-84.

Guerra, H. S., Alves e Sousa, R., Bernardes, D. C. F., Santana, J. A., & Barreira, L. M. (2016). Prevalência de quedas em idosos na comunidade. Revista Saúde e Pesquisa. 9(3), 544-555.

Gullich, I., Cordova, D. D. P. (2017). Quedas em idosos: estudo de base populacional. Revista da Sociedade Brasileira de Clínica Médica. 15(4), 230-234.

Hulley, S. B., Cummings, S. R., Browner, W. S., Grady, D. G., Newman, T. B., Duncan, M. S., & Islabão A. G. (2008). Delineando a pesquisa clínica (4a ed). Porto Alegre: Artmed.

Júnior, P. F., & Barela, J. A. (2006). Alterações no funcionamento do sistema de controle postural de idosos: uso da informação visual. Revista Portuguesa de Ciências do Desporto, 6(1), 94-105.

Paradella, R. (2018). Número de idosos cresce 18% em 5 anos e ultrapassa 30 milhões em 2017. IBGE.

Kane, R. L., Ouslander, J., Abrass, I. B., &Resnick, B. (2015). Fundamentos de geriatria clínica-7. AMGH Editora.

Kallin, K., Lundin-Olsson, L., Jensen, J., Nyberg, L., &Gustafson, Y. (2002). Predisposing and precipitating factors for falls among older people in residential care. Public health, 116(5), 263-271.

Lebrão, M. L. (2007). O envelhecimento no Brasil: aspectos da transição demográfica e epidemiológica. Saúde Coletiva. 04 (017), 135-140, São Paulo.

Ministério da Saúde. (2007). Envelhecimento e Saúde da Pessoa Idosa – Cadernos de Atenção Básica nº 19. Brasília. Recuperado de https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/evelhecime nto_saude_pessoa_idosa.pdf.

Moher, D., Liberati, A., Tetzlaff, J., Altman, D. G., & Prisma Group. (2009). Preferred reporting items for systematic reviews and meta-analyses: the PRISMA statement. PLoS med, 6(7), e1000097.

Organização Mundial da Saúde. (2015). Relatório mundial de envelhecimento e saúde. Estados Unidos, 30, 12.

Organização Mundial Da Saúde. (2010). Relatório global da OMS sobre prevenção de quedas na velhice. São Paulo: Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo.

Pereira, G. N., Morsch, P., Lopes, D. G. C., Trevisan, M. D., Ribeiro, A., Navarro, J. H. N, Bós, D. S. G., Vianna, M. S. S., &Bós, Â. J. G. (2013). Fatores socioambientais associados à ocorrência de quedas em idosos. Ciência & Saúde Coletiva, 18(12), 3507-3514

Pereira, S. G., Santos, C. B. D., Doring, M., & Portella, M. R. (2017). Prevalence of household falls in long-lived adults and association with extrinsic factors. Revista latino-americana de enfermagem, 25.

Plataforma Sucupira (2019). Recuperado de https://sucupira.capes.gov.br

Rezende, C.P., Gaede-Carrillo, M. R. G., & Sebastião, E. C. O. (2012). Queda entre idosos no Brasil e sua relação com o uso de medicamentos: revisão sistemática. Cadernos de Saúde Pública, 28(12), 2223-2235

Rosa, V. P. P., Cappellari, F. C. B. D., & Urbanetto, J. S. (2019). Análise dos fatores de risco para queda em idosos institucionalizados. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, 22(1), 1-13.

Sandoval, R. A., Sá, A. C. A. M., Menezes, R. L. de, Nakatani, A. Y. K., & Bachion, M. M. (2013). Ocorrência de quedas em idosos não institucionalizados: revisão sistemática da literatura. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, 16(4), 855-863

Santos, C. M. D. C., Pimenta, C. A. D. M., & Nobre, M. R. C. (2007). A estratégia PICO para a construção da pergunta de pesquisa e busca de evidências. Revista Latino-Americana de Enfermagem, 15(3), 508-511

Santos, R. K. M., Maciel, A. C. C., Britto, H. M. J. S., Lima, J. C. C., & Souza, T. O. (2015). Prevalência e fatores associados ao risco de quedas em idosos adscritos a uma Unidade Básica de Saúde do município de Natal, RN, Brasil. Ciência & Saúde Coletiva. 20(12),3753-3762.

Silva-Fhon, JR, Partezani-Rodrigues, R., Miyamura, K., & Fuentes-Neira, W. (2019). Causas e fatores associados às quedas em idosos. Enfermagem da Universidade, 16 (1), 31-40.

Soares, W. J. D. S., Moraes, S. A. D., Ferriolli, E., &Perracini, M. R. (2014). Fatores associados a quedas e quedas recorrentes em idosos: estudo de base populacional. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, 17(1), 49-60.

Sousa-Araújo, D., Ingrid, V., C Gomes, N., Santos-Nascimento, J., Neves Romanato Ribeiro, C. C., & dos Santos Tavares, D. M. (2020). Queda entre idosos: preditores e distribuição espacial. Revista de Salud Pública, 21, 187-194.

SJR - SCImagoJournal Rank. (2019). Recuperado de https://www.scimagojr.com/

Stamm, B., Leite, M. T., Hildebrandt, L. M., Kirchner, R. M., & Menezes, L. P. (2016). Fatores de risco para quedas em idosos Falling is a part of life: Falls risk factors to the elderly. Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online, 8(4), 5080-5086.

Tako, K. V., Andrade, L. C., Marinho, H. M. L., Neves, V. S., Santos, A. E., Lopes, M. S., Trindade, L. D. A. R., & Alves, J. A. B. (2017). Perfil e prevalência de quedas em idosos. Revista de Enfermagem UFPE online. 11(11), 4687-4691.

Tani G. Educação física: por uma política de publicação visando à qualidade dos periódicos. Revista Brasileira de Ciências do Esporte 2007, 29(1).

Tavares, D. M. S., & Nascimento, J. S. (2016). Prevalência e fatores associados a quedas em idosos. Texto Contexto Enfermagem. 25(2), 2-9.

Thompson Hernández, J. A., & Quevedo Tejero, E. D. C. (2019). Caídas múltiples y factores asociados en adultos mayores funcionales no institucionalizados de Villahermosa, Tabasco, México. Horizonte sanitario, 18(2), 185-193.

Vieira, L. S., Gomes, A. P., Bierhals, I. O., Farías-Antúnez, S., Ribeiro, C. G., Miranda, V. I. & Tomasi, E. (2018). Falls among older adults in the South of Brazil: prevalence and determinants. Revista de saude publica, 52, 22.

Vilela, A. L., Moraes, E. N., Lino, V. (2008). Grandes Síndromes Geriátricas. In: Borges, A. P. A., Coimbra, A. M. C. Envelhecimento e saúde da pessoa Idosa. Rio de Janeiro: Fundação Oswaldo Cruz, 151–175.

Vitorino, L. M., Teixeira, C. A. B., Boas, E. L. V., Pereira, R. L., Santos, N. O. D., & Rozendo, C. A. (2017). Medo de cair em idosos residentes no domicílio: fatores associados. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 51.

Published

11/11/2020

How to Cite

Silva, E. de S. ., Pereira, R. de K. A. ., & Cortez, A. C. L. (2020). Scientific evidence about prevalence falls and associated factors in elderly . Research, Society and Development, 9(11), e2119119741. https://doi.org/10.33448/rsd-v9i11.9741

Issue

Section

Health Sciences