Gender identity and sexual orientation: sexuality in the school context

Authors

  • Jessika Karoliny Ostelony Silva Universidade de Cuiabá
  • Degmar Francisco Anjos Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba
  • Paulo Sesar Pimentel Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso
  • Ilze Maria Gonçalves Costa Universidade de Cuiabá
  • José Henrique Monteiro Fonseca Universidade de Cuiabá

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v8i8.1182

Keywords:

School; Gender identity; Sexual orientation; Sexuality.

Abstract

The present text has the objective of discussing the diversity of genders and sexual orientations, which compose the school context under the teaching perspective. Faced with such phenomena, a survey was carried out with 12 high school teachers from a public school in the city of Cuiabá-MT. In qualitative research, the senses attributed by these teachers to the phenomenon of sexuality and its manifestations in the context of their praxis were investigated. For analyzing the fragments of reports seized through a semi-structured interview, we adopted, as a theoretical-methodological view, Social Constructionism through the analysis of linguistic repertoires and investigated the production of meanings enunciated by discursive practices. Sexuality, although treated as a phenomenon 'natural' to every human being, presents itself in its complexity and diversity as a social construct, as well as the various forms of identities. Thus, discourses on the lack of information about such phenomena appear, which makes it impossible for the educators to actually carry out the transversality proposed by the National Curricular Parameters (NCPs). The school is still fragile and lacking in training to deal with issues involved in sexuality, whether in dialogue about gender, orientation or even sexual diversity. This observed reality needs to be transformed through curricula, norms, and methodologies that consider the diversity of gender, cultures, ethnicities, classes, and other human subjectivities present in the educational environment. In this movement, the transversality of themes such as sexuality will become possible, as well as the effective construction of new knowledge and knowledge.

References

Anjos, D. F. (2015). Quando três tempos se encontram: sentidos e ressignificações de jovens vivendo com HIV/Aids. Jundiaí, SP: Paco Editorial.

Altmann, H. (2003). Orientação sexual em uma escola: recortes de corpos e de gênero. Cad. Pagu [online], 21(1): 281-315. Recuperado de http://dx.doi.org/10.1590/S0104-83332003000200012.

Bakthin, M. (2006). Metodologia das Ciências humanas e sociais. In: M. Bakthin, Estética da Criação Verbal (5a. ed.). São Paulo: Martins Fontes.

Bortolini, A., Bicalho, P.P.G., Mostafá, M., Colbert, M., Polato, R. & Pinheiro, T.F. (2014). Trabalhando Diversidade Sexual e de Gênero na Escola: Currículo e Prática Pedagógica. Publicado na UFRJ, Rio de Janeiro/RJ. Recuperado de http://diversidade.pr5.ufrj.br/images/GDE_livro_1.pdf.

Brasil. (1997). Parâmetros curriculares nacionais: introdução aos parâmetros Curriculares nacionais / Secretaria de Educação Fundamental. – Brasília: MEC/SEF.

Britzman, D. (1996). O que é essa coisa chamada amor? – Identidade homossexual, educação e currículo. Educação e Realidade, 21(1), 71-96. Recuperado de https://seer.ufrgs.br/educacaoerealidade/article/view/71644/0.

Butler, J. (1990). Gender trouble. Feminism and the subversion of identity. New York: Routledge.

Ciampa, A. (2012). Identidade. In: S. Lane (Org.), Psicologia Social: o homem em movimento (8a ed., p 58-74). São Paulo: Brasiliense.

Esperança, A.C., Silva, I.R. & Neves, A.L.M. (2015). Significados e Sentidos sobre Homossexualidade entre Docentes: Uma Análise Sócio-Histórica. Temas em Psicologia, 23(3), 739-749. Recuperado de https://dx.doi.org/10.9788/TP2015.3-17.

Foucault, M. (1988). História da sexualidade I: a vontade de saber (13a ed.). Rio de Janeiro: Graal.

Foucault, M. (2014). Vigiar e Punir. Petrópolis-RJ: Vozes.

Frigotto, G. & Ciavatta, M.. (2011). Perspectivas sociais e políticas da formação de nível médio: avanços e entraves nas suas modalidades. Educação & Sociedade, 32(116), 619-638. Recuperado de https://dx.doi.org/10.1590/S0101-73302011000300002.

Gergen, K. (2009). O movimento do construcionismo social na psicologia moderna. Revista Internacional Interdisciplinar INTERthesis, 6(1), 299-325. Recuperado de https://doi.org/10.5007/1807-1384.2009v6n1p299.

Heilborn, M. L., Aquino, E. M. L., Bozon, M., Knauth, D. P. (2006). O aprendizado da sexualidade: reprodução e trajetórias sociais de jovens brasileiros. Rio de Janeiro: Garamond e Fiocruz.

Jesus, J. G. (2012). Orientações sobre identidade de gênero: conceitos e termos. Brasília: Autor.

Louro, G. L. (Org.). (2000). O corpo educado – pedagogias da sexualidade. (2a. ed.). Belo Horizonte: Autêntica.

Louro, G. L. (1997). Gênero, sexualidade e educação. (6a. ed.) Petrópolis: Vozes.

Louro, G. L. (2009). Pensar a sexualidade na contemporaneidade. In: Paraná, Secretaria de Estado da Educação, Sexualidade. Curitiba: SEED – Pr.

Meyer, D., E. Estermann, Klein, C., & Andrade, S. S. (2007). Sexualidade, prazeres e vulnerabilidade: implicações educativas. Educação em Revista, (46), 219-239. Recuperado de https://dx.doi.org/10.1590/S0102-46982007000200009.

Natal-Neto, F.O, Klein, C., Macedo, G.S., Bicalho, P.P.G. (2016). A Criminalização das Identidades Trans na Escola: Efeitos e Resistências no Espaço Escolar. Psicologia Ensino & Formação, 7(1): 78-86. Recuperado de http://dx.doi.org/10.21826/2179-58002016717886.

Paiva, V. (2008). A psicologia redescobrirá a sexualidade?. Psicologia em Estudo, 13(4), 641-651. Recuperado de https://dx.doi.org/10.1590/S1413-73722008000400002.

Spink, M. J (2010). Linguagem e produção de sentidos no cotidiano. Rio de Janeiro: Centro Edelstein de Pesquisas Sociais.

Spink, M. J. (2012). Práticas Discursivas e Produção de sentidos no cotidiano: aproximações teóricas e metodológicas. Rio de Janeiro: Centro Edelstein de Pesquisas Sociais.

Spink, M. J. P; Brigadão, J. I. M.; Nascimento, V. L. V.; Cordeiro, M. P. (Org). (2004). A produção de informação na pesquisa social: compartilhando ferramentas. (1a. ed.) Rio de Janeiro: Centro Edelstein de Pesquisas Sociais.

Taquette, S. R (org.). (2009). Aids e juventude gênero, classe e raça. Rio de Janeiro: EdUERJ.

Published

30/05/2019

How to Cite

SILVA, J. K. O.; ANJOS, D. F.; PIMENTEL, P. S.; COSTA, I. M. G.; FONSECA, J. H. M. Gender identity and sexual orientation: sexuality in the school context. Research, Society and Development, [S. l.], v. 8, n. 8, p. e12881182, 2019. DOI: 10.33448/rsd-v8i8.1182. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/1182. Acesso em: 24 oct. 2021.

Issue

Section

Education Sciences