Using the New Index of Learning Styles (ILS) to determine the Learning Styles of High School students and teachers

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i13.21209

Keywords:

Cognitive styles; Teaching; N-ILS; Education; Students.

Abstract

Learning Styles (EA) reflect the preferences of individuals and knowledge of these profiles allow the teacher to intervene and use different methodological strategies favoring the teaching and learning processes. This study aimed to determine the different learning styles of students, in order to categorize and verify the main characteristics of the sample in order to propose possible strategies to be used by teachers. Using the N-ILS instrument, whose theoretical proposal defines 16 different behavioral profiles, a mapping of the learning styles of 226 students and 8 high school teachers (1st to 3rd year) in May 2021 was carried out. verify that there are students with different EA and also different levels of preference within the poles. In addition, it was observed that most high school students have the following learning style: sensory (79.65%), visual (56.19%), reflective (57.08%) and sequential (71.24 %). Teachers are mostly: sensory, visual or verbal, active and sequential. It is considered that learning geared to the student's preferences favors their understanding of the content, but the teacher must know how to balance their teaching methodologies when necessary, so that they can acquire different skills. Knowing the profile of students brings benefits to themselves, teachers, school and future companies, which will receive professionals who have developed their learning capabilities.

References

Aguiar, J., Fechine, J., & Costa, E. (2020). Utilização do Índice de Estilos de Aprendizagem de Felder–Soloman em Turmas de Nível Técnico, Graduação e Pós-Graduação em Computação. 336–345. https://doi.org/10.5753/wei.2015.10250

Amaral, L. H., Calegari, R. P. & Jesus, G. C. (2016). Diagnóstico de estilos de aprendizagem de Felder-Silverman para definição de estratégias de ensino. In: Amaral, C. L. C., Frenedozo, R. C. (Org.). Estratégias para o ensino de Ciências: propostas e relatos de experiência. São Paulo: Terracota Editora, p. 71-87.

Amaral, M. P., & Silveira, I. F. (2015). Estilos de aprendizagem dos formandos dos cursos técnicos de informática do Cefet-MG. Linhas Críticas, 21(45), 487–502. https://doi.org/10.26512/lc.v21i45.4592

Assunção, M. T., & Viana, L. A. F. de C. (2020). Uma revisão da literatura sobre os estilos de aprendizagem em cursos técnicos, superiores e de especialização e sobre os impactos do ensino remoto emergencial. Research, Society and Development, 9(11),123-13. https://doi.org/10.33448/rsd-v9i11.9663

Butzke, M. A., & Alberton, A. (2017). Estilos de aprendizagem e jogos de empresa: a percepção discente sobre estratégia de ensino e ambiente de aprendizagem. REGE-Revista de Gestão, 24(1), 72-84.

Catholico, R. A. R., & Oliveira Neto, J. D. (2009). Inventário de estilos de aprendizagem em um curso técnico de eletroeletrônica. Revista Eletrônica de Educação e Tecnologia do SENAI-SP.

Cerqueira, T. C. S. (2000). Estilos de aprendizagem em universitários. Tese de Doutorado. Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

Oliveira, K. L., dos Santos, A. A. A., & Scacchetti, F. A. P. (2016). Medida de estilos de aprendizagem para o ensino fundamental. Psicologia Escolar e Educacional, 20(1), 127–136. https://doi.org/10.1590/2175-3539/2015/0201943

Felder, R. (2002). Index of Learning Styles Page. Acesso em 31 de julho de 2013. http://www2.ncsu.edu/unity/lockers/users/f/felder/public/RMF. html

Felder, R. M.; Soloman, B. A. Index of learning styles questionnaire. North Carolina State University, 1991. <http://www4.ncsu.edu/unity/lockers/users/f/felder/publi c/ILSdir/styles. htm>.

Felder, R.M. & Spurlin, J.E. (2005). Applications, reliability, and validity of the index of learning styles. International Journal of Engineering Education, 21(1), 103-112.

Fernandes, A. M. R.; Benitti, F. B. V.; Cunha, F. S. (2013). Aplicando o Inventário de Estilos de Aprendizagem de Kolb como Ferramenta de Apoio ao Processo de Ensino Aprendizagem em Cursos de Computação. In: XXXIII Congresso de computação.

Fonseca, M., Amodeo Bueno, O., & Cardoso, T. (2013). Analise entre a associaçâo dos estilos de aprendizagem com o gênero, faixa etária e inteligência de crianças brasileriras do ensino fundamental I. Revista de Estilos de Aprendizaje, 11(11), 212–229.

Gomes, C. M. A. (2013). A Construção de uma medida em abordagens de aprendizagem. Psico - RS, 44 (2), 193-203.

Jacobsohn, L. V. O potencial de utilização do e-learning no desenvolvimento de competências do administrador: considerando o estilo de aprendizagem do aluno de graduação. 2003. 232f. Tese (Doutorado em Administração de Empresas) – Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo, FEA/USP. São Paulo, 2003.

Kolb, D. A. (1984). Experiential learning: experience as the source of learning and development. Englewood Cliffs: Prentice-Hall.

Litzinger, T.A., Lee, S.H., Wise, J. C. & Felder, R.M. (2007). A Psychometric study of the index of learning styles. Journal Engineering Education, 96(4), 309-319.

Lopes, W. M. G. ILS – Inventário de estilos de aprendizagem de Felder- Soloman: investigação de sua validade em estudantes universitários de Belo Horizonte. 2002. 85f. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal Santa Catarina, Florianópolis, 2002.

Lum, L.; Bradley, P.; Rasheed, N. (2011). Accommodating learning styles in international bridging education programs. Higher Education, Skills and Work-based Learning,1 (2),147-168.

Negreiros, F.; da Silva, E. H. B., & Lima, J. A. (2017). Estilos de aprendizagem no ensino superior: um estudo com universitários ribeirinhos do Piauí. Revista Educação e Emancipação, 277-302.

Oliveira, D. E. (2012). Impacto dos estilos de aprendizagem no desempenho acadêmico do ensino de contabilidade: uma análise dos estudantes da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Dissertação (Mestrado em Ciências Contábeis), Programa Multiinstitucional e Inter-Regional de Pós-Graduação em Ciências Contábeis, Universidade de Brasília, Universidade Federal da Paraíba, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2012. <http://repositorio.unb.br/handle/10482/12748>.

Pellón, M., Nome, S., & Arán, A. (2013). Relação entre estilos de aprendizagem e rendimento acadêmico dos estudantes do quinto ano de medicina. Revista Brasileira de Oftalmologia, 72(3), 181–184. https://doi.org/10.1590/s0034-72802013000300008

Penner, G. C., Almeida, H. S., & Mendonça, N. M. (2020). Identificação e análise de estilos de aprendizagem para aprimorar o ensino em uma disciplina da engenharia. Research, Society and Development, 9(10).

Pereira, E., & Vieira Junior, N. (2013). Os Estilos de Aprendizagem no Ensino Médio a partir do Novo ILS e a Sua Influência na Disciplina de Matemática. Alexandria: Revista de Educação Em Ciência e Tecnologia, 6(3), 173–190.

Santos, A. A. A. & Mognon, J. F. (2010). Estilos de aprendizagem em estudantes universitários. Boletim de Psicologia, 60(133), 229-241.

Schmitt, C. D. S., & Domingues, M. J. C. D. S. (2016). Estilos de aprendizagem: um estudo comparativo. Avaliação: Revista da Avaliação da Educação Superior (Campinas), 21(2), 361-386.

Vieira Jr. N. Planejamento de um ambiente virtual de aprendizagem baseado em interfaces dinâmicas e uma aplicação ao estudo de potência elétrica. 233 f. Tese (Doutoado) – Universidade Estadual Paulista “Júlio Mesquita Filho”. Campus de Ilha Solteira, 2012.

Vieira Junior, N. (2014). Construção e validação de um novo índice de estilos de aprendizagem. In: MCTI; UNESCO; CNPq. (Org.). Educação para a ciência. Brasília: MCTI.

Vieira Junior, N. (2019). Metodologias de Ensino e Aprendizagem. Pós-Graduação em Docência. Instituto Federal de Minas Gerais: Arcos.

Published

12/10/2021

How to Cite

DUARTE, A. C. O.; NASCIMENTO, D. L. do . Using the New Index of Learning Styles (ILS) to determine the Learning Styles of High School students and teachers. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 13, p. e285101321209, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i13.21209. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/21209. Acesso em: 8 dec. 2021.

Issue

Section

Education Sciences