Federative coordination and collaboration in the policy and management of the ongoing development of teachers from 2003 to 2006

Authors

  • Clotenir Damasceno Rabelo Prefeitura Municipal de Icapuí

DOI:

https://doi.org/10.17648/rsd-v7i4.214

Keywords:

Educational Policy; Ongoing Development; Municipality; Collaboration System.

Abstract

The article integrates the studies carried out as part of a concluded research which aimed to analyze the intergovernmental relations established by the federated entities in the implementation of policies created in the framework of the Federal and State Governments    oriented towards the ongoing development of literacy teachers and the role played by the municipalities in the execution of such policies in the period between 2003 and 2006. As an integral part of the broad analysis, this text discusses the policy and management of the ongoing development of teachers in Brazil, considering the federative coordination and collaboration between 2003 and 2006. It presents an analysis carried out in documents of the National Policy of Recognition and Development of Teachers, redesigned in the beginning of 2003, especially the National Network of Ongoing Development of Basic Education Teachers. It also emphasizes the guidelines agreed upon set down to initiate collaborative efforts between the federated entities and universities to implement this policy. The examination reveals signs of a centralized federal formulation and a decentralized offer, and indicates different reactions by states and municipalities to the model of federalism adopted in the policies, giving rise to contradictions in the structure of roles played by the subnational units. 

References

ABRUCIO, F. L. A coordenação federativa no Brasil: a experiência do período FHC e os desafios do governo Lula. Revista de Sociologia e Política, n. 24, p. 41-67, jun., 2005.

ABRUCIO, F. L. A reconstrução das funções governamentais no federalismo brasileiro. In: HOFMEISNTER, W.; CARNEIRO, J. M. B. Federalismo na Alemanha e no Brasil. São Paulo: Fundação Konrad Adenauer, Série Debates, v. 1, n. 22, abr., 2001. p. 95-105.

ANFOPE, ENCONTRO NACIONAL DA ANFOPE, 9.: 1998, Campinas. Documento Final. Campinas, 1998.

ARAÚJO, G. C. Constituição, Federação e propostas para o novo plano nacional de educação: análise das propostas de organização nacional da educação brasileira a partir do Regime de Colaboração. Educação e Sociedade, Campinas – SP, v. 31, n. 112, p. 749-768, jul./set., 2010a.

ARRETCHE, M. Federalismo e políticas sociais no Brasil: problemas de coordenação e autonomia. Revista São Paulo em Perspectiva, v. 18, n. 2, p. 17-26, abr./jun., 2004.

AZEVEDO, J. M. L. de. A colaboração da União e os mecanismos de gestão democrática da educação em municípios do Nordeste. In: GOUVEIA, A. B; PINTO, J. M. R; CORBUCCI, P. R. Federalismo e Políticas Educacionais na efetivação do direito à educação no Brasil. Brasília - DF: IPEA, 2011, p. 173-197.

BARROSO, J. O reforço da autonomia das escolas e a flexibilização da gestão escolar em Portugal. In: FERREIRA, N. S. C. (Org.) Gestão democrática da educação: atuais tendências, novos desafios. 5. ed. São Paulo - SP: Cortez, 2008, p. 11-32.

BRASIL. Ministério da Educação. Alinhamento Estratégico MEC 2003: Tomo I. Brasília - DF, MEC/SEF, 2003c.

BRASIL. Ministério da Educação. Edital n. 01/2003 – SEIF/MEC. Secretaria da Educação Infantil e Fundamental. Brasília - DF: MEC/SEF, 2003a.

BRASIL. Ministério da Educação. INEP. Toda Criança Aprendendo. Revista Brasileira Estudos Pedagógicos, Brasília - DF, v. 84, n. 206/207/208, p. 197-201, jan./dez., 2003b.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Básica. Orientações Gerais – Objetivos, diretrizes, funcionamento. Rede Nacional de Formação Continuada de Professores da Educação Básica. Brasília - DF, 2005.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Básica. Orientações Gerais – Catálogo 2006: Rede Nacional de Formação Continuada de Professores da Educação Básica. Brasília - DF, 2006.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Infantil e Fundamental. Relatório de gestão 2003. Brasília - DF, Janeiro, 2004.

CASASSUS, J. A centralização e descentralização da educação. Cadernos de Pesquisa, São Paulo - SP, n. 95, p. 37-42, nov., 1995.

COSTA, V. M. F. Federalismo e relações intergovernamentais: implicações para a reforma da educação no Brasil. Educação e Sociedade, Campinas - SP, v. 31, n. 112, p. 729-748, jul./set. 2010.

DANIEL, C. Autonomia municipal e as relações com os Estados e a União. In: HOFMEISTER, W.; CARNEIRO, J. M. B. (Orgs.) Federalismo na Alemanha e no Brasil. São Paulo - SP: Fundação Konrad Adenauer, Série Debates, v. 1, n. 22, abr., 2001, p. 203-213.

ESTRADA, P. T. La autonomía municipal y su garantía constitucional directa de protección: estudio comparado de los supuestos español y mexicano. México: Universidad Nacional Autónoma de México, 2005.

FREITAS, H. C. L. de. Certificação docente e formação do educador: regulação e desprofissionalização. Educação e Sociedade, Campinas - SP, vol. 24, n. 85, p. 1095-1124, dez., 2003.

FREITAS, H. C. L. de. Formação de professores no Brasil: 10 anos de embate entre projetos de formação. Educação e Sociedade, Campinas - SP, v. 23, n. 80, p. 136-167, set., 2002.

FRIGOTTO, G. O enfoque da dialética materialista histórica na pesquisa educacional. In: FAZENDA, Ivani (Org). Metodologia da Pesquisa Educacional. 2. ed. São Paulo - SP: Cortez, 1991.

KOSIK. K. Dialética do Concreto. 2. ed. Rio de Janeiro. Paz e Terra, 1976.

LOBO, T. Descentralização: conceitos, princípios, prática governamental. Cadernos de Pesquisa, São Paulo - SP, n. 74, p. 05-10, ago., 1990.

MARTINS, M. A. Autonomia e educação: a trajetória de um conceito. Cadernos de Pesquisa, n. 115, p. 207-232, mar., 2002a.

MARTINS, M. A. Autonomia na escola: a (ex)tensão do tema nas políticas públicas. São Paulo - SP: Cortez, 2002b.

MASSON. G. Políticas de formação de professores: as influências do neopragmatismo da agenda pós-moderna. 2009. 245 p. Tese (Doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Educação. Programa de Pós-Graduação em Educação. Florianópolis - SC, 2009.

MASSON. G. Orientações para o desenvolvimento de investigação em políticas educativas a partir da teoria marxista. In: TELLO, C; ALMEIDA, M. de L. P. de. Estudos epistemológicos no campo da pesquisa em educação. Campinas – SP, Mercado das Letras, 2013, p. 55-76.

SANO, H. Articulação horizontal no federalismo brasileiro: os Conselhos de Secretários Estaduais. 2008. 308 f. Tese (Doutorado em Administração Pública e Governo) - Fundação Getúlio Vargas , Escola de Administração de Empresas de São Paulo, São Paulo - SP, 2008.

SCHEIBE, L. Políticas para a Formação dos Profissionais da Educação neste Início de Século: análise e perspectivas. In: Reunião da Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Educação, 26,; 2003, Caxambu, Anais... Caxambu - MG, 2003.

Published

01/01/2018

How to Cite

RABELO, C. D. Federative coordination and collaboration in the policy and management of the ongoing development of teachers from 2003 to 2006. Research, Society and Development, [S. l.], v. 7, n. 4, p. e874161, 2018. DOI: 10.17648/rsd-v7i4.214. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/214. Acesso em: 28 sep. 2021.

Issue

Section

Dossier