Access to educational technologies in public institutions: the challenges of innovation in pandemic times in Brazil

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i10.18502

Keywords:

Education; Digital exclusion; Public policy; Teacher; Student; Pandemic.

Abstract

The COVID-19 pandemic highlighted the difficulties related to teaching and demanded innovation, especially in public schools and universities throughout Brazil. In this research, it was performed an extensive literature review in order to identify the difficulties and needs of students and teachers to adapt and innovate in education amidst social isolation. This paper presents education in Brazil and the struggles of the teachers and students within the educational process, addressing their realities regarding available technology, the accessibility to of the internet and its availability to students, discussing the large educational gap generated by the digital exclusion arising from unfavorable socioeconomic conditions. It was observed that innovating in education, whether in times of pandemic or at any time, is only possible with the drafting of assertive laws and public policies that respect the plurality and capacities of students and teachers, based on the availability of internet access and better distribution of employment and income.

References

Alves Júnior, J. V., Santo, P. T. E. S., & Travassos, L. C. P. (2009). Como o bom entendimento da relação entre motivação e aprendizagem pode ser positivo no processo ensino-aprendizagem. Revista Tecer, 2(3). http://dx.doi.org/10.15601/1983-7631/rt.v2n3p54-60

Amaral, A. L. (2010). Significados e contradições nos processos de formação de professores. In: Dalben, A. I. L. F; Pereira, J. E. D; Leal, L. F. V.; Santos, L. L. C. P. (Orgs.). Convergências e tensões no campo da formação e do trabalho docente: didática, formação docente, trabalho docente. Belo Horizonte: Autêntica. (Coleção Didática no Ensino Superior).

Aranha, W. L. A. (2007). Professores eventuais nas escolas estaduais paulista: ajudantes de serviço geral da educação. Araraquara: Unesp. (Mimeo).

Arenare, E. C. C., & Mól, G. de S. (2020). Contributions of the Media Tools for Inclusion of Students with Disabilities and without Disabilities: analysis of academic records. Research, Society and Development, 9(5), e21953004. https://doi.org/10.33448/rsd-v9i5.3004

Barros, JLS, Teles, AS, Meireles, MC, Santos, DV dos, Silva, FJ da S. e, Coutinho, LR, & Teixeira, SS (2020). Tecnologias de informação e comunicação na base curricular nacional comum para o ensino fundamental: a concepção de professores de São José de Ribamar, Brasil. Research, Society and Development, 9 (7), e482974127. https://doi.org/10.33448/rsd-v9i7.4127

Behrens, M. A. (1998). A formação pedagógica e os desafios do mundo moderno. Docência na universidade, p. 7.

Bell, D. (1977). O advento da sociedade pós-industrial: uma tentativa de previsão social. São Paulo: Cultrix.

Camacho, ACLF, Joaquim, FL, Menezes, HF de, & Sant 'Anna, RM (2020). A tutoria em educação a distância nos tempos do COVID-19: orientações relevantes. Pesquisa, Sociedade e Desenvolvimento, 9 (5), e30953151. https://doi.org/10.33448/rsd-v9i5.3151

Carneiro, A. L., Rodrigues, W., França, G., & Prata, D. N. (2020). Uso de tecnologias no ensino superior público brasileiro em tempos de pandemia COVID-19. Research, Society and Development, v.9, n,.8, e267985485. http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v9i8.5485

Castro, J. A. D. (2009). Evolução e desigualdade na educação brasileira. Educação & Sociedade, (30), p. 673-697.

Castro, M. H. D. M., & Leite, E. M. (2006). Educação no Brasil: atrasos, conquistas e desafios. In: Tafner P. (editor). Brasil: o estado de uma nação, mercado de trabalho, emprego e informalidade, Rio de Janeiro. IPEA, p. 121-228.

Cavalcanti, M. & Gomes, E. (2001). Inteligência Empresarial: Um novo modelo de Gestão para uma Nova Economia. Produção, (10)2, p. 53-64.

Chiofi, L. C., & Oliveira, M. R. F. D. (2014). O uso das tecnologias educacionais como ferramenta didática no processo de ensino e aprendizagem. Anais da III Jornada de Didática: Desafios para a docência e II Seminário de Pesquisa do CEMAD. Londrina, PR, Brasil, 29 a 31 de jul.

Cordeiro, K. M. D. A. (2020). O Impacto da Pandemia na Educação: A Utilização da Tecnologia como Ferramenta de Ensino.

Feenberg, A. (2010). Racionalização subversiva: tecnologia, poder e democracia. In: Neder, R. T. (Org.) A teoria crítica de Andrew Feenberg: racionalização democrática, poder e tecnologia. Brasília: Observatório do Movimento pela Tecnologia Social na América Latina / CDS / UnB / Capes. cap.2. p. 69-95.

França, F. F., Costa, M. L. F., & dos Santos, R. O. (2019). As novas tecnologias de informação e comunicação no contexto educacional das políticas públicas: possibilidades de luta e resistência. ETD-Educação Temática Digital, 21(3), p. 645-661. https://doi.org/10.20396/etd.v21i3.8654687

Freire, P. (1984). A máquina está a serviço de quem? Revista BITS, p. 6.

Freire, P. (1997b). Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

Gasque, K. C. G. D., & Costa, S. M. D. S. (2003). Comportamento dos professores da educação básica na busca da informação para formação continuada. Ciência da informação, (32), p. 54-61.

Gesser, V. (2012). Novas tecnologias e educação superior: Avanços, desdobramentos, Implicações e Limites para a qualidade da aprendizagem. IE Comunicaciones: Revista Iberoamericana de Informática Educativa, (16), p. 23-31.

Leite, M. D. P. & Souza, A. N. D. (2011). Condições de trabalho e suas repercussões na saúde dos professores da educação básica no Brasil. Educação & Sociedade, (32), p. 1105-1121.

Lima, T. C. S. D., & Mioto, R. C. T. (2007). Procedimentos metodológicos na construção do conhecimento científico: a pesquisa bibliográfica. Revista Katálysis, (10), p. 37-45.

Masuda, Y. (1982). A sociedade da informação como sociedade pós-industrial. Ed. Rio. 210 p.

Marchiori, L. L. D. M., Melo, J. J., & Melo, W. J. (2011). Avaliação docente em relação às novas tecnologias para a didática e atenção no ensino superior. Avaliação: Revista da Avaliação da Educação Superior (Campinas), (16), p. 433-443.

Moran, J. M. (1997). Como utilizar a Internet na educação. Ciência da informação, (26), p. 146-153.

Ney, M. G., de Souza, P. M., & Ponciano, N. J. (2015). Desigualdade de acesso à educação e evasão escolar entre ricos e pobres no Brasil rural e urbano. InterSciencePlace, 1(13).

Oliveira, N. D. S. C. & Passos, L. F., (2008). Professores não habilitados e os programas especiais de formação de professores: a tábua de salvação ou a descaracterização. Revista Diálogo Educacional, 8(23), p. 105-120.

Pavan, R., & Backes, J. L. (2016). O processo de (des) proletarização do professor da educação básica. Revista Portuguesa de Educação, 29(2), p. 35-58.

Petry, L. C. (2006). O conceito de novas tecnologias e a hipermídia como forma de pensamento. Edições Universidade Fernando Pessoa. Comunidades e Coleções. UFP. http://hdl.handle.net/10284/854

Pinto, M. L. S. (2004). Práticas educativas numa sociedade global. Porto: Edições ASA.

Wilhelm, A. (2002). A democracia dividida, a internet e a participação política nos Estados Unidos.

In: Cepik, M. & Eisemberg, J. (Orgs.). Internet e política: teoria e prática da democracia eletrônica. Belo Horizonte: Editora da UFMG. p. 236-238

Published

08/08/2021

How to Cite

SOUZA, Ádina F. de .; MORAES, C. G. de; SOUZA, M. C. de .; FRANCO, M. L. .; OLIVEIRA, L. S. C. de .; COSTA, A. S. V. da .; SILVA, M. M. da .; POMPERMAYER, R. de S. . Access to educational technologies in public institutions: the challenges of innovation in pandemic times in Brazil. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 10, p. e172101018502, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i10.18502. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/18502. Acesso em: 8 dec. 2021.

Issue

Section

Human and Social Sciences