The use of active teaching methodologies by Science teachers in Angical schools - PI

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i13.21220

Keywords:

Sciences. Methodologies. Knowledge; Sciences; Methodologies; Knowledge.

Abstract

According to the Curriculum Guidelines for Teaching, the study of Sciences has as its object of study the scientific knowledge, associated with the different relationships between human beings and other living beings, in the search for conditions of survival. Therefore, for this knowledge to become effective, it requires a constant relationship between theory and practice providing, through various methodologies, the continuous absorption of knowledge, the present study aims to discover if they are, and how they are used. active methodologies in science teaching by teachers in the city of Angical – PI. What impact does it have on student learning. This article is a qualitative study to investigate methodologies based on data collection, in order to qualify the teaching of Nature Sciences in schools in Angical do Piauí. It is based on information contained, on legal provisions such as BNCC (Common National Curriculum Base), LDB (Law of Guidelines and Bases), Curriculum Guidelines and Parameters, scientific articles and on field research through questionnaires. For this, a field and qualitative research was carried out. In which it was possible to see the need for some teachers to know the active methodologies in order to get more out of them and also the resources available to use them more efficiently. This is also added to the change in the methodological view of the execution of classes and, even, the curiosity to know more active tools and methodologies, although there are major challenges in executing them in classrooms.

References

Alves, L. (2020). Educação remota: entre a ilusão e a realidade. Interfaces Científicas, 8(3), 348 – 365. https://periodicos.set.edu.br/educacao/articl e/download/9251/4047

Barbosa, E. F., & de Moura, D. G. (2013). Metodologias ativas de aprendizagem na educação profissional e tecnológica. Boletim Técnico do Senac, 39(2), 48-67. https://bts.senac.br/bts/article/view/349

Basílio, J. C., & Oliveira, J. C. (2016). Metodologias Ativas para o aprendizado de Ciências Naturais no Ensino Básico.

Blaszko, C. E., Ujie, N. T., & Carletto, M. R. (2014) Ensino de ciências na primeira infância: aspectos a considerar e elementos para a ação pedagógica. In: UJIIE, Nájela Tavares, PIETROBON, Sandra Regina Gardacho. Educação, infância e formação: vicissitudes e quefazeres. Curitiba: CRV, p. 151-168.

Diesel, A., Baldez, A. L. S., & Martins, S. N. (2017). Os princípios das metodologias ativas de ensino: uma abordagem teórica. Revista Thema, 14(1), 268-288 https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/4650060/mod_resource/content/1/404-1658-1-PB%20%281%29.pdf

Faria, P. A. M. de., Martin, A. L. A. R., &Cristo, C. S. (2015). Aprendizagem Ativa na Educação em Saúde: Percurso Histórico e Aplicações. Revista Brasileira de Educação Médica. 39(1), 143-150 https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0100 55022015000100143&script=sci_abstract&tlng=pt

FREITAG, I. H. (2017). A importância dos recursos didáticos para o processo ensino-aprendizagem. Arquivos do MUDI, 21(2), 20-31. https://periodicos.uem.br/ojs/index.php/ArqMudi/article/view/38176https://periodicos.uem.br/ojs/index.php/ArqMudi/article/view/38176.

Gil, A. C. (2008) Como elaborar projetos de pesquisa. (4a ed.), Atlas.

Gonçalves, A. S., Silva, M. R. Q., Inácio, W. P., & Alves, F. C. (2018). Metodologias utilizadas por professores do ensino fundamental nas aulas de ciências naturais, Anais.Editora Realize, VII ENALIC. https://www.editorarealize.com.br/editora/anais/enalic/2018/443-55751-28112018-230620.pdf.

Lara E.M. O., Lima V.V., Mendes, J. D., Ribeiro, E. C. O., & Padilha, R. Q. (2019). O professor nas metodologias ativas e as nuances entre ensinar e aprender: desafios e possibilidades. Interface. 23: e180393. https://doi.org/10.1590/Interface.180393.

Louredo, P. (2020). Ensino De Ciências.Brasil Escola: Orientações. https://educador.brasilescola.uol.com.br/orientacoes/ensino-ciencias.htm

Martins, O. A. da S., Silva, M. R., & Almeida, V. de S. (2021). Sala de Aula Invertida: Uma metodologia Ativa na Aprendizagem. Ensino Em Perspectivas, 2(2), 1–5. https://revistas.uece.br/index.php/ensinoemperspectivas/article/view/5701

Melo, J. R. de. (2013). Análise do perfil dos professores de Ciências Naturais dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental: um estudo nas Escolas de Planaltina – DF. Universidade de Brasília, UNB Planaltina. Trabalho de Conclusão de Curso, https://bdm.unb.br/bitstream/10483/5898/1/2013_JeniferRicardaDeMelo.pdf.

Morán, J. (2015). Mudando a educação com metodologias ativas. Coleção mídias contemporâneas. Convergências midiáticas, educação e cidadania: aproximações jovens, 2(1), 15-33. https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/4941832/mod_resource/content/1/Artigo-Moran.pdf

Oliveira, J. K. C. DE, Pimentel, F. S. C. (2020). Epistemologias da gamificação na educação: teorias de aprendizagem em evidênciA. Revista da FAEEBA - Educação e Contemporaneidade, 29(57), 236-250. https://www.revistas.uneb.br/index.php/faeeba/article/view/8286 Acesso 02 de abril 2020.

Oliveira, L. de, & Neiman, Z. (2020). Educação Ambiental no Âmbito Escolar: Análise do Processo de Elaboração e Aprovação da Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Revista Brasileira De Educação Ambiental (RevBEA), 15(3), 36–52. https://doi.org/10.34024/revbea.2020.v15.10474

Silva, R. H. A., & Scapin, L. T. (2011). Utilização da avaliação formativa para a implementação da problematização como método ativo de ensino-aprendizagem. Est. Aval. Educ., 22(50), 537-552.

Strauss, A., & Corbin, J. (2015) Basics of qualitative research: techniques and procedures for developing Grounded Theory.California: SAGE. https://www.metodologiacientifica.org/tipos-de-pesquisa/pesquisa-teoriafundamentada-grounded-theory/

Paiva, M. R., Parente, J. R. F., Brandão, I. R., & Queiroz, A. H. B. (2016). Metodologias ativas de ensino-aprendizagem: Revisão interativa. SANARE, Sobral – 15(2), 145-153. https://sanare.emnuvens.com.br/sanare/article/view/1049/595

Rosa, D. A. M., & Artuso, A. R. (2019). O Uso do Livro Didático de Ciências de 6º a 9º Ano: Um Estudo com Professores Brasileiros. Revista Brasileira De Pesquisa Em Educação Em Ciências, 709–746. https://doi.org/10.28976/1984-2686rbpec2019u709746

Togashi, C. M., Silva, T. M., & Schimer, C. R. (2017). A importância da formação continuada para ampliar os conhecimentos dos professores do Atendimento Educacional Especializado em Comunicação Alternativa e Ampliada. In: NUNES, L. R. O. P., and SCHIRMER, C. R., orgs. Salas abertas: formação de professores e práticas pedagógicas em comunicação alternativa e ampliada nas salas de recurso multifuncionais. EDUERJ, 169-176. http://books.scielo.org/id/xns62/epub/nunes-9788575114520.

Trevisan, K. I., Antunes, F. R. I., & Gonzàlez, F. J. (2017). Fatores que interferem no planejamento escolar: dificuldades de uma docente da rede básica de ensino. Trabalho vinculado ao projeto Transformação da Educação Física Escolar. Limites e Potencialidades de experiências colaborativas de Formação Continuada Grupo Paidotribas da Unijuí. Salão do Conhecimento, 2017. file:///C:/Users/iara/Downloads/7961Texto%20do%20artigo-34057-1-10-20170918.pdf

Published

19/10/2021

How to Cite

SOARES, M. de S. .; MAURIZ, T. R. de M. .; AYRES, M. C. C. .; SILVA , J. S. da .; COSTA, C. R. de M. da .; LIMA, J. F. .; LAVOR, C. .; LIMA , G. F. .; VIEIRA , D. F. .; MOURA , L. F. W. G. . The use of active teaching methodologies by Science teachers in Angical schools - PI. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 13, p. e484101321220, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i13.21220. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/21220. Acesso em: 2 dec. 2021.

Issue

Section

Education Sciences