Academic perception on active methodologies: an experience report on creating video classes through Project-Based Learning

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i12.20773

Keywords:

Project-based learning; Active methodology; Learning; Physiotherapy; Teaching.

Abstract

Objective: to understand the academic perception of active methodologies through the experience of creating video classes through Project Based Learning. Methodology: qualitative, observational, experience report developed in a debate with students from a University in Belém / PA. The experience was carried out by the students of the Physiotherapy Course, during the course of Biophysics, in the month of May 2018. A meeting was held with students and teachers of the Institution at the time of class administration, emphasizing Project-Based Learning and the difficulties traditional methodology. Results: the main aspect highlighted in the experience was the students' perception of active methodology through video lessons through the concepts of Excellent, Good, Regular, Bad or Very Bad. The Excellent concept was most chosen by the students, with more than 2/3 of the total students. Conclusion: the experience allowed a better understanding of the students' perception of active methodologies, especially Project-Based Learning through video lessons. Therefore, further studies on the influence of Project Based Learning on student learning are essential.

References

Alves, L. A., et al. (2021). Desafios e potencialidades da interprofissionalidade no contexto do programa de educação pelo trabalho para saúde. Research, Society and Development, 10(4), 1-9. http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v10i4.14041.

Borges, T. S., & Alencar, G. (2017). Metodologias Ativas na Promoção da Formação Crítica do Estudante: O Uso das Metodologias Ativas como Recurso Didático na Formação Crítica do Estudante do Ensino Superior. Cairu em Revista, 3(4), 119-143.

Brasil. Ministério da Saúde (2018). Programa de educação pelo trabalho para a saúde (PET-Saúde). https://antigo.saude.gov.br/images/pdf/2018/dezembro/1 3/Programa-de-Educacao-pelo-Trabalho-para-a-Saude-SaudeGraduaSUS-FINAL-WEB.pdf.

Cartagenes, M. V. et al. (2017). Software baseado no método ABA para auxílio ao ensino-aprendizagem de crianças portadoras de Transtorno Global do Desenvolvimento-Autista. Anais do Computer on the Beach, Itajaí, 162-171.

Costa, R. D. A., Almeida, C. M. M. & Lopes, P. T. C. (2017). Aplicativos para dispositivos móveis e metodologias ativas: possibilidades pedagógicas para o ensino e aprendizagem em nível superior. Revista Educacional Interdisciplinar, Taquara, 6 (1), 1-9.

Cunha, M. M., Cunha, S. N. & Domingues, A. S. O. L. (2016). Contribuição dos textos, imagens, recursos audiovisuais, mapas conceituais e jogos eletrônicos no processo de explicação de conteúdos. Encontro Internacional de Formação de Professores e Fórum Permanente de Inovação Educacional, Aracaju, 9 (1), 1-14.

Cecílio, L. C. O. & Reis, A. A. O. (2018). Apontamentos sobre os desafios (ainda) atuais da atenção básica. Cadernos de saúde pública, 34 (8), 1-14. https://doi.org/10.1590/0102-311X00056917.

Delphino, F. B. et al. (2017). A utilização de metodologias ativas em cursos superiores para uma aprendizagem significativa. Innovando en Educación Superior: Experiencias clave en Latinoamérica y el Caribe, Santiago, 3 (1), 67-77.

Diesel, A., Baldez, A. L. S. & Martins, S. N. (2017). Os princípios das metodologias ativas de ensino: uma abordagem teórica. Revista Thema, Pelotas (RS), 14 (1), 268-288.

Emery, L. R. & Morgan, S. L. (2017). The application of project-based learning in bioinformatics training. PLoS Comput Biol., 13 (8).

Farias, D. N., Ribeiro, K. S. Q. S. & Anjos, U. U. & Brito, G. E. G. (2018). Interdisciplinaridade e interprofissionalidade na Estratégia Saúde da Família. Trab. Educ. Saúde, 16 (1), 141-162. http://dx.doi.org/10.1590/1981-7746-sol00098.

Grillo, L. P., Ibarra, L. S. & Mezadri, T. (2019). Conceito ampliado de saúde na formação dos profissionais de educação física. Saúde e Pesquisa, 12 (2), 265- 273. https://doi.org/10.17765/2176-9206.2019v12n2p265-273.

Lima, V. V. (2017). Espiral Construtivista: Uma Metodologia Ativa de Ensino -Aprendizagem. Interface (Botucatu), Botucatu, 21 (61), 421-434.

Marin, M. J. S. et al. (2010). Aspectos das fortalezas e fragilidades no uso das metodologias ativas de aprendizagem. Rev. Bras. Educ. Méd., 34 (1), 13-20.

Meneses, T. Q., Faria, M. S., Silva, L. S., Cotta, R. M. M. & Costa, G. D. (2017). A Utilização do Portfólio Reflexivo como Método de Ensino, Aprendizagem e Avaliação na Disciplina Políticas de Saúde. Journal of Management & Primary Health Care, 7 (1), 149-149.

Moraes, J. P. & Paim, C. F. (2017). O ensino da administração: práticas pedagógicas e seus impactos no desempenho profissional na visão dos formandos de graduação em administração de uma instituição privada na cidade de Porto Alegre - RS. Caminhos da Educação = Camine: WaysofEducation, , 9(2), 96-113.

Moraes, S. G., Marino, M. T. R. D., Fernandes, D. & Façanha, M. C. (2017). Metodologias ativas: o protagonismo do discente no processo de aprendizagem. Os Desafios da Geografia Física na Fronteira do Conhecimento, 1, 3573-3578.

Moran, J. (2015). Mudando a educação com metodologias ativas. Coleção Mídias Contemporâneas. Convergências Midiáticas, Educação e Cidadania: aproximações jovens, 2, 15-33.

Oliveira, M. G. et al. (2017). Um curso de programação a distância com metodologias ativas e análise de aprendizagem por métricas de software. Revista Novas Tecnologias na Educação, 15(1), 1-10.

Paiva, M. R. F. et al. (2016). Metodologias ativas de ensino-aprendizagem: revisão integrativa. Revista de Políticas Públicas, 15(2), 145-153.

Ribeiro, J. B. P. et al. (2016). Intervenção pedagógica e metodologia ativa: o uso da instrução por colegas na educação profissional. Periódico Científico Outras Palavras, 2(12), 1-16.

Rios, D. R. S., Sousa, D. A. B. & Caputo, M. C. (2019). Diálogos interprofissionais e interdisciplinares na prática extensionista: o caminho para a inserção do conceito ampliado de saúde na formação acadêmica. Interface (Botucatu), 23. http://dx.doi.org/10.1590/interface.180080.

Schmitz, E. X. S., Reis, S. C. (2018). Sala de aula invertida: investigação sobre o grau de familiaridade conceitual teórico-prático dos docentes da universidade. Educação Temática Digital, 20(1), 153.

Silva, J. B. et al. (2018). Tecnologias digitais e metodologias ativas na escola: o contributo do Kahoot para gamificar a sala de aula. Revista Thema, 15(2), 780-791.

Silva, L. S. et al. (2014). Formação de profissionais críticos-reflexivos: o potencial das metodologias ativas de ensino-aprendizagem e avaliação na aprendizagem significativa. Formação de profissionais críticos-reflexivos, metodologias ativas e aprendizagem significativa. Revista del Congrés Internacional de Docência Universitària i Innovación, Bellaterra, 2(1), 1-16.

Sobral, F. R. & Campos, C. J. G. (2012). Utilização de Metodologia Ativa no Ensino e Assistência de Enfermagem na Produção Nacional: Revisão Integrativa. Rev. esc. enferm. 46(1), 208-218.

Vendruscolo, C., Trindade, L. L., Maffissoni, A. L., Martini, J. G., Silva Filho, C. C. & Sandri, J. V. A. (2020). Implicação do processo de formação e educação permanente para atuação interprofissional. Rev Bras Enferm, 73 (2). https://dx.doi.org/10.1590/0034-7167-2018-0359.

Published

27/09/2021

How to Cite

MONTEIRO, B. B. S.; NASCIMENTO, E. R. S. do; LEITE, D. F. .; MATSUMURA, E. S. de S. . Academic perception on active methodologies: an experience report on creating video classes through Project-Based Learning. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 12, p. e473101220773, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i12.20773. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/20773. Acesso em: 20 feb. 2024.

Issue

Section

Health Sciences