The importance of validating children's emotions

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i10.18940

Keywords:

Emotions in Childhood; Behavioral Disorders; Emotional regulation.

Abstract

Children are in a much learning phase, so guardians should be careful about what children are learning so they can avoid or validate certain attitudes/behavior. Within this aspect are the emotions that are fundamental in the development of the small ones. Given the present of the general objective of the research is to highlight the importance of children learning about emotions. The applied methodology had an exploratory and qualitative approach. The inclusion and exclusion criteria applied were studies published from 2016 that investigate the Brazilian reality on the theme addressed. In the end, 11 studies were used where 9 were indexed in the academic platform SciELO and 2 in google academics. In the results, we opted for studies published from 2016 in which they investigate the Brazilian reality on the proposed theme.  It is concluded that emotion in childhood is a complex process because children have difficulty in understanding and expressing what they are felt. When children do not express emotions, they propose to isolate themselves from other people and develop disorders such as anxiety, depression, antisocial behaviors, obsessive-compulsive disorders (OCD) and other behavioral disorders affecting their adult life. So as early as childhood children should learn to identify their emotional expressions.

Author Biographies

Joana Barbosa de Souza, Centro Universitário FAMETRO

Estudante Finalista do Curso de Psicologia pelo Centro Universitário FAMETRO

Juliana Castro Ferreira , Centro Universitário FAMETRO

Estudante finalista do curso de psicologia pelo Centro Universitário FAMETRO

Julio Cesar Pinto de Souza, Centro Universitário FAMETRO

Mestre em psicologia, na linha psicossocial pela Universidade Federal do Amazonas (UFAM)

References

Aguiar, J. S. R., de Paiva Silva, A. I., Aguiar, C. S. R., Torro-Alves, N., & De Souza, W. C. (2016). A influência da intensidade emocional no reconhecimento de emoções em faces por crianças brasileiras. Universitas Psychologica, 15(5).

Alves, V. C. T. (2019). Práticas educativas e competências emocionais na primeira infância (Doctoral dissertation).

Arruda, B. B. (2015). Emoções e perturbação emocional: reconhecimento de expressões faciais (Doctoral dissertation, [sn]).

Cadima, J., Ferreira, T., Guedes, C., Vieira, J., Leal, T., & Matos, P. M. (2016). Risco e regulação emocional em idade pré-escolar: A qualidade das interações dos educadores de infância como potencial moderador. Análise Psicológica, 34(3), 235-248.

Carvalho, C. G., Junior, D. J. C., & de Souza, G. A. D. B. (2019). Neurociência: uma abordagem sobre as emoções e o processo de aprendizagem. Revista da Universidade Vale do Rio Verde, 17(1).

Chora, M., Monteiro, L., Ramos, M., & Amaral, R. (2019). Um olhar sobre o papel do pai na compreensão emocional das crianças: Os estilos parentais e práticas de socialização das emoções negativas. Um olhar sobre o papel do pai na compreensão emocional das crianças: os estilos parentais e práticas de socialização das emoções negativas, (33), 19-32.

Conte, G., Ciasca, S. M., & Capelatto, I. V. (2016). Relação entre autoconceito e autocontrole comparados ao desempenho escolar de crianças do ensino fundamental. Revista Psicopedagogia, 33(102), 225-234.

Curvello, R. P., & Mendes, D. M. L. F. (2020). Estratégias de regulação emocional de pais: uma revisão da literatura. Psicologia Clínica, 32(2), 231-250.

Damásio, B. F. (2017). Mensurando habilidades socioemocionais de crianças e adolescentes: Desenvolvimento e validação de uma bateria (Nota Técnica). Trends in Psychology, 25, 2043-2050.

Dutra, M. P., dos Santos Bezerra, V. A., Silva, A. S., Abreu, G. A., & de Sousa Galvão, L. K. (2017). Empatia e comportamento pró-social: intervenção educacional na infância. In IV Congresso Nacional de Educação. João Pessoa-PB. Anais IV CONEDU (Vol. 1).

Fonseca, V. D. (2016). Importância das emoções na aprendizagem: uma abordagem neuropsicopedagógica. Revista Psicopedagogia, 33(102), 365-384.

Franco, M. D. G. S. D. E. C., & Santos, N. N. (2015). Desenvolvimento da compreensão emocional. Psicologia: Teoria e pesquisa, 31, 339-348.

Gil, A. C. (2002). Como elaborar projetos de pesquisa (Vol. 4, p. 175). São Paulo: Atlas.

Lins, Z. M. B., Salomão, N. M. R., Lins, S. L. B., Carneiro, T. F., & Eberhardt, A. C. (2015). O papel dos pais e as influências externas na educação dos filhos. Revista da SPAGESP, 16(1), 43-59.

Lopes, I. R. R. (2020). Desenvolvimento social e afetivo na primeira infância: concepções de professoras. Revista Caparaó, 2(2), e24-e24.

Lakatos, E. M., & Marconi, M. D. A. (2007). Técnicas de Pesquisa. 5. º ed. São Paulo: Atlas.

Mendes, D. M. L. F., & Ramos, D. D. O. (2020). Concepções parentais sobre emoções e o desenvolvimento emocional de crianças. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 36.

Mendes, D. M. L. F., Pires, P. P., & Fioravanti, A. C. M. (2018). Escala Crenças Parentais sobre Competência Emocional em Crianças (COMPE): Propriedades Psicométricas. Trends in Psychology, 26, 1819-1832.

Moitoso, G. S., & Casagrande, C. A. (2017). O desenvolvimento da empatia na infância: fatores implicados. SEFIC 2016.

Motta, D. D. C., Dias, A. P., Carvalho, A. L. N., Castro, R. V. D., Manhães, A. C., Silva, L. G. G., & Santos, K. N. V. D. (2017). Programa para a promoção da empatia em sala de aula. Revista Brasileira de Terapias Cognitivas, 13(2), 122-130.

Oliveira, B. P. W. D., Gurtat, A. K. G., & Reis, A. H. (2018). Manejo dos pais frente à expressão de raiva dos filhos. Psico-USF, 23, 279-293.

Pinheiro, M. J. S. (2018). (Des) regulação emocional na adolescência: estratégias de regulação e problemas emocionais e de comportamento (Doctoral dissertation).

PRODANOV, Cleber Cristiano. Metodologia do Trabalho Científico: Métodos e Técnicas da Pesquisa e do Trabalho Acadêmico. 2° Ed. Novo Hamburgo: Feevale, 2013.

Santos, C. C., & Barros, J. F. (2018). Efeitos do uso das novas tecnologias da informação e comunicação para o desenvolvimento emocional infantil: uma compreensão psicanalítica.

Schiavini, J. M., & Garrido, I. (2018). Análise de Conteúdo, Discurso ou Conversa? Similaridades e Diferenças entre os Métodos de Análise Qualitativa. Revista ADM. MADE, 22(2), 01-12.

Schwartz, F. T., Lopes, G. P., & Veronez, L. F. (2016). A importância de nomear as emoções na infância: relato de experiência. Psicologia Escolar e Educacional, 20, 637-639.

de Mota, A. B., & Mendes, D. M. L. F. (2018). Compreensão emocional em crianças e crenças maternas sobre competência emocional. Psicologia Clínica, 30(3), 541-559.

Suehiro, A. C. B., Boruchovitch, E., & Schelini, P. W. (2018). Estratégias de aprendizagem e a regulação da emoção no Ensino Fundamental. Estudos Interdisciplinares em Psicologia, 9(3), 90-111.

Published

16/08/2021

How to Cite

SOUZA, J. B. de .; FERREIRA , J. C. .; SOUZA, J. C. P. de . The importance of validating children’s emotions. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 10, p. e479101018940, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i10.18940. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/18940. Acesso em: 25 oct. 2021.

Issue

Section

Review Article