The health-disease process and old age: reflections about the normal and pathological

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i1.11977

Keywords:

Health-Disease Process; Aging; Aged; Public health policy.

Abstract

This article aims to reflect on the health-disease process in old age, from the perspective of normal and pathological. It is a theoretical-reflective essay, with a philosophical basis, which took place through the work “O normal e o patológico”, by the French philosopher and physician Georges Canguilhem. To support the reflection and discussion, scientific publications were used on the themes of human aging, old age, health-disease process in aging and old age, normal and pathological, and some public policies. The reflection proposes two chapters: “the health-disease process in old age: what is normal and what is pathological?” and “aging and old age in terms of public health policies”. The paradigm shift regarding aging and old age is still incipient, both in society and in public health policies. Aging is complex, and there is no need to set limits or boundaries between these two aspects, or between health and disease.

Author Biographies

Nidia Farias Fernandes Martins, Universidade Federal do Rio Grande

Enfermeira da Universidade Federal do Rio Grande (FURG). Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da FURG.

Daiane Porto Gautério Abreu, Universidade Federal do Rio Grande

Doutora em enfermagem. Docente da Escola de Enfermagem da Universidade Federal do Rio Grande.

Rosemary Silva da Silveira, Universidade Federal do Rio Grande

Doutora em enfermagem. Docente da Escola de Enfermagem da Universidade Federal do Rio Grande.

Juliana Piveta de Lima, Universidade Federal do Rio Grande

Doutoranda em Enfermagem pelo Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da Universidade Federal do Rio Grande.

Eliel de Oliveira Bandeira, Universidade Federal do Rio Grande

Doutorando em Enfermagem pelo Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da Universidade Federal do Rio Grande.

Carolina de Souza Carvalho Serpa Santos, Universidade Federal do Rio Grande

Mestranda em Enfermagem pelo Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da Universidade Federal do Rio Grande.

References

Brasil (2003). Lei 10.741, de 1 de outubro de 2003. Dispõe sobre o Estatuto do Idoso e dá outras providências. Diário Oficial da União.

Brasil (2006). Ministério da Saúde. Portaria nº 2.528 de 19 de outubro de 2006 - Aprova a Política Nacional de Saúde da Pessoa Idosa.

Brasil (2007). Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Envelhecimento e saúde da pessoa idosa. Brasília-DF: MS. 192 p.

Brasil (2010). Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas e Estratégicas. Atenção à saúde da pessoa idosa e envelhecimento. Brasília-DF. 44 p.

¬¬Brasil (2015). Centro Internacional de Longevidade Brasil (ILC-BRASIL). Envelhecimento ativo: um marco político em resposta à revolução da longevidade. 1ª Ed. Rio de Janeiro: ILC-BRASIL. 119p.

Cabrita, B. A. C., & Abrahão, A. L.(2014). O normal e o patológico na perspectiva do envelhecimento: uma revisão integrativa. Saúde em Debate, 38 (102), 635-645. doi: 10.5935/0103-1104.20140059.

Canguilhem, G. (2011). O normal e o patológico. 7ª Ed. Rio de Janeiro: Forense-Universitária.

Costa, D. G. S., & Soares, N. (2016). Envelhecimento e velhices: heterogeneidade no tempo do capital. Serviço Social & Realidade, 25(2). Recuperado de https://ojs.franca.unesp.br/index.php/SSR/article/view/2519/2225

Duarte, L. R. S. (1999). Idade cronológica: mera questão referencial no processo de envelhecimento. Estudos Interdisciplinares sobre o envelhecimento, 2, 35-47. doi: 10.22456/2316-2171.5473

Groisman, D. (2002). A velhice, entre o normal e o patológico. História, Ciências, Saúde — Manguinhos, Rio de Janeiro, 9 (1), 61-78. doi: 10.1590/S0104-59702002000100004.

Guerra, M. F. S. de S., Porto, M. J., Araujo, A. M. B., Souza, J. P., Santos, G. P., Santana , W. N. B., Andrade, W. B., Santana, A. F., Silva, S. R. S., & Nascimento , M. B. (2021). Envelhecimento: interrelação do idoso com a família e a sociedade. Research, Society and Development, 10 (1), e3410111534. doi: 10.33448/rsd-v10i1.11534.

Luiz, K. K. I., Loreto, M. D. D. S., Mafra, S. C. T., & Ferreira, M. A. M. (2018). Envelhecimento e velhice: Protagonismo, temporalidade e desafios. Temporalis, 18 (35), 289-304. Recuperado de https://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=6580670

Mattar, J. B. L., Costa, D. G. S., Souza, C. F. S., Souza, E. B. P., & Queiroz, A. D. L. S. (2019). A questão do envelhecimento: respostas político-institucionais. In Congresso Brasileiro de Assistentes Sociais 2019 (Vol. 16, No. 1).

Organização Mundial da Saúde. (2015). Resumo do Relatório Mundial de Envelhecimento e Saúde. Recuperado de https://apps.who.int/iris/bitstream/handle/10665/186468/WHO_FWC_ALC_15.01_por.pdf

Pelegrino, P. S. (2009). Perspectiva biopsicológica do envelhecimento. São Paulo: Secretaria estadual de assistência e Desenvolvimento Social: Fundação Padre anchieta.

Pereira, A. S., Shitsuka, D. M., Parreira, F. J., & Shitsuka, R. (2018). Metodologia da pesquisa científica. UFSM. Recuperado de https://repositorio.ufsm.br/bitstream/handle/1/15824/Lic_Computacao_Metodologia-Pesquisa-Cientifica.pdf?sequence=1.

Santos, S. S. C. (2010). Concepções teórico-filosóficas sobre envelhecimento, velhice, idoso e enfermagem gerontogeriátrica. Revista Brasileira de Enfermagem, 63(6), 1035-1039. doi: 10.1590/S0034-71672010000600025.

Schneider, R. H., & Irigaray, T. Q. (2008). O envelhecimento na atualidade: aspectos cronológicos, biológicos, psicológicos e sociais. Estudos de Psicologia, 25(4), 585-593. doi: 10.1590/S0103-166X2008000400013.

Uchôa, E. (2003). Contribuições da antropologia para uma abordagem das questões relativas à saúde do idoso. Cadernos de Saúde Pública, 19 (3), 849-853. doi: 10.1590/S0102-311X2003000300017.

Vera, E. C. B. A. (2016). A medicalização do envelhecimento. Recuperado de https://www.portaldoenvelhecimento.com.br/medicalizacao-do-envelhecimento/

World Health Organization. (2005). Envelhecimento ativo: uma política de Brasília: Organização Pan-Americana da Saúde. 60p.

Zielinsky, I. M. B.(2008). Filosofia do envelhecimento: a dialética dos contrários. Revista Brasileira de Ciências do Envelhecimento Humano, 5(1).

Published

24/01/2021

How to Cite

MARTINS, N. F. F. .; ABREU, D. P. G.; SILVEIRA, R. S. da; LIMA, J. P. de; BANDEIRA, E. de O.; SANTOS, C. de S. C. S. The health-disease process and old age: reflections about the normal and pathological. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 1, p. e44610111977, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i1.11977. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/11977. Acesso em: 28 feb. 2021.

Issue

Section

Health Sciences