Assessment of learning in chemistry: discussions required in the context of (post) pandemic

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i9.18111

Keywords:

Learning evaluation; Emergency remote teaching; Chemistry teaching; High School; Evaluation practices.

Abstract

Learning assessment has an important role in the educational process, it goes beyond checking students' mistakes, grades, and promotion to a higher grade level or grade. It can contribute to the identification of points that need to be reviewed, both by students, during studies, and by teachers, during the (re)planning of classes, so that the development of the teaching and learning process brings benefits to everyone. In this way, considering the entire process, the assessment must be carried out throughout the school year in different ways, and not restricted to a specific time. It must be carefully planned and elaborated, especially during emergency remote teaching, when questions arise, such as: What type of assessment is possible to carry out remotely? Which instruments are the most suitable? How is it possible to have control over the cheating? How to assess post-pandemic? In order to promote reflection and debate on these issues, aimed at the evaluation process in Chemistry classes in High School, we intended this article. It is also expected that the evaluation proposals indicated in the text can contribute to the evaluation practice of Chemistry teachers working in Basic Education.

References

Alves, L. (2020). Educação remota: entre a ilusão e a realidade. Interfaces Científicas-Educação, 8(3), 348-365.

Araújo, R. K. S., & Abranches, S. P. (2019). Avaliação Interativa-Mediadora: uma framework para avaliar a aprendizagem na educação online. Anais do II Encontro Regional Norte-Nordeste da ABCiber, Aracaju. https://eventos.set.edu.br/abciber/article/view/13225/5050.

Barros, H. L. C., & Magalhães, W. F. (2013). Efeito Crioscópico: Experimentos Simples e Aspectos Atômico-Moleculares. Química Nova na Escola, 35(1), 41-47.

Benedetti Filho, E., Cavagis, A. D. M., & Benedetti, L. P. S. (2020). Jogo didático de cartas para revisões conceituais no ensino de Química Orgânica. Experiências em Ensino de Ciências, 15(3), 580-590.

Biagiotti, L. C. M. (2005). Conhecendo e Aplicando Rubricas em Avaliações. Anais do 12º Congresso Internacional ABED de Educação a Distância, Florianópolis. http://www.abed.org.br/congresso2005/por/pdf/007tcf5.pdf.

Calado, E. F. N., Araújo, R. K. S., Silva, A. P. T. B., Mota, A. C., & Silva, I. M. M. (2017). Processo de avaliação da aprendizagem na educação online: entre concepções e práticas docentes. Anais do 23º Congresso Internacional ABED de Educação a Distância, Foz do Iguaçu. http://www.abed.org.br/congresso2017/trabalhos/pdf/225.pdf.

Chueiri, M. S. F. (2008). Concepções sobre a avaliação escolar. Estudos em Avaliação Educacional, 19(39), 49-64.

Cunha, L. F. F., Silva, A. S., & Silva, A. P. (2020). O ensino remoto no Brasil em tempos de pandemia: diálogos acerca da qualidade e do direito e acesso à educação. Revista Com Censo: Estudos Educacionais do Distrito Federal, Brasília, 7(3), 27-37.

Dias Sobrinho, J. (2008). Avaliação educativa: produção de sentidos com valor de formação. Avaliação: Revista da Avaliação da Educação Superior, Campinas, 13, 193-207.

Dias Sobrinho, J. (2003). Avaliação: políticas e reformas da Educação Superior. São Paulo: Cortez.

Díaz-Castrillón, F. J. & Toro-Montoya, A. I. (2020). SARS-CoV-2/COVID-19: el virus, la enfermedad y la pandemia. Medicina & Laboratorio, 24(3), 183-205.

Fernandes, D. (2021). Rubricas de Avaliação. Folha de apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação.

https://afc.dge.mec.pt/sites/default/files/2021-04/Folha%205_Rubricas%20de%20Avalia%C3%A7%C3%A3o.pdf.

Ferraz, A. P. C. M., & Belhot, R. V. (2010). Taxonomia de Bloom: revisão teórica e apresentação das adequações do instrumento para a definição de objetivos instrucionais. Gestão & Produção, São Carlos, 17(2), 421-431. https://doi.org/10.1590/S0104-530X2010000200015.

Hoffmann, J. (2014). Avaliação: mito & desafio: uma perspectiva construtivista. (44 ed.). Porto Alegre: Mediação.

Krathwohl, D. R. (2002). A revision of Bloom's taxonomy: An overview. Theory into practice, 41(4), 212-218.

Lemos, P. S., & Sá, L. P. (2013). A avaliação da aprendizagem na concepção de professores de química do ensino médio. Revista Ensaio, Belo Horizonte, 15(3), 53-71.

Luckesi, C. C. (2011b). Avaliação da aprendizagem: componente do ato pedagógico. (1. ed.). São Paulo: Cortez.

Luckesi, C. C. (2011a). Avaliação da aprendizagem escolar: estudos e proposições. (22. ed.). São Paulo: Cortez.

Luckesi, C. C. (2014). Sobre notas escolares: distorções e possibilidades. São Paulo: Cortez.

Michaelis. (nd). Avaliação. In Dicionário Brasileiro da Língua Portuguesa. São Paulo: Editora Melhoramentos LTDA. https://michaelis.uol.com.br/moderno-portugues/busca/portugues-brasileiro%20/avalia%C3%A7%C3%A3o.

Moreira, J. A., Henriques, S., & Barros, D. M. V. (2020). Transitando de um ensino remoto emergencial para uma educação digital em rede, em tempos de pandemia. Dialogia, 34, 351-364. https://doi.org/10.5585/Dialogia.N34.17123.

Moretto, V. P. (2005). Prova: um momento privilegiado de estudo não um acerto de contas. (6. ed.). Rio de Janeiro: DP&A.

Nascimento, I. S., & Santos, P. C. (2020). A normalidade da desigualdade social e da exclusão educacional no brasil. Caderno De Administração, 28(Edição E), 122-130.

Paixão, M. V., & Pinto, L. R. (2019). Avaliação por conceito na educação profissional e tecnológica e a Taxonomia de Bloom: uma possibilidade? Debates em Educação, Maceió, 11(24), 586-599.

Perrenoud, P. (2007). Avaliação: da excelência à regulação das aprendizagens – entre duas lógicas. Tradução de Patrícia C. Ramos. (reimpressão). Porto Alegre: Artmed.

Sales, P. F. (2020). “Químiemcasa”: aspectos de um processo de ensino para a aprendizagem de Química em épocas de pandemia. Research, Society and Development, 9(11), 1-19.

Santos, W., & Mol, G. (2016). Química cidadã. (3. ed., Vol. 2). São Paulo: Editora AJS.

Silva, I. V., & Afonso, A. F. (2020). Instrumento de Avaliação: elaboração de uma proposta por um grupo de professores de Química do Ensino Médio. In A docência e a divulgação científica no ensino de ciências. FALEIRO, W., BARROS, M. V., ANDREATA, M. A. (Orgs). Goiânia: Kelps. http://kelps.com.br/wp-content/uploads/2020/03/a-docencia-e-a-divulgacao_ebook.pdf.

Sordi, M. R. L. (2001). Alternativas propositivas no campo da avaliação: por que não? In CASTANHO, S., CASTANHO, M. E. (Orgs). Temas e textos em metodologia do ensino superior. (6. ed.), Campinas: Papirus, (Coleção Magistério: Formação e Trabalho Pedagógico).

Souza Lima, M. V., & Silva, S. A. (2013). O que os Licenciandos (as) em Química pensam sobre a Estratégia Didática de Resolução de Situações-Problema. Atas do IX Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências – IX ENPEC, Águas de Lindóia, São Paulo. http://abrapecnet.org.br/atas_enpec/ixenpec/atas/resumos/R1080-1.pdf.

Vaz, R. F. N., Nasser, L., & Lima, D. O. (2021). Avaliar para aprender: um ato de insubordinação criativa. Revista @mbienteeducação. São Paulo: Universidade Cidade de São Paulo, 14(1), 214-243.

Vieira, H. J., Figueiredo-Filho, L. C. S. & Fatibello-Filho, O. (2007). Um experimento simples e de baixo custo para compreender a osmose. Química Nova na Escola, 26, 40-43.

World Health Organization. (2020). Doença por coronavírus (COVID-19). https://www.who.int/emergencies/diseases/novel-coronavirus-2019/question-and-answers-hub/q-a-detail/q-a-coronaviruses.

Published

31/07/2021

How to Cite

SILVA, I. V. da; AFONSO, A. F. Assessment of learning in chemistry: discussions required in the context of (post) pandemic. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 9, p. e45310918111, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i9.18111. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/18111. Acesso em: 20 sep. 2021.

Issue

Section

Education Sciences