Reflections on the school materiality of the Instituto Gentil Bittencourt in Belém do Pará: history, artifacts and school architecture

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i13.21050

Keywords:

School material culture; School architecture; Gentil Bittencourt Institute; Pará.

Abstract

This study discusses the materiality circulating in the Gentil Bittencourt Institute, in Belém do Pará, in the beginning of the 20th century, a period in which the city experienced great transformations and conflicts promoted by the aspirations of a civilizing project of a society that used education as an ideological tool in its practical, scientific and political dimensions. Thus, we strive to investigate education in the state of Pará, analyzing objects and artifacts in the field of school material culture from the premises of the Gentil Bitencourt Institute. We aim, therefore, to analyze the presence of objects, artifacts, architecture and practices contained in the organization of everyday school life in the aforementioned institute, considering the time of its inauguration, in 1906 in the city of Belém do Pará. Methodologically, we used two moments: first, the carrying out an exploratory study allowing to identify the sources in the Museum of the Instituto Gentil Bittencourt, as well as in its library; later, we present a brief theoretical articulation. Thus, taking as an object of investigation the school materiality of the Gentil Bitencourt Institute, we have the following issue: how is school material culture configured in the school space with its school practices and artifacts? The analyzes carried out for the development of this object allowed us to perceive how the historical, cultural and social development of the state of Pará interfered with the materiality of the educational scenario. We also found that the use and arrangement of objects and artifacts displayed in the structure of the analyzed school building, as well as school practices, reveal the organization of classes and the moral, civic and scientific training, focused on the pedagogical precepts established in the regulations of public education in Pará, in the mid-twentieth century.

References

Alcantara, W. R. R. (2016). A transnacionalização de objetos escolares no fim do século XIX. Anais do Museu Paulista, São Paulo.

Bencostta, M. L. (2013). A noção de cultura material escolar em debate no campo de investigação da história da educação. Em C.A.Castro (Org.) Cultura material escolar: a escola e seus artefatos (MA, SP. PR, SC e RJ)- 1870/ 1925. São Luís: EDUFMA: Café & Lápis.

Benito, A. E. (2018). Etnohistória e cultura material da escola: a educação nas exposições universais. Gaspar, V. L., & Souza, G., & Castro, C. Escritas e possibilidades. Vitória, EDUFES.

Castro, C. A., & Castellanos, S. L. V. (2018). A escola como vitrine: os objetos escolares nas exposições do trabalho no maranhão império. Gaspar, V. L & Souza, G.; & Castro, C. Escritas e possibilidades. Vitória, EDUFES.

Castro, C. & Castellanos, S. L. V. (2018). A escola e seus artefatos culturais. São Luís: EDUFMA

Coelho N, J. T. (2014). A construção do sentido na arquitetura. Ed. Perspectiva, 6 ed. São Paulo.

Coelho, Alan Watrin (2006). A ciência do governar: positivismo, evolucionismo e natureza em Lauro Sodré. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em História. UFPA.

Escolano Benito, A. (2017). A escola como cultura: experiência, memória e arqueologia. Campinas, sp: alínea.

Fabris, A. (1993). Arquitetura eclética no Brasil: o cenário da modernização. Anais Do Museu Paulista: História E Cultura Material, 1(1), 131-143. https://doi.org/10.1590/S0101-47141993000100011

Faria, L. M. F. (2004). A cultura escolar como categoria de análise e como campo de investigação na história da educação. Revista Educação e Pesquisa, São Paulo, 30 (1) 139-159.

Felgueiras, M. L. (2005). Materialidade da cultura escolar: a importância da museologia na conservação/comunicação da herança educativa. Pro-Posições, 16(1).

Faria, L. M. F., & Vidal, D.G (2000). Os tempos e os espaços escolares no processo de institucionalização da escola primária no Brasil. Rev. Brasileira de Educação, mai/jun/jul/ago. ?

Frago, A. V. (2005). Espaços, usos e funções: a localização e disposição física da direção escolar na escola graduada. História da Educação, arquitetura e espaço cultural. São Paulo: Cortez.

Frago, A. V., & Escolano, A. (1998). Currículo, espaço e subjetividade: a arquitetura como programa. Rio de Janeiro: DP&A.

Julia, D. (janeiro-junho, 2001). A Cultura Escolar como Objeto Histórico. Revista Brasileira de História da Educação, (1), 9-43.

Gaspar, V. L. & Souza, G., & Castro, C. A. (2018) (orgs.). Cultura material escolar em perspectiva histórica: escritas e possibilidades.Vitória, EDUFES .

Melo, C. N., & França, M. P. S. G. S.A. (2014). História da educação no Pará. Belém: EDUEPA.

Moraes, F.T. (2011). A educação no Primeiro Governo de Lauro Sodré (1886-1897): os sentidos de uma concepção político-educacional republicana. Dissertação (Mestrado Acadêmico em Educação). Programa de Pós-Graduação em Educação. ICED/UFPA.

Sabino, E. B. (2012). A assistência e a educação das meninas desvalidas no colégio Nossa Senhora do Amparo na Província do Grão-Pará (1860-1889). Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-Graduação em Educação. ICED/UFPA.

Segawa, H. (1998). Arquiteturas no Brasil – 1900-1990. Edusp. SP.

Sousa, C. M. P. (2015). Fragmentos da História da Educação no Pará no início do século XX; Instituto Gentil Bittencourt, origem, organização e concepções pedagógicas. Revista HISTEDBR, Campinas, 62 (1) 144-156.

Sousa, M.S.A. (2019). O mobiliário escolar na instrução pública primária do Pará: entre as “vitrines do progresso” e o “estado de ruínas”. Tese. Programa de Pós-Graduação em Educação. ICED/UFPA.

Souza, R. F. (2007). História da Cultura Material Escolar: um balanço inicial. Marcus Levy Bencosta. (org.). Culturas escolares, saberes e práticas de ensino: itinerários históricos. São Paulo: Cortez.

Ribeiro, E. E H., & Alves, J. J. (2015). Condições de criação da Escola de Engenharia do Pará: a valorização e formação científica dos Engenheiros (1870 -1931). Revista Brasileira de História da Ciência, Rio de Janeiro, 8 (1) 57-64.

Viana, A. (1906). O Instituto Gentil Bittencourt – Esboço histórico. Typ. e encadernação do Instituto Lauro Sodré. Pará.

Vidal, D. G. (2005). Cultura e Práticas Escolares. Culturas escolares. Estudo sobre práticas de leitura e escrita na escola pública primária (Brasil e França final do século XIX). Campinas: Autores Associados.

Vidal, D. G. (2009). No interior da sala de aula: ensaio sobre cultura e práticas escolares. Revista Currículo sem Fronteiras, 9 (1) 25-41.

Published

03/10/2021

How to Cite

SOUSA, M. do S. A. de .; LIMA, M. do S. P. . Reflections on the school materiality of the Instituto Gentil Bittencourt in Belém do Pará: history, artifacts and school architecture. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 13, p. e18101321050, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i13.21050. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/21050. Acesso em: 4 dec. 2021.

Issue

Section

Education Sciences