The importance of teaching Libras from early childhood education: a matter of social inclusion

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i12.21102

Keywords:

Pounds; Inclusion; Child Education; Effectiveness.

Abstract

This article aimed to describe the importance of teaching Brazilian Sign Language - Libras since early childhood education. For this, a historical analysis of the evolution of the teaching of Libras in Brazilian education was carried out, as well as of the Legislation that focuses on guaranteeing the inclusive education of students with deafness in the country. In addition to verifying public educational policies aimed at special education. In this sense, the teaching of Libras, despite being guaranteed by national laws, shows a series of difficulties in schools, especially in the early grades, due to the lack of sign language interpreters in the classroom. In the methodological part of this scientific work, bibliographical and documental research of an applied nature was used, using the deductive method and the qualitative approach. Thus, the research concluded that the teaching of Libras, although it is standardized in schools, needs effective public policies aimed at special education, in order to guarantee the protection of the often excluded minority.

Author Biographies

Edineide Paslandim Neto de Carvalho, Faculdade Única

Possui graduação em Pedagogia com ênfase em Educação Básica para a educação infantil e ensino fundamental desde 2018 pela Faculdade Educacional da Lapa - PR. É graduada em Licenciatura em Ciências Biológicas (2012), bem como tem Graduação em Gestão Ambiental (2009), ambas pelo Centro Universitário Luterano de Palmas. É pós-graduada em Supervisão Escolar na Faculdade Intervale, bem como em Libras e também em Orientação Educacional, ambas pela Faculdade Única de Ipatinga. Está cursando graduação de Letras-Libras na Faculdade Única de Ipatinga desde 2020. Está realizando cursos profissionalizantes na área de Educação Especial e Libras para atuar como professora e intérprete. Atualmente é agente administrativo especial na Secretária do Trabalho e da Assistência Social - SETAS. Desempenhou atividade como Orientadora Educacional e Professora no Ensino Fundamental.

Lêda Lira Costa Barbosa, Universidade Federal do Tocantins

Mestranda do Curso de Mestrado Profissional em Educação para 4ª Turma/2020.1 - Formação de Gestores Educacionais pela Faculdade UnYleYa (2016 ? 2018); Especialização em Gestão Escolar pela UFT - Universidade Federal do Tocantins (2008 -2010). Professora Efetiva da Educação Básica da Rede Estadual de Ensino do Tocantins. É integrante da equipe de Orientadores Educacionais e formadores do estado do Tocantins. Possui graduação em Pedagogia pela Universidade Federal de Sergipe (1995). Especialização em Supervisão e Orientação Educacional pelo ITOP (2005/2006); Especialização em Psicopedagogia Clínica e Institucional pela FACINTER/IBPEX (2005/2006); Especialização em Docência do Ensino Superior pela Universidade Cãndido Mendes - UCAM (2001). Tem experiência na área de docência da Educação Básica e Formação Continuada de Professores. Foi Professora efetiva e Gestora no Município de Gurupi/TO (1999 a 2004). Foi servidora efetiva do Município de Palmas/TO, atuando como Gestora, Supervisora e Orientadora (2005 a 2018). Atualmente, é Técnica em Orientação Educacional na Secretaria Estadual de Educação do Estado do Tocantins.

Philipe Lira de Carvalho, Polícia Militar do Estado do Tocantins

Mestre em Gestão de Políticas Públicas pela Fundação Universidade Federal do Tocantins-UFT. Possui graduação em Direito pela UFT (2008) e graduação em Segurança Pública pela Academia de Polícia Militar Tiradentes (2008). Especialização em Gestão Pública (420 horas) pela Faculdade de Londrina - Paraná e Especialização em Docência do Ensino Superior pela Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas de Marabá - Facimab (360 horas). Especialização em Supervisão Escolar no Instituto Coimbra em parceria com a Faculdade Intervale. Está cursando Pedagogia no Instituto Coimbra em parceria com a Faculdade Intervale. Atua como assessor na Polícia Militar do Estado do Tocantins.

References

Alexandrino, B. B. & Deus, P. A. S. de. (2014) A efetividade do direito na inclusão escolar dos portadores do transtorno do espectro do autismo. http://publicadireito.com.br/artigos/?cod=f29c0f1c5f3cc955.

Aragão, J. W. M. de & Neta, M. A. H. M. (2017). Metodologia científica. Universidade Federal da Bahia. Salvador. Faculdade de Educação, Superintendência de Educação a Distância. Produção de Mídias para educação online.

Basso, I. M. de S., Strobel, K. L. & Masutti, M. (2009). Metodologia de ensino de Libras – L1. Florianópolis: Centro de Comunicação e Expressão, UFSC. https://www.libras.ufsc.br/colecaoLetrasLibras/eixoFormacaoPedagogico/metodologiaDeEnsinoEmLibrasComoL1/assets/631/TEXTO-BASE_SEM_AS_IMAGENS_.pdf.

Brasil. (1988). Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Planalto Brasília. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm.

Brasil. (1989). Lei nº 7.853, de 24 de outubro de 1989. Dispõe sobre o apoio às pessoas portadoras de deficiência, sua integração social, sobre a Coordenadoria Nacional para Integração da Pessoa Portadora de Deficiência - Corde, institui a tutela jurisdicional de interesses coletivos ou difusos dessas pessoas, disciplina a atuação do Ministério Público, define crimes, e dá outras providências. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l7853.htm.

Brasil. (1990). Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8069.htm.

Brasil. (1996). Lei nº 9394, 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm.

Brasil. (1997). Secretaria de Educação Especial – A educação dos Surdos – org. Giuseppe Rinaldi et al. Brasília: MEC/SEESP.

Brasil. (2001). Lei nº 10.172, de 9 de janeiro de 2001. Aprova o Plano Nacional de Educação e dá outras providências. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/leis_2001/l10172.htm.

Brasil. (2002). Lei nº 10.436 de 24 de abril de 2002. Dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais - Libras e dá outras providências. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2002/l10436.htm.

Brasil. (2005), Decreto 5.626 de 22 de dezembro de 2005. Regulamenta a Lei nº 10.436, de 24 de abril de 2002, que dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais - Libras, e o art. 18 da Lei nº 10.098, de 19 de dezembro de 2000. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2005/decreto/d5626.htm.

Caridade, N. V. D. (2020). Processo escolar no ensino fundamental de uma aluna com surdez em escola de Macapá, Amapá. Research, Society and Development, 9(3), e185932722. https://doi.org/10.33448/rsd-v9i3.2722.

Fernandes Júnior, A. de J. dos S. & Santos, M. E. M. (2021). Guia de Metodologia da Pesquisa para Jovens Cientistas. 1. ed. – São Luís: Even3 Publicações, 93 p.

Ferreira, G. da C. (2016). As dificuldades do ensino de física para surdos: proposta de ensino de ondas sonoras numa abordagem contextualizada. Monografia de conclusão de curso. Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Gil, C. A. (2017). Como Elaborar Projetos de Pesquisa. 6ª edição. São Paulo, Atlas.

Mantoan, M. T. E.. (2021). Inclusão Escolar: O que é? Por quê? Como fazer? São Paulo: Summus.

Mazucato, T. (2018). A elaboração do pré-projeto. In T. Mazucato (Org.), Metodologia da Pesquisa e do Trabalho Científico (pp. 40-46). 1ª ed. Ed. Funepe.

Nader, J. M. V., Pires, M. L., Vietro, T. B. de, Silva, I. R. & Bittencourt, Z. Z. L. C. (2007). Políticas públicas e iniciativas educacionais na educação do aluno surdo. http://alb.com.br/arquivo-morto/edicoes_anteriores/anais16/sem09pdf/sm09ss01_05.pdf.

Pereira, O. R. (2013). Alunos Surdos, Intérpretes de Libras e Professores: Atores em Contato na Universidade. Cadernos de Educação, v.12, n. 24, jan. jun. (pp. 73-96). https://doi.org/10.15603/1679-8104/ce.v12n24p73-96.

Quadros, R. M. de. (2008). Educação de surdos: a aquisição da linguagem. Porto Alegre: Artmed Editora, reimpressão.

Rodrigues, R. & Gonçalves, J. C. (2020). Procedimentos de metodologia científica. 9. ed. Lages: PAPERVEST. 195p.

Sabanai, N. L. (2007). A evolução da comunicação entre e com surdos no Brasil. ISSN 1981 6677. ANO 1 - Nº 1. http://www.helb.org.br/index.php/revista-helb/ano-1-no-1-12007/92-a-evolucao-da-comunicacao-entre-e-com-surdos-no-brasil.

Sacks, O. (2010). Vendo Vozes: uma viagem ao mundo dos surdos. Tradução de Laura Teixeira Motta. São Paulo: Companhia das Letras.

Published

01/10/2021

How to Cite

CARVALHO, E. P. N. de .; BARBOSA, L. L. C.; CARVALHO, P. L. de . The importance of teaching Libras from early childhood education: a matter of social inclusion. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 12, p. e587101221102, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i12.21102. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/21102. Acesso em: 26 feb. 2024.

Issue

Section

Education Sciences