Active methodologies in professional and technological education: brief theorization

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i10.18880

Keywords:

Information and communication technologies; Active methodologies; Professional and technological education.

Abstract

This article proposes a brief theoretical review on the use of active methodologies in professional and technological education. To do so, it was necessary to reflect on professional education in integrated high school education and how the Common National Curriculum Base influences this context. Based on this reflection, the work also analyzes the use of active methodologies and information and communication technologies applied in the area, as well as the training of teachers in the use of these resources. Thus, the discussions raised during theorization made it possible to understand that it is necessary to break with the duality of student (digital native) and teacher (digital foreigner) if what is aimed at is a pedagogical proposal that minimally approximates the generational differences between both. Thus, it is necessary to wake up to the multiplicity of issues involving the use of these new methodologies and technologies, as in-depth discussions on their inclusion in pedagogical projects, training paths and teacher training are still incipient. It is hoped that this bibliographic survey can conduct to a qualified discussion or infusion of a protagonist, active and reflective education within the scope of professional education.

Author Biographies

Nayara Teixeira dos Santos, Instituto Federal do Norte de Minas Gerais

Professora do IFNMG - Campus Araçuaí

Ismael Mendes dos Santos Júnior, Instituto Federal do Norte de Minas Gerais

Professor do IFNMG - Campus Araçuaí

Gerson Avelino Fernandes Pereira, Instituto Federal do Norte de Minas Gerais

Pedagogo do IFNMG - Campus Araçuaí

References

Andrade, L. G. da S. B et al. (2020). Geração Z e as metodologias ativas de aprendizagem: desafios na educação profissional e tecnológica. Revista Brasileira de Educação Profissional e Tecnológica, 1 (18), 1-18. http://www2.ifrn.edu.br/ojs/index.php/RBEPT/article/view/8575

Andrade, L. G. da S. B., & Ferrete, R.B. (2019). Metodologias ativas e a educação profissional e tecnológica: invertendo a sala de aula em vista de uma aprendizagem significativa. EPT em Revista, 3 (2), 86-98. https://ojs.ifes.edu.br/index.php/ept/article/view/451/398

Araujo, R. M. de L., & Frigotto, G. (2015). Práticas pedagógicas e ensino integrado. Revista Educação em Questão, 52 (38), 61-80. https://periodicos.ufrn.br/educacaoemquestao/article/view/7956/5723

Araújo, U. F. (2011). A quarta revolução educacional: a mudança de tempos, espaços e relações na escola a partir do uso de tecnologias e da inclusão social. ETD: educação temática digital. Website da FAE – UNICAMP. http://www.fae.unicamp.br/revista/index.php/etd/article/view/2279

Azevedo, A. B. de. (2012). Desafios da docência na Educação a Distância. https://node1.123dok.com/dt05pdf/123dok_br/002/398/2398448.pdf.pdf?X-Amz-Content-Sha256=UNSIGNED-PAYLOAD&X-Amz-Algorithm=AWS4-HMAC-SHA256&X-Amz-Credential=7PKKQ3DUV8RG19BL%2F20210716%2F%2Fs3%2Faws4_request&X-Amz-Date=20210716T141034Z&X-Amz-SignedHeaders=host&X-Amz-Expires=600&X-Amz-Signature=e7ff98f0d49d2165abd21e9eea1e6ccc74d895f4027a5a56a8822b4c7e89b29d

Bacich, L., & Moran, J. (2018). Metodologias ativas para uma educação inovadora: uma abordagem teórico-prática. Porto Alegre: Penso.

Bacich, L., & Tanzineto, A. N., & Trevisani, F. M. (Org.). (2015). Ensino híbrido: personalização e tecnologia na educação. Porto Alegre: Penso.

Barbosa, E. F., & Moura, D. G. (2013). Metodologias ativas de aprendizagem na educação profissional e tecnológica. SENAC Journal of Education and Work, 39 (2), 48-67. https://www.bts.senac.br/bts/article/view/349

Barcellos, M.E.et al. (2017). A reforma do ensino médio e as desigualdades no Brasil. Revista Brasileira da Educação Profissional e Tecnológica, 2 (13), 118-136. http://www2.ifrn.edu.br/ojs/index.php/RBEPT/article/view/6127/pdf

Behar, P.A. (Org). (2013). Competências em educação à distância. Porto Alegre: Penso.

Bonwell, C. C., & Eison, J. A. (1991). Active learning: creating excitement in the classroom. Recuperado de: http://www.eric.ed.gov/PDFS/ED340272.pdf

Brasil. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. (1996). Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, DF.

Brasil. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Básica. Base Nacional Comum Curricular - Ensino Médio. Brasília-DF.

Carneiro, R. P. (2012). Reflexões acerca do processo ensino aprendizagem na perspectiva freireana e biocêntrica. Revista Thema, 9 (2). https://periodicos.ifsul.edu.br/index.php/thema/article/view/145

Diesel, A., Baldez, A. L. S., & Martins, S.N. (2017). Os princípios das metodologias ativas de ensino: uma abordagem teórica. Revista Thema, 14 (10), 268-288.

Freire, P. (2013). Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

Freitas, M. T. (2010). Letramento Digital e a Formação de Professores. Educação em Revista, 26 (3), 335-352.

Frigotto, G., Ciavatta, M., & Ramos, M. (Orgs.). (2005). Ensino Médio Integrado: concepções e contradições. São Paulo: Cortez.

Gauthier, C.et al. (1998). Por uma teoria da Pedagogia. Ijuí: Unijuí..

Gil, A. C. (2002). Como elaborar projetos de pesquisa. (4a. ed.). São Paulo: Atlas.

Godoy. A. S. (1995). Pesquisa qualitativa: tipos fundamentais. Revista de administração de Empresas, 35 (3), 20-29. https://www.scielo.br/j/rae/a/ZX4cTGrqYfVhr7LvVyDBgdb/?lang=pt&format=pdf

Goldberg, D. E. (2010). The missing basics & other philosophical reflections for the transformation of engineering education. Website do Philsci Arquive. http://philsci-archive.pitt.edu/4551/

Kleiman, A. B., & Marques, I. B. A. S. (2018). Letramentos e tecnologias digitais na educação profissional e tecnológica. Revista Brasileira da Educação Profissional e Tecnológica, 2 (15), 1-20. http://www2.ifrn.edu.br/ojs/index.php/RBEPT/article/view/7514

Libâneo, J. C. (2013). Didática. (2a ed.). São Paulo: Cortez.

Lima, M. et al. (2019). Metodologia ativa: um estudo de caso no ensino médio técnico integrado no IFMS – Campus Nova Andradina. III Encontro Internacional de Gestão, Desenvolvimento e Inovação. Naviraí, MS.

Macedo, M. L. R., Freitas, C. N. P., & Bezerra, D. P., & Santos, F. A. A. (2019). Práticas educativas na educação profissional e tecnológica à luz da neuroeducação. Brazilian Journal of Development, 5 (11), 23110-23128.

Machado, L. R. de S. (2008). Diferenciais inovadores na formação de professores para a educação profissional. Revista Brasileira da Educação Profissional e Tecnológica, 1 (1), 8-22.

Mattar, J. (2017). Metodologias Ativas: para a educação presencial, blended e a distância. São Paulo: Artesanato Educacional.

Meyers, C., & Jones, T.B. (1993). Promoting active learning. San Francisco: Jossey Bass.

Moran, J. (2015). Mudando a educação com metodologias ativas. http://www2.eca.usp.br/moran/wpcontent/uploads/2013/12/mudando_moran.pdf

Moura, D.H. (2008). A formação de docentes para a educação profissional e tecnológica. Revista Brasileira da Educação Profissional e Tecnológica, 1 (1), 23-38. http://www2.ifrn.edu.br/ojs/index.php/RBEPT/article/view/2863/1004

Palfrey, J., & Gasser, U. (2011). Nascidos na era digital: entendendo a primeira geração dos nativos digitais. Porto Alegre: Artmed.

Pereira, S. F., Conte, E., & Dias, M.G. (2017). Competência humana e digital - fronteiras ao aprender cooperativo. Revista Educação e Emancipação, 10 (2), 122-146. http://www.periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/reducacaoemancipacao/article/view/7390

Reali, A. M. M. R., & Reyes, C. R. (2009). Reflexões sobre o fazer docente. São Carlos: EdUFSCar.

Santos, F. A. A et al. (2018). Práticas Pedagógicas Integradoras no Ensino Médio Integrado. Holos, 6, 185-199. http://www2.ifrn.edu.br/ojs/index.php/HOLOS/article/view/7611/pdf

Saviani, D. (2011). História das ideias pedagógicas no Brasil. (3a.ed.). Campinas/SP: Autores Associados.

Severino, A. J. (2007). Metodologia do trabalho científico. (23a ed.). São Paulo: Cortez.

Severo, C. E. P. (2018). Os efeitos educativos de práticas pedagógicas interdisciplinares baseadas em projetos na Educação Profissional e Tecnológica. Revista Interdisciplinaridade, (12), 32-46. https://revistas.pucsp.br/index.php/interdisciplinaridade/article/view/36783

Shah, S., & Nihalani, M. (2012). Stress free environment in classroom: impact of humor in student satisfaction. Recuperado de: http://www.grin.com/en/e-book/192216/stress-free-environment-in-classroom-impact-of-humor-in-student-satisfaction#inside

Silberman, M. (1996). Active learning: 101 strategies do teach any subject. Massachusetts: Ed. Allyn and Bacon.

Silveira, R. B., Gonçalves, L.F., & Maraschin, M.S. (2017). A formação de professores na educação profissional e tecnológica e a complexidade que envolve a permanência e êxito dos estudantes. Revista Brasileira da Educação Profissional e Tecnológica, 2 (13), 81-93.

Tardif, M. (2002). Saberes Docentes e Formação Profissional. Petrópolis: Vozes.

Trevelin, A. T. C., Pereira, M. A. A., & O. Neto, J. D. (2013). A utilização da sala de aula invertida em cursos superiores de tecnologia: comparação entre o modelo tradicional e o modelo invertido flipped classroom adaptado aos estilos de aprendizagem. Website da UNED. https://www2.uned.es/revistaestilosdeaprendizaje/numero_12/articulos/articul o_8.pdf

Valente, J. A. (2014). Blended Learning e as mudanças no Ensino Superior: a proposta da sala de aula invertida. Recuperado de: http://ojs.c3sl.ufpr.br/ojs2/index.php/educar

Published

13/08/2021

How to Cite

SANTOS, N. T. dos .; SANTOS JÚNIOR, I. M. dos .; PEREIRA, G. A. F. . Active methodologies in professional and technological education: brief theorization. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 10, p. e354101018880, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i10.18880. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/18880. Acesso em: 18 oct. 2021.

Issue

Section

Education Sciences