The challenges of teaching in elementary education in times of social isolation

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i6.15866

Keywords:

Pandemic; Social Isolation; Remote Class; Learning Levels; Educator; Teaching; COVID-19.

Abstract

The teaching and learning process has, over the years, demonstrated the need for reformulation, as technological developments allow students quick access to a large volume of information. With the scenario created by the Covid-19 pandemic, education will no longer be the same and, in the midst of the uncertainties and the new directions that everyone was forced to trace, society continues in search of effective solutions for the most diverse segments. The period of social isolation brought, among other issues, the need to reinvent, advance and consolidate technology. With remote classes, discussions were opened and, with them, there was room for adaptations by teachers, students, parents and others involved in the teaching process. Hence the need to assess the students' level of learning and the quality of teaching in this emergency situation. The use of methodologies that allow measuring and assisting in the educational development of students, in order to present resources to teachers to meet the needs observed.

References

Allal, L. (1986). Estratégias de Avaliação Formativa: Concepções Psicopedagógicas e Modalidades de Aplicação. In: Allal, L.; Cardinet, J.; Perrenoud, Ph. (Org.). A Avaliação formativa num ensino diferenciado. Coimbra: Almedina. p. 175-209.

Bomfim, M. H. S., David, F. F., & de Oliveira, A. R. (2020). Avaliação do nível de satisfação do uso de jogos eletrônicos em sala de aula: um estudo de caso utilizando o software Kahoot! Educação Pública, v. 20, nº 31, 18 de agosto de 2020. Disponível em: https://educacaopublica.cecierj.edu.br/artigos/20/31/avaliacao-do-nivel-de-satisfacao-do-uso-de-jogos-eletronicos-em-sala-de-aula-um-estudo-de-caso-utilizando-o-isoftwarei-kahoot. Acesso nov. 2020.

Brande, L. V. (1993). Flexible and Distance Learning. Londres: John Wiley & Sons.

Castells, M. (2003). A galáxia da internet: reflexões sobre a internet, os negócios e a sociedade. Rio de Janeiro: Jorge Zaha.

Casanova, M. A. (2001). Evaluación y atención a la diversidad. In: Compané, Antonio S. (org.). Educar para la diversidad en el siglo XXI. Espanha. Mira Editores.

Escolas Exponenciais, (2020). Gestão escolar, ensino híbrido e os novos desafios da educação pós-pandemia. Disponível em: https://escolasexponenciais.com.br/inovacao-e-gestao/gestao-escolar-ensino-hibrido-e-os-novos-desafios-da-educacao-pos-pandemia/. Acesso jan. 2021.

Esteban, M. T. (2004). Pedagogia de Projetos: entrelaçando o ensinar, o aprender e o avaliar à democratização do cotidiano escolar. In: Silva, J. F., Hoffmann, J., Esteban, M. T. (orgs.) Práticas avaliativas e aprendizagens significativas: em diferentes áreas do currículo. 3.ed. Porto Alegre: Mediação. p. 81-92.

Fernandes, D. (2008). Para uma Teoria da Avaliação no Domínio das Aprendizagem. Estudos na Avaliação Educacional. v.19. n. 41. P.347-374.

Fino, C. N. (2017). Um Século de Máquinas de Ensinar, 50 anos de Máquinas para Aprender. Revista Hipótese, v.3, n.3.

Freire, P. (1996). Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 3.ed. São Paulo: Paz e Terra.

Grignon, C. (2002). Cultura dominante, cultura escolar e multiculturalismo popular. In: Silva, Tomaz Tadeu da. (Org.). Alienígenas na sala de aula. Uma introdução aos estudos culturais em educação. Petrópolis. Editora Vozes.

Hargreaves, A. (2003). O ensino na sociedade do conhecimento: a educação na era da insegurança. Porto: Porto Editora.

Hubert, R. (1967). História da pedagogia. São Paulo: Companhia Editora Nacional.

Jauris, I., Fagan, S. B., & Porto, A. V. L. (2008). Desenvolvimento e Avaliação de um objeto de Aprendizagem sobre o Custo do Banho para Ensino de Física. RENOTE. Revista Novas Tecnologias na Educação, v. 6, p. 1-10.

Leite, L.S., & da Silva, C. M. T. (2012). A educação a distância capacitando professores: em busca de novos espaços para a aprendizagem. Disponível em: https://www2.unifap.br/midias/files/2012/04/A-EDUCA%c3%87%c3%83O-A-DIST%c3%82NCIA-CAPACITANDO-PROFESSORES.pdf. Acesso mar. 2021.

Lima, L. O. (1970). A escola secundária moderna – organização, métodos e processos. 9.ed. Petrópolis: Vozes.

Maturana, H. R., & Varela, F. J. (2005). As bases biológicas da compreensão humana. 5.ed. São Paulo: Palas Athena.

Marx, K. (2010). Contribuição à crítica da economia política. 2. ed. São Paulo: Expressão Popular, 2008. Manuscritos econômico-filosóficos. 4. reimpressão. São Paulo: Boitempo.

Paiva, M. R. F., Parente, J. R. F., Brandão, I. R., & Queiroz, A. H. B. (2016). Metodologias ativas de ensino-aprendizagem: revisão integrativa. Sanare – Revista de Políticas Públicas, Sobral, v. 15, nº 2. Disponível em: https://sanare.emnuvens.com.br/sanare/article/view/1049. Acesso mar. 2021.

Palloff, R. M., & Pratt, K. (2002). Construindo comunidades de aprendizagem no ciberespaço. Artmed.

Pires, M. A., & Veit, E. A. (2006). Tecnologias de Informação e Comunicação para ampliar e motivar o aprendizado de Física no Ensino Médio. Revista Brasileira de Ensino de Física, v. 28, p. 241.

Pozo, J.I. (2004). A sociedade da aprendizagem e o desafio de converter informação em conhecimento. Revista Pátio, v.8, n.31.

Riccio, N. C. R., (2005). A Atenção à Diversidade em Programas de Educação à Distância. Congresso ABED. Disponível em http://www.abed.org.br/congresso2005/por/pdf/034tcb5.pdf, Acesso mai. 2020.

Saviani, D. (2011). Escola e democracia. Edição comemorativa. Campinas: Autores Associados, 2008. História das ideias pedagógicas no Brasil. 3. ed. Campinas: Autores Associados, 2010. Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. 11. ed. Campinas: Autores Associados.

Souza, L. (2020). Ensino Hibrido é Tendência para a Vida Escolar no Mundo Pós-Pandemia. Agência Brasil. Disponível em: https://agenciabrasil.ebc.com.br/educacao/noticia/2020-07/ensino-hibrido-e-tendencia-para-vida-escolar-no-mundo-pos-pandemia. Acesso jan. 2021.

Vieira Junior, N. (2012). Apostila de Pós-graduação em Docência. Instituto Federal de Minas Gerais, Arcos, 2019. Vieira Junior, Niltom. Planejamento de um ambiente virtual de aprendizagem baseado em interfaces dinâmicas e uma aplicação ao estudo de potência elétrica. Tese (Doutorado em Engenharia Elétrica) – Faculdade de engenharia de Ilha Solteira, Universidade Estadual Paulista, UNESP, Ilha Solteira, 2012.

Vygotsky, L. S. (1988). A formação social da mente – o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. São Paulo: Martins Fontes.

Zabala, A. (1998). A Prática Educativa: Como Ensinar. Porto Alegre. ArtMed.

Published

06/06/2021

How to Cite

COELHO, F. G. F.; VIANA, L. A. F. de C. . The challenges of teaching in elementary education in times of social isolation. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 6, p. e45510615866, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i6.15866. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/15866. Acesso em: 18 jun. 2021.

Issue

Section

Education Sciences