Gender identity and sexual orientation at school: A necessary debate

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i9.18409

Keywords:

Gender identity; Sexual orientation; Diversity.

Abstract

Society is marked by constructs woven throughout history and which are instilled in the social imagination of subjects as legitimizers of an established order and when debates are proposed in an itinerary contrary to the normative, these are considered controversial themes. The inclusion of gender identity and sexual orientation as an agenda to be discussed brings with it this concern, as it unwittingly interferes with thought structures built under the aegis of an indisputable pattern of sexual behavior and gender expression, especially when the locus of discussion occurs at school. In this sense, this work has as its theme to panoramically analyze published writings and legislation that can support the debate about gender identity and sexual orientation, mainly within the school space. We sought to carry out a bibliographical survey from sources and legislation concerning the area, without intending to trace any ideological imposition that presupposes an exhaustion of the subject when it collides with hegemonic patterns of thought. It was proposed, then, a qualitative research, aiming to remove from invisibility themes like this that carry the central theme of this work. Thus, it could be verified that entering this discussion in society and in school is urgent and necessary and this can only be done with the opening to qualified debate, in an attempt to remove diversity from invisibility and destroy barriers built by the perpetuation of social concepts that were made over time and were appropriated as being immutable truths within a standard logic socially validated over the centuries.

Author Biography

Gilmara Gonçalves Santos, Instituto Federal do Norte de Minas Gerais

Técnica em Assuntos Educacionais do IFNMG - Campus Araçuaí

References

Brasil. Ministério da Educação. (2018). Base Nacional Comum Curricular. Brasília. http://basenacionalcomum.mec.gov.br/.

Brasil. (1988). Constituição da República Federativa do Brasil de 5 de outubro de 1988. Brasília.

Butler, Judith. (2003). Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira.

Daher, A. F. B. (2017). Aluno e professor: protagonistas do processo de aprendizagem. Website do SEMED/MS. http://www.campogrande.ms.gov.br/semed/wp-content/uploads/sites/5/2017/03/817alunoeprofessor.pdf

Godoy. A. S. (1995). Pesquisa qualitativa: tipos fundamentais. Revista de administração de Empresas, 35 (3), 20-29. https://www.scielo.br/j/rae/a/ZX4cTGrqYfVhr7LvVyDBgdb/?lang=pt&format=pdf

Guareschi, P. A. (2008). Ética e relações sociais entre o existente e o possível. Rio de Janeiro. Scielo. http://books.scielo.org/id/6j3gx/pdf/jacques-9788599662892-03.pdf

Guedes, M. E. F. (1995). Gênero: o que é isso. Psicologia, Ciência e Profissão. https://www.scielo.br/j/pcp/a/np6zGkghWLVbmLtdj3McywJ/?lang=pt&format=pdf

Jacó -Vilela, A. M., & Sato, L. (2012). Diálogos em Psicologia Social. Scielo. http://books.scielo.org/id/vfgfh/pdf/jaco-9788579820601.pdf

Jesus, J. G. de. (2012). Orientações sobre identidade de gênero: conceitos e termos. (2a ed.). Brasília: [s.n.].

Lei n. 9394, de 20 de dezembro de 1996. (1996). Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial da União, Brasília, DF.

Libâneo, J. C., & Oliveira, J.F. de., & Toschi, M. S. (2012). Educação escolar: políticas, estrutura e organização. (10a ed.). São Paulo: Cortez.

Louro, G. L. (2008). Gênero e sexualidade: pedagogias contemporâneas. Pró-posições, 19 (2), 17-23. http://www.scielo.br/pdf/pp/v19n2/a03v19n2.pdf

Martins, J. (2010). A pesquisa qualitativa. In FAZENDA, I. (Org). Metodologia da pesquisa educacional. (12a ed.). São Paulo: Cortez.

Mendes, W. G., & Silva, C. M. F. P. da. (2020). Homicídios da População de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais ou Transgêneros (LGBT) no Brasil: uma Análise Espacial. Ciência e saúde coletiva, 25 (5), 1709-1722. https://prceu.usp.br/wp-content/uploads/2021/03/Homicidios-da-Populacao-de-Lesbicas-Gays-Bissexuais-Travestis-Transexuais-ou-Transgeneros-LGBT-no-Brasil-uma-Analise-Espacial.pdf

Miskolci, Richard. (2012). Teoria queer: um aprendizado pelas diferenças. Belo Horizonte: Autentica Editora: UFOP - Universidade Federal de Ouro Preto.

Mott, L., & Cerqueira, M. (2003). Matei porque odeio gay. Salvador: Grupo Gay da Bahia.

Nogaro, A., & Francio, L. E. C. (2009). Por dentro da escola: contradições vividas por professores e alunos na cultura da incerteza. Revista de Ciências humanas. http://revistas.fw.uri.br/index.php/revistadech/article/download/390/702

Nogueira, D. M. (2010). Gênero e sexualidade na educação. Website do Grupo de Pesquisa Gênero, Corporalidades, Direitos Humanos e Políticas Públicas (GEPOP). http://www.uel.br/eventos/gpp/pages/arquivos/2.DanielaNogueira.pdf

Orientações Curriculares Nacionais para o Ensino Médio – Linguagens, códigos e suas tecnologias. (2006). Brasília.

Pupo. K. (2007). Questão de gênero na escola. Portal do Ministério da Educação. http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/Etica/20_pupo.pdf

Rosa, J. G. (2019). Grande sertão: veredas – “O diabo na rua, no meio do redemoinho...”. (22a ed.). São Paulo: Companhia das Letras.

Severino, A. J. (2007). Metodologia do trabalho científico. (23a ed.). São Paulo: Cortez.

Silva, A. K. L. S. da. (2013). Diversidade sexual e de gênero: A construção do sujeito social. Revista NUFEN [Online], 5(1), 12-25. http://pepsic.bvsalud.org/pdf/rnufen/v5n1/a03.pdf

Silva, J. C. da., Maraschin, A. de. A., Funari, C. A., Mello, E. M. B., & Junqueira, S. M. da. S. (2020). Gênero e sexualidade na BNCC: uma análise sob a perspectiva freireana. Revista Diversidade e Educação, 8 (2), 152-176. https://periodicos.furg.br/divedu/article/view/12104/8470

Silva, M. F. R. (2014). Gênero e sexualidade: práticas pedagógicas na escola. Monografia, UEPB. Guarabira, Paraíba, Brasil.

Published

01/08/2021

How to Cite

PEREIRA, G. A. F. .; SANTOS, G. G. Gender identity and sexual orientation at school: A necessary debate . Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 9, p. e49710918409, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i9.18409. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/18409. Acesso em: 23 sep. 2021.

Issue

Section

Review Article