Obstacles encountered in the practice of planning classes in school Physical Education

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i9.18410

Keywords:

Physical education; Lesson planning; Teaching.

Abstract

The present article is a bibliographical research that aimed to reflect on the obstacles found in the planning of classes in school Physical Education. In line with the theoretical framework, it was possible to make some considerations on the subject. In this sense, we observe that, in addition to the lack of materials and adequate infrastructure, the scarcity of studies dealing with the organization of content and the planning of classes in physical education are presented as one of the main obstacles to the pedagogical practice of teachers. In this way, critical pedagogical approaches and guiding documents appear as important proposals for the organization of teaching work. Thus, it is necessary to have a greater debate around studies that can subsidize the pedagogical practice, proposing discussions that contemplate ways to organize and plan the contents of the classes in a systematic and in-depth way. We believe that the discussion on this theme is important so that the Physical Education teacher can base their practice on theoretical knowledge and, consequently, organize the pedagogical work in a critical and reflective way.

Author Biography

Gilmara Gonçalves Santos, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais

Técnica em Assuntos Educacionais do IFNMG - Campus Araçuaí

References

Azevedo, S. E., & Shigunov, V. (2000). Reflexões sobre as abordagens pedagógicas de Educação Física. Universidade Federal de Santa Catarina. http://kinein.sites.ufsc.br/edit01/artigo2.pdf

Barni, M. J., & Schneider, E. J. (2003). A educação física no ensino médio: relevante ou irrelevante?. Revista Leonardo Pós, Blumenau, 1 (3), p. 15-20.

Betti, I. C. R. (1999). Esporte na escola: mas é só isso, professor?. Motriz, 1 (1), 25-31. http://files.cursoeducacaofisica.webnode.com/200000088-60238611e0/ESPORTE%20NA%20ESCOLA%20-%20IRENE%20RANGEL.pdf

Boscatto, J. D., Impolcetto, F. M., & Darido, S. C. (2016). A Base Nacional Comum Curricular: uma proposição necessária para a Educação Física?. Motrivivência, 28 (48), 96-112. https://periodicos.ufsc.br/index.php/motrivivencia/article/view/2175-8042.2016v28n48p96

Bossle, F. (2002). Planejamento de ensino na educação física - uma contribuição ao coletivo docente. Movimento, 8 (1), 31-39. https://seer.ufrgs.br/Movimento/article/view/2635/1261

Bossle, F., & Molina Neto, V. (2009). Leituras para (Re)Pensar o Trabalho Coletivo dos Professores de Educação Física. Movimento, 15 (3), 89-107. https://seer.ufrgs.br/Movimento/article/view/6877

Brasil. (2017). Lei nº 13.415, de 16 de fevereiro de 2017. Altera as Leis nos 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, e 11.494, de 20 de junho 2007, que regulamenta o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação, a Consolidação das Leis do Trabalho – CLT, aprovada pelo Decreto-Lei no 5.452, de 1o de maio de 1943, e o Decreto-Lei no 236, de 28 de fevereiro de 1967; revoga a Lei no 11.161, de 5 de agosto de 2005; e institui a Política de Fomento à Implementação de Escolas de Ensino Médio em Tempo Integral. Brasília, DF.

Brasil. Ministério da Educação. (2018). Base Nacional Comum Curricular. Brasília, DF.

Brasil. Ministério da Educação. Secretaria de Ensino Fundamental. (1998). Parâmetros curriculares nacionais: terceiro e quarto ciclos: Educação Física. Brasília, DF.

Brasil. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Média e Tecnológica (2000). Parâmetros Curriculares Nacionais (Ensino Médio). Brasília, DF.

Damazio, M. S., & Silva, M. F. P. (2008). O ensino da educação física e o espaço físico em questão. Pensar a prática, 11 (2), 197-2017. https://www.revistas.ufg.br/fef/article/view/3590/4098

Darido, S. C. (2003). Educação Física na escola – questões e reflexões. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan.

Daólio, J. (1995). Da cultura do corpo. Campinas: Papirus.

Daólio, J. (2002). A cultura da/na Educação Física. Tese, Universidade Estadual de Campinas. Campinas, São Paulo, Brasil.

Faria Filho, L. M., & Vago, T. M. (2001). Entre relógios e tradições: elementos para uma história dos tempos escolares em Minas Gerais. In VIDAL, D. G., & HILSDORF, M. L. (Orgs.). Tópicos em história da educação. São Paulo: Edusp.

Freire, J. B., & Scaglia, A. J. (2003). Educação Como Prática Corporal. São Paulo: Scipione.

Gandin, D., & Cruz, C. H. C. (2006). Planejamento na sala de aula. Petrópolis: Vozes.

Gil, A. C. (2002). Como elaborar projetos de pesquisa. (4a. ed.). São Paulo: Atlas.

Gramorelli, L. C., & Neira M. G. (2009). Dez anos de parâmetros curriculares nacionais: a prática da Educação Física na visão dos seus atores. Movimento, 15 (4), 107-126. https://seer.ufrgs.br/Movimento/article/view/6863

Guedes, D. P. (1999). Educação para a saúde mediante programas de educação física escolar. Motriz, 5 (1), 10-15. http://www.periodicos.rc.biblioteca.unesp.br/index.php/motriz/article/view/6619

Guedes, D. P., & Guedes, J. E. R. P. (1996). Associação entre variáveis do aspecto morfológico e desempenho motor em crianças e adolescentes. Revista Paulista de Educação Física, 10 (2), 99-112. http://www.revistas.usp.br/rpef/article/view/138523

Hildebrandt-Stramann, R. (2001). Textos pedagógicos sobre o ensino da Educação Física. Ijuí: Ed. UNIJUÍ. http://www.intaead.com.br/ebooks1/livros/ed%20fisica/22.%20TEXTOS%20PEDAG%D3GICOS.pdf

Impolcetto, F. M., & Darido, S. C. (2011). Possibilidades para a sistematização do voleibol na Educação Física escolar. Website do Portal de Revistas Eletrônicas da Universidade Católica de Brasília. https://portalrevistas.ucb.br/index.php/RBCM/article/view/2773

Impolcetto, F. M. et al. (2007). Educação física no ensino fundamental e médio: a sistematização dos conteúdos na perspectiva de docentes universitários sistematização dos conteúdos da educação física. Revista Mackenzie de Educação Física e Esporte, 6 (1), 89-109. http://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/remef/article/view/1285

Jahn, A.B. (2004). O planejamento das aulas de educação física dos professores que atuam em uma escola pública de Santa Maria (RS). Dissertação, Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, Rio Grande do Sul, Brasil.

Kunz, E. (2004). Transformação Didático-Pedagógica do Esporte. Ijuí: Unijuí.

Lei n. 9394, de 20 de dezembro de 1996. (1996). Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial da União, Brasília, DF.

Libâneo, J. C. (2013). Didática. (2a ed.). São Paulo: Cortez.

Lopes, M. R. S. et al. (2016). Prática do planejamento educacional em professores de educação física: construindo uma cultura do planejamento. Journal of Physical Education. http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2448-24552016000100144&lng=en&nrm=iso

Lüdke, M., & André, M. E. D. A. (1986). Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU.

Menegolla, M., & Sant’anna, I. M. (2002). Por que planejar? Como planejar?. Rio de Janeiro: Vozes.

Neira, M.G., & Nunes, M.L.F. (2006). Pedagogia da cultura corporal-Crítica e alternativas. São Paulo: Phorte..

Neira, M. G., & Souza Júnior, M. (2016). A Educação Física na BNCC: procedimentos, concepções e efeitos. Motrivivência, Florianópolis, 28 (28), p. 188-206.

Oliveira, A. A. B. (2004). Planejando a Educação Física Escolar. In VIEIRA, J. L. L. (Org). Educação Física e Esportes: estudos e proposições. Maringá: EDUEM.

Rosário, L. F. R., & Darido, S. C. (2005). A sistematização dos conteúdos da educação física na escola: a perspectiva dos professores experientes. Motriz, 11 (3), 167-178. https://www.rc.unesp.br/ib/efisica/motriz/11n3/10LRF.pdf

Rufino, L. G. B. et al. (2014). Educação física escolar no ensino médio: analisando o estado da arte. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, 36 (2), 5353-5369. http://revista.cbce.org.br/index.php/RBCE/article/view/2138

Rufino, L. G. B., & S. NETO S. (2016). Saberes docentes e formação de professores de Educação Física: análise da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) na perspectiva da profissionalização do ensino. Motrivivência, 28 (48), 42-60. https://periodicos.ufsc.br/index.php/motrivivencia/article/view/2175-8042.2016v28n48p42

Soares, C. L et al. (2012). Metodologia do Ensino da Educação Física (Coletivo de Autores). São Paulo: Cortez.

Torres, J. C., & Xavier, K. (2015). Parâmetros curriculares nacionais: novo paradigma para a formação do professor e da prática docente em educação física?. EccoS – Revista Científica, (37), 197-214. https://www.redalyc.org/pdf/715/71543111012.pdf

Vago, T. M. (1999). Início e fim do século XX: maneiras de fazer educação física na escola. Cadernos Cedes, (48), 30-51. http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-32621999000100003&lng=en&nrm=iso

Vasconcellos, C. S. (2000). Planejamento: projeto de ensino-aprendizagem e projeto político pedagógico. São Paulo: Libertad.

Published

02/08/2021

How to Cite

SANTOS, G. G.; PEREIRA, G. A. F. Obstacles encountered in the practice of planning classes in school Physical Education. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 9, p. e55210918410, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i9.18410. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/18410. Acesso em: 25 sep. 2021.

Issue

Section

Review Article