The evolution of Pronaf in the Development Regions (DR) of Pernambuco

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i10.18466

Keywords:

Family farming; Pronaf; Farm credit; Development Regions; Pernambuco.

Abstract

The aim of this article is to analyze the evolution of Pronaf in the Development Regions (DR) of Pernambuco, in the period from 2013 to 2018. The study, characterized as analytical-descriptive, was based on secondary data on Pronaf obtained from the Central Bank of Brazil and on the characteristics of family establishments in the 2017 Census of Agriculture. The Geometric Growth Rate (GGR) was also used to analyze the percentages of annual average increase or loss of variables associated with Pronaf. The results signaled a slight drop in the number of total Program contracts and consistency in the total monetary values. From the perspective of the DRs, there was a punctual growth and significant decreases in the number of total contracts, in contrast to more significant decreases, and in a greater number of Regions, considering to the values of the contracts. Regarding the different activities financed, it was observed opposite scenarios for agriculture and livestock, in which the decrease in agricultural contracts was more expressive than the increases in livestock financing. Consequently, inequalities were found between the Regions and it was evidenced that around 50% of Pronaf rural credit was concentrated in three DRs, which are also the areas that bring together the largest number of family establishments. However, they have one of the lowest percentages of technical assistance, corroborating with the premise that more voluminous resources have not been reflected in greater possibilities of specific support for their application in rural establishments.

References

Aquino, J. R., & Schneider, S. (2015). O Pronaf e o desenvolvimento rural brasileiro: avanços, contradições e desafios para o futuro. In: Grisa, C., & Schneider, S. (org.). Políticas públicas de desenvolvimento rural no Brasil (pp. 53-81). Ed. da UFRGS.

Araújo, J. A., & Vieira Filho, J. E. R. (2018). Análise dos impactos do Pronaf na agricultura do Brasil no período de 2007 a 2016. Texto para discussão, n. 2412. Rio de Janeiro: IPEA.

Banco Central do Brasil - BACEN. (2020). Matriz de Dados do Crédito Rural (MDCR). https://www.bcb.gov.br/estabilidadefinanceira/micrrural.

Barros, G.S.C. (2014). Agricultura e indústria no desenvolvimento brasileiro. In: Buainain, A. M et al. (org.). O mundo rural no Brasil do século 21: a formação de um novo padrão agrário e agrícola (pp. 81-116). Embrapa. https://www.embrapa.br/busca-de-publicacoes/-/publicacao/994073/o-mundo-rural-no-brasil-do-seculo-21-a-formacao-de-um-novo-padrao-agrario-e-agricola.

Bianchini, V. (2015). Vinte anos do PRONAF, 1995-2015: avanços e desafios. SAF/MDA.

Buainain, A.M et al. (2014). O tripé da política agrícola brasileira: crédito rural, seguro e Pronaf. In: Buainain, A. M et al (org.). O mundo rural no Brasil do século 21: a formação de um novo padrão agrário e agrícola (pp. 827-864). Embrapa. https://www.embrapa.br/busca-de-publicacoes/-/publicacao/994073/o-mundo-rural-no-brasil-do-seculo-21-a-formacao-de-um-novo-padrao-agrario-e-agricola.

Brasil (2017). Decreto nº 9.064, de 31 de maio de 2017. Dispõe sobre a Unidade Familiar de Produção Agrária, institui o Cadastro Nacional da Agricultura Familiar e regula¬menta a Lei nº 11.326, de 24 de julho de 2006, que estabelece as diretrizes para a formulação da Política Nacional da Agricultura Familiar e empreendimentos familiares rurais. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2017/decreto/d9064.htm.

Brasil (2006). Lei nº 11.326, de 24 de julho de 2006. Estabe¬lece as diretrizes para a formulação da Política Nacio¬nal da Agricultura Familiar e Empreendimentos Fami¬liares Rurais. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2006/lei/l11326.htm.

Buriti, C.O., & Barbosa, H.A. (2018). Um século de secas: por que as políticas hídricas não transformaram o semiárido brasileiro? Lisboa: Editora Chiado.

Da Silva, D.M.O.B et al. (2017). Pronaf: Uma avaliação da Distribuição Regional dos contratos de crédito e seus impactos sobre o desenvolvimento rural do Nordeste Brasileiro. OKARA: Geografia em debate. 11(2), 376-396. https://periodicos.ufpb.br/index.php/okara/article/view/32694/19031.

Gazolla, M., & Schneider, S. (2013). Qual “fortalecimento” da agricultura familiar? Uma análise do Pronaf crédito de custeio e investimento no Rio Grande do Sul. Revista de Economia e Sociologia Rural, 51(1), 45-68. https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-20032013000100003&lng=en&nrm=iso.

Guanziroli, C. E. (2007). Pronaf dez anos depois: resultados e perspectivas para o desenvolvimento rural. Rev. Econ. Sociol. Rural, 45 (2), 301-328. http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-20032007000200004&lng=en&nrm=iso.

Gujarati, D. (2006). Econometria básica. Elsevier.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE. (2017). Censo agropecuário 2017. https://sidra.ibge.gov.br/pesquisa/censo-agropecuario/censo-agropecuario-2017.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE. (2019). Censo agropecuário 2017: Resultados definitivos. IBGE. https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/periodicos/3096/agro_2017_resultados_definitivos.pdf.

Matias-Pereira, J. (2010) Manual de metodologia da pesquisa científica. Atlas.

Mattei, L. (2005). Impactos do Pronaf: análise de indicadores. Brasília: Ministério do Desenvolvimento Agrário, Núcleo de Estudos Agrários e Desenvolvimento Rural.

Monteiro, P.A., & Lemos, J.J. (2019). Desigualdades na distribuição dos recursos do Pronaf entre as regiões brasileiras. Revista de Política Agrícola, ano XXVIII (1), 6-17. https://seer.sede.embrapa.br/index.php/RPA/article/view/1279/pdf.

Pernambuco. (2018). Lei complementar nº 388, de 27 de abril de 2018. Regulamenta o disposto no § 3º do art. 25 da Constituição Federal. https://legis.alepe.pe.gov.br/texto.aspx?tiponorma=2&numero=388&complemento=0&ano=2018&tipo=&url=.

Pires, M. J. S. (2013). Contradições em processo: um estudo da estrutura e evolução do Pronaf de 2000 a 2010. Texto para discussão n. 1914. IPEA.

Pretto, J. M., & Horn, C. H. (2020). Uma avaliação do Pronaf no período 1995-2018. Colóquio – Revista do Desenvolvimento Regional. 17 (1), 35-49. https://seer.faccat.br/index.php/coloquio/article/view/1577#:~:text=Este%20artigo%20apresenta%20uma%20avalia%C3%A7%C3%A3o,da%20Agricultura%20Familiar%20(PRONAF).

Queiroz, J.F., Lunas, D.A.L., & Frias, O.A. (2015). Análise do crédito do PRONAF no estado de Goiás no período de 2000-2011. Revista Desenvolvimento Socioeconômico em debate, 1 (2), 5-26. http://periodicos.unesc.net/RDSD/article/view/2394.

Sampaio, Y, & Vital, T. (2020, agosto). Agricultura familiar em Pernambuco: o que diz o censo agropecuário de 2017. Revista Econômica do Nordeste, v. 51, 155-171. https://www.bnb.gov.br/documents/80223/8054629/E_1263.pdf/84ffff26-e71b-6df3-b6d6-bfc9dc4983ad.

Schneider S., Mattei, L. & Cazella, A. A. (2004). Histórico, caracterização e dinâmica recente do Pronaf - Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar. In: Schneider, S., Kunrath Silva, M., & Moruzzi Marques, P. E. (orgs.). Políticas públicas e participação social no Brasil rural (pp. 21-50). Editora da UFRGS.

Sigaud, L., & L’estoile, B. (org.). (2006). Ocupações de terra e transformações sociais: uma experiência de etnografia coletiva. Editora FGV.

Souza, P.M., & Barbé, L.C. (2014). Desigualdades regionais na distribuição dos financiamentos do Pronaf: uma análise do período de 1998 a 2012. Revista Econômica do Nordeste, 45, 31-43. https://www.bnb.gov.br/documents/80223/205365/ren_2014_3_paulo_v2.pdf/abff8f93-7555-498e-8dba-57d6fbf63567.

Vital, T. W., & Melo, L.M. (2010). Comercialização agrícola na pequena produção familiar da zona da mata de Pernambuco: novos subsídios para o planejamento. In: Academia Pernambucana de Ciência Agronômica, vol. 7, Anais [...]. http://www.journals.ufrpe.br/index.php/apca/article/view/123.

Vital, T. W., & Melo, A. (2015). O agroamigo em Pernambuco: alguns resultados. Revista Econômica do Nordeste, 46, 123-138. https://www.bnb.gov.br/documents/80223/800344/Art8_REN_ESP_2015.pdf/f4d960ec-9348-4b41-a42f-2a3b14b3cf7a

Published

05/08/2021

How to Cite

FIALHO, M. F.; FERREIRA NETO, J. A. .; REIS, J. D. dos. The evolution of Pronaf in the Development Regions (DR) of Pernambuco. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 10, p. e59101018466, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i10.18466. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/18466. Acesso em: 24 oct. 2021.

Issue

Section

Agrarian and Biological Sciences